6

Todos odeiam todos…

Traições, ameaças, chantagens e negociatas marcam a formação da chapa de candidatos a senador na aliança do comunista Flávio Dino, que escolhe sob pressão e ignora aliados históricos

 

Flávio Dino já se decidiu pelo apoio a Weverton Rocha, sob pressão do PDT nacional

Chantagens, ameaças, traições, negociatas e troca de favores formam os aspectos que marcam a disputa pelas duas vagas de senador na chapa do governador Flávio Dino (PCdoB). A guerra renhida e “fratricida” mostra também que, na base do governo comunista, ninguém gosta de ninguém, e tudo se resolve com pressão e opressão de lado a lado.

A manifestação pública de Flávio Dino em favor da candidatura senatorial do pedetista Weverton Rocha, por exemplo, se deu em meio às ameaças do PDT, de retirar o apoio ao PCdoB. Sabendo da própria fragilidade em compor um palanque com tempo de televisão, os comunistas não tiveram alternativas a não ser ceder às chantagens do presidente nacional pedetista Carlos Lupi e companhia.

O outro candidato a senador mais próximo de Dino apela para o emocional e joga na cara do comunista “tudo o que José Reinaldo já fez por ele”. Tavares espera a retribuição do governador ao gesto que ele fez em 2006 e 2010. E se isso não ocorrer, seus aliados tratarão de espalhar a traição do comunista.

Relacionamento do governador com José Reinaldo é de afastamento nos últimos anos

Traição é o que já vê o deputado federal Waldir Maranhão (Avante). Ele garante ter um acordo com Flávio Dino para ser o candidato a senador, com aval do próprio ex-presidente Lula. Ocorre que Dino demonstra cada vez mais o desinteresse em cumprir tal acordo.

A troca de favores foi a opção encontrada por Eliziane Gama e sua igreja, a Assembleia de Deus.

Os evangélicos até estariam dispostos a fechar questão em torno do comunista para o governo do estado, desde que este abra espaço para sua deputada na chapa senatorial.

E assim vai se construindo a chapa do comunista Flávio Dino.

Onde todos odeiam todos…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. Como asssim forçados, na convençaõ do pdt a algumas semanas atrás quando declarou apoio ao deputado Wverton em pleno panlanque lotado não o governador sendo forçado, oq eu vi foi varias lideranças do nosso estado em prol de um forte candidato ao senado em 2018.

  2. Os autores dessa coluna denominada de “Estado Maior” deveriam está preocupados era com a situação da princesa da Odebrecht e dos seus candidatos que não decolam nem que a vaca tussa, ela mesmo nem sabe se vai mesmo entra no páreo, uma hora diz que sim, outra mostra-se desanimada. Enquanto isso o governador Flávio Dino com maestria segue ampliando suas alianças, aumentando seus aliados partidários e consequentemente aumentando ainda mais as suas chances de reeleição. Já dizia aquele velho ditado: Olhem pro rabo de vocês”

  3. Desde que comecei acompanhar politica Wverton e Dino são aliados politicos e amigos tbeem, essa matéria não tem nada haver dizendo que houve pressão, então poq Dino afirmou apoio antecipadamente.

  4. Flávio dino fez certo em lançar a candidatura do dep Weverton, melhor nome dessa chapa e tbm tem meu apoio!

  5. Isso é tão repulsivo o que essa gente faz nas coxias do poder e tudo pela ambição desenfreada de cada vez mais ter poder, dinheiro ficar com o domínio do estado, eles tratam a coisa pública como sendo o quintal da casa deles, mas por outro lado a população tem culpa, haja vista ser ela a votar sempre nesses mesmos grupelhos. Nojo é o que sinto desses políticos.

  6. Não me venha dizer que, todo pedido de aliado tem que ser aceito, negativo, nem sempre, estás puxado brasa para a sardinha de ZeMaxixe, ou Ze Cueca, Ze Reinaldo fez pior, quem fez tudo por ele foi Sarney, hj são amigos?,. Sarney levou uma rasteira do ze, tu não diz nada sobre isso.
    Flavio Dino não tem essa obrigação que tu falas, se for atender todo mundo o governo não atende a população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *