4

Weverton nega “candidatura intransigente” e cita Edivaldo como opção

Conciliador, senador maranhense disse que só concorrerá ao governo se houver viabilidade eleitoral e consenso na base; e afirma aceitar qualquer nome indicado pelo governador Flávio Dino que demonstre viabilidade eleitoral

 

Em paz com seu projeto político, Weverton reafirma comando de Dino na sucessão e cita Edivaldo Júnior como opção ao governo

O senador Weverton Rocha (PDT) deu mais uma mostra de sua maturidade política, nesta quarta-feira, 16, ao afirmar em entrevista à rádio Educadora que não há intransigência em sua candidatura ao governo.

– Eleição majoritária não é eleição de projeto pessoal. Eleição majoritária é grupo, não é sozinho. E tem que ouvir o povo. Vamos ver o que o povo vai dizer. E o líder desse grupo é o governador Flávio Dino (PCdoB) – ensina o senador.

Para Rocha, é equivocada e “pouco inteligente” a estratégia do grupo do grupo do vice-governador Carlos Brandão (Republicanos), de tentar afastá-lo de Flávio Dino.

– É claro que o grupo do vice-governador tenta nos afastar de Flávio Dino, de forma equivocada, penso eu, por conta de disputas internas. Para a eles, numa conta simples, mas não inteligente, é mil vezes melhor tentar me afastar, achando que isso me enfraquecerá – disse.

Brandão tem forçado a barra para ser candidato de qualquer jeito, mesmo tendo menos de dois dígitos nas pesquisas de intenção de votos já divulgadas; ele também hostiliza Weverton como adversário no grupo. (Relembre aqui e aqui)

Mesmo assim, Rocha aceita apoiar qualquer nome indicado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) que demonstre mais viabilidade eleitoral e que tenha consenso na base; e cita o prefeito Edivaldo Júnior como exemplo:

– Eu sempre construí política tendo a leitura de que não se pode construir projetos pessoais. Se Flávio Dino disser: “Weverton, Brandão nós temos o nome do prefeito Edivaldo bem avaliado, que pode unificar vocês”. Qual o problema de eu fazer parte deste projeto? – perguntou 

Weverton concluiu, reafirmando sua maturidade:

– O que não vou fazer é ir de qualquer jeito para um projeto pessoal, que não represente grupo. Se tivermos esta construção, não vejo problema nenhum. Repito: o projeto é do grupo –  afirmou o senador do PDT. 

Simples assim…

Marco Aurélio D'Eça

4 Comments

  1. Mostrou inteligência e reiterou que é de grupo, uma das marcas de sua trajetória que de tempos pra cá estava esquecida. Pra unificar vai de Edvaldo Weverton. Vc tbm chegara ao governo um dia. Hoje, o MA precisa de vc no senado lutando pelo nosso estado.

  2. ,Acho que o tempo dele já passou como comandante e quase afundou o seu barco.Agora,o Maranhão precisa de sangue novo,ideias novas,espirito empreendedor novo que eleve o amimo de um povo descrente da atual classe politica da mesmice. Acho que o nome do secretário de educação Felipe Camarão,vem crescendo no meio popular,em especial da juventude par ser um dos postulantes forte para 2022.

  3. Seria ótimo para maragatuno. Ia ser governador de fato e edvala, de direito. Todas as falcatruas iriam para a conta EH e WR leve e solto, como ele fez na prefeitura, no detran e na seduc no tempo de áurea.
    Só falta combinar com o povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *