0

“Pintura de escola não garante a qualidade do ensino”, afirma César Pires…

Deputado diz que avanço estruturante no setor da Educação é a valorização do professor, o cérebro, e que citar reforma de escola como avanço – uma obrigação periódica – é mediocridade gerencial

 

O deputado César Pires reagiu aos discursos dos parlamentares governistas que usaram a tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão de terça-feira, 22, para criticar o governo Roseana e apontar avanços da atual gestão estadual na área da educação.

Ele afirmou que alardear reforma e pintura de escolas não garante a qualidade do ensino e nem pode ser mostrado como obra estruturante pelos parlamentares do governo. César Pires lamentou que o governo Flávio Dino dê tratamento diferenciado aos professores estaduais, e aponte reforma de escola como um grande avanço educacional.

– Para falar em educação de qualidade, é preciso investir em titulação e capacitação profissional. Nós reinauguramos mais de 700 escolas reformadas, mas citá-las como avanço seria mediocridade interpretativa. Obra estruturante do sistema educacional é o cérebro, nunca somente a estrutura física, embora necessite da ambiência e complementos materiais – destacou ele.

– É inegável que obtivemos grandes avanços na educação. Como reitor da Universidade Estadual do Maranhão, formamos 40 mil professores em nível superior em todo o estado, reconhecemos a maioria dos cursos de licenciatura da Uema no governo Roseana, implantamos os campus de Balsas, Açailândia, Santa Inês, Bacabal, criamos as bases para a criação da UemaSul, implantamos o primeiro mestrado da Uemae o primeiro em Imperatriz. Como secretário de Educação no governo Roseana, fizemos concurso público, demos as primeiras promoções aos docentes, implantamos a meritocracia na escolha de professores – listou César Pires.

O deputado disse que o ensino profissionalizante propagada pelo governo estadual precisa ter a estrutura curricular, projeto pedagógico definido e laboratórios para aulas práticas adequados, alémde corpo docente qualificado.Ele questionou porque não há nenhuma escola em tempo integral entre as melhores do Maranhão.

– É preciso que se avalie. Todo sistema educacional tem que ser avaliado.Temos que começar a discutir educação não mais em processos enganosos, mas com conteúdo, com lastros de história que nos permita avaliar ou dar cientificidade à discussão – enfatizou ele.

Para o deputado, esse debate sobre a educação é bom e necessário, mas deve ser feito com base em dados concretos, com cientificidade e não apenas com o intuito de diminuir as pessoas, em decorrência do atual contexto político.

– O que percebemos é que a afirmação da candidatura de Roseana mexeu com os pilares do Governo, e as visitas que fazemos ao interior do Maranhão nos mostram que a pressão popular pode abalar as bases palacianas. Por isso essa reação governista – finalizou.

Marco Aurélio D'Eça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *