1

“O PSL terá candidato a prefeito”, afirma Chico Carvalho…

Presidente regional da legenda, vereador de São Luís diz que o desempenho dos seus pré-candidatos na pesquisa Escutec/O Estado – sobretudo o de Tadeu Palácio – o credencia a falar de candidatura própria

 

CHICO CARVALHO GARANTE CANDIDATURA DO PSL, e mostra clara preferência por Tadeu Palácio

O vereador Francisco Carvalho, presidente regional do PSL, avaliou positivamente o desempenho dos pré-candidatos do seu partido na pesquisa Escutec/O Estado, divulgada no fim de semana.

– Somados, os nomes do PSL chegam a 8%. Tadeu Palácio está na casa dos 5%. Isso é um desempenho para poucos – afirmou Carvalho, minimizando o fato de a rejeição de Palácio ser uma das mais altas.

Mesmo diante do momento ruim do partido – com a crise envolvendo o presidente Jair Bolsonaro e a direção nacional – Carvalho disse que o PSL segue seu caminho naturalmente, pronto para disputar as eleições de 2020.

– O PSL sempre disputou eleições no Maranhão; sempre mantivemos representantes na Câmara e na Assembleia, antes mesmo de termos o presidente; E o PSL terá candidato a prefeito – afirmou o vereador.

A preferência de Carvalho fica notória em favor de Tadeu Palácio, mas ele prefere não citar nomes neste momento da campanha.

Os partidos têm até julho de 2020 para definir os candidatos…

2

“Eleição em São Luís está completamente indefinida”, avalia Zé Inácio…

Deputado estadual analisa que o cenário é propício para que o PT lance candidato próprio, uma vez que a revelação de um candidato isolado e nenhum outro acima de 10% abre espaço para novos postulantes

 

O deputado estadual Zé Inácio voltou a defender uma candidatura própria do PT nas eleições de 2020 em São Luís.

Para o parlamentar, o momento é propício para o partido porque nenhum dos adversários do deputado federal Eduardo Braide (PMN) consegue ultrapassar 10% nas intenções de voto.

– O que vemos na eleição espontânea é um candidato isolado, acima dos 20% e nenhum outro superando a casa dos 3% – avaliou.

Zé Inácio lembra que esses candidatos todos estão há meses com seus nomes à disposição – alguns há anos – e não conseguiram estimular a população.

– É o momento do PT apresentar candidatura própria. Várias pesquisas apontam que mais de 50% da população de São Luís reconhecem o legado do PT e a força de Lula – concluiu Zé Inácio.

0

Os candidatos do PDT e o desempenho na pesquisa Escutec…

Com o comando da prefeitura há mais de 30 anos, partido do prefeito Edivaldo Júnior tem dois pré-candidatos na disputa de 2020 – Osmar Filho e Yglésio Moyses – com características diferentes e desempenho semelhantes

 

OSMAR FILHO E YGLÉSIO MOYSES COM WEVERTON ENTRE ELES; o senador já fez sua opção, o que pode deixar o PDT sem a cabeça de chapa em 2020

O prefeito Edivaldo Júnior tomou uma decisão política: menos envolvido com a questão eleitoral, ele foca na gestão, deixando que o seu partido, o PDT, cuide da viabilização dos nomes para sua sucessão.

E não será uma tarefa fácil, pelo que se viu na pesquisa Escutec/O Estado.

Preferido do senador Weverton Rocha para o posto de candidato, o vereador Osmar Filho apareceu em dois cenários; alcançou o índice máximo de 3,5%.

No cenário 1, Osmar divide a indicação pedetista com o deputado estadual Yglésio Moyses; e fica com 3,1% das intenções de voto, contra 1,8% do oponente partidário.

Um empate técnico, levando em consideração a margem de erro.

No cenário sem Yglésio, Osmar cresce residualmente, alcançando 3,5% das intenções de voto. Curiosamente, Yglésio só aparece em um cenário da pesquisa Escutec. E polariza com Osmar Filho a força do PDT.

A diferença entre os dois é que Yglésio é candidato em qualquer circunstãncia, estando ou não no PDT. Osmar, por sua vez, só terá condições de viabilizar pelo PDT; ou simplesmente estará fora da disputa.

A força atual do PDT em São Luís pode ser medida, principalmente, nos cenários seguintes da pesquisa Escutec. O levantamento criou três cenários sem nenhuma opção pedetista.

O resultado é uma diluição dos números entre todos o candidatos, o que morta influência residual do partido do atual prefeito.

A leitura que se faz dos números é que, ao contrário dos últimos 30 anos, se o PDT estiver ou não encabeçando uma chapa nas eleições de 2020, pouca diferença fará na decisão do eleitor.

É simples assim…

0

O cacife de Neto Evangelista em São Luís…

Único candidato da base governista a reunir a um só tempo força eleitoral, garantia partidária e poder de agregação, deputado estadual do DEM emerge da pesquisa Escutec como a opção mais consolidada para o confronto com Eduardo Braide

 

NETO EVANGELISTA REÚNE CACIFE POPULAR, FORÇA PARTIDÁRIA E PODER DE AGREGAÇÃO AO MESMO TEMPO, o que o torna forte candidato na base governista

Ao seu modo, o deputado estadual Neto Evangelista (DEM) vai construindo um cacife eleitoral que o credencia à disputa de 2020 em São Luís muito mais do que qualquer outro candidato da chamada base governista.

Evangelista tem, a um só tempo, garantia partidária para a candidatura, capacidade de agregação e, principalmente, força eleitoral capaz de levá-lo ao segundo turno.

Neto emergiu da pesquisa Escutec com índices que vão de 8,8% a 11,5%, superando Wellington do Curso (PSDB) e já dividindo a segunda posição com Duarte Júnior (PCdoB).

A vantagem para Evangelista é que o adversário do PCdoB não tem qualquer garantia partidária; pelo contrário, é praticamente hostilizado no partido. Além disso, Duarte Júnior não é o que se pode chamar de simpático aos aliados.

Tudo isso torna Neto Evangelista o principal nome da base do grupo Flávio Dino/ Weverton Rocha para São Luís.

Com poder, inclusive, de fazer os cabeças do grupo repensar o projeto eleitoral de 2020…

0

1/3 do eleitorado já vê Braide como próximo prefeito de São Luís…

Pesquisa da Escutec perguntou ao morador da capital maranhense quem, no seu entendimento, será eleito em 2020: 30,1% registraram que será o deputado federal do PMN

 

EDUARDO BRAIDE JÁ ESTÁ NO IMAGINÁRIO POPULAR COMO FUTURO PREFEITO DE SÃO LUÍS; Esta consolidação de voto torna sua posição quase intransponível

Um dos principais dados da pesquisa Escutec divulgada no fim de semana pelo jornal O EstadoMaranhão é a consolidação de votos de cada candidato.

E neste quesito, o deputado federal Eduardo Braide (PMN) torna-se praticamente imbatível.

O Instituto perguntou ao eleitor: “Independentemente do seu voto, quem, na sua opinião, será o próximo prefeito de São Luís?”.

Nada menos que 30,1% do eleitorado já tem na cabeça que será Braide.

Para efeito de comparação, o segundo colocado neste quesito é o deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), que aparece com distantes 2,4%.

A consolidação do voto em Eduardo Braide pode ser medida também pelo cenário espontâneo da pesquisa Escutec. Nada menos que 25,2% do eleitorado citam Braide como candidato, mesmo sem ter em mãos a lista de candidatos.

Tudo isso, somado à baixa rejeição, torna o candidato praticamente imbatível no processo eleitoral de 2020, sobretudo diante dos erros sistemáticos dos adversários.

Mas esta é uma outra história…

4

Pesquisa aponta fracasso do bolsonarismo em São Luís

Além da reprovação do próprio presidente, a soma dos votos dos candidatos cotados no PSL sequer atinge os dois  dígitos nas intenções de votos, o que reforça a tese de pouca influência do Governo Federal no pleito de 2020

 

PREFERIDO POR CHICO CARVALHO NO PSL, TADEU PALÁCIO TEM O MELHOR DESEMPENHO ENTRE OS NOMES DO PARTIDO, mas sua rejeição é a segunda maior entre todos os candidatos

É um fracasso retumbante o desempenho eleitoral dos pré-candidatos a prefeito pelo partido do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A pesquisa do Instituto Escutec, divulgada no fim de semana pelo jornal O EstadoMaranhão,  incluiu nada mesmo que quatro nomes do PSL – Tadeu Palácio, Coronel Monteiro, Allan Garcês e Sílvio Antonio –  e, mesmo assim, a soma deles não chega aos dois dígitos.

O cenário 1 do levantamento Escutec, por exemplo, incluiu todos eles juntos; o melhor desempenho foi o do ex-prefeito Tadeu Palácio, que alcançou 4,8%. Coronel Monteiro ficou na casa de 1,7% e os dois outros nomes só registraram 1% de intenção de votos.

O melhor desempenho de um candidato ligado ao presidente Jair Bolsonaro foi o de Tadeu Palácio no cenário 5, quando ele alcançou 5,7% das intenções. O outro bolsonarista incluído, Sílvio Antonio, ficou com 1%.

Aliás, essa performance do ex-prefeito o colocaria no pelotão intermediário da disputa, com chances de chegar a brigar pela segunda posição.

Mas sua rejeição é de 19,1%, a segunda maior da pesquisa Escutec; em eleições, a rejeição pode ser um limitador do desempenho de um candidato.

TANTO O CORONEL MONTEIRO QUANTO O MÉDICO ALLAN GARCÊS SOFREM O DESGASTE DE BOLSONARO, e apresentam desempenho pífio nas pesquisas

Além do pífio desempenho dos candidatos a prefeito, o PSL registra também forte rejeição ao governo Bolsonaro.

De acordo com a Escutec, nada menos que 59% da população ludovicense rejeitam sua condução do país; outros 48,2% consideram o governo ruim ou péssimo.

A pesquisa revelou também que 53,8% dos eleitores de São Luís não votariam de jeito nenhum em um candidato de Bolsonaro.

O levantamento revela, portanto, que menos de um ano depois de ter sacudido o país o bolsonarismo caminha para a desimportância nas eleições de 2020.

É aguardar e conferir…

2

Escutec: Duarte e Neto superam Wellington e mostram risco para grupo dinista…

Deputados estaduais mantêm segunda e terceira posição nas pesquisas, mostrando para a base do governo Flávio Dino/Weverton Rocha que são imprescindíveis para levar a disputa de 2020 a um segundo turno em São Luís

 

DUARTE JÚNIOR E NETO EVANGELISTA SÃO OS ÚNICOS DA BASE GOVERNISTA COM PODER PARA LEVAR A ELEIÇÃO A UM SEGUNDO TURNO, mas enfrentam resistência do grupo Flávio Dino/Weverton Rocha

Até pouco tempo atrás, o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) era uma espécie de âncora da disputa pela Prefeitura de São Luís, em 2020: consolidado em segundo lugar, ele era o ponto de equilíbrio para levar a disputa a um segundo turno.

Essa realidade mudou com a pesquisa Escutec.

Wellington foi ultrapassado pelos colegas deputados Duarte Jr. (PCdoB) e Neto Evangelista (DEM), que agora detêm o poder de decidir se haverá ou não segundo turno em São Luís.

Para efeito de comparação, nos dois cenários em que Duarte Jr. é retirado da disputa, Eduardo Braide chega a alcançar o limite de uma vitória em primeiro turno.

Somados, os candidatos do PCdoB do DEM chegam a alcançar até 22% das intenções de votos, índice significativo para uma disputa tão acirrada.

Duarte e Neto são os únicos da base governista a atingir 3% das intenções de votos na pesquisa espontânea; nenhum dos outros pré-candidatos da base atingem 1% neste quesito.

Se Flávio Dino (PCdoB), Weverton Rocha (PDT) e Edivaldo Júnior (PDT) temiam que a presença de Wellington do Curso tivesse influência no segundo turno, essa perspectiva já foi superada.

A vitória de Braide no primeiro turno, agora, está nas mãos dos dois candidatos rejeitados por eles…

1

A performance de Adriano Sarney na pesquisa Escutec…

Deputado estadual enfrenta com coragem a rejeição ainda existente ao seu grupo político e tende a superar o colega Wellington do Curso como a principal opção da oposição aos atuais detentores do poder no Maranhão

 

ADRIANO SARNEY PODE SER A OPÇÃO MAIS CONSISTENTE DA OPOSIÇÃO AO GRUPO DE FLÁVIO DINO, sobretudo pela densidade do discurso

À primeira vista, a rejeição de 23% – a maior entre os candidatos – pode até assustar; mas o que precisa ser lido na performance do deputado estadual Adriano Sarney (PV) na pesquisa Escutec é a sua densidade eleitoral.

Mesmo enfrentando essa rejeição, o deputado apresenta índices que chegam até 5,5% das intenções de voto, superando os medalhões do governo, como Bira do Pindaré (PSB), Rubens Pereira Jr. (PCdoB) e Osmar Filho (PDT).

E pode substituir naturalmente o colega Wellington do Curso (PSDB) como representante da oposição na disputa.

Wellington, aliás, precisa de uma análise à parte.

O parlamentar que surgiu como opção de poder em 2016 vem perdendo fôlego sistematicamente e já fica atrás de Duarte Júnior (PCdoB) e Neto Evangelsita (DEM), dependendo do cenário.

Além de não ter a garantia do partido para a disputa, Wellington não tem grupo e não tem estrutura; e tende a repetir o fracasso que foi em 2016, quando chegou a ser cogitado para o segundo turno, mas foi atropelado por Eduardo Braide (PMN) no último momento.

Sem Wellington, o mais provável é que a maioria dos seus votos vá para Eduardo Braide.

Mas aqueles que não toleram mesmo o grupo de Flávio Dino, hoje detentor do poder no Maranhão, tendem a votar em Adriano.

É aguardar e conferir…

1

Escutec: não há base sem Duarte e Neto; Rubens e Osmar são fracassos anunciados

Deputado federal Eduardo Braide lidera todos os cenários da disputa pela Prefeitura de São Luís e pode levar em primeiro turno, se o grupo Flávio Dino/Edivaldo Jr. continuar a insistir no erros e na birra pessoal

 

MOSAICO COM O CENÁRIO PRINCIPAL DA DISPUTA EM SÃO LUÍS, que pode ou não se consolidar, a depender dos erros do grupo Flávio Dino/Edivaldo Jr./Weverton Rocha

A pesquisa Escutec divulgada neste sábado pelo jornal O EstadoMaranhão consolidou algumas certezas eleitorais na disputa pela Prefeitura de São Luís:

1 – O deputado federal Eduardo Braide (PMN) lidera todos o cenários bem à frente dos demais candidatos; e pode liquidar a fatura ainda em primeiro turno, a depender dos erros do grupo Flávio Dino/Edivaldo Jr;

2 – Não haverá disputa se os líderes do grupo – notadamente Flávio Dino (PCdoB) e Weverton Rocha (PDT) – insistirem em tirar da disputa os deputados Duarte Júnior (PCdoB) e Neto Evangelista (DEM), únicos com potencial de dois dígitos na base;

3 – Os candidatos inventados pelos palácios dos Leões e La Ravardière – Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Osmar Filho (PDT) – são fracassos anunciados;

4 – Wellington do Curso (PSDB) perde terreno sistematicamente, tende a definhar eleitoralmente e deve ser substituído entre os oposicionistas pelo colega Adriano Sarney (PV), que apresenta boa performance, apesar da rejeição ao Grupo Sarney;

5 – O deputado Yglésio Moyses (PDT) e o jornalista Jeisael Marx (Sem partido) podem se transformar numa espécie de via alternativa, dada a disposição que têm para o debate e a campanha de guerrilha, mesmo sem a estrutura que poderia alavancá-los num primeiro momento.

Estes cinco pontos são os que saltam aos olhos na pesquisa Escutec/O Estado divulgado neste sábado.

Simples assim…

1

Pesquisa Escutec/O Estado incluirá até 11 pré-candidatos a prefeito…

Levantamento que será divulgado neste sábado vai analisar diversos cenários envolvendo os postulantes à sucessão do prefeito Edivaldo Júnior, mesmo com vários nomes em um mesmo partido

 

POPULAÇÃO DE SÃO LUÍS FOI INSTADA A DIZER QUAL O FUTURO PREFEITO QUE ESPERA PARA SÃO LUÍS em pesquisa da Escutec

A pesquisa Escutec /O Estado, que será divulgado na edição de fim de semana do jornal vai incluir todos os pré-candidatos a prefeito de São Luís.

Se for levado em conta o número de postulantes já postos, significa dizer que, nos cenários estimulados incluirão: Eduardo Braide (PMN), Wellington do Curso (PSDB), Duarte Júnior e Rubens Júnior (ambos do PCdoB), Neto Evangelista (DEM), Bira do Pindaré (PSB), José Carlos Madeira (sem partido), Adriano Sarney (PV), Osmar Filho e Yglésio Moyses (ambos do PDT), Jeisael Marx (sem partido).

São 11 pré-candidatos, no total.

Segundo apurou o blog, a pesquisa traça diversos cenários – inclusive substituindo nomes em um mesmo partido – para chegar à cena mais real do momento atual da disputa em São Luís.

A psquisa será divuglada na dição de fim de semana do jornal O EstadoMaranhão