4

O direito à blasfêmia…

Sociedades verdadeiramente livres devem respeitar não apenas todas as manifestações religiosas – todas, sem exceção – mas também aqueles que não professam fé alguma; a crítica, a ironia e o deboche de quem não crê integram o conjunto da plena liberdade de expressão

 

É uma farsa a histórica ideia de que o Brasil é um país laico.

Não é, nunca foi e nunca será.

O Brasil nasceu sob o signo da cristandade católica-apostólica e caminha para se tornar uma nação evangélica, com toda carga de opressão, preconceito e covardia que isso possa representar na cultura, no conjunto de valores e nos usos e costumes de sua gente, creia essa gente em Deus ou não.

O Supremo Tribunal Federal se reúne em salão com a cruz de Cristo acima de suas cabeças; o parlamento inicia suas sessões com leitura de trechos bíblicos e diante da presença da “palavra” na mesa; os valores incutidos nos livros didáticos são todos cristão católicos-apostólicos.

De que forma isso é ser laico? 

O blog Marco Aurélio D’Eça sempre defendeu a liberdade de expressão e de culto e a equidade de condição sexual e de identidade de gênero em toda a sua plenitude. (Saiba mais aqui, aqui, aqui e aqui)

Mas no Brasil, o que há é um histórico aparelhamento do estado pelas religiões hegemônicas – católica e evangélica – em detrimento das religiões de matriz afro e dos que em nada creem.

O aparelho estatal que condena o grupo Porta dos Fundos pela ironia à história de Jesus é o mesmo que incentiva e subvenciona a Rede Record para que esta passe o dia satanizando o candomblé e a umbanda, estigmatizando ateus, agnósticos e não-seguidores de religião alguma, e transformando homossexuais em doentes endemoniados.

Ao longo da história do país, católicos e apostólicos vêm atuando para ocupar espaços de poder, não em nome da transformação social, mas em defesa dos próprios interesses dogmáticos.

Aparelhando o estado, ocupando espaços nos três poderes, estas igrejas sentem-se cada vez mais fortes para impor seus dogmas mesmo aos que não queiram – e nem são obrigados – a ouvir seus postulados.

O momento presente do país indica que as duas redes religiosas nunca estiveram tão fortes no Brasil.

Não admira, inclusive, que o desembargador responsável pela censura covarde ao Porta dos Fundos seja o mesmo que absolveu o presidente Jair Bolsonaro quando este ofendeu, agrediu, ridicularizou e vilipendiou homossexuais.

O blog Marco Aurélio D’Eça sempre defendeu a absoluta liberdade de expressão como condição de existência plena do ser humano.

Absoluto significa total.

Se a liberdade de expressão não pode ser absoluta, então não há liberdade alguma.

E essa liberdade implica até mesmo o direito à blasfêmia.

É simples assim…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Esse blogueiro imbecil se acha o tal. Tremendo babaca, nao sabe de porra nenhuma. Acha que pode escrever o que quiser e ninguem pode dizer nada. Se enganou. Agora essa mula fala de Trump, mais pergunta pra ele se ele prefere morar nos EUA ou no Irã, adivinha onde ele vai escolher. Uma coisa é certa esse blogueiro so escreve merda.

    Resp.: …

  2. Pois é, são as mesmas religiões que vossa senhoria está criticando que o cachorro do pt, haddad e a cadela do pc do b, manuela d’ávila foram assistir missa dando uma de religiosos para angariar votos e tentar mudar a imagem. As mesmas igrejas que o idiota do maranhão criou diversos cargos de capelão para ter votos. As mesmas religiões que a mais idiota senadora do brasil, eliziana gama, diz que professa e age da pior forma sem a mínima conduta. Nem vou me referir ao islamismo, o qual o blogueiro virou defensor da noite para o dia por causa de trump (procure os vídeos de wafa sultan). Deixe de escrever besteira que religião e estado sempre andaram juntos e principalmente durante o governo mais corrupto do brasil, dos ptralhas. E liberdade de expressão e como falar o que quiser, só aguente as consequências. E não confuda liberdade com libertinagem (“Eu posso fazer tudo o que eu quiser, ninguém tem nada a ver com isso e ninguém pode me impedir.”). Liberdade tem de andar de mãos dada com algo chamado responsabilidade. Tu sabes o que é isso?

    Resp.: Apenas mais um tolo a proferir “palavras que não são suas”. Mais um gado do rebanho que tenta aparelhar o estado para que possa impor aos cidadão aquilo que não consegue mais convencer apenas pelo próprio blablablá

    • Não tiveste argumento então apelaste para tentar desmoralizar. Quem repete mantras sem saber o que fala é a esquerda e o bom senso nunca foi uma das qualidades desta laia. Ou seja, quem é o gado? Quando a igreja católica defendia de todas as formas que luladrão saisse da cadeia, usando o luladrão livre nas procissões e outros eventos é aceitável. Como flávio dino, a incoerência é a qualidade que define quem pensa (diz que pensa) como o pt e seus cachorros. Por isso quebraram o país.

      PS: Não encontrei um texto sequer na internet (a não ser a citação) similar ao que o cara escreveu. Portanto, ao contrário de ti, as palavras são dele.

    • Na verdade, gado e quem aceita qualquer ideia ipsis litteris sem questionar, achando que e inteligente. Esse episodio e igual ao babacao que quer fazer graca humilhando os outros. E ainda tem gente para aplaudir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *