5

Hildo Rocha diz que Flávio Dino sabotou Italuis para beneficiar empresas…

Deputado federal revelou que as mudanças no projeto para beneficiar empresas-amigas do comunismo resultaram na trapalhada que deixou milhares de ludovicenses sem água por seis dias

 

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) denunciou na tribuna da Câmara Federal que o governador comunista Flávio Dino é o responsável pela lambança da inauguração do novo sistema Italuís.

– Não havia necessidade de mudar o projeto. O governador mudou para receber aditivos, para faturar mais. Mudou para permitir que empresas de engenharia ligadas ao partido político dele pudessem participar da obra – acusou Rocha.

Hildo Rocha revelou que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal já havia vistoriado a obra, em julho de 2016 e que o então presidente da Caema, Davi Telles, prometera, na ocasião, entregar a obra em outubro daquele ano.

– Não conseguiram cumprir o compromisso. Mudaram o projeto, fizeram aditivo sem necessidade e o abastecimento de água continua precário. A obra, orçada em mais de R$ 100 milhões é para acabar com o racionamento de água em São Luis. Se isso não acontecer vou culpar única e exclusivamente o governador Flávio Dino – garantiu Hildo Rocha.

O deputado classificou o episódio como trapalhada.

– O que que aconteceu?  A população ficou cinco dias sem água em consequência da trapalhada que o governador fez. Para tentar se justificar disse que houve sabotagem. Levou até polícia para tentar intimidar os operários. Mas, quem fez sabotagem foi ele mesmo. A verdadeira sabotagem ocorreu na mudança do projeto original – afirmou Hildo Rocha.

Marco Aurélio D'Eça

5 Comments

  1. Rapá! Sabe que tem rumo?

    Começo a pensar que o deputado Hildo Rocha tem razão.

    • Alguém tem provocar urgentemente uma auditoria nesse contrato, com uma força tarefa (TCU/CGU/MPF) juntamente com algum instituto técnico idôneo e capaz, antes do efetivo funcionamento do objeto contratado. E ainda provocar uma auditoria na execução da obra da nova adutora, posto que o presidente da Caema, o advogado Davi Telles, argumenta que o projeto e a execução anterior é que vinham cheios de problemas, tentando, desse modo, justificar os atrasos reiterados da conclusão da obra, bem como a expressiva modificação do projeto que culminou com o colapso do Sistema, em razão, a princípio, da colocação improvisada de uma “peça” ( junção Y, fabricada em São Luís com soldagem e material diverso do material dos tubos em aço carbono projetados originalmente para a adutora)!!!!????

      Fato que também suscita muita estranheza nesse contrato, é, em princípio, se modificar o projeto original onerando a obra com aditivos da ordem de 25%, quando o razoável seria se homenagear a economicidade sem incrementar aditivos. Caso contrário, prudentemente, nem se alteraria o tal projeto!

  2. O HILDON ROCHA TEM QUE DENUNCIAR LOGO ESSA ROUBALHEIRA NO ÓRGÃO QUE CONCEDEU O EMPRÉSTIMO AO GOVERNO DO MARANHÃO, ANTES DO EFETIVO FUNCIONAMENTO DA ADUTORA. E PROVOCAR AINDA O TCU PRA FAZER UMA PERÍCIA NESSA OBRA E NOS CONTRATOS DO NOVO SISTEMA ITALUÍS, PARA NÃO PAIRAR DÚVIDAS.

  3. Marco,

    Se isso que o deputado Hildon Rocha está falando for realmente verdadeiro, isto é, que modificaram o projeto da adutora – no transcurso da obra – sem observar critérios técnicos convincentes. Desprezando o sagrado Princípio da Economicidade na Administração Pública simplesmente pra gerar um contrato mais econômico para as empresas-amigas dos comunistas, lesionando claramente o erário. Pode contar que isso é roubo! Um escandaloso ato de improbidade administrativa. E sendo essa obra bancada com recursos oriundos de empréstimos do Governo Federal, logo a mesma está sob o controle da legalidade feito pelo TCU, CGU, MPF e PF.

    Decerto, quem o governador Flávio Dino deveria chamar naquela fatídica tarde de domingo era a PF e o MPF/MA pra apurar os desvios de mais essa obra do governo da mudança.

  4. Flávio Dino ao invés de privatizar a CAEMA no inicio de seu governo, não o fez.
    Pior, se pelo menos tivesse colocado um engenheiro para presidir a CAEMA, oque qualquer gestor racional faria, colocou um menino de vite poucos anos, advogado, inexperiente, ultra esquerdista, para administrar uma empresa complexa, insolúvel e sucateada.
    Evidente que não daria certo, depois este ano voltou a colocar um engenheiro na presidência, mas ai o mal atraso estava criado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *