1

As estranhas coincidências na denúncia de Bardal contra Portela…

Delegado que acusa o secretário de mandar investigar membros do Tribunal de Justiça teve, ele mesmo, pelo menos uma das denúncias contra desembargadores aceitas no Conselho Nacional de Justiça

 

BARDAL TRANSFORMOU-SE EM UMA BOMBA RELÓGIO para o governo Flávio Dino

Há uma estranha coincidência entre a denúncia do ex-titular da Superintendência de Investigações Criminais, delegado Thiago Bardal – de que o chefe da Segurança Pública ordenara a investigação de desembargadores – seus próprios atos na SEIC, e sua prisão, sob acusação de envolvimento com contrabando.

Para lembrar: em depoimento ao juiz titular da 2ª Vara Criminal de São Luís, José Ribamar D’Oliveira Costa Júnior, Bardal revelou que o secretário Jefferson Portela mandou investigar os desembargadores Fróz Sobrinho, Tyrone José Silva, Guerreiro Júnior e Nelma Sarney, como revelou o blog de Neto Ferreira.

Ocorre que, no início de dezembro de 2017, quando ainda comandava a SEIC, o próprio Bardal denunciou os desembargadores Tyrone José e Fróz Sobrinho ao Conselho Nacional de Justiça.

O CNJ acatou pelo menos uma das denúncias, contra Tyrone José Silva, sob acusação de envolvimento com o agiota Pacovan. Froz Sobrinho, junto com Tyrone, foi acusado de favorecer o contrabandista de armas e traficante de drogas Heverton Soares Oliveira.

No dia 14 de dezembro de 2018, o conselheiro do CNJ, João Otávio de Noronha, assina o despacho para que Tyrone desse explicações. (Saiba mais aqui)

Em 22 de fevereiro de 2018, dois meses após a denúncia de Bardal contra os desembargadores, o delegado é exonerado da Seic pelo secretário Jeferson Portela, após ser preso em uma operação contra contrabandistas. (Relembre aqui e aqui)

De lá para cá, começou a guerra de informações entre Bardal e Portela, com a Associação de Delegados (Adepol) se posicionando sempre a favor do delegado preso. (entenda aqui)

O depoimento de Bardal ao juiz criminal, no último dia 12 de fevereiro, apenas refez a linha do tempo desta história cheia de estranhas coincidências.

DESEMBARGADOR TYRONE JOSÉ: pelo menos ele foi denunciado por Thiago Bardal quando este comandada a Seic

O escândalo envolvendo a Secretaria de Segurança do governo Flávio Dino (PCdoB) e Tribunal de Justiça leva a outros casos, como a espionagem da PMMA, o assassinato de Décio Sá e a antiga CPI do Crime Organizado.

E reforça a ideia de que, no Maranhão, o sistema de polícia é só um instrumento de manipulação para acusar e vilipendiar quem contraria os que o controlam.

Enquanto isso, criminosos seguem encastelados com benefícios dos poderes Executivo e Judiciário.

É simples assim…

Veja abaixo o despacho do CNJ por explicações do desembargador Tyrone:

4

Os esquemas da Leiaute no Maranhão…

Empresa bahiana que agora ganhou mais R$ 3,5 milhões em contratos no Porto do Itaqui, presta serviços em campanhas do governador Flávio Dino desde 2010, numa relação marcada por interesses contrariados e pressões de lado a lado

 

A logomarca da Leiaute: ações no Maranhão desde 2010

A logomarca da Leiaute: ações no Maranhão desde 2010

O contrato de R$ 3,5 milhões da empresa Leiaute Propaganda é apenas mais um benefício da relação que a empresa tem com o governador Flávio Dino (PCdoB) desde sua campanha eleitoral de 2010.

Este blog acompanha desde então os negócios da empresa bahiana e seus agentes. Uma relação, diga-se de passagem, conturbada e recheada de interesses contrariados de lado a lado.

Em 2013, após eleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), este blog chegou a apontar que a Leiaute venceria uma licitação na Prefeitura de São Luís, em 2013, o que de fato ocorreu exatamente nos moldes em que contou o post “A Crônica de um golpe anunciado…”

Já na campanha de 2014, a Leiaute voltou a atuar com Flávio Dino.

Mas algo deu errado na relação, o que levou a empresa a perder espaços no governo comunista, a  ponto de questionar judicialmente o resultado de uma licitação da qual participou na Secretaria de Comunicação Social.  (Releia aqui)

A relação entre Leiaute e Flávio Dino chegou a derrubar dois auxiliares do governador.

Em julho de 2015, caiu o então presidente da Comissão de Licitação do governo, Paulo Guilherme Araújo, que acompanha o governador desde os tempos em que o comunista comandava a Embratur.

A história também foi contada neste blog, no post “Crise na Secom derruba braço direito de Dino na CCL..”.

Depois, o próprio Robson Paz, que chefiava a Secom, também foi destituído, ficando subordinado diretamente ao lugar-tenente do governador, o jornalista Márcio Jerry, que acumulou Comunicação e Articulação Política.

Agora, a Leiaute finalmente ganha um contrato no governo, de R$ 3,5 milhões para cuidar da Emap.

Como se as coisas começassem a caminhar do seu jeito…

0

Sousa Neto sugere que grampo de Flávio Dino derrubou Rosângela Curado…

Deputado que denunciou a suposta espionagem do governo ao Ministério Público diz que as escutas telefônicas ilegais atingiram não só a deputada, mais o subcomandante da PM, coronel Raimundo Sá

 

Sousa Neto já denunciou a espionagem do governo ao Ministério Público

Sousa Neto já denunciou a espionagem do governo ao Ministério Público

Principal denunciante de um suposto esquema de espionagem montado no governo Flávio Dino (PCdoB) para monitorar aliados e adversários, o deputado estadual Sousa Neto tem convicção de que este esquema foi a causa da derrubada de do auxiliares do próprio governo.

De acordo com Sousa, a ex-subsecretária de Saúde, Rosângela Curado, e o ex-sub-comandante da Polícia Militar, coronel Raimundo Sá, foram vítimas da espionagem comunista.

Segundo especulou-se na imprensa, Curado teria sido “convidada” a deixar o cargo após ter sido monitorada em conversas telefônicas. O mesmo ocorreu com Raimundo Sá, exonerado após vazar áudio de uma conversa dele com oficiais da polícia.

– Estamos diante de algo muito grave: a estrutura do Estado hoje é feita para perseguir – afirmou Sousa Neto, que denunciou o caso ao Ministério Público.

para o deputado, a denúncia é gravíssima, e deve ser levada a todos o órgãos de controler externo, para evitar que o Maranhão se transforme numa ditadura comunista a la Cuba, Venezuela, Rússia, Coreia do Norte, onde adversários são perseguidos e aliados são exterminados para manter o poder do regime.

Por isso a denúncia ao Ministério Público…

9

Portelada não assume o que diz…

Portelada: é preciso assumir, meu caro...

Do blog de Diego Torres

Senhor Raymundo Portelada, sou jornalista de O Estado do Maranhão, mas não foi a faculdade de jornalismo nem o local onde trabalho que me ensinaram a ser homem.

Minha criação – ora feita pelo meus pais, ora feita pelos meus avós – foi o que me fez assumir tudo o que falo com suas responsabilidades, quer sejam boas ou ruins.

A profissão que escolhi me fez externar a conduta que venho tendo dentro de casa, com minha família.

Pois bem, vamos ao que interessa.

Na manhã de terça-feira (dia 20) seu assessor ligou perguntando-me se o jornal estaria interessado em participar de uma coletiva de imprensa para tratar, entre outras questões, sobre os acidentes de trabalho.

O assunto havia sido tema de matéria d’O Estado no domingo.

Preocupado com a repercussão a coletiva foi marcada e logo no telefonema fui informado de que também seria comentado sobre o espigão costeiro da Ponta d’Areia e a Via Expressa.

Porquê tudo isso? Indaguei-me…

Fui ao seu encontro e cheguei à sede do CREA-MA por volta de 11h.

A entrevista foi gravada e logo no início expliquei que seria para a minha utilização.Tão somente minha.

Mas eis que o senhor – e saiba que o trato assim apenas pela idade – resolve receber o colega de profissão e amigo Ronaldo Rocha dizendo que o jornal estaria mentindo na matéria, reproduzida aqui.

Nós não somos padres. Nem eu nem Ronaldo Rocha.

Alguns parecidos com o senhor nos fizeram andar pisando em ovos.

“Não! Eu não disse isso. Ele está mentindo! O jornal de vocês distorce”, rosnam aos muitos depois de ver a besteira que disseram.

O senhor disse ao Ronaldo:

“Não quero mais comentar com o jornal O Estado porque ele está desvirtuando as coisas. Porque eu tenho coisas que posso detonar ele. Eles não falam a verdade. O cara fez a gravação…como é que ele botou na frente? Portelada diz que é negligência dos empresários…Eu não disse isso! Eu disse que pode haver erro do engenheiro, do projeto e pode ser negligência. Isso o quê que é? Tá jogando! O problema d’O Estado é que vocês são funcionários deles, tem que fazer o que eles querem.”

O que o senhor me disse, de fato – e está gravado – foi: “A DRT tem que meter alguém na cadeia porque os operários estão pagando com a vida por erros de empresários”.

Leia mais aqui…

14

Castelo e Flávio Dino conspiram contra Via Expressa…

Portelada: tentativa de inviabilizar Via Expressa

Muitos membros da classe  política maranhense sobrevivem do “quanto pior, melhor”. Mantendo coerência com a máxima, alguns deles conspiram nos bastidores para tentar inviabilizar a obra da Via Expressa, lançada hoje pela governadora Roseana Sarney (PMDB).

Impressiona o quanto o anúncio do início da Via Expressa incomodou este pessoal.

São tantos – e toscos – os argumentos contra, que até parece estar este pessoal vivendo em uma Suíça, onde o trânsito é perfeito e a qualidade de vida urbana é inquestionável.

Dois deles têm nome e sobrenome: o ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB) e o prefeito João Castelo (PSDB). Eles têm agido por intermédio do seu garoto de recados do CREA-MA, Raimundo Portelada, e dos seus estafetas da imprensa.

Portelada – o mesmo que atestou as estradas fantasmas do governo José Reinaldo Tavares (PSB), aliado de Dino, e ganhou uma candidatura a deputado federal apoiada por Tavares -agora tenta gerar fatos contra a obra.

Na coletiva de hoje à tarde, Portelada confirmou, mesmo sem querer, que faz parte da articulação para tentar inviabilizar a Via Expressa.

– Fui eu que mandei João Castelo não dar as licenças (sic!) – afirmou ele, quando perguntado da relação entre sua cobrança das ARTs da obra e a má-vontade de Castelo para dar o Alvará. 

Flávio e Castelo, juntos na conspiração

A ART é só uma tolice do CREA para criar embaraços, que o secretário de Infra-estrutura, Max Barros, explicou agora há pouco à rádio Mirante AM.

– O govenro tem mais de 1,5 mil quilômetros de obras rodoviárias, desde 2009. São mais de 100 contratos, todos registrados no CREA, da mesma forma que a Via Expressa. E nenhum deles recebeu questionamento do órgão – disse Barros.

Logo depois, perguntado das suas relações com José Reinaldo – outro que luta contra o Maranhão – ele fez questão de corrigir:

– Minha ligação não é com José Reinaldo, minha ligação é com Flávio Dino, pois sou do PCdoB. 

Fica evidente que a cantilena é apenas uma tentativa de jogar a opinião pública contra a obra.

Mas a opinião pública sabe da importância da Via Expressa e torce por ela, como deviam torcer todos os políticos e homens públicos responsáveis.

Torce por que sabe que ela representará um passo a mais na melhoria urbanística de São Luís, o que dará mais qualidade de vida e respeito à cidade, prestes a completar 400 anos.

Qualidade que apenas os profetas do caos e os apostadores do “quanto pior, melhor” mostram não querer…

5

Mais uma vez a história de Flávio Dino no PSB…

Marcelo Tavares: mais uma versão para o caso Flávio Dino/PSB

O ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB), jantou com o governador de Pernanbuco, Eduardo Campos (PSB), em Recife (PE), na terça-feira, 19 de abril.

Dois dias antes da quinta-feira santa, para ser mais exato.

Presentes no jantar, o ex-minsitro Roberto Amaral (PSB), o prefeito de Olinda (PE), Renildo Calheiros (PCdoB), o vice-prefeito de Recife, Milton Coelho – maranhense de Codó –  e os socialistas maranhenses José Reinaldo Tavares, Marcelo Tavares e Antonio Almeida.

A história  é contada pelo deputado Marcelo Tavares e confirma versão já divulgada neste blog sobre o episódio.

– Nós discutimos a aproximação entre o PCdoB e o PSB para fechar o projeto entre os dois partidos – disse Tavares, que afirmou:

– A filiação de Flávio Dino ao PSB foi uma possibilidade ventilada[em tom de brincadeira], mas não fomos ao Recife para tratar disso.

Marcelo Tavares explica que os convites a Dino são feitos em clima de descontração, sem nenhum tom oficial.

Tanto que, da mesma forma que o PSB, o PDT também chegou a brincar com a possibilidade de o comunista mudar de partido.

Quando vinha de Brasília para o enterro de Jackson Lago, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, brincou com ele, dizendo: “Flávio, vem logo para o PDT!”.

Mesmo assim, setores da imprensa insistem em dar tom de seriedade ao episódio.

Os mesmos que tratam assuntos sérios em tom de “molecagem”…

18

O jogo duplo de Rodrigo Comerciário…

Comerciário precisa definir de que lado está

O secretário de Relações Institucionais do governo Roseana Sarney (PMDB), Rodrigo Comerciário (PT), precisa definir de que lado está.

Ele voltou a manter relações políticas com o grupo do deputado federal Domingos Dutra (PT) e do deputado estadual Bira do Pindaré (PT).

É com Dutra que Comerciário articula a indicação do petista Joab Jeremias para a Superintendência da Pesca no Maranhão – posto hoje sob a responsabilidade do também deputado federal Cléber Verde (PV).

A atuação do secretário visa enfraquecer o vice-governador Washington Oliveira (PT), que tem outros projetos para a superintendência.

E acaba sendo uma espécie de jogo duplo de Rodrigo Comerciário.

Se enfraquece o vice, articulando com grupos anti-governo no PT, o representante do governo está enfraquecendo o próprio governo do qual faz parte.

Não há alinhamento dos dutro-petistas ao governo Roseana – o que inclui aliados de Dutra, de Bira e o próprio Joab Jeremias, todos hostis ao grupo de Roseana Sarney.

Conspirar com este pessoal, como agora faz Rodrigo Comerciário, é conspirar contra o governo.

Estando dentro do governo significa alta traição…