1

Evangélicos no debate político…

Assembleia de Deus maranhense articula-se com políticos de todas as tendências, num claro exemplo de que pretende influenciar os círculos de poder no Maranhão

 

Os líderes da Assembleia de Deus e os candidatos da denominação em 2018

Principal igreja evangélica do Maranhão, a Assembleia de Deus decidiu mostrar mais claramente ao restante da população que tem um projeto claro de poder no estado.

A convenção estadual da denominação, realizada desde o início da semana, em Chapadinha, foi uma espécie de demonstração de força política orquestrada pelos seus líderes.

Para começar, a AD levou a Chapadinha três dos principais candidatos a governador – o comunista Flávio Dino, ora ocupante do Palácio dos Leões, a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PODE) – abrindo espaços para todas as correntes políticas dos seus líderes religiosos.

Na Assembleia de Deus há líderes ligados por laços de interesses com o comunismo maranhense, mas há também aqueles que têm vínculos históricos com o chamado grupo Sarney, e ainda aqueles que só se posicionam politicamente ao lado de evangélicos, caso de Maura Jorge.

E a disputa interna é latente neste período.

Além da presença dos pré-candidatos ao governo, a convenção assembleiana oficializou as candidaturas de Eliziane Gama ao Senado, de Gyldemenir Sousa à Câmara Federal e do pastor Bel e Mical Damasceno à Assembleia Legislativa, numa clara demonstração de que quer influenciar o poder político estadual.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

  1. A maioria desses lideres evangélicos pensam mais em dinheiro e poder do que em Deus, e usam os fieis para essa finalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *