8

Delegados se trancam em cela e impedem interrogatório de Bardal…

Membros da Adepol impediram que agentes da Secretaria de Segurança levassem o ex-superintendente da SEIC para mais um depoimento no inquérito que investiga sua participação em quadrilha de contrabando

 

Preso desde fevereiro, Thiago Bardal é acusado de envolvimento com contrabando

Agentes de polícia foram surpreendidos nesta segunda-feira, 26, com a presença de dois delegados e uma advogado na cela em que está preso, na Cidade Operária, o ex-superintendente de investigações criminais, Thiago Bardal.

Os policiais levariam Bardal para mais um interrogatório no inquérito que investiga sua participação em uma quadrilha de contrabando desbaratada no mês passado.

Além de se recusar a ir com os policiais, Bardal teve o apoio dos representantes da Adepol, que se trancaram na própria cela ao lado do colega.

Em 2017, os membros da Adepol fizeram proteção ao também delegado Thiago Fillipini, preso sob acusação de corrupção

Não é a primeira vez que a Adepol interfere no serviço da polícia para impedir investigações de colegas acusados de malfeitos.

No ano passado, os delegados também se trancaram na cela onde estava preso Thiago Fillipini, de Açailândia acusado de envolvimento em corrupção. (Leia aqui)

Ocorre que, desta vez, o caso envolvendo Thiago Bardal tem jurisdição federal.

Resta saber se a Adepol continuará a tentar impedir o andamento do inquérito também na Polícia Federal…

Marco Aurélio D'Eça

8 Comments

  1. Se tem jurisdição federal como disse a matéria, qual o motivo do espanto? Atitude correta

  2. Blogueiro desinformado. Em 2017 a Adepol impediu a exposição de um de seus membros em entrevista coletiva. O ministerio publico pediu arquivamento do inquerito contra esse delegado, noticia que saiu em todos os blogs mais bem informados.

  3. Antigamente os jornalistas ou os que fazem as suas vezes procuravam ouvir os dois lados da notícia. Hoje em dia, com a popularização dos blogs, se escreve o que se quer, com pouca preocupação em realmente informar os seus leitores, com a busca da verdade. Pior é quando a notícia é movida por alguma ordem de conveniência. Penso que o direito à informação previsto na constitucional, é o direito de o espectador, ser corretamente informado. uma pena que não se ensina mais isso nas faculdades

  4. Profundamente lamentável a atitude da ADEPOL que com essa atitude só reforça a suspeita contra o delegado Bardal. Por que de tudo isso se o mesmo se diz inocente, quem não deve não teme. A ADEPOL com esses posicionamento se mostra que atua com interesses mesquinhos , particulares para proteger seus associados não importa o que tenham feito . A ADEPOL só confirma o seu caráter corporativo e de nenhum compromisso com a sociedade que sofre mais ainda com a desesperança em dias melhores.

  5. E eles não foram presos por isso? Esses policiais, sejam da Civil ou da PM, são muito folgados e acham que a lei não é para eles. É soldadinho da PM que não quer ter o carro parado pela CPRV, para verificar a situação do veículo, e sai xingando e berrando para cima dos policiais rodoviários, que, também, não os prende por desacato!, diga-se de passagem. É Delegado associado evitando o interrogatório de colega preso. Isso se chama corporativismo.

  6. ESSE POVO NÃO TEM VERGONHA NA CARA, NÃO? DEVERIAM SER OS PRIMEIROS A COBRAR EXPLICAÇÕES DESSE BANDIDO!

  7. PALHAÇADA. ESSES CARAS QUE DEVERIAM DAR EXEMPLO FAZEM EXATAMENTE O INVERSO. QUEM NÃO DEVE NÃO TEME. SE BARDAL É INOCENTE QUE POROVE SUA INOCÊNCIA. SE É BANDIDO QUE SEJA PUNIDO E EXTIRPADO DO MEIO POLICIAL.

    AGINDO ASSIM O QUE PODEMOS ESPERAR DA POLÍCIA MARANHENSE? COMO CONFIAR NESSES CARAS?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *