1

Brasil pode superar patamar de 3 mil mortes/dia por CoVID-19 nesta quarta

Ainda no início de março, entorno do ex-ministro Eduardo Pazuello já esperava que a combinação de aglomerações sistemáticas, novas variantes do coronavírus, dificuldade de isolamento social da população e falta de vacina levaria o Brasil a este triste recorde; último balanço aponta para 2.842 mortes em 24 horas

 

O patamar de 3 mil mortes foi avisado ao ex-ministro da Saúde ainda no início de março; e nada foi feito para evitar este triste recorde

Demitido do Ministério da Saúde na última segunda-feria, 15, o general Eduardo Pazuello tinha informações, desde o início de março, de que o Brasil alcançaria o total de 3 mil mortes/dia por coVId-19 ainda no mês de março.

No dia 5 de março, de acordo com o jornal Valor Econômico, Pazuello foi informado de uma triste combinação que levaria o país a bater este triste recorde: falta de vacinas, novas variantes do coronavírus, dificuldade de isolamento social da população e as aglomerações que ocorrem desde o fim do ano. (Saiba mais aqui)

Naquela época, os técnicos do MS apontavam que a linha das 3 mil mortes seria alcançada em duas semanas; mesmo assim, o então ministro não tomou qualquer atitude para barrar a proliferação do vírus.

Nesta terça-feira, 16, o Brasil alcançou nada menos que 2.842 mortes por CoVID-19 em apenas 24 horas. A diferença é de apenas 128 mortes para o patamar de 3 mil, o que pode ser alcançado nesta quarta-feira, 17.

Um triste recorde que foi anunciado e poderia ser evitado.

Mas pelo andar da carruagem, a política do ministério continuará a mesma de Pazuello…

Marco Aurélio D'Eça

One Comment

  1. Boa tarde, enquanto nós procurar_moss o culpado de tudo q acontece de errado nas nossas vidas, o erro vai sempre continuar. Parabéns Ministro Pazuello pelo lindo trabalho q o Sr. Fez a nossa nação Brasileira. Q Deus lhe abençoe sempre ️ As pessoas tem a entender q tem um Deus poderoso q sabe todas as coisas, não somos nós !!??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *