3

Deixados para trás…

Do ex-senador João Alberto ao ex-vereador Fábio Câmara, passando por lendas como Ricardo Murad, Pinto Itamaraty, Paulo Marinho e Luís Fernando, ícones políticos do passado parecem mostrar que o tempo passou para eles

 

João Alberto não conseguiu voltar à política em sua terra natal, após deixar o Senado em 2018

Ensaio

As eleições municipais de 2020 trouxeram novas figuras públicas ao cenário político maranhense, como o deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos), em São Luís, ou o também deputado estadual Felipe dos Pneus, em Santa Inês.

Mas elas também servem para demarcar a passagem de tempo para alguns nomes que perderam o timming político e não conseguiram se eleger em seus municípios.

É o caso do ex-senador João Alberto (MDB), e dos ex-deputados Ricardo Murad (PSDB) e Paulo Marinho (PSDB). 

Fábio Câmara e Rose Sales sentiram o peso da perda de timming e amargaram mais uma derrota eleitoral

O emedebista não conseguiu eleger-se vereador em Bacabal, assim como Paulo Marinho em Caxias; Ricardo Murad, por sua vez, ficou em terceiro lugar na disputa pela Prefeitura de Coroatá.

Em São Luís, a história foi cruel com nomes outrora poderosos, como Pinto Itamaraty (PTB), Isaias Pereirinha (PSL) e Pavão Filho (PDT), que não conseguiram se eleger vereador.

Também foram punidos pelos erros estratégicos do passado os ex-vereadores Fábio Câmara (agora no PDT) e Rose Sales (Cidadania).

Pinto Itamaraty chegou ao auge da carreira política como deputado federal, mas vem amargando derrotas sucessivas desde as eleições de 2014

Sem falar no ex-pré-candidato a governador Luiz Fernando Silva, que viu seu candidato a prefeito perder a eleição em Ribamar sem conseguir, ao menos, eleger seus candidatos a vereador na cidade.

São nomes que surgem e nomes que desaparecem do cenário político, num ciclo natural que precisa ser percebido pelos seus atores.

E o resultado aponta também para 2022, quando este ciclo estará se completando.

Importante para alguns, portanto, pôr as barbas de molho…

Marco Aurélio D'Eça

3 Comments

  1. O tempo passa e o tempo voa e os políticos esqueceram que existe uma nova geração de eleitores que estão sendo deixados de lado e que decide. A renovação chegou e os velhos cacique dos partidos pararam no tempo.

  2. Perfeito. Faltou falar do “novo” expoente da esquerda brasileira (?????????): flavio buchudo dino. Nao fez o prefeito de imperatriz, esta quase para perder em SLZ (so idiota acreditava em evangelista) e viu seu partido minguar. Mesmo os que ele deu apoio, perderam, como o filho do juiz federal amigão dele em Rosário que perdeu. E la foi ele e maragatuno que perderam. Para quem quer ser presidente……..

  3. Marcus, a população cresceu, os jovens de hoje tomaram nossas atitudes em relação em relação aos políticos acima citados ,é com.frisou os demais da mesma geração que ponha as barbas de molho, ainda há muita mudanças a serem feitas nas próximas eleições
    Simples Assim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *