0

Pastor Bell confirma uso eleitoreiro dos capelães na Assembleia de Deus…

Suplente de senador, evangélico revela que uma das funções dos nomeados por Flávio Dino é agir para tirá-lo do páreo na disputa pelo Senado; dois dos capelães compõem o próprio conselho político da AD

 

Pastor Bell foi “renunciado” à disputa pelo Senado por conselheiros da Assembleia de Deus nomeados capelães por Flávio Dino

O pastor Heber Waldo Silva Costa, o pastor Bel, confirmou nesta sexta-feira, 4, o uso eleitoreiro do posto de capelão religioso da Polícia Militar por lideranças da Assembleia de Deus, o que reforça a suspeita de crime eleitoral nas nomeações promovidas pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Pastor Bel, que é suplente de senador desafiou o conselho político da Assembleia de Deus ao se lançar novamente ao Senado. Ele desqualifica um documento assinado pelo conselho, obrigando-o a concorrer, apenas, a deputado estadual.

– Isso não é uma decisão convencional. Isso ai partiu de um grupo de pastores comunistas que receberam cargos de capelão [sic] para tirar o pastor Bell de tempo. Estou mais firme do que forte – comentou, Bell, em entrevista ao blog de Isaias Rocha.

O documento assinado pelos capelães de Flávio Dino; uso eleitoreiro de cargo público

O documento da AD citado pelo pastor Bell tem a assinatura de, pelo menos, dois nomeados por Flávio Dino para o posto de capelão da Polícia Militar.

O pastor Francisco Fábio da Silva Leite foi nomeado por Dino 1º tenente-capelão da PM em 2017; já o pastor Walberto Magalhães Sales, coordenador do Conselho Político, foi nomeado por Dino há pouco mais de um mês, para o posto de capelão religioso da Polícia Civil.

A denúncia de pastor Bell será anexada às demais denúncias contra Flávio Dino.

Que vão tornando a farra dos capelães religiosos um dos mais graves crimes eleitorais já vistos no Maranhão…

Marco Aurélio D'Eça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *