4

Quanto mais tenta explicar apoio a Duarte, mais Rubens se diminui…

Puxado pelo beiço por Flávio Dino para declarar apoio ao candidato republicano – mesmo depois de ter sido chamado de bandido, com o pai na UTI – deputado comunista aponta sarneysistas e bolsonaristas como responsáveis pelas críticas, mas esquece a família, que não gostou de vê-lo tão menor

 

Para Rubens Júnior, fidelidade a Flávio Dino vale mais que a própria dignidade e do que a honra do próprio pai

Criticado duramente por ter apoiado quem o chamou de bandido e apontou sua família como ficha suja, o deputado federal Rubens Júnior (PCdoB) agora tenta responsabilizar sarneysistas e bolsonaristas pelo seu revés pessoal.

– Ele pediu desculpas – justificou Pereira Júnior, acrescentando que ficaria ao lado do governador Flávio Dino.

Mas teria Duarte Júnior pedido desculpas se não tivesse ido ao segundo turno? Teria o candidato republicano reconhecido seu erro?

As desculpas são sinceras ou de conveniência?

Rubens Júnior culpa deus-e-o mundo pelas críticas, mas ignora que sua própria família se ressentiu do seu apoio a Duarte Júnior, gesto que o diminuiu como mero fantoche do governador Flávio Dino, disposto a tudo para agradar ao padrinho.

Rubens deveria permanecer calado após ser levado pelo beiço a apoiar um desafeto; seria mais digno esconder-se da própria subserviência.

Mas na política também há os que não sabem o valor da própria dignidade…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Na política maranhense recente não lembro de um ato de submissão tão grande e explicito, pareceu um lacaio.

  2. CONVENIENCIA!!!!!!!
    PERDÃO??? Daria para acreditar se ele pedisse e não apoiasse. “Não existe suicídio político”
    será como Sócrates rotularia tais políticos??

  3. Ate ri do texto. Puxou rubinho 1% e os secretários baboes, e tem os que nem precisa puxar, como a irmãzinha faladeira, vao espontaneamente para fazer graça.
    E este e FD, “grande” expoente da esquerda brasileira passando sufoco no seu quintal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *