7

Alessandro Martins terá que entregar prédio da Euromar; juiz que deu a sentença se surpreende com demora no caso

O juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior prolatou sentença em quatro processos envolvendo o empresário Alessandro Martins e a Áurea Empreendimentos S/A, proprietária do prédio onde funciona a Euromar.

Com as decisões, além de pagar indenização ao dono da Áurea – empresário Carlos Gaspar – Alessandro Martins terá que entregar o prédio, cujo contrato de aluguel venceu desde 2008.

As decisões de Heluy Júnior foram todas contra Martins e Euromar; e a sentença revela, inclusive, como funciona os bastidores de possíveis favorecimentos ao empresário no Judiciário.

Todos os processos estavam adormecidos há anos nas gavetas da 3ª Vara Cível da capital. Curiosamente, após este tempo inteiro – inclusive com decisões no caso, o titular da vara se declarou suspeito para julgar o feito. O processo foi transferido para a 9ª Vara, quando, finalmente, recebeu sentença.

Heluy Júnior chega a expor a surpresa com a demora no processo.

– Difícil mesmo para este juíz é entender como conseguiram amarrar este processo. Quase deram um nó para não ser desatado. Não há nestes autos qualquer motivo para que não seja de logo sentenciado – afirma Heluy Júnior.

No total, tramitavam quatro processos na 9ª Vara relacionados entre si – dois da Áurea Empreendimentos contra a Euromar e dois da Euromar contra a Áuréa empreendimentos.

No despacho, o juiz sentenciante mostrou não ter dúvidas de que as ações da Euromar tinham apenas o objetivo de protelar o processo para se manter indefinidamente no usufruto do prédio.

– É visível a litigância de má-fé (por parte de Alessadnro Martins). Reforça também minha convicção de que este processo durou tempo demais. Daqui a um mês completam dois anos que o contrato de locação expirou e a autora ainda não conseguiu reaver o seu imóvel – diz Heluy Júnior.

Histórico
A briga entre Carlos Gaspar e Alessandro Martins começou em 2006, três anos depois da assinatura do contrato de aluguel do prédio do Jaracaty. O contrato era de cinco anos, e expirava em agosto de 2008.

Em 2006, após descobrir que Martins estava sublocando o prédio – o que era proibido por contrato – Gaspar entrou na Justiça por quebra de contrato. Foi a deixa pra Martins.

Havia uma clásusula no contrato que garantia a prorrogação automática, desde que o interesse fosse manisfesado até um ano antes do vencimento.

Martins não usou esta prerrogativa e preferiu questionar a postura do locador na Justiça. Após o fim do contrato, entrou com ação contra a Áurea, confessando não ter exercido o direito de renovação, usando como argumento o primeiro processo.

Para o juíz Heluy Júnior, não há relação entre os casos. “A primeira ação não suspendeu ou interrompeu o prazo contratual para exercer o direito de opção de prorrogação de contrato”, afirma o juiz.

 Outros dois processos tramitaram na Justiça – Alessandro tentando protelar a permanência (contando com auxílio do sistema judiciário, segundo se supõe do despacho de Heluy Júnior) e Gaspar em busca de reaver seu imóvel.

Além dos R$ 2 milhões de indenização que Alessandro Martins terá que pagar, também será obrigado a deixar po prédio do Jaracaty, obrigado a fazer todos os pagamentos.

Texto alterado às 18 horas para correção de informações
4

Duas disputas acirradas…

Roseana Sarney e Edison Lobão (ambos do PMDB) estão consolidados no primeiro lugar de suas respectivas disputas – para o governo e para o Senado.

A briga mesmo – tanto para o govermno quanto para o Senado – se dará ente os postulantes do segundo lugar: Jackson Lago (PDT) e Flávio Dino (PCdoB), no caso do governo, e João Alberto (PMDB) e José Reinaldo (PSB), na disputa pelo Senado.

Para o diretor do Instituto Escutec, jornalista Fernando Júnior, esta situação deve perdurar por todo o primeiro turno, nos dois casos.

– É provável que Jackson e Flávio sigam em empate técnico por toda a campanha, sem que se tenha certeza de quem será o segundo lugar e se haverá segundo turno – explicou Júnior.

A mesma situação se repetirá no Senado. João Alberto e José Reinaldo vão “se matar” pela segunda vaga, numa ferrenha disputa que só será definida no dia do voto.

Para os dois candidatos a senador, pouco importa se Lobão se distanciar. Um deles será eleito para a segunda vaga, independente da votação do primeiro.

É diferente no caso do governo.

Jackson e Flávio Dino terão que medir forças para ver quem chega na segunda posição. Mas, para eles, essa briga só valerá se ambos se mantiverem na casa dos 25%.

Caso contrário, a vitória de Roseana Sarney estará consolidada no primeiro turno.

Simples assim…

31

Jackson Lago e Flávio Dino no limite do empate técnico pelo segundo lugar

A disputa pelo governo gira em torno destes três candidatos (imagem: imirante.com)

A margem de erro de três pontos percentuais da pesquisa Escutec/O Estado do Maranhão, divulgada na edição de domingo do jornal, já permite afirmar que o ex-governador Jackson Lago (PDT) e o deputado federal Flávio Dino (PCdoB) podem estar empatados no segundo lugar da disputa pelo Governo do Estado.

Jackson Lago registra 23,7%, contra 18,2% de Flávio Dino.

Aplicando-se a margem de erro, o pedetista pode estar em qualquer patamar entre 20,7% e 26,7%. Flávio, por sua vez, estaria com índices entre 15,2% e 21,2%.

Aplicando-se todas as variações das hipóteses da margem de erro, em pelo menos uma delas os dois se cruzariam com o comunista um ponto à frente do ex-governador.

Roseana Sarney (PMDB) continua consolidada em primeiro lugar, com 49,6%, pelo menos três pontos à frente da soma dos demais candidatos.

Todos os demais candidatos – Marcos Silva (PSTU), Saulo Arcangeli (PSOL) e Marcos Igreja (PCB) – mantiveram índices abaixo de 1%, como na pesquisa anterior.

Os números confirmaram a impressão do blog, de que a variação seria mínima, comparando-se as duas pesquisas Escutec.

Sinal de que a disputa esquentará mesmo durante o horáriuo eleitoral, que começa na terça-feira.

Quando, de fato, começa a batalha…

9

Psquisa deve mostrar estabilidade da campanha

A pesquisa Escutec/O Estado do Maranhão, que deve ser divulgada na edição de domingo, nada acrescentará à corrida sucessória.

Não houve fato novo que justificasse uma forte alteração entre esta e a pesquisa do dia 25 de julho.

Portanto, os números continuarão dando Roseana à frente, com Jackson em segundo e Flávio em terceiro.

Para o diretor do Escutec, Fernando Júnior, é provável que só a propaganda eleitoral tenha força suficiente para alterar as posições na pesquisa – a menos que surja um fato novo antes ou durante o horário eleitoral.

Para Fernando, o que se percebe neste momento é um viés de consolidadação de Roseana – na casa dos 50% – um viés de queda para Jackson Lago e um viés de crescimento para Flávio Dino – viés pequeno em todos os casos, mas existente.

A edição do jornal O Estado do Maranhão com o resultado da pesquisa começa a circular a partir das 19 horas de hoje.

2

Denúncia do blog sobre comitê irregular de Jackson em Imperatriz tem repercussão nacional

O site do IG destaca assunto dado em primeira mão neste bog

É uma das manchetes do canal “Eleições 2010” do Portal IG – um dos mais importantes do país, a denúncia deste blog sobre o suo de automóvel e funcionários da Prefietura de Imperatriz para montagem do comitê de campanha do ex-governador Jackson Lago (PDT).

Sob o título “Servidores são afastados no Maranhão”, o texto sobre a ssunto divide espaço com matérias sobre os presidneciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).

Baseado no texto deste blog, o IG lembra ser esta a segunda vezx que Jackson é acusado de cometer crime eleitoral nesta campanha.

 Na primeira, diz o portal – quando usou um grupo folcórico local na recepção ao presidenciável José Serra – o ex-governador foi advertido publicamente pela Justiça Eleitoral.

Nos dois casos, a coordenação da campanha de Jackson alegou não ter tido participação direta no caso.

Leia aqui a matéria do IG sobe o assunto

29

Os favoritos de São Luís para a Assembléia Legislativa

Os candidatos que representam São Luís na disputa por votos para a Assembléia Legislativa podem ser divididos em dois grupos.

No primeiro, estão os chamados candidatos genuínos da capital, aqueles cuja base de votos está na caidade ou na região metropolitana.

Neste grupo se destacam como virtuais mais votados em São Luís: Raimundo Cutrim (DEM), Canindé Barros (PSL), Max Barros  (DEM), Roberto Costa e Gardeinha Castelo (PSDB).

Também despontam forte Manoel Ribeiro (PTB), Pavão Filho (PDT), Alberto Franco (PMDB) e Afonso Manoel (PMDB) e Eliziane Gama (PPS).

No segundo, estão os candidatos que, mesmo não iniciando a carreira política aqui, têm na capital uma de suas principais bases.

O outro grupo tem como principais nomes Graça Paz (PDT) – cujo cacife também é alto na cidade, embora faça política mesmo no interior, sobretudo Codó e Coroatá, por exemplo – , Ricardo Murad (PMDB), outro de Coroatá, e Victor Mendes (PV), com forte atuação na cidade de Pinheiro e na Baixada.

São Luís tem potencial para eleger pelo metade da Assembléia Legislativva.

E a força eleitoral demonstrada nestas eleições, pode significar, também, uma preparação para võos mais altos.

34

Gás no Maranhão: mais um fruto do pioneirismo visionário…

As reservas de gás natural no município de Capinzal do Norte, cuja descoberta foi anunciada ontem pela governadora Roseana Sarney (PMDB) e pelo empresário Eike Batista, presidente do grupo EBX, é uma das maiores do país.

A descoberta é um marco para a economia do Maranhão e revela que tanto o então governador José Sarney quanto a governadora Roseana, em seu primeiro mandato, estavam certos na visão que mostraram ter do estado.

Eleito governador em 1965 – há 45 anos, portanto – Sarney já demosntrava, na época, a convicção de que o Maranhão guardava reservas importantes de petróleo e gás.

Visionário, cobrou do então governo central investimentos em pesquisas no estado.

Já como presidente da República, a partir de 1985, Sarney passou a ampliar os projetos de prospecção de gás e petróleo da Petrobras, mapeando novas áreas do Brasil – Maranhão incluído.

Em seu primeiro mandato como governadora – cuja posse se deu, exatamente, 30 anos após a de seu pai – Roseana criou a Companhia Maranhense de Gás (Gasmar).

Na época, 15 anos atrás, pouco setnido fazia tal companhia.

Apenas para visionários a Gasmar se mostrou fundamental – a empresa foi responsável por atrair e influenciar as pesquisas sísmicas no Maranhão, em busca do gás e do petróleo que Sarney tinha convicção existirem no Maranhão.

Quando tudo parecia perdido – O Maranhão jazia nas mãos de gente sem visão e sem vontade – o senador Edison Lobão assume o Ministério de Minas e Energia.

Em meio a críticas e pressão política da imprensa sulista, ele mostrou preparo e voltou a investir em projetos para o Maranhão.

A refinaria da petrobras é um deles. As usinas do grupo EBX são outro exemplo. E as pesquisas de gás também.

Mesmo com o descaso, o despreparo e a falta de visão dos governos que se seguiram a Roseana, a semente já estava plantada.

Germinaria com ou sem a presença dos pioneiros, mas só daria frutos com o perfil visionários inerente apenas a algumas pessoas.

Agora, o Maranhão colhe mais um fruto deste pioneirismo visionário…

3

Reinaldistas chantageiam os Leitoa para que troquem apoio a Weverton Rocha pelo filho de José Antonio Almeida

O sorriso deste trio pode estar se desfazendo...

Uma operação de chantagem e ameaça explícita está em curso no município de Timon. E tem como alvo ninguém menos que o controvertido Weverton Rocha, candidato a deputado federal pelo PDT.

O grupo ligado ao ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) decidiu pressionar o deputado Chico Leitoa (PDT) para que desfaça a dobradinha do seu filho, Luciano Leitoa (PSB), com Weverton Rocha, no município de Timon.

Os reinaldistas querem a dobradinha de Luciano com o filho do advogado e presidente do PSB, José Antonio Almeida. E a ameaça é clara: filiado ao PSB, Leitoa-filho poderá sofrer sanções da legenda inclusive agora, no processo eleitoral.

No início da campanha, a família Leitoa fechou aliança com Weverton Rocha para dobradinha em Timon e outros municípios.

O grupo de José Reinaldo, no entanto, quer por que quer eleger o filho de Almeidinha e usa a chantagem para garantir o apoio.

Por trás das ameaças está uma votação potencial de quase 30 mil votos em Timon.

Os Leitoa dividem o eleitorado timonense com a prefeita Socorro Waquim (PMDB). Calcula-se que pelo menos 60 mil dos 90 mil eleitores compareçam às urnas em outubro.

Uma votação expressiva para qualquer candidato a deputado federal…

21

Os campeões de voto para federal…

Diferentemente da disputa na Assembléia Legislativa, a corrida pelas vagas de deputado federal é mais conservadora em termos de campões de voto e pouco muda de eleição para eleição.

Os campões de sempre: Gastão Vieira (PMDB), Sarney Filho (PV), Pinto Itamaraty (PSDB), Nice Lobão (DEM)…

A ausência de nomes bons de voto, porém – como os tucanos Roberto Rocha e Sebastião Madeira, por exemplo – abriu espaço para novas promessas.

Entre estas, o ex-secretário Luciano Moreira (PMDB) é o mais cotado para figurar entre os mais votados.

Com fortes apoios no interior do estado e uma penetração consistente em São Luís, Moreira deve ter um caminhão de votos.

Outro que pode figurar nesta lista é o pedetista Weverton Rocha. Pelo menos é o que se depreende da estrutura de campanha, da base de apoios em vários municípios e do volume de campanha em todo oe estado.

Entre os mais votados para a Câmara Federal devem figurar ainda Pedro Fernandes (PTB) e Pedro Novais (PMDB).

A lista não passa disso. É aguardar e conferir depois…

15

Média do “Casal JN” com Serra repercute…

A amanteigada entrevista do casal William Bonner/Fátima Bernardes com o presidenciável José Serra (PSDB) deu o que falar na imprensa nacional.

O “Casal Nacional”, que foi arrogante e até agressivo com a candidata petista Dilma Rousseff, só faltou pedir votos para o tucano em pleno Jornal Nacional.

Willian Bonner nem parecia o mesmo dono da verdade, que a toda hora interrompia Dilma Rousseff, segunda-feira. Embasbacado ao lado de Serra, deixou o candidato do PSDB praticamente discursar, sozinho durante todo o programa.

A imprensa paulista-falida-quatrocentona-e-antinordestina é toda serrista, já se sabe.

Mas o casal Bonner poderia, ao menos, disfarçar…

veja aqui a análise da participação de José Serra no Jornal Nacional