2

Marcos Lobo compara “Ele não” de Bolsonaro à campanha de Flávio Dino…

Advogado e militante do PT questiona como o movimento de rejeição ao presidenciável cresce pelas agressões às mulheres e o governador maranhense passa incólume, com o mesmo tipo de agressão

 

“ELE NÃO”. As boçalidades de Bolsonaro – e o medo das mulheres, como a deputada Maria do Rosário – serviram de pano de fundo para análise sobre Flávio Dino

O advogado e militante petista Marcos Lobo – um dos maiores especialistas em Direito Eleitoral do Maranhão – publicou em seu blog artigo em que faz uma comparação entre a rejeição feminina ao candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) e os atos de campanha do governador Flávio Dino (PCdoB).

Ao lembrar que o movimento “Ele não” – de oposição feminina a Bolsonaro – cresceu vertiginosamente na internet, Lobo levanta uma questão relacionada a Fávio Dino.

– A propaganda eleitoral do atual governador do Maranhão veicula uma espécie de novela com o nome “não vale a pena ver de novo” que visa degradar e ridicularizar a candidata a governadora Roseana Sarney. O que se ouve das falas dos personagens é como se Roseana, por ser mulher, fosse incapaz, submissa e, por isso, precisa de um homem para praticar atos simplórios – ponderou Lobo.

ELE TAMBÉM NÃO. Flávio Dino, que já agrediu Maura Jorge em seu próprio palanque, agora agride e desmerece Roseana na propaganda

Ressaltando ser testemunho, ele próprio, da capacidade gerencial de Roseana, Marcos Lobo levanta questão sobre a permissividade do eleitorado maranhense para as agressões do governador comunista.

– Eu cá com meus botões, fico a me indagar: a campanha do “ele não” vale para um candidato que “bate-boca” com mulheres, diz isso e aquilo etc. (sempre às claras e tête-à-tête), mas não vale para outro candidato que, de forma covarde, escondido num programa eleitoral, pratica atos semelhantes e até pior, já que se utiliza do subterfúgio e do submundo de uma propaganda para atacar a condição de mulher de uma adversária? – questiona o advogado.

Classificando o post como “um repúdio veemente” aos ataques de Flávio Dino a Roseana – e uma homenagem a todas as mulheres – Marcos Lobo cobra da Justiça Eleitoral fiscalização veemente da propaganda de Flávio Dino.

– O que é ainda mais grave é que o atual governador do Maranhão, para veicular uma espécie de feminicídio verbal (que uma mulher sempre é depende em tudo de um homem), utiliza dinheiro público, pois o programa eleitoral e os fundos eleitorais que custeiam a produção da novela, que ataque uma candidata pela sua condição de mulher, é tudo proveniente de dinheiro público – frisou.

Leia aqui a íntegra do artigo de Marcos Lobo

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *