3

“Prefeitos, comecem fazendo o básico”

Por Gastão Vieira

Na campanha são muitas as propostas inovadoras. Sentado na cadeira de prefeito, contudo, é melhor “copiar” o que já deu certo em outros municípios e começar a trabalhar de fato.

Em quatro anos, o prefeito vai perder muito tempo à procura de uma inovação que funcione. Por isso, não tenha medo, copie e adapte à sua realidade.

Quando Secretário de Educação, copiei e adaptei os projetos mais inovadores que pude conhecer em todo o país: Escola Ativa, Matricula Bem Fácil, Professor Presente, Dinheiro Direto na Escola, e tive muito êxito.

Então, senhores prefeitos, estabeleçam prioridades. Comecem fazendo o básico. Calçadas e ruas e avenidas sem buracos,  prevenção de enchentes, iluminação pública, coleta e destinação do lixo, professores ensinando e alunos aprendendo em escolas limpas e organizadas (reiniciar o ano letivo de 2021 até março), postos de saúde abertos e materiais suficientes, transporte coletivos pontuais e rotas racionais.

Na pressa de resolver problemas individuais e imediatos dos cidadãos, e fugir das cobranças, e da perda “aparente” da popularidade do pós-eleições, a tendência é criar ações de atenção aos mais necessitados.

Mas deixar o básico de lado também prejudica os mais pobres, como nas chuvas de fevereiro/março/ abril e suas enxurradas e nas horas perdidas em ônibus lotados.

A prefeitura pode ser grande parceira e executora das politicas compartilhadas com a União e governos estaduais.

Por exemplo , cabe aos municípios registrar as famílias no Cadastro Único de Políticas Sociais, que permite o pagamento do Bolsa Família e dos demais programas sociais.

Buscar os que ainda não estão cadastrados, ou não recebem, traz receita e nenhuma despesas.

No Maranhão mais de um milhão de famílias dependem do Bolsa Familia, e quase 600 mil casas não recebem o benefício social das contas de luz.

A Equatorial tem um cadastro completo desses beneficiários..é so trabalhar em conjunto. A maioria dos  municípios pode complementar com recursos próprios essa renda.

Boa gestão descentralizada do SUS e das medidas assistenciais federais via educação (merenda, material e transporte escolar) combina o fazer básico com atenção social.

Vamos digitalizar os serviços. Contador a distância, morando na capital, traz MPF, MPE, TCE, TCU. A execução Fiscal e a prestação de contas tem legislação exigente e complexa.

Para não perder seu tempo com tanta burocracia, digitalize e integre as informações de arrecadação, orçamento, gastos e controle. Quem tem as informações nas mãos administra melhor e evita punições.

Cuide da folha de pessoal e da Previdência. Os municípios são grandes provedores de mão de obra. Errar ao contratar e fixar salários quebra a prefeitura. Previdência municipal desequilibrada leva o dinheiro todos junto com as cobranças do INSS.

Não é verdade que os municípios vivem de pires na mão. Nossos municípios se destacam por terem grande participação na receita.

Município quebrado no Brasil, no Maranhão, é má gestão, e não falta de recursos. Gaste tempo trabalhando no seu município e menos tempo reclamando em Brasilia.

Enfim,  passada a euforia da vitória, é  hora de trabalhar e trabalhar muito pra honrar cada voto recebido.

Boa sorte a todos!

*Gastào Vieira é deputado federal (PROS-MA)

3

Josimar controla emendas de três deputados maranhenses

Pastor Gyldenemir, Marreca Filho e Júnior Lourenço atuam sob o co,mando do deputado apontado como “papão de emendas” no Congresso, em um esquema que começou a ser desbaratado semana passada pela Polícia Federal

 

Josimar recebe seus pontas-de-lança para café da manhã em família; deputados estaduais e vereadores também fariam parte do “grupo de corretores”,

A prisão na semana passada do agiota Josival Cavalcante, o Pacovan – em uma operação da Polícia Federal envolvendo o prefeito de Ribamar, Eudes Sampaio (PTB) – foi um alerta a um grupo de deputados federais maranhenses que seguem as ordens do colega Josimar de Maranhãozinho (PL).

Dono do PL no Maranhão, Josimar controla outros dois partidos – o Patriota e o Avante – que têm os também deputados federais Marreca Filho (Patriotas) e Júnior Lourenço (Avante) como seus pontas-de-lança.

Ao lado do Pastor Gyldenemir (PL) – citado na operação da PF envolvendo Pacovan – os parlamentares se transformaram no que é chamado nos bastidores da bancada por “corretores de emendas”, com escritórios montados para operacionalizar a compra e venda de “certificados” que garantam a liberação de recursos federais no Maranhão.

Os depoimentos já colhidos pela investigação têm conteúdo explosivo para esses “corretores”. 

Josimar ficou milionário depois que entrou na política, como mostrou o blog Marco Aurélio D’Eça no post “Josimar de Maranhãozinho: R$ 1 milhão em patrimônio a cada ano na política…”

Mas viu seu poder de fogo multiplicar-se após chegar a Câmara Federal, a ponto de ser classificado em matéria o jornal O Estado de S. Paulo, como o ‘papão de emendas” na era Bolsonaro.

Pacovan seria o financiador dessas compras, liberando o dinheiro para prefeitos e parlamentares; e depois cobrando a faturas, como vinha tentando com Eudes Sampaio.

A prisão do agiota – mais uma ao longo dos últimos 10 anos – põe Josimar de Maranhãozinho e seu grupo de  “corretores de emendas” – que pode ser ainda maior, envolvendo, inclusive deputados estaduais e vereadores – em estado de alerta na Polícia Federal.

Por que, ao que tudo indica, o fio da meada começou a ser desenrolado…

3

Márcio Jerry: a hora do bombeiro comunista…

Deputado federal e mais próximo aliado do governador Flavio Dino sabe que o racha na base só antecipa o final do governo; mas precisará atuar forte para amainar o fogo ardente da vingança pulsando no vice Carlos Brandão e no deputado Josimar de Maranhãozinho

 

Márcio Jerry vê à distância a movimentação de Carlos Brandão na tentativas de antecipar o debate de 2022; mas entende que isso antecipa também o fim do governo Flávio Dino

Principal articulador político do governador Flávio Dino (PCdoB), o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) anda assustado com a volúpia do vice-governador Carlos Brandão e do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) em antecipar o debate sobre a sucessão de 2022.

Jerry entende que uma nova crise política na base governista – sobretudo após derrota para Eduardo Braide (Podemos) nas eleições de São Luís, forçará inevitavelmente o fim do governo comunista e a consequente diminuição da imagem de Flávio Dino.

Mesmo sem conseguir um nome para a disputa na Federação dos Municípios (Famem), Brandão e Josimar ligam quase que diariamente para prefeitos tentando criar uma base contra o atual presidente, Erlânio Xavier (PDT).

Botaram na cabeça que a reeleição de Erlânio significa, automaticamente, a força do senador Weverton Rocha como sucessor de Flávio Dino.

Essa guerrinha se dá exatamente pela ausência de Jerry do governo.

Em seus áureos tempos de bi-secretário de Comunicação Social e Articulação Política, o comunista trabalhava por uma base gigantesca, heterogênea e extremamente unificada em torno do projeto dinista.

Hoje, essas pastas estão sob a tutela de Rodrigo Lago.

O atual secretário não tem o cacife político para articular – até pela postura de servilidade a Dino – e por vezes até se transforma, também, em incendiário da base.

Também não tem a força necessária para peitar os interesses de Brandão e do chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB), que jogam juntos no projeto de 2022.

O blog Marco Aurélio D’Eça é testemunho das tentativas frustradas de Jerry pela conciliação da base em torno de um candidato ainda no primeiro turno.

Sua missão agora é outra.

Cabe ao aliado mais próximo de Flávio Dino impedi-lo de sucumbir à guerra patrocinada na base do seu governo, o que pode ser resolvido já na reforma administrativa do início do ano.

Mas esta é uma outra história…

3

Esquema que atraiu PF para Ribamar pode envolver deputado federal

Pastor Gyldenemir chegou a negociar com o prefeito Eudes Sampaio recursos de emendas da área da Saúde, indicando o agiota Pacovan como intermediário, num esquema que vem se arrastando há anos na Câmara Federal e envolve parlamentares de vários partidos no estado

Gyldenemir é um dos canais de Josimar de Maranhãozinho na movimentação de emendas parlamentares; ele chegou a Ribamar, onde o agiota Pacovan foi preso por extorsão

No início de 2020, o deputado federal Pastor Gyldenemir (PMN) teve um encontro a sós com o prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio (PTB).

Os dois, que não tinham qualquer tipo de relação, trataram sobre liberação de emendas na área da Saúde para a prefeitura de Ribamar. Mas Gyldemenir fez uma exigência: era preciso tratar a movimentação dos recursos diretamente com o agiota o Josival Cavalcante, o Pacovan.

Estaria aí o fio da meada da operação que levou Pacovan para a cadeia, nesta quinta-feira, 3, sob acusação de chantagem e extorsão a prefeitos, incluindo Eudes Sampaio.

O blog Marco Aurélio D’Eça já tratou do esquema de compra e venda de emendas parlamentares em diversos posts ao longo de 2020; mostrou, por exemplo, como recursos das emendas para combate à coVID-19 estavam sendo desviadas em vários municípios.

E o caso não vem de hoje, como revela post publicado neste blog em julho de 2011, sob o título “Suposta agiotagem de emendas desperta interesse da mídia nacional…”

Gyldenemir é hoje a parte mais frágil desse esquema, que envole outros deputados federais, a maior parte ligada aos partidos PL, Patriotas e Avante, todos controlados pelo controvertido Josimar de Maranhãozinho – ele próprio um dos conhecidos negociadores dessas emendas.

Josimar foi destacado em reportagem de O Estado de S. Paulo como o “Papão de emendas”.

O caso envolvendo Eudes Sampaio pode ser só o primeiro de uma série de ações da PF para coibir a prática de compra e venda de recursos públicos envolvendo agiotas como Pacovan.

Outros parlamentares, inclusive, procuraram o mesmo Eudes Sampaio para tratar do assunto…

0

“Flávio Dino levou ‘taca’ nas eleições no Maranhão”, diz Edilázio

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) avaliou hoje, em pronunciamento na Câmara Federal, como vexatório o desempenho do governador Flávio Dino (PCdoB) – enquanto líder de um grupo político -, nas eleições municipais do Maranhão.

O parlamentar lembrou que em 4 dos 5 maiores colégios eleitorais do estado – aí incluída a capital, São Luís, o governador não obteve êxito com os seus candidatos a prefeito. Para Edilázio, Dino saiu menor destas eleições.

“Venho aqui destacar as derrotas do Partido Comunista do Brasil no estado do Maranhão. O governador Flávio Dino saiu pequeno das eleições deste mês de novembro. Flávio Dino perdeu em quatro das cinco maiores colégios eleitorais do nosso estado”, disse.

E completou: “Ele perdeu em São Luís. No primeiro turno o candidato dele [Rubens Júnior], teve míseros 10% dos votos. No segundo turno o governador apareceu na televisão mais do que o próprio candidato [Duarte Júnior] e coagiu funcionários e secretários para que trabalhassem pelo candidato, rachou o grupo dele e ainda assim entrou na taca onde a ‘Ilha Rebelde’ mostrou mais uma vez que não aceita cabresto”.

Edilázio lembrou que além de São Luís, Dino perdeu a eleicao em Imperatriz, em Caxias e em São José de Ribamar. “E a única cidade dos 5 maiores polos em que ele se saiu vitorioso foi no município de Timon, onde ele obteve apenas 40% dos votos. Ou seja, 60% dos munícipes de Timon também disse não à gestão comunista e aos aliados do governo comunista”, completou.

Edilázio ainda enfatizou, antes de concluir o seu pronunciamento, que Dino acumulou outras duas derrotas significativas no Maranhão: Lago da Pedra, que tem como prefeita eleita Maura Jorge e São Pedro dos Crentes, onde o prefeito reeleito Lahesio Bonfim obteve mais de 90% dos votos válidos, com a maior votação proporcional do Maranhão. Os dois combatem o comunismo no Maranhão de forma expressiva.

Ele também enfatizou que em 2016 o PCdoB encerrou o pleito com 45 prefeitos eleitos. Em 2020 esse número baixou para 22, a maioria em municípios pequenos.

“Em 2020 o Maranhão já mostrou que não quer mais esse tipo de governo, que coage, que persegue que usa a polícia de forma opressiva. O governador sai pequeno, se vende como um grande líder nacional, mas lá no seu quintal pegou taca de cabo a rabo no estado do Maranhão”, finalizou.

0

Edilázio intensifica agenda de campanha em municípios do MA

O presidente estadual do PSD, deputado federal Edilázio Júnior,  intensificou no último fim de semana a sua agenda de participação na campanha eleitoral em municípios do interior do estado. 

Edilázio passou por Santa Luzia do Paruá, Codó, Nova Olinda e Mata Roma.

Em Santa Luzia do Paruá, o presidente do PSD foi recepcionado pela Dra. Eunice, candidata a prefeita, que tem o apoio do parlamentar para um trabalho em conjunto com a Câmara Federal. Lá, ele participou de um grande comício e pediu votos para o seu eleitorado no município, à candidata.

Em Nova Olinda, ele participou de outro grande ato de campanha pela reeleição da prefeita Iracy Weba. “O povo já escolheu. É Iracy Weba por mais 4 anos em Nova Olinda para dar continuidade a este grande trabalho que está sendo feito no município. Conte comigo”, enfatizou.

Em Codó, Edilázio participou de uma carreata e um comício ao lado do candidato a prefeito, Dr. Zé Francisco.

Já em Mata Roma ele destacou a recepção calorosa que recebeu do eleitorado, ao lado do deputado estadual Paulo Neto, em ato que marcou a reta final da campanha de Carmem Neto, candidata a prefeita daquele município. 

“A população do município pode contar comigo. Irei lutar lá em Brasília para garantir recursos e benefícios para todos”, pontuou. 

Edilázio percorreu ainda os municípios de Brejo e Timon. Em Brejo, ele participou de ato pela eleição de Olivia Caldas, candidata a prefeita pela coligação “Juntos faremos mais”.

Em Timon, ele reuniu os candidatos a vereador do PSD e definiu com eles a reta final de campanha.   

As eleições municipais serão realizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em todo o Brasil, no próximo domingo, dia 15. 

0

Novembro Azul: projeto que cria fundo para prevenção e financiamento do câncer é de autoria de Pedro Lucas

O líder do PTB na Câmara dos Deputados, Pedro Lucas Fernandes é autor do Projeto de Lei 244/19, que tramita na Câmara dos Deputados e cria o Fundo Nacional de Combate ao Câncer e Portadores (FNCCAP). O projeto tem o objetivo de prover recursos permanentes para programas e projetos relacionados ao tratamento e prevenção ao câncer no país.

O deputado federal, Pedro Lucas Fernandes ressaltou a importância da criação de um fundo para melhorar o tratamento de pessoas com câncer.

“O poder público tem o dever de prestar assistência qualificada ao tratamento e prevenção ao câncer e o Fundo Nacional é uma resposta as demandas daqueles que lutam contra o câncer. Essa é uma luta de todos nós”, destacou.

A criação de um Fundo Nacional de Combate ao Câncer e Prevenção seria fundamental para disponibilizar recursos direcionados especificamente a dar assistência aqueles que tanto precisam. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Maranhão é um dos estados com maior incidência de casos por ano. Para o deputado, a falta da oferta de médicos especialistas e exames preventivos nos municípios é um agravante.

“Um grande problema é que muitos pacientes são do interior e não tem acesso à saúde preventiva. Só descobrem o câncer, em muitos casos, já em estado avançado”, disse o parlamentar.

O líder do PTB na câmara destacou que a criação de um fundo pode trazer investimentos para muitas cidades do interior. Segundo o INCA, é necessário um conjunto de ações para prevenir e descobrir a doença no início, a principal delas é investir em saúde preventiva. “Vamos lutar na Câmara para que esse projeto se torne realidade. O câncer é uma doença que requer um tratamento longo, precisamos oferecer mais condições às pessoas”, finalizou.

2

Edilázio participa de entrega de sistema de energia fotovoltaica nos Lençois

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) participou no sábado da inauguração do Parque de Sistema Isolado de Geração Fotovoltaica (SIGF) que beneficiou a primeira casa com a energia elétrica no povoado Ponta do Mangue, em Barreirinhas.

A instalação do sistema ocorre após o parlamentar ter solicitado em 2019, e articulado junto ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a viabilização de energia elétrica para povoados existentes dentro dos Lençóis Maranhenses que não dispõem de eletricidade.

Participaram da inauguração do sistema, representantes do ICMBio, da Equatorial (concessionária de energia elétrica no Maranhão), do Governo Federal, o prefeito de Barreirinhas, Albérico Filho e Edilázio Júnior. Aluisio Mendes também foi convidado para o evento.

O investimento global é de R$ 3 milhões e vai beneficiar os povoados Lavada, Baixa Grande, Queimada dos Britos, Vargem D’Água e Ponta Verde.

“Estou muito feliz. O prefeito Albérico estava ansioso por esse momento, todo dia ligando, indo atrás, é uma nova realidade e que vai melhorar a qualidade de vida de milhares de pessoas. Parabéns ao Governo Federal que teve muita sensibilidade e atendeu o nosso pedido, parabéns à Equatorial pelo trabalho e a José Jorge, e parabéns, dona Maria, que já tem em sua residência a energia fotovoltaica”, disse Edilázio.

Saiba Mais

Depois de sobrevoar e visitar municípios de Barreirinhas e Santo Amaro ao lado do deputado Edilázio Júnior, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, assegurou, em 2019, a instalação de um Parque de Sistema Isolado de Geração Fotovoltaica (SIGF) nos Lençóis Maranhenses.

No mês passado, ele informou o parlamentar que havia determinado ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), uma análise técnica, que antecedeu a liberação por parte do ICMBio. Depois de todas as etapas cumpridas, o sistema começou a ser instalado.

A primeira casa a receber a energia fotovoltaica foi a da moradora Maria do Celso.

3

Pedro Lucas comemora a destinação de 22 ônibus escolares para municípios do MA

O deputado federal e líder do PTB na Câmara, Pedro Lucas Fernandes (PTB), destinou 22 ônibus escolares para as cidades do estado. O parlamentar destacou que a distância que muitas crianças precisam percorrer até as escolas é um fator de evasão escolar.

Os veículos, com capacidade para 44 estudantes sentados e equipados com poltrona móvel para embarque e desembarque de alunos com deficiência, garantem mais conforto e segurança durante o transporte para a escola.

O parlamentar maranhense destacou a importância de ações como essas para o estado: “Promover bem-estar, dignidade e segurança aos alunos da rede pública deve ser sempre uma das nossas maiores prioridades. A educação no Maranhão precisa ser valorizada e os meios utilizados para os alunos chegarem em suas escolas devem ser sempre garantidos”.

Seis unidades já foram entregues nas cidades de Esperantinópolis, Governador Archer, Timon, Viana, Arame e Itaipava do Grajaú.

Outras cidades receberão em breve: São Mateus do Maranhão, Coroatá, Colinas, Arari, Buriti Bravo, São José de Ribamar, Barreirinhas, Jenipapo dos Vieiras, Passagem Franca, Sucupira do Riachão, Igarapé Grande, Formosa na Serra Negra, Jatobá, Santa Helena e São Luís (2).

1

Gastão revela preocupação com nova onda da Covid-19…

Com Europa mergulhada em um rebote da doença, deputado federal maranhense estima que o Brasil também possa mergulhar neste segundo estágio; ele lamenta que o país viva como se nada estivesse acontecendo

 

O deputado federal Gastão Vieira (PROS-MA) revelou, preocupação nas redes sociais com uma onda da Covid-19.

A Europa já mergulhou na segunda onda e o Brasil deve embarcar nela também, segundo Gastão.. “O Brasil vive como se a crise do Covid tivesse acabado. Deus diga amém. A crise veio do oriente para o ocidente, e a Europa mergulha na segunda onda, e é muito provável que o Brasil embarque nela também”, disse.

Ainda segundo Gastão, o estado de calamidade no país será prorrogado em janeiro. “Estado de calamidade será prorrogado em primeiro de janeiro, pela simples razão que a calamidade, sanitária, social e econômica, estará ainda maior que hoje”, afirmou.

Gastão disse que no momento ninguém quer encarar a nova realidade. “Pessoalmente, me limito a torcer para que esteja errado… Do governo ao congresso, ninguém quer encarar a realidade… É certo que medidas mais radicais virão. Ninguém quer chegar a parar tudo de novo… Mas, muito terá que ser parado”, finalizou.