3

Com Osmar Filho, PDT reafirma projeto de poder em São Luís…

Fruto da perspicácia do vereador Pavão Filho, declaração de apoio ao presidente da Câmara Municipal – um dia depois de pesquisa que aponta favoritismo de Eduardo Braide – é chancelada pelas principais lideranças pedetistas

 

PAVÃO DEU O RECADO DO PDT e reafirmou nome de Osmar Filho para a sucessão de Edivaldo Júnior

O PDT não perdeu nenhum dia na reafirmação do seu projeto de permanecer como força partidária hegemônica em São Luís.

A perspicaz declaração do vereador Pavão Filho em favor do colega e presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho, é mais um recado do PDT e que quer – e vai brigar – para se manter no poder na capital maranhense.

– O PDT tem uma tradição de ter participado [da eleição majoritária] com candidato a prefeito. O PDT, hoje, está no governo, com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior. O PDT tem que ter nome para colocar na mesa de negociação. Eu sugeri o nome do vereador Osmar Filho, que é um jovem entusiasmado; uma pessoa que está com uma motivação muito grande; começando uma carreira brilhante já no seu terceiro mandato de vereador – disse Pavão, em entrevista ao jornalista John Cutrim.

A declaração de Pavão Filho veio exatamente um dia depois de a primeira pesquisa sobre a sucessão em São Luís – do Instituto Conceito, publicada no blog do Diego Emir – apontar o deputado federal Eduardo Braide como franco favorito para vencer a disputa. (Saiba mais aqui)

Poderia ser apenas uma tentativa de marcar posição diante do cenário adverso, mas a fala de Pavão Filho tem a chancela das principais lideranças do partido, como o senador Weverton Rocha.

Nenhum pedetista descarta apoiar candidatos de outro partido – como já fizeram em 1992, 2008 e 2012 – mas reforçam a cada dia o papel do partido para estar bem na mesa de negociações.

Outra liderança crescente do PDT, o presidente da Federação dos Municípios (Famem), Erlânio Xavier, também reforça o projeto defendido por Pavão Filho e Weverton, deixando claro que não haverá fechamento de portas.

– O candidato pode vir de outro partido; mas o PDT tem seus nomes para a disputa – afirma o prefeito, alargando a lista de nomes pedetistas, com Osmar Filho à frente.

O fato é que o PDT – que hoje comanda a prefeitura – vai buscar viabilizar um de seus quadros para a sucessão de Edivaldo Júnior.

E o recado foi dado mais uma vez…

Leia também:

Lideranças emergentes reforçam PDT para 2020 em SLZ…

PDT e DEM irmanados para 2020…

Com ou sem candidato, PDT será fiel da balança em 2020…

5

Jeisael Marx: o outsider de 2020 em São Luís?!?

Comunicador com forte presença nas redes sociais trabalha para ser candidato a prefeito, numa alternativa fora do ambiente político profissional e apostando na experiência de gestão

 

JEISAEL MARX: EXPERIÊNCIA DE GESTÃO, JORNALISTA POPULAR E CONHECIMENTO DAS COMUNIDADES na disputa pela prefeitura

O jornalista Jeisael Marx, apresentador da TV Difusora pretende mesmo disputar a Prefeitura de São Luís nas eleições de 2020.

Em conversa com o titular do blog Marco Aurélio D’Eça, na manhã desta terça-feira, 12, na Assembleia Legislativa, ele mostrou um pouco do que pretende como candidato.

– É chegado o momento de nós, comunicadores, sempre capazes de dar voz a vários outros, começar a falar por nós mesmos e mostrar do que somos capazes – disse.

Com forte presença nas redes sociais – e com forte penetração também nas comunidades de São Luís – Jeisael Marx pretende mostrar em campanha também sua experiência de gestão.

– As pessoas veem o Jeisael Marx apenas como jornalista, comunicador; mas é preciso ressaltar que minha primeira formação foi justamente na área de gestão. E com essa bagagem é que venho construindo ao longo dos anos um compêndio de projetos que acredito viáveis para São Luís – contou.

Ainda sem definição de partido para a disputa de 2020, o jornalista diz que quer discutir a cidade de forma pragmática, sem devaneios administrativos ou propostas ilusórias.

– Pretendo fugir dessas firulas de apresentar coisas que a cidade não necessita. Não adianta, por exemplo, falar-se de ciclovias quando, nos bairros, as pessoas sequer têm asfalto para passear em suas bicicletas. Não se pode querer dar filé mignon e caviar quando falta até o feijão e arroz – pregou.

Espécie de outsider da disputa – uma vez que chega sem a chancela tradicional de grupos políticos ou de partidos já estabelecidos – Jeisael quer discutir São Luís de forma independente, “sem críticas a pessoas, mas aos problemas que podem ser resolvidos”.

– Sei que posso discutir com a população situações reais de cada comunidade; e buscar soluções viáveis, sem firulas como promessa – disse.

Jeisael Marx tem até abril de 2020 para decidir-se por um partido político…

5

Quem é quem na disputa pela Prefeitura de São Luís…

Primeira pesquisa de intenção de votos sobre a corrida sucessória na capital maranhense – faltando ainda 21 meses para o pleito – mostra quem tem chances e quem deve patinar até outubro de 2020

 

EDUARDO BRAIDE SEGUE FIRME NA LIDERANÇA EM SÃO LUÍS, mas ainda precisa definir futuro partidário e estrutura política

O blog de Diego Emir trouxe nesta segunda-feira, 11, dados da primeira pesquisa de intenção de votos sobre a eleições municipais de 2020 em São Luís.

Realizado pelo Instituto Conceito, o levantamento aponta dados já esperados e algumas surpresas. O blog Marco Aurélio D’Eça analisa agora os principais nomes.

Eduardo Braide (PMN): O deputado federal mostra-se consolidado, com índices que chegam a até 60% das intenções de voto – além de manter o favoritismo na espontânea. Caberá a Braide garantir a estrutura político-partidária; caso contrário, pode virar em 2020 o que foi Eliziane Gama (PPS) em 2016;

Wellington do Curso (PSDB): O parlamentar aparece bem entre os primeiros colocados; mas terá que vencer a desconfiança do eleitor em relação ao seu preparo técnico – que o tirou do segundo turno em 2016 – e garantir que terá a legenda tucana para a disputa;

Bira do Pindaré (PSB): é o principal nome da base governista até agora, com índices variando entre 11% e 15%; mas carece de carisma e do apoio dos demais partidos ligados ao governo Flávio Dino (PCdoB), alguns dos quais nutrem intransponível antipatia ao seu nome;

Duarte Júnior (PCdoB): uma das surpresas do levantamento, o deputado estadual do PCdoB mostra fôlego próprio, já que não tem – pelo menos até agora – sinalização de nenhuma liderança do seu grupo. Na disputa direta com Pindaré, Duarte tem a vantagem do carisma popular;

DENTRE OS CANDIDATOS GOVERNISTAS, NETO EVANGELISTA É O ÚNICO capaz de reunir o apoio de todas as lideranças do grupo

Neto Evangelista (DEM): Tecnicamente empatado com Duarte Júnior, o deputado estadual do DEM pode ser a esperança do grupo liderado por Flávio Dino e pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT), já que reúne a simpatia de todas as lideranças.

Osmar Filho (PDT): o desempenho do presidente da Câmara Municipal reforça a ideia de que o partido do senador Weverton Rocha terá mesmo que buscar outras alternativas se quiser se manter no poder na capital maranhense. A tendência é que os pedetistas apoiem outras candidaturas;

A pesquisa Conceito traz também dados importantes na pesquisa espontânea.

A presença da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e da senadora Eliziane Gama mostram que elas mantém seu nicho eleitoral em São Luís, independentemente dos últimos resultados.

Outra constatação: os deputados Adriano Sarney (PV) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB) terão imensa dificuldades de se viabilizar.

Mas, repita-se, ainda faltam mais de 20 meses para a eleição…

2

Flávio Dino quer Luis Fernando senador em 2022…

Governador garante ao ainda prefeito de Ribamar a única vaga em disputa nas próximas eleições estaduais, vaga esta que o próprio comunista pode acabar disputando

 

FLÁVIO DINO QUER ATRAIR LUIS FERNANDO PARA O GOVERNO, mas suas proposta não dão segurança ao prefeito

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB) prometeu anunciar após o “Lava Pratos” sua renúncia do posto – diante do convite do governador Flávio Dino (PCdoB) para integrar o governo.

Mas o prefeito ainda está indeciso, sobretudo por causa do alto risco político que representa sua saída de Ribamar.

Para tentar convencer o prefeito a entrar no governo, o blog Marco Aurélio D’Eça apurou que fora prometido a ele a vaga de senador nas eleições de 2022.

A vaga estaria em aberto porque o próprio Flávio Dino iria disputar a presidência da República.

Mas eis que, neste fim de semana, o chefe da Casa Civil do governo comunista, Marcelo Tavares (PSB) declarou que a candidatura dinista à presidência não passa de “brincadeirinha”. (Releia aqui)

Luis Fernando sempre foi conhecido pela insegurança na tomada de decisões.

E essa declaração de Tavares acaba por deixá-lo ainda mais inseguro…

2

Suposto hospital de Imperatriz é fanfarronice política do governo Flávio Dino…

Louco pela disputa de 2020, secretário Cleyton Noleto anuncia obra em terreno que ainda sequer foi desapropriado, numa clara intenção de gerar fatos que viabilizem seu projeto eleitoral

 

NOLETO ANUNCIA BRAVATA EM IMPERATRIZ com obra de hospital que sequer tem local para ser construído

Fanfarrão é aquele que alardeia coragem sem ser corajoso, aquele que conta bravatas.

E foi exatamente isto que que aconteceu na ação do governo Flávio Dino (PCdoB), capitaneada pelo secretário de infraestrutura, Clayton Noleto, nesta sexta-feira, 8, ao lado do hospital Macrorregional de Imperatriz.

Em nome do governo comunista, Noleto alardeou a construção de um hospital que sequer tem um terreno para iniciar as obras.

Nem mesmo o Decreto de Utilidade Pública assinado pelo governador foi publicado ainda.

Para garantir a pose do terreno, o governo precisa do processo de desapropriação, que às, vezes, dura anos. Só depois abre-se a licitação, e se inicia a obra.

Em outras palavras, o tão falado hospital deve ser apenas um mote de campanha em Imperatriz, nada mais.

O governo que anuncia o novo hospital é o mesmo que fechou um hospital de 20 leitos no município; e o mesmo que deu de ombros para o incêndio do Socorrinho, semana passada.

Essa cegueira não se percebe somente na saúde; na infra estrutura também.

Enquanto os imperatrizenses sofrem com os buracos e a lama na periferia, vem a pergunta: cadê o mais asfalto, que tanto atuou no período eleitoral, principalmente na periferia?

A história eleitoral de Imperatriz já demonstrou que seu povo sabe identificar um fanfarrão.

E eles surgem a todo momento…

5

As eleições 2020 e o fator Eliziane Gama…

Sempre presente nas pesquisas de intenção de votos, senadora tem a seu favor o trunfo da unidade partidária, o apoio significativo do influente segmento evangélico e mandato alinhado ao governo Flávio Dino

 

MESMO SEM DEMONSTRAR INTERESSE NA SUCESSÃO 2020, Eliziane Gama aparece em todas as pesquisas de intenção de votos

Há um dado recorrente nas discussões internas sobre a corrida pela Prefeitura de São Luís, em 2020.

As poucas Pesquisas internas já realizadas – tanto por setores de oposição quanto por governistas – mostram a senadora Eliziane Gama (PPS) sempre em condições de vitória na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Tanto que já há quem defenda a retirada de seu nome da lista de candidatos, uma vez que a própria parlamentar já insinua não pretender entrar na disputa.

Mesmo assim, seu nome é recorrente em qualquer levantamento.

Independentemente de ser ou não candidata, Eliziane Gama tem três trunfos particulares em seu favor:

1 – Tem um partido, o PPS, absolutamente unificado, sob sua liderança incontestável;

2 – Detém apoio significativo no segmento evangélico, fator importante em um momento da vida brasileira com pauta conservadora extremamente forte;

3 – Tem hoje o seu mandato no Senado definitivamente alinhado ao campo progressista, e cada vez mais alinhada ao governador Flávio Dino (PCdoB).

Além desses três fatores, Eliziane conta com a garantia, na própria base, de que seria o nome de consenso para enfrentar a oposição crescente em torno de nomes como o deputado federal Eduardo Braide (PMN) – outro que também sonha com o apoio da senadora.

Repita-se: Eliziane Gama não demonstra pretensão de ser candidata a prefeita de São Luís em 2020.

Mas os números das pesquisas testam sua decisão a cada levantamento.

E os números não mentem, jamais…

0

Duarte Júnior vai mesmo disputar indicação do PCdoB em São Luís…

Com carisma mais acentuado que o do camarada de partido Rubens Júnior, deputado estadual pretende ser a opção comunista na sucessão do prefeito Edivaldo Júnior

 

DUARTE JÚNIOR QUER SE BALIZAR COM PESQUISAS para reivindicar a candidatura no PCdoB de Flávio Dino

O deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB) já consultou pelo menos dois institutos de pesquisa sobre levantamentos na capital maranhense para as eleições de 2020.

O parlamentar comunista quer medir o próprio potencial para buscar viabilização partidária para seu projeto de candidatura à sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

O PCdoB tem, além de Duarte, o deputado federal e agora secretário de Cidades, Rubens Pereira Júnior, como opção na capital maranhense.

O ex-diretor do Procon-MA, no entanto, tem um trunfo a mais que o colega de partido: seu carisma entre a população ludovicense.

Duarte Júnior quer medir sua popularidade para construir a consolidação de seu nome e garantir a indicação interna como candidato do grupo liderado pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Mas, diferente do outro Júnior, o Rubens, ele não se incomoda em ter que dividir a base com outra – ou até mais duas – candidaturas governistas.

E vai trabalhar pela própria viabilização…

3

O surpreendente afastamento de Flávio Dino e Bira do Pindaré…

“Pito” público do governador no aliado, após este tentar usurpar projeto que era de autoria do PPS, da senadora Eliziane Gama, reforça a ideia de que o deputado federal socialista caiu em desgraça com o comunista

 

A VIOLA DE FLÁVIO DINO JÁ NÃO ESTÁ MUITO AFINADA em relação ao aliado Bira do Pindaré

Desde o início do segundo mandato do governador Flávio Dino (PCdoB) surgiram na mídia informações dando conta de uma “decepção” do comunista em relação ao deputado federal Bira do Pindaré (PSB).

Segundo dão conta estas informações de bastidores, Dino teria convidado Bira a retornar ao governo, o que abriria vaga para aliados na Câmara; o socialista recusou e teria selado, assim, sua inviabilidade como candidato do governo em 2020.

Nem Flávio Dino, nem seus principais auxiliares nunca confirmaram ou negaram o estremecimento, mas alguns gestos do governador apontam para um possível “chega pra lá”.

Um destes gestos é a chegada festiva ao governo do também federal Rubens Pereira Júnior (PCdoB), já apontado, inclusive, como preferido de Dino para a disputa em São Luís. (Leia aqui)

Mas o gesto de domingo nas redes sociais – já amplamente divulgado na mídia – foi uma espécie de ápice da insatisfação do comunista com o aliado socialistas.

Flávio Dino repreendeu publicamente a Bira do Pindaré, que tentou se passar como “pai da criança” do projeto que criou o Instituto de Educação do Maranhão (Iema), carro-chefe da gestão comunista. (Leia aqui)

Em outros tempos, seria muito pouco provável ver Flávio Dino fazer repreensão pública a um aliado, em favor de outro nas redes sociais.

Principalmente se um destes aliados fosse Bira do Pindaré. (Entenda aqui, aqui e aqui)

E quando deu o “pito” em Bira do Pindaré, sabia exatamente o tamanho da repercussão que teria o ato.

O fez de caso pensado, portanto.

Pior para o deputado aliado…

3

Luis Fernando no governo Flávio Dino reforça projeto de Carlos Brandão…

Prefeito de São José de Ribamar é amigo pessoal do vice-governador e da família do chefe da Casa Civil,. Marcelo Tavares; e vai atuar exatamente nos projetos estratégicos

 

Luis Fernando com Brandão: amizade e relação familiar que pode levar ao poder

Quem acompanha os bastidores da política sabe que as negociações que levaram o prefeito Luis Fernando Silva (PSDB) para o governo Flávio Dino (PCdoB) tem um tripé básico.

A articulação envolve o vice-governador Carlos Brandão (PRB), o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB), mas também o ex-governador José Reinaldo Tavares.

Amigo pessoal de José Reinaldo e de Brandão, Luis Fernando praticamente viu Marcelo Tavares nascer e tem com ele relação de carinho e respeito.

Toda essa relação quase familiar também tem pesado na decisão do prefeito de renunciar ao comando de São José de Ribamar.

E esta proximidade reforça um outro projeto; o de fazer de Carlos Brandão o próximo governador do Maranhão.

O atual vice tem consigo o trunfo de assumir o mandato em 2022, assim que o governador Flávio Dino (PCdoB) decidir renunciar para concorrer a outro cargo, que pode ser de presidente, vice-presidente ou mesmo senador.

Nesta condição, ele pode concorrer à reeleição no mesmo ano.

Mas Brandão sabe que há outros interessados já se articulando pela vaga e quer evitar desgastes e disputas na base.

Como secretário de programas estratégicos do governo comunista, Luís Fernando terá a missão de consolidar o nome de Brandão na base o governo, evitando, assim, rachas com outras lideranças – a menos que estas próprias lideranças resolvam rachar.

E além das ações estratégicas, o ainda prefeito poderá utilizar-se do seu próprio prestígio para fortalecer Brandão.

É aguardar e conferir…

1

Com ou sem candidato, PDT será fiel da balança em 2020…

Com estrutura e militância consolidada em São Luís, partido comandado pelo senador Weverton Rocha pode se dar ao luxo de pender para qualquer lado, influenciando diretamente o processo eleitoral

 

VÃO-SE OS ANÉIS…Com o comando da prefeitura há 31 anos, PDT terá novo desafio em 2020 para tentar sobreviver a mais uma eleição

Com 30 anos de vitórias eleitorais nas disputas pela Prefeitura de São Luís, o PDT poderá ou não ter candidato a prefeito nas eleições de 2020; e mesmo assim, terá influência direta na escolha do sucessor de Edivaldo Júnior (PDT).

Com o governo Flávio Dino (PCdoB) ainda em busca de um nome de peso – e com a oposição ainda centralizada apenas no nome do deputado federal Eduardo Braide (PMN) – o partido do senador Weverton Rocha pode se dar ao luxo de abrir mão da cabeça-de-chapa, garantindo, mesmo assim, poder para vencer na capital maranhense.

Os pedetistas, aliás, já experimentaram esta situação por três vezes, desde que se encastelaram na Prefeitura, a partir da vitória de Jackson Lago, em 1988.

Em 1992, na sucessão de Jackson, o PDT abriu mão da cabeça-de-chapa e elegeu a então deputada estadual Conceição Andrade (à época no PSB).

Em 2008, os pedetistas decidiram apoiar o ex-governador João Castelo, contra o atual governador Flávio Dino (PCdoB), vencendo a eleição em segundo turno.

Em 2012, rompido com Castelo, o PDT – já sob orientação de Weverton Rocha – decidiu apoiar o deputado federal Edivaldo Júnior, que estava no PTC.

E venceram o tucano no segundo turno.

EM CADA BECO DA CIDADE… Agora senador, Weverton Rocha aposta na força da militância espalhada por toda São Luís

Em 2020, os pedetistas poderão viver novamente a experiência de ter que buscar opções fora da legenda para se manter no poder em São Luís.

Mas influenciarão diretamente na eleição de qualquer candidato escolhido, apontando para 2022.

É aguardar e conferir…