8

“Essas empresas têm muito advogado e pouco engenheiro”

Foto: https://www.facebook.com/jornaloglobo

Por Aline Alencar

“Essas empresas têm muito advogado e pouco engenheiro”, afirmou o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, reagindo ontem à ameaça das quatro maiores operadoras de celular (Claro, Oi, Tim e Vivo) de pedir a impugnação de parte do Plano Geral de Metas de Competição (PGMC). (leia mais em O Globo)

Segundo o ministro as operadoras têm todo o direito de entrar com a ação, mas não vê motivos para isto. Realmente, o ministro em curtas e precisas palavras alfinetou essas empresas que mais deixam o cliente em alto nível de estresse com uma péssima prestação de serviços por altos preços.

Para estas empresas, o lucro nada têm a ver com qualidade do serviço. É o que o PGMC pretende provar o contrário, de acordo com o Ministro. Medidas como este plano precisam ser mais recorrentes para que o consumidor pague o preço justo por aquilo que consome.

11

São Luís Shopping anuncia início de ampliação…

O Shopping São Luís encaminhou hoje aos principais jornalistas do Maranhão um azulejo-símbolo do início da ampliação do empreendimento.

“Ser Feliz é expandir sonhos”, diz a peça, inspirada na azulejaria colonial, que marca a arquitetura de São Luís.

Segundo shopping a ser instalado na capital maranhense, após o Tropical Shopping – primeira experiência ludovicense no setor – o São Luís Shopping passou a perder mercado com a inauguração dos shopings Jaracaty,  Rio Anil e Shopping da Ilha.

O projeto de expansão pretende recolocar o empreendimento do Jaracaty entre os principais da capital.

De acordo com o que apurou o blog, o São Luís Shopping irá utilizar toda a área do estacionamento da frente para promover a expansão. Serão construídas torres, com novas praças de alimentação e novos serviços.

O projeto prevê a implantação de duas novas lojas-âncoras, com a vinda das Casas Bahia e da Tok Stok.

O lançamento das obras será no próximo dia 23…

5

Brasil tem 74 bilionários, revela Forbes…

Eike, o maior bilionário brasileiro: negócios no Maranhão

A edição brasileira da revista Forbes estreou este mês trazendo a lista dos 74 brasileiros com com patriônio superior a R$ 1 bilhão.

O topo é ocupado pelo mineiro Eike Batista, com R$ 30,26 bilhões, empatado tecnicamente com Jortge Paulo Lemann, com patrimônio de R$ 29,30 bilhões.

Batista explora jazidas minerias em todo o país, entre elas algumas no Maranhão. Lemann é sócio, dentre outras coisas, da Ambev, da Lojas Americanas e da Burger King.

A lista de bilionários brasileiros se fecha com o cearense Carlos Jereissati, dono da rede de shoppings Iguatemi e sócio da OI. Ele tem patrimônio declarado de R$ 1,054 bilhão.

Outro cearense na Lista é Francisco Ivens Dias Branco, dono do moinho M. DIas Branco, que fabrica os biscoitos Fortaleza. Seu patrimônio é de R$ 7,32 bilhões, o que lhe dá a sétima posição entre os bilionários brasileiros.

A Forbes pretende fazer listas anuais de bilionários brasileiros, a exemplo do nque faz nos Estados Unidos…

5

Ambev só reformou fábrica de São Luís por exigência do Ministério Público…

Laudo do Icrim que atestou restos de insetos em garrafas da Ambev

A Ambev tentou vender para São Luís que a reforma da fábirca instalada no Distrito Industrial é um investimento na capital maranhense.

Não é.

A fábrica só foi reformada por exigência de um Termo de Ajustamento de Conduta, firmado com o Ministério Público e a Gerência de Defesa do Consumidor, após o episódio das baratas encontradas em suas garrafas.

Não fosse esta exigência, provavelmente Brahma, Skol, Antactica e Bohêmia continuariam sendo produzidas em meio a ratos e baratas, como mostraram as seguidas inspeções do Ministério Público.

Uma das eixgências deste TAC, inclusive, a Ambev sequer cumpriu.

Deveria produzir latas de cerveja com a marca dos 400 anos de São Luís, mas não apresentou na reforma, apesar de ter melhorado as instalações.

Aliás, a ausência das latas comemorativas voltará ser cobrada pela promotora de Defesa do Consumidor, Lítia Cavalcanti.

 

4

O pão de açucar vai virar pão francês…

Abílio Diniz: primeira derrota empresarial em

O grupo francês Casino assumirá nesta sexta-feira o comando do grupo Pão de Açucar, o maior conglomerado de varejo do Brasil e o único controlado por brasileiros.

O acordo que garante o controle foi firmado em 2005 pelo presidente do grupo, Abílio Diniz, da família fundadora do Pão de Açucar.

O Pão de Açucar controla hoje as maiores bandeiras de supermercados do país – além das Casas Bahia e do Ponto Frio, do ramo de eletroeletrônicos.

Casino é o novo dono do Pão de Açucar

Significa que o mercado brasileiro de supermercados terá apenas franceses (Casino e Carrefour) e americanos (Wal-Mart) disputando a liderança de vendas.

Os especialistas estranham como Diniz – acostumado a grandes embates empresariais – pôde se deixar levar por um acordo que tiraria dele exatamente a empresa-símbolo do poder de sua família.

Nos últimos anos ele tentou escapar da armadilha, inclusive tentando uma fusão com o Carrefour.

A jogada não deu certo e o presidente do Casino, Jean-Charles Nauri, assumirá o comando da empresa brasileira nesta sexta-feira…

17

Franere respira com venda de shopping; mas ainda há riscos de insolvência…

Apelidado de "favelão da Franere", Gran Park carece de infraestrutura básica

A venda de 50% do Rio Anil Shopping para o grupo BR Malls, por R$ 120 milhões, deu um alívio de caixa no grupo Franere. (Releia aqui)

 Mas não é o bastante para afastar, de vez, o risco de insolvência.

Muito pelos erros estratégicos na incorporação e construção de imóveis em São Luís – e muito pelo estilo de vida dos seus donos – a Franere vem amargando prejuízos e demandas judiciais que corroem seu patrimônio balanço após balanço.

A associação com a Gafisa, que também amarga fase de insolvência, levou a mais prejuízos, como o fracassado condomînio Gran Park, hoje um elefante branco desvalorizado em plena região do Calhau. (Leia aqui)

Com problemas de ordem técnica, ambiental e sanitária, o Gran Park é o condomínio de São Luís com o maior número de apartamentos à venda nos classificados de jornais.

Além dele, outros empreendimentos imobiliários do grupo Franere sofrem com problemas de ordem legal de toda sorte, o que atrasa início de obras – e consequentemente de entrega das unidades.

Nem mesmo o sucesso do Rio Anil Shopping a Franere foi capaz de gerir sozinha

A incapacidade de gestão levou à venda até mesmo do Rio Anil Shopping, empreendimento extremamente lucrativo, sucesso de público e de negociação de espaços, que, aparentemente, seria fácil de administrar.

Não foi para os Franere, que preferem a tranquilidade da proximidade com o poder.

Por isso, a esperança do grupo está toda em 2014…

 

0

Até ovo de Páscoa já tem recall…

Ovo rapunzel terá que ser recolhido e corrigido

A fabricante Arcor vai ter que recolher do mercado o ovo de páscoa Rapunzel, de 150g.

De acordo com comunicado do Ministério da Justiça, a empresa tem que tirar a frase “Não causa qualquer risco à saúde”, uma vez que o produto é destinado a crianças.

O mesmo ovo já havia sofrido recall da Agência Nacional de Vigilância Sanitária por que foi detectado um microfuro na embalagem plástica que acondiciona o brinquedo, o que poderia ter causado a tranferência de odor das partes plásticas para o chocolate.

A empresa comunicou que já está realizando o recall

 

0

Franere vende metade do Rio Anil Shopping…

Rio Anil: R$ 120 milhões a mais no bolso da Franere

A Franere vendeu, por 120 milhões,  50% do Shopping Rio Anil, hoje o mais movimentado de São Luís.

A compradora é a BR Malls, uma das maiores incomporadoras e adminsitradoras de shoppings do Brasil.

Deste total, 85,7 milhões de reais serão pagos à vista e 34,3 milhões de reais serão destinados a quitação de uma dívida do antigo empreendedor, informou a companhia.

A empresa informou que caso a transferência da titularidade desta dívida seja operada, optará por não liquidar a operação à vista, “dado as condições favoráveis apresentadas”, conforme o comunicado.

A BR Malls também adquiriu uma participação de 50 por cento na futura expansão deste mesmo empreendimento, que deverá ser inaugurada no quatro trimestre de 2013.

A companhia será a responsável pela comercialização do empreendimento e assinou contrato para que sua participação no investimento total da expansão não ultrapasse 30 milhões de reais.

Com informações do G1

5

Shopping da Ilha embaixo d’água…

Definitivamente, o Shopping da Ilha mostra dia após dia a evidente falta de estrutura para estar em funcionamento.

O blog de Robert Lobato fez um flagrante da situação do estacionamento do Shopping da Ilha em São Luís.

 

Estacionamento do SI: inaugurado sem condições de funcionamento

 

O local foi inundado com as últimas chuvas que caíram na cidade, mostra de que a obra de conclusão do empreendimento está longe de terminar.

De fato, o Shopping da Ilha é o maior, mais bonito, confortável e espaçoso centro de compras da capital maranhense, mas não está pronto.

E a demora na conclusão da obra, com estes contratempos naturais, tem cansado o consumidor.

O Shopping da Ilha corre o risco de se inviabilizar por causa dos próprios erros.

Que começaram exatamente com a inauguração intempestiva, em dezembro…

9

Shoppping da Ilha faz propaganda enganosa sobre promoção…

É enganosa a propaganda do Shopping da Ilha sobre a premiação de R$ 200 mil para os clientes que comprarem acima de R$ 250,00.

Inaugurado ainda inacabado, o sopping tenta atrair a clientela, mas comete um deslize na primeira promoção.

Fachada, ainda virtual, do Shopping da Ilha: propaganda mal explicada

A campanha dos R$ 200 mil induz o consumidor a acreditar no prêmio integral, mas não é.

O que o shopping oferece são prêmios de R$ 10 mil – provalvemente em 20 sorteios – que só poderão ser usados no próprio shopping.

Mas isso só aparece em letras miúdas.

Na propaganda, os atores passam a idéia de que poderão ganhar os R$ 200 mil de uma única vez, inclusive dando dicas de que poderão viajar e usar o dinheiro como queiram.

Não é verdade.

A menos que um mesmo conumidor tenha a incrível sorte de ser premiado em todos os sorteios, o que o Shopping da Ilha oferece são prêmios de R$ 10 mil – repita-se, para serem usados apenas no próprio shoppíng.

Propaganda enganosa, portanto…