4

A absurda comemoração de Jair Bolsonaro…

Presidente determina que se promova festas em alusão ao início do golpe militar do Brasil, numa atitude tão estúpida quanto sua defesa do coronel Ustra, durante o impeachment de Dilma

Por enquanto, a notícia tem ganhado pouca referência na mídia, a não ser por uma ou outra manifestação crítica.

Mas é isso mesmo: o capitão Jair Bolsonaro (PSL), atualmente no posto de presidente da República quer comemorar, em todo o país, no dia 31 de março, o golpe militar de 1964.

Atitude tão estúpida quanto sua defesa do coronel Brilhante Ustra – considerado o maior torturador do Brasil – durante o impeachment de Dilma Roussseff (PT),  a decisão de Bolsonaro tem um efeito simbólico quase tão cruel quanto a defesa do nazismo por um nazista ou do racismo por um branco.

Quem defende torturadores apoia a tortura; quem festeja a ditadura é também um ditador.

Por mais que esteja no comando do país, o chefe do governo brasileiro não tem direito de usar o poder para tentar forçar a nação a relembrar o que centenas, milhares ou talvez milhões de famílias precisam esquecer.

Não houve nada o que o Brasil possa comemorar em 1964; houve um golpe de estado, que levou muitos à morte e outros tantos ao desaparecimento ou à fuga do país.

Apenas pelas cenas que ilustram este post, esta data deveria passar em branco no país.

Ou melhor, deveria ser lembrada como um luto eterno.

Com todos de roupas negras pela triste memória…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Tem que dar uma reposta em tom de pití. Não consegue aguentar uma opinião contrária. Deve ser filho de algum baderneiro comunista. Pêia em vagabundo!!!!!!!

  2. Não vejo porque não comemorar, Jesus Cristo sofreu muito até morrer e se comemora até hoje, esse sim não deveria ser festejado pois até hoje representam o sofrimento dele. So acontecias essas mazelas porque os vândalos “vagabundos” queriam bagunçar o país.

  3. O movimento de 64 nos livrou do comunismo, meu bisavó conta que nessa época houve exagero por parte da policia, mais só foi preso baderneiros vagabundos. Visto que até hoje a população tem muito respeito pelo exercito brasileiro.

    Resp.: Mais um cujo bisavô botava até farda e batia continência pra soldado. É claro que a ditadura vendeu aos alienados que “apenas baderneiros e vagabundos foram presos”. Mas ainda que fossem baderneiros e vagabundos, que direito o exercito tinha de torturá-los e executá-los?!? Certamente você é daqueles cujos pais obrigavam a botar a mão no peito diante da TV quando apareciam os generais. Esses, mesmos, não sofreram nada. Afinal, eram o rebanho dos militares. Pesquise a história dos eu país, amigo. Não se deixe alienar por histórias da vovozinha; ou do vovôzinho!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *