3

Teori Zavascki arquiva processo contra Roseana…

Ministro decidiu extinguir a ação contra a ex-governadora por não haver nenhuma prova de seu envolvimento na operação lava Jato

 

Roseana; livre de janot

Roseana; livre de janot

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal federal, decidiu nesta sexta-feira, 25, arquivar a ação contra a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) no processo envolvendo a operação lava Jato.

O pedido a Zavascki foi feito pelo próprio procurador-geral da república, Rodrigo Janot, que, após dois anos de investigações, não encontrou nenhum indício de participação de Roseana nos casos envolvendo a Petrobras.

A decisão de Zavascki beneficia também o senador Edison Lobão (PMDB).

Com o arquivamento, Roseana está totalmente livre de qualquer envolvimento no caso Lava Jato…

7

Roseana X Luis Fernando: uma disputa de peso…

Com a possibilidade de o governador Flávio Dino ser proibido de concorrer à reeleição, e com a ex-governadora totalmente livre das ameaças da Operação lava jato, torna-se cada vez mais real a tendência de se ter, em 2018, criadora e criatura em um embate eleitoral

 

Roseana deu notoriedade estadual  Luis Fernando, que pode ser uma das opções de 2018 do grupo adversário

Roseana deu notoriedade estadual Luis Fernando, que pode ser uma das opções de 2018 do grupo adversário

Já se sabe que o Senado Federal pode por fim ao princípio da reeleição já a partir de 2018, o que tirar o  governador Flávio Dino (PCdoB) do páreo da própria sucessão daqui a dois anos.

Já se sabe também que a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) ganha cada vez mais musculatura para a disputa de 18, agora ainda mais forte, com o arquivamento das acusações que lhe pesavam os ombros na operação lava Jato.

O que nãos e sabe, ainda, é que, dentre os nomes de Flávio Dino para uma eventual proibição de sua própria candidatura é o prefeito eleito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB).

É claro que Dino tem outras opções para a disputa, mas nenhuma tão segura e tão confiável quanto a opção Luis Fernando.

E essa possibilidade abre a expectativa de uma disputa entre “criadora e criatura” nas eleições estaduais, numa emocionante e imprevisível peleja.

Este cenário depdente, obviamente, do que decidirá o Senado.

Mas não deixa de ser um cenário estimulante do ponto de vista histórico…

7

Todos querem o Senado…

Nove lideranças já manifestaram interesse em concorrer ás vagas abertas a partir de 2018 pelos atuais senadores João Alberto de Sousa e Edison Lobão

 

Até agora, João Albertoe  Edison lobão não manifestaram interesse em tentar renovar o mandato

Até agora, João Alberto e Edison lobão não manifestaram interesse em tentar renovar o mandato

À medida que se aproxima o prazo para início do processo eleitoral de 2018, cada vez mais lideranças políticas se manifestam interessadas na disputa pelas duas vagas no Senado a ser aberta pelos atuais ocupantes do mandato, senadores João Alberto de Sousa e Edison Lobão (ambos do PMDB).

Nem João Alberto nem Lobão pretendem disputar a reeleição; e até agora citavam-se como interessados nas vagas os deputados federais Waldir Maranhão (PP), Weverton Rocha (PDT) e José Reinaldo Tavares (PSB), além do prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), e do presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho (PDT).

Nas última semanas, começaram a surgir outros interessados. Apontam, por exemplo, que o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT), pode deixar o cargo em 2018 para concorrer a uma das vagas. Embora ele próprio tenha negado, começou a fazer investidas pelo interior do Maranhão nos últimos dias, como se quisesse tornar-se mais conhecido além do Estreito dos Mosquitos.

Além dele, movimenta-se nos bastidores o deputado estadual Bira do Pindaré, que deve deixar o PSB e figura como opção pessoal do governador Flávio Dino (PCdoB) para o posto. Pindaré tem como trunfo, inclusive, o fato de já ter disputado o Senado.

Já o ex-ministro Gastão Vieira (Pros) declarou-se pessoalmente candidato a uma das vagas no Senado e pretende trabalhar para formação de uma chapa que viabilize seu nome. Por último, a deputada federal Eliziane Gama (PPS) também admitiu a possibilidade de concorrer a uma eleição majoritária em 2018, que pode ser tanto o governo quanto o Senado.

Só aí são nove possibilidades; para duas vagas em jogo…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog

1

Luis Fernando de volta ao debate estadual…

Prefeito foi homenageado em Imperatriz e tem dado consultoria e palestras em todo o Maranhão, sobre conceitos de gestão adotados em São José de Ribamar; e sua peregrinação abre um outro debate…

 

O rpefeito eleito agora ´cidadão de Imperatriz, município onde se fez presente como gestor estadual

O prefeito eleito agora ´cidadão de Imperatriz, município onde se fez presente como gestor estadual

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB) foi agraciado como Título de Cidadão de Imperatriz, em concorrida solenidade na Câmara Municipal.

A homenagem foi uma iniciativa do vereador Hamilton Miranda (PP).

– Pelo currículo do homenageado e pela larga lista de serviços prestados em favor da nossa cidade, Luis Fernando é mais do que merecedor. É a melhor pessoa que já conheci na minha vida política – declarou o vereador.

A presença de Luis Fernando em Imperatriz é uma espécie de retomada de suas ações pelo interior maranhense, que chegou até a ser copiada pelos adversários nas eleições de 2014.

Estas ações são reconhecidas, hoje, pelo próprio prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, agora seu colega de partido.

– Num dos momentos mais difíceis da nossa administração, ele estendeu as mãos para o nosso município. Só na área da infraestrutura foram cerca de 100 quilômetros de pavimentação, isso sem falar de outras ações articuladas por ele no Governo do Estado, como por exemplo, a regularização fundiária na vila Cafeteira – lembrou Madeira.

Leia também:

Luis Fernando para além de Ribamar…

Luis Fernando como liderança na Grande São Luís…

O prefieto eleito na convenção, que reuniu Doimingos Dutra, Carlos Brandão, Jos´pe Reinaldo, Gilberto Aroso, talita Laci, Gastão Vieira e Hildo Rocha

A convenção reuniu Doimingos Dutra, Carlos Brandão, José Reinaldo, Gilberto Aroso, Talita Laci, Gastão Vieira e Hildo Rocha

Na verdade, a presença de Luis Fernando no interior nunca foi encerrada.

No período de pré-candidatura a prefeito, ele deu consultoria a vários gestores, em vários municípios, que buscavam informações sobre seus conceitos de gestão e sua experiência em Ribamar.

Na eleição, conseguiu um feito: reuniu em torno de seu palanque candidatos dos quatro municípios da grande São Luís, em muitas vezes botando dois adversários no mesmo espaço.

Eleito com votação consagradora, o tucano voltou ao interior, agora para trocar experiência.

mas sua presença no interior acaba por gerar outros debates, como o da sucessão de 2018.

Mas esta é uma outra história…

10

Roseana e a força de um jingle…

Especulação sobre a candidatura da ex-governadora em 2018 trouxe de volta “às paradas” o jingle “ela está voltando”, que passou a ser um dos mais visitados em redes sociais e distribuídos em aplicativos de troca de mensagens

 

Roseana movimenta cenário

Roseana movimenta cenário

Bastou que o nome da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) surgisse como possível opção para o governo em 2018 para que dez entre dez analistas começassem a fazer análises sobre a sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB).

E os movimentos do PMDB, de reforço ao nome de Roseana, fizeram ressurgir um antigo jingle de campanha da ex-governadora. Curiosamente, a letra-mestra da canção é “ela está voltando”, o que fez com que muita gente se confundisse e achasse que o jingle é de agora.

Na verdade, o jingle foi criado para a campanha roseanista de 2006, quando ela disputou o governo contra Jackson Lago (PDT), em que venceu no primeiro turno e perdeu o segundo, recuperando o mandato depois, após constatação do TSE de que houve crime eleitoral do pedetista.

Desde que ressurgiu, há uma semana – primeiro em grupos de WhatsApp, depois em blogs e redes sociais de internet – o jingle “ela está voltando” já foi visto por mais de 3 milhões de pessoas, se transformando em um dos mais acessados nas principais redes sociais no Maranhão. (Veja o clip acima)

São duas versões, uma em áudio e outra com um clip, que têm sido tema de sete em cada 10 trocas de mensagens no WhatsApp.

Afastada da vida pública desde dezembro de 2014, Roseana Sarney não mostra interesse em disputas eleitorais, e aparece apenas a convite de aliados políticos de São Luís e do interior.

Mas o sucesso alcançado em poucos dias pelo jingle “ela está voltando” é um exemplo de que a ex-governador ainda é uma das principais forças populares do Maranhão.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog

2

Eliziane Gama versão 2018…

Deputada federal recupera-se do revés nas eleições municipais e já prepara projeto para o pleito de daqui a dois anos no qual pretende ser novamente protagonista

 

elaPodemos sim ser candidata à governadora ou à senadora, mas vou seguir rigorosamente a orientação do PPS e decidir junto com o presidente do partido Roberto freire. O PPS sempre foi muito importante, mas hoje tem um peso maior na minha vida. Os gestos que recebi e recebo do Roberto significam muito pra mim. Por isso vou seguir as orientações dele nessa eleição de 2018. Se o projeto for majoritário, vou assumir”

Eliziane Gama, em entrevista ao blog do Robert Lobato

 

0

Ainda uma vez o fim da reeleição…

Aliados de Flávio Dino se apegam ao artigo 101 da PEC-113A para afirmar que ele pode ser candidato novamente em 2018; mas é preciso atentar que este artigo foi incluído na proposta quando a presidente era Dilma Rousseff, e não Michel Temer; por isso a necessidade de alterá-lo

 

Flávio Dino pode não ser mais candidato ao governo em 2018; por isso a tensão do comunista

Flávio Dino pode não ser mais candidato ao governo em 2018; por isso a tensão do comunista

Os aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) se agarram a um trecho da Proposta de Emenda Constitucional 113A/2015 para garantir que o direito do comunista à reeleição está garantido em 2018, mesmo que o Senado institua o fim deste princípio para os novos ocupantes de cargos no executivo.

O texto ipisis literis da PEC 113A, em seu artigo 101, diz o seguinte:

– a inelegibilidade referida no parágrafo 5º  do Artigo 14 da Constituição Federal não se aplica aos Prefeitos eleitos em 2012 e aos Governadores eleitos em 2014 nem a quem os suceder ou substituir nos seis meses anteriores ao pleito subsequente (…). 

De fato, este trecho deixa claro que os governadores eleitos em 2014 e os prefeitos eleitos em 2012 não seriam atingidos pela nova regra aprovada no Congresso. Mas é preciso atentar para um detalhe básico da proposta; e para isso, basta perceber o seu ano de origem, que é 2015.

É exatamente por isso que no texto da PEC não consta o termo “Presidente”, apenas “governadores e prefeitos”. É que, na época em que foi elaborada – em meados de 2015 – a presidente era Dilma Rousseff (PT), que já havia sido reeleita, em 2014. Não precisava, portanto, que constasse seu nome entre os não atingidos pela nova regra do fim da reeleição.

As coisas mudaram, e o presidente hoje é o peemedebista Michel Temer. Em tese, Temer teria direito a pleitear novo mandato em 2018, mas os senadores querem proibir isso legalmente, com um texto claro na PEC. E para estabelecer o fim da reeleição para o presidente, é preciso que esta proibição atinja todos os eleitos em 2014 – o que inclui, automaticamente, o governador do Maranhão.

E é exatamente este ponto que os aliados do comunista ignoram, ou fingem ignorar.

Mas o fato é que o jogo é jogado…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog

13

De Roseana a Edivaldo: São Luís em 18 anos…

Com orçamento praticamente idêntico ao que o prefeito teve em 2016, Roseana implementou, em 1998, o maior programa de obras na capital maranhense, que até hoje serve de referência nos setores de urbanismo e mobilidade urbana

 

lagoa da Jansé, um dos cartões postais construídos por Roseana em São Luís

lagoa da Jansén, um dos cartões postais construídos por Roseana em São Luís

Em 1998, a então governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB) gerenciou orçamento de R$ 2,6 bilhões no exercício fiscal do Maranhão.

Com estes recursos, ela fez, só em São Luís, a lagoa da Jansén, as avenidas Ferreira Gular e Luiz Eduardo Magalhães, os viadutos da Cohama e da Cohab, a duplicação das avenidas Guajajaras e Estrada de Ribamar; a duplicação da estrada do Araçagy e uma série de praças chamadas “Vivas”. (Saiba mais aqui)

Em 2016, Edivaldo Júnioor (PDT) administrou orçamento maior que o de Roseana, na casa dos R$ 2,7 bilhões.

E em 2017, ele terá ainda mais, algo em torno de R$ 3 bilhões, segundo estimativa do vereador pedetista Ivaldo Rodrigues.

AQs obras de tapa-buracos e recapemaneto asfáltico marcaram a gestão de Edivaldo na mesma São Luís

AQs obras de tapa-buracos e recapemaneto asfáltico marcaram a gestão de Edivaldo na mesma São Luís

Não há, na gestão Edivaldo – que comanda apenas São Luís – nenhuma obra que se compare ao governo Roseana, que era de todo o Maranhão.

Edivaldo precisa mudar o seu patamar administrativo em 2017.

Simples assim…

8

O projeto estadual de Edivaldo Júnior…

Prefeito de São Luís tem sido levado como atração pelo PDT em vários municípios onde aliados venceram as eleições; nas conversas, o próprio pedetista se apresenta como “fundamental no processo eleitoral a partir de 2018”

 

Edivaldo em selfie com Weverton, Cafeteira e Leitoa: estadualização do nome,

Edivaldo em selfie com Weverton, Cafeteira e Leitoa: estadualização do nome,

Em sua tentativa de se mostrar um gestor confiante e seguro, e se apresentar como liderança estadual, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) iniciou uma espécie de périplo pelos principais colégios eleitorais do Maranhão.

Holandinha participa de festas da vitória de prefeitos aliados como liderança estadual do PDT.

E nas conversas de bastidores, mostra-se “fundamental para o processo eleitoral a partir de 2018”.

Foi assim em Timon, no fim de semana em que participou da festa do prefeito reeleito Luciano Leitoa (PSB).

Em nenhum momento Edivaldo apresenta-se como opção eleitoral nas próximo pleito, é verdade, mas seus movimentos se coadunam com especulações durante a campanha, de que ele seria candidato em 2018.  (Releia aqui e aqui)

O fato é que, desde a vitória nas urnas, o prefeito de São Luís tenta imprimir uma imagem de homem forte e de gestor vitorioso, embora ainda careça de fatos capazes de “vendê-lo” como tal.

Sua meta é usar a estrutura do PDT para se tornar conhecido além do Estreito dos Mosquitos.

O objetivo, só 2018 dirá…

1

O aprendiz de Donald Trump…

Embalado na eleição do magnata para a presidência dos Estados Unidos, empresário brasileiro Roberto Justus, que protagonizou a franquia do reality americano no Brasil admite concorrer à presidência da República em 2016

 

Justus tem, pelo menos, mais apelo popular que o similar americano

Justus tem, pelo menos, mais apelo popular que o similar americano

Donald Trump faz escola.

Aliás, seus aprendizes tentam seguir seu caminho vitorioso também na política.

O empresário brasileiro Roberto Justus admitiu esta semana disputar a presidência da República em 2018.

– Antigamente, eu nunca admitiria a possibilidade de pensar em alguma coisa nesse sentido, mas ultimamente eu tenho pensado sobre isso. Quem sabe, não sei, porque é uma mudança de vida. É você dedicar a sua vida ao país – ressaltou Justus.

Um dos maiores publicitários do Brasil, o empresário paulista protagonizou no Brasil a franquia do reality show “O Aprendiz”, criado por Donald Trump e sucesso nos Estados Unidos e no Brasil no início dos anos 2000.

A eleição de Trump na eleição dos EUA pode ter despertado a verve política do brasileiro.

Aliás, substituto de Roberto Justus em “O Aprendiz”, João Dória Júnior (PSDB) acaba de se eleger prefeito de São Paulo…