6

EUA vão ocupar mais 12 mil hectares além da base de Alcântara

Área estratégica para uso das comunidades quilombolas – por representar o litoral usado na pesca – será ocupada por forças militares americanas, o que forçará a remoção de cerca de 800 famílias

 

Ações em relação a Alcântara têm sido feitas pelo governo Bolsonaro em meio á pandemia de coronavírus

A Resolução nº 11, do Comitê de Desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro, autoriza o governo dos Estados Unidos a ocupar, além da área já existente da Base de Alcântara, uma nova área, de 12 mil hectares.

A resolução, publicada com exclusividade no blog Marco Aurélio D’Eça, autoriza a Aeronáutica a fazer a remoção de cerca de 800 famílias que vivem nessa nova área a ser ocupada, o que gerou revolta em entidades de direitos humanos.

– Não são qualquer 12 mil hectares. Essa é justamente a região mais estratégica em termos de soberania alimentar porque é o litoral do município. Se essas comunidades deixarem a região, ficando sob controle dos Estados Unidos, será instalado um quadro grave de insegurança alimentar – alertou Danilo Serejo, assessor jurídico do Movimento dos Atingidos pela Base Especial de Alcântara (Mabe) e da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq).

De acordo com a matéria exclusiva deste blog, a Resolução nº 11 do CDPEB já determinou a Aeronáutica a promover as ações para remoção das famílias da “área de interesse do estado”.

O problema é que, para fazer a remoção, era necessário, antes, fazer a devida consulta prévia ás comunidades, o que ainda não ocorreu.  

– A Resolução já dá como certa uma remoção que, na prática, deveria ser precedida de consulta prévia,  como dispõe a convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) da qual o Brasil é signatário – alertou Serejo.

A movimentação do governo Jair Bolsonaro em relação a Alcântara está se dando em meio à pandemia do coronavírus, por isso passa despercebida pela sociedade civil organizada.

E enquanto a sociedade se preocupa com a CoVID-19, Bolsonaro conclui a entrega de um patrimônio brasileiro aos Estados Unidos…

Marco Aurélio D'Eça

6 Comments

  1. Não sei se choro ou sorrio. Entrega do patrimônio brasileiro aos EUA? É uma concessão………. Um pedaço de terra cheia de miseráveis sem expectativa nenhuma, que gera milhares de pobres que procuram uma vida melhor em SLZ nas favelas, eternamente abandonados e só agora estão em evidência para atacar o governo federal quando se tem uma oportunidade única e real. Quando entregaram as usinas brasileiras para a bolívia tu te preocupaste da mesma forma? ou quando o BNDES envio bilhões para a venezuela?
    A falta de argumento é tão grande que estão até apelando para sacerdortes. vale tudo para atacar o governo federal, até condenar uma comunidade ao atraso secular.

  2. Alguém ainda duvida dos propósitos do golpe parlamentar de 2016? A entrega criminosa e sorrateira do patrimônio nacional promovida pelo capitão presidente com os aplausos dos bolsomìnios alienados. Tudo á venda pelo Sr. Paulo Guedes. É razoável vocé ser expulso da sua casa? Basta colocar-se no lugar. Triste, muito triste, deprimente, revoltante. O último que sair favor apague a luz.

  3. Os americanos vão melhorar em muito a vida de quem vive em Alcântara, município abandonado pelo poder público. Esse governador comunista não faz nada para melhorar o turismo no Maranhão, mesmo com tudo potencial que temos.

  4. Bolsonaro 2022!
    Os Estados Unidos no Brasil é o que mais queremos, principalmente neste Estado falido que é o Maranhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *