3

Imposto de Flávio Dino levará a aumento generalizado no Maranhão…

Nova alíquota de ICMS para a energia elétrica –  a vigorar em março – fará com que cada R$ 100,00 de impostos em contas de luz passe a valer R$ 150,00, reajuste que as empresas deverão repassar ao consumidor, gerando novos aumentos em produtos e serviços

 

Imposto de Dino bancará comunistas no governo

O reajuste das alíquotas do ICMS determinado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) – e aprovado na Assembleia Legislativa contra os votos de apenas oito deputados – vai gerar uma reação em cadeia de aumentos em vários setores da economia maranhense.

E a população é quem vai pagar a conta.

No caso da energia elétrica, por exemplo, a alíquota do ICMS terá reajuste de 50%, subindo de 12% para 18% na faixa dos consumidores que usam até 500 quilowatts/hora por mês

Isso significa que o consumidor que paga R$ 100,00 de ICMS em cada conta de luz passará a pagar R$ 150,00.

Para quem consumir acima disso, a alíquota será maior ainda, de 27%.

Efeito cascata

O aumento da energia elétrica causará uma espécie de efeito cascata em todos o setores da economia,por tratar-se um insumo básico de todas as áreas da atividade humana.

cada R$ 10,00 em imposto na conta de luz vai virar R$ 15,00 a partir de março

A tendência é que as empresas repassem para o consumidor todo o custo dos 50% a mais de imposto que elas terão que pagar na conta de energia elétrica, resultando em aumento de alimentos, vestuários e serviços.

E pensar que todo este dinheiro arrecadado – algo em torno de R$ 250 milhões apenas com ICMS – Flávio Dino pretende usar apenas para bancar os custos de seu governo.

Que foi inchado pela contratação de camaradas do PCdoB…

4

Flávio Dino na contramão do país…

Enquanto o Governo Federal anuncia medidas para estimular a economia e a geração de emprego e renda, comunista maranhense faz o contrário, arrocha salário do trabalhador e aumenta impostos, criando dificuldades para geração de emprego e renda

 

Comunista, Flávio Dino quer bancar a conta dos camaradas com aumento de impostos

No mesmo dia em que o Governo Federal, num ato de desespero, tenta estimular a geração de emprego e renda, facilitando o crédito e aliviando a carga de impostos dos empresários, o governador Flávio Dino (PCdoB), faz o contrário, criando incertezas no Maranhão, com aumento de impostos e arrocho salarial de trabalhadores.

Comunista, Flávio Dino está na contramão de tudo o que se diz sobre medidas para enfrentar a crise.

A reação dos especialistas às medidas do governo Michel Temer (PMDB) foram de otimismo, ainda que tenham achado tímidas as ações para estímulo do crédito e da geração de renda.

A reação às medidas do comunista maranhense foram as piores possíveis.

Nenhum especialista entendeu como Flávio Dino quer enfrentar a crise econômica aumentando impostos, pressionando aumento de preços de serviços básicos, como energia e combustível, ao mesmo tempo em que nega aumento salarial aos servidores públicos.

Com as medidas do Governo Federal, a população poderá ter redução nos juros do cartão de crédito e facilidade no acesso ao emprego, já que o empregador terá redução da multa de FGTS, que onera as empresas.

Com as medidas do governador Flávio Dino, ao contrário, o maranhense vai pagar mais caro por energia elétrica, por telefonia, por combustível e por serviços hoje básicos, como internet e TV por assinatura.

O mais grave na decisão do governador é que a arrecadação esperada com o ataque ao bolso da população – algo em torno de R$ 250 milhões só com o ICMS – servirá apenas para bancar a própria máquina do governo, que ele vem inchando descontroladamente desde que assumiu o governo.

Em outras palavras, Flávio Dino está metendo a mão no bolso da população, para que o maranhense pague a conta do inchaço que ele promoveu no governo para abrigar seus camaradas de partido.

Coisas típicas do comunismo, que, aos poucos, o Maranhão vai conhecendo…

0

Flávio Dino reconhece: seu governo sobrevive à base do aumento de impostos…

Com os cofres abarrotados com quase R$ 800 milhões da repatriação e outros R$ 600 milhões garantidos em empréstimos, comunista quer arrancar mais R$ 900 milhões do povo maranhense com aumento da carga tributária, onerando o bolso do trabalhador e arrochando o salário do funcionalismo

 

A declaração abaixo é do próprio governador Flávio Dino (PCdoB), dada em uma reunião com servidores estaduais, em agosto (veja o vídeo):

A gente conseguiu sobreviver esse ano, minha gente, é importante que se diga, porque nós aumentamos imposto. Eu digo isso de um modo bem transparente Nós pegamos a alíquota básica do ICMS e nós aumentamos de 17 para 18 [por cento]. Foi uma das decisões mais corretas que a gente já tomou até aqui, porque se a gente não tivesse feito isso no ano passado – vocês sabem que tem o princípio da anterioridade tributária, se aumenta em um ano para vigorar no ano seguinte – a gente não estaria aqui”.

Na reunião, Dino declarou às várias categorias do funcionalismo que não havia como pensar em reajustes – nem para 2017.

De lá para cá, Flávio Dino recebeu, quase R$ 800 milhões, livre de qualquer contrapartida, oriundo da repatriação promovida pelo Governo Federal. Além disso, garantiu mais de R$ 600 milhões em vários empréstimos aprovados pela Assembleia.

E continua dizendo que não tem condições de dar reajuste ao funcionalismo.

E continua arrochando o bolso deste mesmo funcionalismo – e de todos os maranhenses – com novo pacote de impostos apresentados à Assembleia, que vai garantir mais R$ 900 milhões ao seu governo apenas com arrecadação de mais impostos.

E o povo pagará a mais por energia elétrica, combustível, transporte, serviços de telefonia e de TV por assinatura.

De fato, Flávio Dino tem razão: seu governo sobrevive à base de impostos…

12

Descontrolado, Flávio Dino esbraveja contra críticas ao aumento de impostos…

Há tempos não se via o comunista tão fora de si diante da reação popular à suas antipáticas medidas contra o consumo e aumento de custos de serviços

 

A reação descontrolada de Dino: sem argumento

O governador Flávio Dino (PCdoB) acusou o golpe da reação popular às suas medidas ora votadas na Assembleia Legislativa – algumas já aprovadas – que aumentam consideravelmente as alíquotas de impostos.

No Twitter, o comunista partiu para cima dos críticos e esbravejou, quase gritando, embora não tenha apresentado nenhuma justificativa plausível para projetos que vão resultar em aumento de combustíveis, de energia elétrica, serviços de telefonia e de TV, e de vários produtos de consumo popular.

– Há quem pense que a saída da crise é fechar hospitais, cortar direitos, parar obras públicas. Isso só aprofunda a recessão e o desemprego – esta foi a tentativa de explicação mais amena do comunista.

Daí para frente, só passou a agredir adversários e tentar justificar a paralisia do seu governo com a velha cantilena da herança histórica recebida no Maranhão.

O fato é que, a partir de 2017, o maranhense arcará com despesas de impostos – a mais – que poderão atingir a cifra de R$ 250 milhões.

O resultado clássico desta carga tributária – seguida de arrocho salarial e ausência de políticas de incentivo – é exatamente o que o próprio governador teme: recessão e o fechamento de empresas e de postos de trabalho. (Entenda aqui e aqui)

Mas o governador acha que a questão do emprego se resolve inchando a máquina pública com o aparelhamento do estado, abrindo posto de trabalho para os camaradas comunistas.

E assim o Maranhão caminha para ser uma nova Venezuela.

É aguardar e conferir…

3

Após impor suspeitas ao Mateus, Flávio Dino diz que empresário “ajuda a desenvolver o MA”…

Governador comunista participou hoje da inauguração de mais uma loja do grupo, menos de 30 dias depois de seu governo e a mídia financiada pelo Palácio dos Leões tratar o empresário como membro de máfia fiscal na Sefaz

 

Flávio Dino com auxiliares e aliados ao lado de Ilson Mateus: cinismo…

O governador Flávio Dino (PCdoB) não apenas participou da inauguração de mais uma loja do grupo Mateus, nesta sexta-feira, 9, como também discursou e apontou o empresário Ilson Mateus como “um dos maiores do Maranhão”.

A atitude de Dino foi vista como cinismo.

Menos de 30 dias atrás, secretário de seu governo fizeram vazar à mídia financiada pelo Palácio dos Leões a informação de que o Mateus era uma das empresas beneficiadas pela máfia da Sefaz – suposto grupo criminoso descoberto por ação do próprio governo comunista. (Leia aqui e aqui)

A presença de Flávio Dino na inauguração da loja seria uma tentativa do governador de se reaproximar o empresário, que reagiu firme à acusação dos auxiliares do governo.

Mas é assim que age o governo comunista no Maranhão…

2

“Operações fiscais se pautam na legalidade”, garante Grupo Mateus…

Maior gerador de ICMS no Maranhão no segmento varejo, e gerador de 20 mil empregos no espaço emite nota sobre denúncia formulada pelo promotor fazendário

 

Mateus: 20 mil empregos no Maranhão

Mateus: 20 mil empregos no Maranhão

O Grupo Mateus, que domina o setor de supermercados e atua ainda nos ramo de atacadista e panificação emitiu nota neste sábado para tratar da denúncia formulada pelo promotor Paulo Ramos, da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Tributária.

– As operações fiscais realizadas pelo Grupo com o Estado se pautam dentro da total legalidade e transparência, respeitando as legislações vigentes e os princípios éticos da nossa empresa, que busca sempre contribuir para o desenvolvimento econômico e social nas comunidades onde atuamos – destacou o documento.

O Mateus ressaltou seu compromisso com o Maranhão, onde emprega cerca de 20 mil pessoas e é o maior gerador de ICMS no ramo do varejo.

Abaixo, a íntegra da nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Grupo Mateus S/A vem a público esclarecer à sociedade, colaboradores, fornecedores, clientes e amigos que, embora seu nome tenha sido vinculado a publicações sobre fatos ocorridos na SEFAZ (Secretaria da Fazenda do Maranhão) em exercícios anteriores, todas as operações fiscais realizadas pelo Grupo com o Estado se pautam dentro da total legalidade e transparência, respeitando as legislações vigentes e os princípios éticos da nossa empresa, que busca sempre contribuir para o desenvolvimento econômico e social nas comunidades onde atuamos.

Hoje o Grupo Mateus S/A é o maior gerador de ICMS do estado do Maranhão no segmento varejo e emprega mais de 20 (vinte) mil pessoas, buscando constantemente honrar os compromissos como empresa cidadã e sempre nos colocamos à disposição das instituições para que possam verificar a idoneidade das nossas operações de forma transparente.

Atenciosamente:
Grupo Mateus S/A

6

De como o Maranhão andou para trás sob o comando de Flávio Dino…

Eleito como salvador da pátria, ex-juiz mostra pouca intimidade com a gestão administrativa, falta de conhecimento no planejamento das ações e incapacidade para gerenciar recursos públicos; o resultado é a estagnação do estado no cenário econômico

 

Dino: sem noção gerencial de um estado, usa métodos sindicais para inchar a folha

Dino: sem noção gerencial de um estado, usa métodos sindicais para inchar a folha

O governador Flávio Dino  (PCdoB) sempre ganhou a vida como servidor público de alto padrão.

Juiz federal, nunca teve a preocupação no gerenciamento de recursos e pouco se preocupou com a economia dos setores por onde passou.

Mas, político por natureza, soube aproveitar a oportunidade para trocar a toga pela gravata de deputado e de governador. E se deu bem.

Leia também:

Maranhão tem três rebaixamentos em 1 ano…

Sob Dino, Maranhão entra na lista de mau pagador…

Maranhão tem nota de crédito novamente rebaixada…

Maranhão tem mais de 6 mil empresas fechadas em 2015…

Fila do desemprego aumentou sob a gestão de Flávio Dino...

Fila do desemprego aumentou sob a gestão de Flávio Dino…

Conseguiu se eleger muito mais pelo cansaço de um modelo que dominava o Maranhão havia décadas do que pela própria comprovação de sua capacidade gerencial.

O resultado é que, hoje, quase um ano e meio depois de o comunista assumir o poder, o Maranhão amarga retração em sua economia.

Flávio Dino demonstra no dia a dia do comando do estado sua essência de servidor público.

Para ele, influenciar a economia é inchar a folha do serviço público; suas ações à frente do governo levou ao fechamento de empresas e perdas de postos de trabalho.   

E não conseguiu tocar sequer as obras iniciadas no governo passado.

O resultado é que o Maranhão, sob o comando de Flávio Dino, perdeu nada menos que 5% do seu Produto Interno Bruto em 2015, exatamente o primeiro ano de gestão do comunista, segundo estudo da revista valor Econômico.

A tradução óbvia do documento é uma só: a mudança proposta por Flávio Dino fez o Maranhão andar para trás.

E isso não há como questionar…

1

Black Friday: Procon alerta para propaganda enganosa…

Evento criado nos Estados Unidos e que se popularizou no Brasil acontece hoje, mas é preciso ficar alerta para as fraudes nos descontos

 

Consumidores em dia de Black Friday: tumulto generalizado

Consumidores em dia de Black Friday: tumulto generalizado

O presidente do Procon-0MA, Duarte Júnior, diz que nesta sexta-feira (27), data em que acontece a Black Friday, é preciso ter cuidado redobrado.

duarteNesse período aumentam as publicidades enganosas com falsas ofertas e maquiagens de preços. É importante que o consumidor observe se, de fato, o valor apresentado é promocional ou se ele está sendo induzido a pagar pelo dobro da metade do preço. O Procon está atento, mas é essencial que o consumidor formalize suas denúncias em caso de dúvidas sobre as ofertas”, sinaliza.

Além disso, o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor chama a atenção para a importância da pesquisa de preços. O órgão aconselha que sejam analisadas pelo menos três lojas antes de realizar a compra. Com a pesquisa é possível identificar aumentos injustificáveis nos produtos, o famoso “metade do dobro”.

Outro fator importante de ser lembrado é que os descontos não eximem as empresas de respeitar o Código de Defesa do Consumidor, que garante o prazo de 30 dias para, caso o produto apresente vício e o problema não for resolvido, o consumidor exija sua troca por outro produto em perfeitas condições.

Ou, se preferir, aconteça a devolução total da quantia paga, ou o abatimento proporcional do preço.

0

Ceuma cobra dez vezes mais pelo vestibular de Medicina…

ceumaUniversidade Ceuma está usando dois pesos e duas medidas e seu vestibular.

O aluno pode optar por qualquer curso, em qualquer um dos campus da universidade, e paga pela inscrição o valor de R$ 50,00.

Mas se quiser optar pelo curso de Medicina, o valor a ser cobrado é de R$ 500,00.

Está clara a prática de preços abusivos, cobrando dez vezes mais pelo mesmo produto ou serviço oferecido, uma vez que o vestibular é o mesmo para qualquer curso – ou pelo menos deveria ser.

Com a palavra o Procon-MA e a Promotoria de Defesa do Consumidor…