10

Após anos trocando acusações pela pobreza no Maranhão, Flávio Dino e Roseana estarão no mesmo palanque

MDB presidido pela ex-governadora decidiu apoiar a candidatura do comunista ao Senado, numa espécie de “pacto pela miséria” rejeitado por boa parte do grupo Sarney e que pode ter efeitos negativos tanto na eleição de um quanto de outro

 

Após anos se acusando pela miséria extrema no Maranhão, Roseana e Flávio Dino vão estar dividindo o mesmo palanque no qual a pobreza estará esquecida

Editorial

Até 2018, o ex-governador Flávio Dino (PSB) acusava a também ex-governadora Roseana e o grupo Sarney pela miséria extrema do Maranhão, que ele jurou acabar quando assumisse o governo.

– Quanto mais abrimos as gavetas do poder, mais ficamos indignados; não havia governo, era mera aglomeração de interesses privados – disse Dino, apenas 15 dias depois de assumir o governo, em 2015. (Relembre aqui)

Ao longo dos primeiros quatro anos de mandato, foram várias as acusações de Dino aos Sarney pelo estado de miséria extrema do Maranhão; veja o que dizia Flávio Dino em agosto de 2015, quando ainda era o queridinho da mídia nacional.

– Nós temos de fazer três séculos em quatro anos. Pretendemos mostrar que apesar das dificuldades nacionais é possível mobilizar investimentos públicos e privados capazes de elevar a qualidade de vida de populações antes submetidas a patamares de negação de direitos realmente inacreditáveis – falava o ex-governador. (Reveja aqui)

Essas porradas nos Sarney duraram até 2018.

A partir de 2019, quando o IBGE apontou números que mostraram o aumento da extrema miséria, após quatro anos de Flávio Dino, o comunista deixou de atacar os Sarney – hoje,  inclusive, é difícil achar na internet falas de Dino sobre a miséria sarneysista no Maranhão.

O legado de miséria maranhense das últimas décadas não teve solução no comunismo, que agora se junta ao sarneysismo que sempre acusou

Desde então, foi Roseana Sarney quem passou a acusar Dino pela pobreza maranhense.

Em suas redes sociais, a ex-governadora não poupava desabafos diante dos números oficiais sobre o aumento da miséria, da pobreza extrema após sete anos de mandato comunista.

– Últimos dados do IBGE revelaram o aumento da extrema pobreza no Maranhão desde 2015. Como compreender esse cenário com o Estado dispondo de um Fundo Maranhense de Combate à Pobreza que possui cerca de R$ 683 milhões em caixa? – questionou a ex-governadora, em fevereiro de 2021, em crítica publicada no blog Marco Aurélio D’Eça sob o título “Roseana lamenta aumento da pobreza…”.

– Dados do IBGE revelam que a população na faixa da extrema pobreza no Maranhão nos últimos quatro anos (2015/2019) aumentou em 400 mil pessoas – afirmou Roseana, em uma de suas últimas postagens, em setembro de 2021. (Relembre aqui)

Agora, em 2022, após milionários investimentos de Dino no Grupo Mirante e a aproximação dele com o grupo Sarney, os dois vão estar juntos no mesmo palanque, numa espécie de “pacto pela miséria”.

Curiosamente, o slogan do candidato de ambos, Carlos Brandão (PSB), é o mesmo de Roseana em 2010: “O Maranhão não pode parar”.

Mas a única coisa que não parou nesses anos todos foi a extrema miséria no Maranhão.

Culpa dele ou culpa dela?!?

Marco Aurélio D'Eça

10 Comments

  1. Maranhão de miséria e “miséria”

    O todo poderoso ex-governador do Maranhão Flávio Dino se arvora em ser o grande bem-feitor do Maranhão e “cunhar” antigos aliados de traidores e antigos adversários em pessoas do bem para o um “Maranhão que não parar”. Resta saber parar onde. Qual a verdadeira intenção para esse novo Maranhão, que diga de passagem, foi traído e vilipendiado pelo próprio Dino.
    E, realmente, de traição Flávio Dino entende. Traiu José Reinaldo Tavares, o seu pai intelectual que lhe garantiu um mandato de deputado federal, traiu Jackson Lago, a quem fazia juras de amor e traiu o povo maranhense com dois mandatos pífios de governador, em que deixou, o estado entre os piores do Brasil
    Os índices estão aí. O Maranhão é campeão de miséria. Famílias dependentes de programas socais do governo federal para decidir: ou almoça ou janta. Essa é a triste realidade da qual, o todo poderoso Dino, que até bem pouco culpava a família Sarney por essa miséria, agora é o “mísero” que tenta pintar um quadro a seu bel prazer e delírio de um novo Maranhão para enganar os incautos.
    E, vale ressaltar, que Dino, o professor e mandatário de vassalos, hoje abriga a “Casa Grande” e, de forma descarada e sem nenhum pudor, recebe a família Sarney, a quem dizia responsabilizava por toda a miséria do Maranhão, que “Ele” bradava “da família que se locupletava com saques ao erário público”.
    Será que Dino esqueceu que chamava Roseana Sarney, de Rosengana, e José Sarney, do velho oligarca. É muito cinismo. E, assim, vive o Maranhão de miséria e de miseráveis.

  2. Após nos o werverton dizendo que o Maranhão era bom , agora está em outro palanque dizendo que o Maranhão tá lascado kkkk

  3. Maranhão de miséria e “miséria”

    O todo poderoso ex-governador do Maranhão Flávio Dino se arvora em ser o grande bem-feitor do Maranhão e “cunhar” antigos aliados de traidores e antigos adversários em pessoas do bem para o um “Maranhão que não parar”. Resta saber parar onde. Qual a verdadeira intenção para esse novo Maranhão, que diga de passagem, foi traído e vilipendiado pelo próprio Dino.
    E, realmente, de traição Flávio Dino entende. Traiu José Reinaldo Tavares, o seu pai intelectual que lhe garantiu um mandato de deputado federal, traiu Jackson Lago, a quem fazia juras de amor e traiu o povo maranhense com dois mandatos pífios de governador, em que deixou, o estado entre os piores do Brasil
    Os índices estão aí. O Maranhão é campeão de miséria. Famílias dependentes de programas socais do governo federal para decidir: ou almoça ou janta. Essa é a triste realidade da qual, o todo poderoso Dino, que até bem pouco culpava a família Sarney por essa miséria, agora é o “mísero” que tenta pintar um quadro a seu bel prazer e delírio de um novo Maranhão para enganar os incautos.
    E, vale ressaltar, que Dino, o professor e mandatário de vassalos, hoje abriga a “Casa Grande” e, de forma descarada e sem nenhum pudor, recebe a família Sarney, a quem dizia responsabilizava por toda a miséria do Maranhão, que “Ele” bradava “da família que se locupletava com saques ao erário público”.
    Será que Dino esqueceu que chamava Roseana Sarney, de Rosengana, e José Sarney, do velho oligarca. É muito cinismo. E, assim, vive o Maranhão de miséria e de miseráveis.
    O eleitor decide: Diga NÃO

  4. Maranhão de miséria e “miséria”

    O todo poderoso ex-governador do Maranhão Flávio Dino se arvora em ser o grande bem-feitor do Maranhão e “cunhar” antigos aliados de traidores e antigos adversários em pessoas do bem para o um “Maranhão que não parar”. Resta saber parar onde. Qual a verdadeira intenção para esse novo Maranhão, que diga de passagem, foi traído e vilipendiado pelo próprio Dino.
    E, realmente, de traição Flávio Dino entende. Traiu José Reinaldo Tavares, o seu pai intelectual que lhe garantiu um mandato de deputado federal, traiu Jackson Lago, a quem fazia juras de amor e traiu o povo maranhense com dois mandatos pífios de governador, em que deixou, o estado entre os piores do Brasil
    Os índices estão aí. O Maranhão é campeão de miséria. Famílias dependentes de programas socais do governo federal para decidir: ou almoça ou janta. Essa é a triste realidade da qual, o todo poderoso Dino, que até bem pouco culpava a família Sarney por essa miséria, agora é o “mísero” que tenta pintar um quadro a seu bel prazer e delírio de um novo Maranhão para enganar os incautos.
    E, vale ressaltar, que Dino, o professor e mandatário de vassalos, hoje abriga a “Casa Grande” e, de forma descarada e sem nenhum pudor, recebe a família Sarney, a quem dizia responsabilizava por toda a miséria do Maranhão, que “Ele” bradava “da família que se locupletava com saques ao erário público”.
    Será que Dino esqueceu que chamava Roseana Sarney, de Rosengana, e José Sarney, do velho oligarca. É muito cinismo. E, assim, vive o Maranhão de miséria e de miseráveis.

  5. Roseana Sarney cantando pra Flávio Dino;
    Não sei quem vale menos
    Se é você que chama
    Ou sou eu que vou correndo

  6. Com isso, Roseana vai perder muitos votos de opinião , do eleitor de oposição a Flávio Dino. Eu acredito que esse eleitor de oposição vai começar a perceber o oportunismo e incoerência de Roseana e do MDB e enxergará quem é a única voz de oposição , hoje, eleitoralmente viável pra deputado federal e com militância política em São Luís: FABIO CAMARA. Anotar e conferir .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *