2

Coronavírus gera guerra comercial por equipamentos…

Para garantir acesso a respiradores, máscaras e outros produtos usados no combate à pandemia, o Maranhão precisa enfrentar uma batalha contra vários países e contra o próprio governo federal, que tenta se apossar do que chega ao Brasil

 

Para chegar ao Maranhão, aviões contratados pelo governo precisam driblara concorrência no mundo inteiro

O Governo do Maranhão tem usado uma estratégia de guerra para conseguir acesso a equipamentos e produtos usados no combate à pandemia de coronavírus.

Para garantir que produtos comprados na China, por exemplo, chegue ao estado, é preciso driblar não apenas os países ricos da Europa, que tentam se apossar de toda produção – pagando mais por isso – mas também do próprio Governo Federal, que tenta se apossar de tudo que chega ao Brasil.

À frente da operação de guerra está o Secretário de Indústria e Comércio, simplício Araújo.

Foi graças à estratégia militar montada por Araújo – com a ajuda de uma importadora maranhense – que o Maranhão conseguiu receber os 107 respiradores e as 200 mil máscaras compradas ee uma empresa na China.

Para driblar a concorrência da Alemanha e dos Estados Unidos, que estão fazendo leilão na compra destes equipamentos, a empresa precisou mandar os produtos primeiro para a Etiópia.

Mas era preciso chegar ao Maranhão sem que o governo Jair Bolsonaro tivesse acesso à carga; para isso, o governo conseguiu pousar em São Paulo, sem passagem pela alfândega , e, de lá, chegar ao estado em voo fretado.

E foi assim que se garantiu mais uma folga em relação à pandemia.

Numa batalha contra o vírus e contra os demais países, incluindo o Brasil…

Marco Aurélio D'Eça

2 Comments

  1. Você se transformou no paladino das ações desastrosas do governo.

    Quer dizer que é legal o governador comprar equipamentos obsoletos da China pra alardear que vai salvar vidas??
    Polívia Federal, urgentemente!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *