5

De como Flávio Dino afundou a campanha de Duarte Júnior no 2º turno

Ao impor apoio centralizado de todos os auxiliares e aliados ao deputado do Republicanos, governador comunista tirou a imagem de independência e outsider que o candidato construiu e nem deu o volume necessário para superar o adversário Eduardo Braide

 

ABRAÇO DE AFOGADOS. Apoio de Dino a Duarte tirou do candidato a imagem de independência, mas não deu o volume de alianças que fortaleceriam sua candidatura

O apoio intempestivo do governador Flávio Dino (PCdoB) ao candidato do Republicanos Duarte Júnior pode entrar para a galeria histórica dos erros políticos maranhenses.

Com seu gesto apressado e impositivo – que levou auxiliares e aliados dependentes a fazer declaração em massa em favor do desafeto – Dino não apenas tirou de Duarte a imagem de independência, como também afastou alianças que poderiam dar maior volume de campanha no segundo turno.

Enquanto Eduardo Braide (Podemos) reúne em torno de si ex-candidatos de peso, como Neto Evangelista (DEM), Dr. Yglésio (PDT), Carlos Madeira (SDD) e Wellingtonn do Curso (PSDB) – além de partidos que vão do PDT ao MDB; do DEM ao PT, passando , inclusive, pelo PCdoB – Duarte restringe-se aos que são tutelados pelo próprio Dino.

Além do fracasso na articulação política, Flávio Dino atraiu para si os holofotes da imprensa nacional, que começou a questionar como um pretenso presidenciável não consegue, sequer, liderar a própria base em um projeto único.

O resultado é um Duarte totalmente amarrado aos interesses do Palácio dos Leões, sem poder de mobilização e dependente de gente que ele passou os últimos anos a humilhar e ridicularizar.

Assim como o blog Marco Aurélio D’Eça antecipou ainda no meses de setembro e outubro, Duarte se transformou, portanto, no adversário que Eduardo Braide sempre sonhou. (Entenda aqui e aqui)

Naquilo que pode se chamar de barbada…

Marco Aurélio D'Eça

5 Comments

  1. Do jeito q FD tem medo do Covid, quero muito vê-lo abraçado em Hildelis…

  2. Nem o mais otimista dos eleitores de Braide, poderia acreditar no fracasso do rugidor do dinossauro.
    O rugido veio rouco e tardio. E enterrou a campanha de Duarte.
    Melhor seria se ele tivesse brigado com todo mundo, mantendo uma narrativa de aversão a classe política.

  3. Bateu com a tua análise anterior mesmo, que eu já tinha achado muito sensata em outubro. Não da pra ter certeza que Duarte vai perder, mas o “consórcio” e o grupo foram esfacelados nesses últimos dias. Se FD se mantivesse “neutro como Edivaldo fez, o prejuízo seria menor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *