1

Oposição a Dino e Edivaldo chega a 55% das intenções de voto em São Luís

Pré-candidatos que não rezam na cartilha do governador e do prefeito detêm a ampla maioria dos votos na capital maranhense. Mesmo com a profusão de candidatos, base governista apresenta menos de 30% dos votos

 

Wellington é o incômodo muro que separa o líder Eduardo Braide dos candidatos governistas na disputa em São Luís

Se as eleições para prefeito fossem agora, a população de São Luís veria, pela primeira vez, dois candidatos não apoiados pelo Governo do Estado ou pela prefeitura numa disputa de segundo turno.

Os deputados Eduardo Braide (PMN), com 40%, e Wellington do Curso (PSDB), com 12%, lideram a corrida pela sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), segundo pesquisa Exata divulgada no fim de semana.

Somados ao também oposicionista Adriano Sarney (PV), que aparece  com 3%, a oposição chega a nada menos que 55% das intenções de voto.

Este índice é ainda maior quando se inclui nessa soma os votos de Jeisael Marx, que concorre de forma independente e registra 2%. E poderia ser maior se o candidato bolsonarista Allan Garcês apresentasse desempenho melhor que 0%.

O membro da base governista com melhor desempenho é o também deputado Duarte Júnior (PCdoB), que registra 11% – em condição de empate técnico com Wellington – mas não tem a simpatia nem de Flávio Dino (PCdoB), nem de Edivaldo júnior (PDT).

Ao lado do senador Weverton, Edivaldo e Flávio Dino correm o risco de ver minar seus poderes, com estratégias equivocadas em São Luís

Para efeito de comparação, o candidato declarado de Flávio Dino, Rubens Pereira Júnior (PCdoB), registra apenas 1% das intenções de voto; O nome indicado pelo PDT de Edivaldo, Osmar Filho, aparece um pouco à frente, com 3%.

Juntos, os seis pré-candidatos da base governista – Duarte Júnior, Neto evangelista (DEM), Bira do Pindaré (PSB), Osmar Filho, Dr. Yglésio (sem partido) e Rubem Júnior – somam apenas 29% das intenções de votos.

De acordo com a Exata, os índices de votos nulos e de eleitores indecisos – que chegam a 15% –  representam mais da metade de todos os votos dados aos holandinistas.

Sinais de que a dupla pode acabar perdendo o poder se insistir em estratégias equivocadas…

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

  1. Vai ser interessante essa disputa…..aguardando os próximos capítulos é alianças no calar da noite

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *