2

O desafio de Edivaldo Júnior…

Com forte popularidade ao fim do mandato, prefeito de São Luís terá que ter muito mais que um legado de peso para superar a revolta do PCdoB e de setores mais radicais do governo Flávio Dino com sua neutralidade nas eleições de 2020

 

Edivaldo deixa mandato com forte aceitação popular, mas precisará de um grupo forte para consolidar-se no anos afastados do poder se

O prefeito Edivaldo Júnior (PDT) entra no último mês do seu mandato como o prefeito mais bem avaliado da história de São Luís; com indiscutível popularidade e um legado marcante de obras e serviços, ele encerra a gestão consolidado como liderança política.

Mas não pode contar, no entanto, apenas com seu legado e sua popularidade para se manter em evidência nos próximos anos, sobretudo se sonha com voos mais altos na política.

Para superar a revolta de setores mais radicais do governo Flávio Dino – e sobretudo do PCdoB – com sua neutralidade nas eleições de 2020, Edivaldo vai precisar de um grupo que lhe dê sustentação política, principalmente por que permanecerá anos sem mandato.

O legado é fundamental como história; a popularidade garante o recall eleitoral em uma eventual candidatura, mas é o grupo político que garante a proteção contra ataques e a sustentação do nome entre a população.   

Se perdeu parte da base mais ligada ao governador Flávio Dino, com sua postura, Edivaldo consolidou-se na base do PDT e ganhou novos defensores dentro do grupo que elegeu Eduardo Braide (Podemos).

Há quem inclua o prefeito de São Luís no rol dos possíveis candidatos ao governo na eleições de 2022.

A relação com Eduardo Braide, que agradeceu publicamente sua postura eleitoral, pode ser um gatilho para essas pretensões.

Mas esta é uma outra história…

3

Com vitória em São Luís, Braide realinha as cartas de 2022

Com postura política impecável no segundo turno, prefeito eleito sai das urnas como uma das mais importantes peças no tabuleiro da sucessão de Flávio Dino, com força para influenciar diretamente na eleição do próximo governador

 

Eduardo Braide comemora a vitória nas urnas: liderança de influencia estadual a partir da capital maranhense

A vitória de Eduardo Braide (Podemos) em São Luís começou a ser construída ainda na noite do domingo, 15, quando as urnas mostraram o segundo turno entre ele e Duarte Júnior (Republicanos) e o governador Flávio Dino (PCdoB) foi a público fazer declaração de voto.

No dia seguinte, o líder nas pesquisas conversou com diversas lideranças ligadas ao Palácio dos Leões que não pretendiam seguir a voz do governador.

A postura política impecável de Eduardo Braide – muito diferente  da que adotou em 2016 – agregou peças importantes do PDT, do PT, do PTB, do DEM, do MDB e até do PCdoB, criando um muro de proteção às investidas de Flávio Dino, o que resultou em sua eleição na noite de domingo, 29.

Eduardo Braide sai das urnas como um novo líder, pronto para influenciar diretamente as eleições de 2022.

Ao posar com Duarte Júnior em frente à prefeitura, Flávio Dino lembrou gesto de FHC em 1985; e perdeu a eleição justamente no momento em que entra na reta final dos eu ciclo de poder

Se antes houvesse quem achava que a vitória de Braide poderia capitalizar o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos), hoje se sabe que a chegada de Duarte Júnior ao segundo turno, as investidas de Dino – e do próprio Brandão – jogaram o prefeito eleito no colo da oposição e do grupo ainda governista que hoje gravita em torno do senador Weverton Rocha (PDT).

Alinham-se hoje em torno do prefeito eleito todos os remanescentes do antigo Grupo Sarney, da ala mais ligada ao ex-governador José Reinaldo Tavares e um grupo independente, que tem no senador Roberto Rocha (PSDB) sua figura mais proeminente.

E até o atual prefeito Edivaldo Júnior (PDT) contribuiu para este processo de agregação, ao manter a neutralidade que Flávio Dino e seu grupo jamais esperavam.

Todo este conjunto de coisas tem um peso e tanto no processo eleitoral que se avizinha.

Sobretudo quando se sabe que a alvorada da gestão de Braide coincide com o ocaso da gestão de Flávio Dino, cujo por-do-sol começou a se dar agora em 2020.

É às voltas com todos estes elementos que o novo prefeito sai das urnas em São Luís.

Pronto para influenciar o Maranhão…

 

0

DataM confirma ampliação de vantagem pró-Braide

Assim como estimou o blog Marco Aurélio D’Eça, pesquisa divulgada nesta sexta-feria, 27 mostra que a diferença em favor do candidato do Podemos, faltando dois dias para o segundo turno, já gira em torno de 20 pontos percentuais

 

Braide faz sinal pára a multidão que se reuniu na Madre Deus nesta quinta-feira, 26: quanto mais o governo persegue, mas o povo se junta em torno do candidato do Poddemos

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) deve vencer a eleição de domingo, 29, impondo uma diferença na casa dos 20 pontos percentuais sobre o deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos).

É o que mostrou pesquisa do Instituo DataM divulgada nesta sexta-feria, 27, confirmando estimativa do blog Marco Aurélio D’Eça.

Faltando dois dias para o pleito, Braide tem hoje 52,37% das intenções de votos, contra 32,82 de Duarte Júnior, uma diferença de 19,55 pontos percentuais.

Em votos válidos, essa diferença sobe para 23 pontos percentuais (61,5% a 38,5%).

Um dos cenários da pesquisa DataM desta sexta-feira: vantagem pró-Braide chega a quase 20 pontos

A perspectiva de crescimento de Braide se deu ao longo da semana, diante da incompetência dos aliados de Duarte, incluindo o governador Flávio Dino (PCdoB).

Este blog chegou a mostrar em diversos posts como Dino e seu vice, Carlos Brandão, levaram á derrocada da campanha de Duarte, ao tentar fazer do segundo turno um jogo do “nós contra eles”, que acabou funcionado ao contrário. (Relembre aqui e aqui)

De forma competente, a campanha de Braide capitalizou a opressão de Dino e transformou o risco do uso da máquina a seu favor, atraindo todos os que se sentiram oprimidos pelo governo.

E o resultado disso  é o que se começa a ver nas pesquisas do fim de semana, que indicarão o desfecho das eleições de domingo.

Simples assim…

0

Diferença entre Braide e Duarte deve ser ampliada até domingo…

Pesquisas divulgadas ao longo da semana apontam para um distanciamento do primeiro colocado, ocasionado, sobretudo, pela debandada de aliados da base do governo que decidiram não acompanhar o candidato de Flávio Dino, o que se reflete nos números

 

Braide comemora dia após dia a vantagem nas pesquisas de intenção de votos, o que deve se consolidar no domingo, 29

As pesquisas de intenção de votos divulgadas ao longo da semana – o que deve se completar nesta sexta-feira, 27, com a do Ibope/TV Mirante – apontam uma ampliação da vantagem de Eduardo Braide (Podemos) sobre Duarte Júnior (Republicanos).

E esta vantagem deve se consolidar no domingo, segundo análise do comitê de campanha do próprio Braide.

Na quinta-feira, 26, a Econométrica já confirmava uma vantagem de 14,5 pontos percentuais para Braide (52,6% a 38,1%).

Braide tira vantagem da debandada na base governista causada pelo erro de estratégia do governador Flávio Dino (PCdoB) e seu vice, Carlos Brandão (PRB), que passaram a ameaçar aliados, auxiliares e servidores por votos para Duarte.

Essa vantagem deve ficar mais clara na tradicional  boca-de-urna no domingo 29…

2

Coordenado por Zé Inácio, PT mobiliza o Centro por Eduardo Braide

Militantes da corrente Construindo um Novo Brasil – a maior do partido – panfletaram em favor do candidato do Podemos, fortalecendo a participação da legenda no segundo turno das eleições em São Luís

 

Os petistas pró-Braide estão capitalizando votos em favor do candidato, mostrando mais unidade que a banda atrelada ´[a candidatura de Duarte Júnior

A parte do PT de São Luís que decidiu apoiar Eduardo Braide (Podemos) no segundo turno das eleições na capital maranhense tem mostrado cada vez mais força na campanha.

Sob a coordenação do deputado estadual Zé Inácio, os petistas mobilizaram ontem a militância nas ruas do Centro, panfletando em favor do candidato do Podemos.

– Estivemos no Centro de São Luís, panfletando e dialogando com os trabalhadores e trabalhadoras sobre as propostas do nosso candidato a Prefeito Eduardo Braide. A esperança vai vencer o medo! É 19! – postou Inácio, em suas redes sociais.

Coligado ao candidato do PCdoB no primeiro turno, o PT maranhense se dividiu no segundo turno.

A banda mais ligada ao governo Flávio Dino (PCdoB) – que tem exigido fidelidade dos que estão em sua gestão – aderiu ao candidato Duarte Júnior (Republicanos); a banda mais independente optou por Eduardo Braide.

E parece estar fazendo a diferença em relação aos companheiros dinistas…

3

Braide e o respeito ao próximo que Duarte não mostrou

Candidato do Podemos decidiu suspender toda sua agenda de campanha após confirmação de CoVID-19 em sua vice, postura totalmente diferente da atribuída ao adversário, acusado de fazer campanha mesmo contaminado por coronavírus

 

Braide sempre fez campanha com máscara; e decidiu suspender a agenda aós confirmação de CoVID-19 em sua vice, Esmênia

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) tomou nesta terça-feira, 24, uma decisão que todos esperaram ter sido tomada pelo seu adversário, Duarte Júnior (Republicanos), no primeiro turno.

Ao saber que sua vice, Professora Esmênia Miranda, testou positivo para a CoVID-19, Braide decidiu também se submeter ao teste e suspender toda a sua agenda, até que o resultado seja divulgado.

Braide tomou a decisão em respeito ao povo de São Luís, que corria risco de contaminação com o andamento da campanha.

A postura de Braide é totalmente diferente da que Duarte Júnior é acusado de ter tomado no primeiro turno; o deputado republicano teria continuado a campanha mesmo depois de saber que estava com CoVId-19.

Duarte Júnior circulou sem máscara e, segundo o Lacen, já contaminado pela CoVID-19, ás vésperas do primeiro turno

Pelo menos esta é a informação do laboratório Central do governo do Estado (Lacen), que divulgou o exame de Duarte, negado por ele. (Saiba mais aqui e aqui)

A argumentação de Duarte o torna o único cidadão do mundo a ter testado positivo para CoVID-19 e estar totalmente curado apenas oito dias depois.

Ele alega ter pego a doença apenas no dia 11 de novembro; e já no dia 19 estava de volta às ruas.

De qualquer forma, a postura de Eduardo Braide e a de Duarte Júnior diante do próximo também deve ser levado em conta na hora do voto.

É simples assim…

1

Braide soma quase 100 mil votos com alianças no 2º turno…

Levando em consideração o número de votantes no primeiro turno e a pesquisa do Ibope divulgada na sexta-feira, 20, candidato do Podemos salta de 193.518 votos no primeiro turno para 287.656 votos, consolidando favoritismo

 

Alianças como a de Neto Evangelista somaram a Braide quase 100 mil votos, suficientes para manter a dianteira sobre Duarte Júnior

Líder absoluto no primeiro turno das eleições de São Luís, com 37,81% dos votos, o candidato do Podemos, Eduardo Braide, saltou quase 17 pontos percentuais no primeiro turno com as novas alianças no segundo turno.

Levando em consideração o total de eleitores votantes no primeiro turno (553.499), ele passaria de 193.578 votos no primeiro turno para 287.656 votos no segundo turno; são mais de 94 mil votos em uma semana.

Braide conseguiu apoios importantes, sobretudo de ex-candidatos a prefeito, como Neto Evangelista (DEM), que se engajou diretamente em sua campanha, e Dr. Yglésio (sem partido).

Neto alcançou sozinho 83.138 votos no primeiro turno, ficando na terceira posição;  Yglésio somou 9.816 votos.

Além da aliança com os candidatos a prefeito, Eduardo Braide ganhou apoio também de importantes vereadores, como o presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho (PDT), mais votado em São Luís, com 7.447 sufrágios.

Aplicando-se a mesma estimativa para Duarte Júnior, encontra-se o candidato do Republicanos com 245.246 votos no segundo turno, levando em conta os números do Ibope e o total de votantes no primeiro turno.

É um crescimento expressivo, mas insuficiente para superar o total de votos de Braide, que, por esta estimativa, venceria a eleição de domingo.

Importante, portanto, a política de alianças construída pelo candidato do Podemos no segundo turno de 2020

O que não havia ocorrido em 2016….

0

Wellington vai com Braide, PT vai com Braide… todos vão com Braide

Candidato do Podemos no segundo turno das eleições em São Luís ganha apoios em massa que podem se transformar em uma onda capaz de impor dura derrota ao grupo do governador Flávio Dino e seu candidato, Duarte Júnior

 

Wellington do Curso superou as divergências criadas no primeiro turno e declarou apoio a Eduardo Braide num movimento que pode virar onda

Ensaio

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) conseguiu um fato histórico no segundo turno das eleições em São Luís: ele reúne em torno de si apoio sem precedentes na política maranhense.

Candidato da oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB), Braide reúne apoios que vão de ex-sarneysistas à oposição de direita, passando por representantes da esquerda e até de membros do PCdoB.

A performance do candidato de oposição nunca foi vista na história maranhense, nem mesmo nos momentos mais críticos dos estertores do sarneysismo.

Quem acompanhou a vitória de Jackson Lago (PDT) sobre Roseana Sarney (MDB) em 2006 viu uma mobilização política que envolveu todos os setores da sociedade.

Mas nem naquele tempo, o adversário do sarneysimo conseguiu arrastar para si tantos representantes do sarneysismo, que se mantiveram ao lado da en~tão, tornando difícil a disputa em segundo turno.

Nesta disputa de São Luís, Braide parece angariar mais apoios á medida que o Pala´cio dos Leões falam contra ele, numa espécie de catarse coletiva contra as amarras governamentais, iniciada com o grito de independência do deputado Dr. Yglésio Moyses (sem partido).

Militância do PT anuncia ato público de apoio a Braide no comitê do Calhau, em mais um racha na base do governo Flávio Dino

O candidato do Podemos deve arrastar para seus eventos de campanha não apenas seus aliados de primeira hora, como PSDB, PSD, PSC e PMN, mas também ícones do sarneysismo, do bolsonarismo, do pedetismo, do lulismo e do próprio dinismo, incomodados com o rugido ameaçador do Palácio dos Leões.

É um fenômeno que marca as eleições de 2020 na capital maranhense.

E pode ter significativa influência nas eleições de 2022…

1

Braide foca em vereadores eleitos e não eleitos…

Candidato do Podemos, que venceu o primeiro turno em São Luís, vai buscar alianças com aqueles que buscam os votos na ponta, não apenas os que foram eleitos pelo seu partido, mas também de coligações adversárias

 

Braide com a base de vereadores eleita pela sua coligação; meta agora é conseguir novos puxadores de votos para o segundo turno

O deputado federal elegeu a maior bancada de vereadores no primeiro turno, o que lhe garante uma boa base para eventual gestão em São Luís.

Neste segundo turno, ele está priorizando alianças com os vereadores eleitos por outras legendas, mesmo aqueles que foram candidatos por partidos que lhe faziam oposição.

Desde a segunda-feira, 16, Braide tem conversado com vereadores eleitos pelo DEM, PSB, PDT; e também com os que não conseguiram se eleger, nestas legendas e em outras, como MDB, Solidariedade, PP, Cidadania…

São candidatos que obtiveram votação alta, embora não tenham conseguido vaga na Câmara.

É com este contingente que Braide quer ir ás ruas no segundo turno.

Para consolidar a vitória contra a máquina do governo Flávio Dino (PCdoB)…

0

Braide chega ao segundo turno de 2020 bem maior que em 2016…

Com 15 pontos percentuais à frente do candidato governista Duarte Júnior, deputado vê como trunfo a antipatia da base governista ao adversário e mostra maior poder de articulação de alianças que há quatro anos, solidificando seu projeto

 

Eduardo Braide está consolidado como opção de poder em São Luís; e bem mais forte que nas eleições de 2016

Um dos mantras que se ouvia no primeiro turno das eleições de São Luís dava conta de que, indo ao segundo turno, o líder Eduardo Braide (Podemos) perderia para qualquer um dos candidatos da base do governo Flávio Dino (PCdoB).

Essa premissa é absolutamente falsa, por que calçada em paradigmas criados nas eleições de 2016, quando a chegada ao segundo turno foi surpresa para o próprio Braide.

Quatro anos depois, Braide volta ao segundo turno em condições absolutamente diferentes das de 2016 – e bem mais favoráveis – para consolidar a vitória nas urnas.

Para começar, o candidato do Podemos chega à frente do adversário, ao contrário de 2016 – e com nada menos que 15 pontos percentuais de vantagem, o que é considerável em um pleito acirrado.

Além disso, bem mais maduro, o deputado tem consciência, hoje, de que precisa buscar alianças para se consolidar, ainda que não necessariamente negociando espaços na gestão.

E ele já está atuando para buscar lideranças mais independentes – como o senador Weverton Rocha (PDT), os candidatos Neto Evangelista (DEM), Dr. Yglésio (PROS), Sílvio Antonio (PRTB) e Bira do Pindaré (PSB) – deixando apenas os fantoches de Flávio Dino na seara de Duarte Júnior.

Outra vantagem de Braide sobre o adversário é a antipatia que a classe política detém de Duarte Júnior, assunto já abordado por mais de uma vez no blog Marco Aurélio D’Eça. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Não há nenhuma dúvida de que Eduardo Braide chega ao segundo turno de 2020 bem maior do que era no segundo turbo de 2016.

E isso é um grande passo para vencer a eleição…