0

Fracassado com Felipe Camarão, Flávio Dino tenta plano B para ter o PT com Brandão

Após esvaziamento do balão de ensaio criado em torno do secretário de Educação, governador tenta agora transferir o vice para o PSB, ao mesmo tempo em que tenta afastar de Lula o senador Weverton Rocha

 

Com o balão de ensaio de Felipe Camarão esvaziado, Dino tenta agora convencer o PT que o tucano Brandão é, sim, de esquerda

O governador Flávio Dino (PSB) viu frustrada sua tentativa de convencer a cúpula nacional do PT a não apoiar a candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado.

Com o esvaziamento do balão de ensaio criado em torno do nome do secretário de Educação Felipe Camarão – que anunciou oficialmente o fim de sua “candidatura” – Dino agora tenta um plano B para convencer petistas a apoiar o tucano Carlos Brandão.

Esse plano B o comunosocialista tenta efetivar em duas frentes:

1 – garantir a transferência de Brandão para o PSB sem perder o controle do PSDB no Maranhão;

2 – tentar afastar de Lula o senador Weverton Rocha (PDT), criando factoides em torno do pedetista, usando a mídia financiada pelo Palácio dos Leões.

A primeira frente de ação é mais simples: controlado pelo próprio Dino, Brandão vai para onde o governador quiser; o problema é convencer o PSB nacional – onde Dino tem pouca ou nenhuma influência – de que seu vice é, de fato, um socialista, alguém com conceitos claros do que é ser de esquerda.

Além disso, é quase impossível que, deixando o PSDB da forma como está saindo, Brandão mantenha o controle da legenda; mesmo por que, não tem quadros na bancada nacional para mostrar força ao tucanato.

Quando nem Flávio Dino tinha coragem, Weverton foi o primeiro maranhense a estar com Lula, em Curitiba, como mostra este vídeo de 2018

Com relação à segunda frente de ação para ter o PT, Flávio Dino começou uma tentativa de desgastar a imagem de Weverton Rocha, tentando colar nele a pecha de bolsonarista, usando “pistoleiros digitais”, como definiu o também senador Roberto Rocha (PSDB).

É pouco provável que, com essa artimanha, Dino consiga afastar Weverton de Lula, cuja relação é histórica, anterior ao próprio Dino.

Das atuais lideranças políticas maranhenses, Weverton é o único que esteve com Lula desde o movimento estudantil, e o apoiou em todas as suas campanhas eleitorais, fato já reconhecido publicamente pelo próprio Lula. 

Além disso, Weverton foi o primeiro maranhense a estar em Curitiba, onde o ex-presidente ficou preso após o golpe que o afastou das eleições de 2018.

O PT nacional só deve decidir em março qual o caminho eleitoral no Maranhão, mas de uma coisa Flávio Dino já tem convicção: “o PSDB, não!”, como declarou a ele o próprio Lula.

E sem seu balão de ensaio no PT, o governador  fica sem margem de manobra entre os petistas maranhenses…

Marco Aurélio D'Eça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *