0

Fufuca aposta na filiação de Bolsonaro no PP…

Presidente nacional do partido, em exercício, deputado federal maranhense diz que de zero a 10, as chances de o presidente disputar a reeleição pela legenda é de nove

 

O presidente Jair Bolsonaro, ainda sem partido está muito próximo de filiar-se ao Progressistas (PP).

A informação é do presidente nacional da sigla, o deputado federal maranhense André Fufuca.

A chance de o presidente da República entrar para a legenda estaria hoje em 9.

O deputado negou que lideranças do partido tenham oferecido a Bolsonaro, nessas negociações para possível filiação, uma fatia do fundo eleitoral de R$ 140 milhões, como informou José Casado.

“Bolsonaro nunca falou sobre fundo”, destacou.

Ponderamos com Fufuca que há muita gente no PP, sobretudo no Nordeste, que quer caminhar com Lula em 2022.

“Se Bolsonaro vir, o partido irá 100% com ele”, disse o deputado e presidente em exercício.

2

Carlos Brandão deve mesmo apoiar Eduardo Leite no PSDB

Tucano, vice-governador do Maranhão tende a seguir a orientação do mercado, que quer o governador do Rio grande do Sul como candidato a presidente, representando a terceira via contra Jair Bolsonaro e Lula

 

Eduardo Leite cumprimenta Carlos Brandão, em recente encontro dos dois tucanos no Rio Grande do Sul

Apesar dos acenos de setores do PT maranhense alinhados ao governo Flávio Dino (PSB), o vice-governador  do Maranhão, Carlos Brandão,  já assumiu compromisso com o seu partido, o PSDB, e com o mercado, na disputa presidencial de 2022.

Brandão deve apoiar o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite,  na tentativa de construir uma terceira via na disputa presidencial contra Lula (PT) e Jair Bolsonaro (sem partido).

Em setembro, o vice-governador maranhense esteve com Leite, e acenou com a possibilidade de apoiá-lo nas prévias do PSDB contra o governador de São Paulo, João Dória Júnior.

Eduardo Leite é a opção do mercado para as eleições presidenciais.

A elite econômica brasileira busca uma alternativa ao ex-presidente Lula e ao atual presidente Jair Bolsonaro, que polarizam a disputa presidencial.

O nome de Eduardo Leite é considerado leve por que, além de ter uma gestão aprovada, do ponto de vista do desenvolvimento, acena também para movimentos sociais, com o LGBTQIA+, assim como mostrou o blog Marco Aurélio D’Eça no post “Sistema encontra em Eduardo Leite a terceira via de 2022…”.

Caso o governador gaúcho vingue como opção do PSDB, o vice-governador do Maranhão assegura um palanque competitivo, fugindo da polarização Lula X Bolsonaro.

Gostem ou não os petistas maranhenses…

2

Flávio Dino fracassa na principal promessa do seu governo

Aumento da miséria no Maranhão e a soma de aumentos sucessivos de impostos ao longo dos quase oito anos de mandato do governador foram o principal ponto negativo da era dinista no estado

 

Flávio Dino em 2015, acenando para o povo no Palácio dos Leões: fracasso da promessa de tirar cidades maranhenses do rol da miséria

Análise de conjuntura

1º de janeiro de 2015. Ao tomar posse para seu primeiro mandato como governador, o então comunista Flávio Dino firmou compromisso de acabar com a pobreza no Maranhão.

– Nenhuma das cidades maranhenses estará no rol das 100 piores do Brasil – declarou Dino, em tom profético, projetando sua perspectiva para dali a quatro anos. (Relembre aqui)

27 de dezembro de 2018. já reeleito com a força dos mesmos “Leões” que ele prometeu não mais rugir para o povo, Dino teve que enfrentar a dura realidade, revelada pelo blog Marco Aurélio D’Eça no post “Flávio Dino conclui mandato com mais da metade dos maranhenses na pobreza absoluta…”. 

3 de outubro de 2021. Oito anos após ter sido eleito pela primeira vez, o governador, agora no PSB, enfrenta a dura realidade revelada pelo IBGE, segundo o qual a miséria aumentou no Maranhão durante o seu governo. (Saiba mais aqui)

Flávio Dino está a seis meses de deixar o mandato de governador.

E enfrenta, além da pobreza extrema que ele prometeu acabar no Maranhão, outro ponto negativo do seu governo: o aumento sistemático de impostos.

Talvez por isso, ele chegue ao final do mandato com a candidatura de senador ameaçada pelos números das pesquisas, segundo revelou o Instituto Escutec.

E terá, portanto, que explicar  aos maranhenses por que não conseguiu cumprir o que prometeu em 2014…

6

Para Lula, apoio a Weverton é o caminho natural do PT no Maranhão

Embora lideranças estaduais ainda defendam outros caminhos – como candidatura própria e até aliança com o PSDB – ex-presidente quer o seu partido unificado no palanque do antigo aliado

 

Weverton teve nova reunião com Lula, em Brasília, e praticamente fechou apoio do PT no Maranhão

O encontro do ex-presidente Lula (PT) com o senador Weverton Rocha (PDT), nesta terça-feira, 5, em Brasília, foi um definitivo encaminhamento ao PT maranhense para as eleições de 2022.

Lula está disposto a subir no palanque de Weverton mesmo se o PDT mantiver a candidatura do ex-ministro Ciro Gomes; e Weverton já recebeu o aval do PDT para apoiará também o petista. 

Esta indicação de Lula ao PT maranhense vem sendo dada desde maio, quando o ex-presidente recebeu o senador em um jantar na capital federal, organizado pela bancada petista no Congresso.

Em agosto, o petista esteve no Maranhão, quando declarou que o pedetista “sempre esteve conosco”, referindo aos apoios recebidos do senador ao longo de sua história política. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

No Maranhão, o PT se divide entre os que pregam candidatura própria, os que já estão no palanque de Weverton e os que defendem aliança com o vice-governador  Carlos Brandão (PSDB).

O novo encontro de Lula e Weverton, no entanto, deve unificar definitivamente o projeto petista no estado, com a possibilidade, inclusive, de indicar o vice do senador.

Mas esta é uma outra história…

3

Maranhão também está na agenda de Lula em Brasília…

Ex-presidente está na capital federal desde domingo para uma série de encontros políticos com vistas às eleições de 2022; ele pretende definir ainda em 2021 a formação dos palanques do PT nos estados

 

Com conversas em Brasília, Lula pretende definir logo o seu palanque no Maranhão para as eleições de 2022

Em Brasília desde o domingo, 3, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem se reunido com políticos de diversas correntes, para iniciar a montagem dos palanques para as eleições de 2022.

O Maranhão também está no radar do petista.

Lula quer formar uma ampla aliança de centro-esquerda no Maranhão; para isso vai conversar com as lideranças políticas do estado.

É a primeira rodada de conversas do ex-presidente após visita aso estados do Nordeste, em que iniciou as discussões para as eleições.

A partir destas conversas, ele definirá quem serão os seus aliados entre os candidatos a governador.

0

“Estamos apenas começando”, diz Edilázio, sobre Edivaldo Júnior…

Presidente estadual do PSD avaliou o desempenho do ex-prefeito de São luís na pesquisa Escutec/O EstadoMaranhão e, usando referências bíblicas, afirmou: “o Davi vai vencer os Golias novamente”

 

Edilázio e Edivaldo estiveram na região tocantina no dia em que a pesquisa Escutec apontou o ex-prefeito em segundo lugar nos principais cenários da disputa pelo governo

O presidente estadual do PSD no Maranhão, deputado federal Edilázio Júnior, avaliou o desempenho do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PSD), na pesquisa Escutec/O Estado divulgada no último fim de semana.

Em dos principais cenários apresentados pelo instituto, Edivaldo apareceu na segunda colocação e intenções de votos.

Para Edilázio, o resultado da pesquisa foi positivo e mostra potencial de crescimento do pré-candidato ao Governo do Estado.

“Em um provável cenário sem a ex-governadora Roseana Sarney, o nosso pré-candidato ao Governo, Edivaldo Holanda, aparece em segundo lugar na última pesquisa realizada pelo instituto Escutec, um dos que mais cresceram nesses últimos meses. Quero agradecer à população da região tocantina que nos recebeu na última semana para ouvir nossas propostas por um Maranhão melhor, sem grandes palanques, conversando olho no olho”, disse.

E completou: “Estamos apenas começando, e com Deus no comando, não temos nada a temer. O Davi vai vencer o Golias novamente”, finalizou.

0

Dino perde 6 pontos para o Senado; Weverton cresce 6 para o governo

Curiosamente, a pesquisa Escutec/O Estado registrou oscilação – negativa para um e positiva para outro – nos índices de preferência eleitoral do governador e do senador ao longo de 2021

 

Caberá a Flávio Dino dizer se prefere carregar nas costas a candidatura de Carlos Brandão ou garantir capilaridade à sua candidatura de senador no palanque de Weverton Rocha

Analise de conjuntura

A pesquisa Escutec divulgada neste sábado, 2, pelo jornal O EstadoMaranhão, registrou um curioso dado envolvendo o governador Flávio Dino (PSB) e o senador Weverton Rocha (PDT).

Enquanto o governador perdeu vertiginosos seis pontos percentuais entre as pesquisas de março e de setembro, o senador foi o que mais cresceu, ganhando, no mesmo período, os mesmos seis pontos perdidos por Dino.

A leitura precisa dos números leva a um entendimento óbvio: Weverton tem hoje maior penetração popular que o governador, passados sete anos da era Dino no estado.

Em outras palavras, Flávio Dino vai precisar da força político-eleitoral de Weverton para consolidar-se como candidato a senador.

A situação do governador para o senado é  considerada arriscada, como mostrou o blog Marco Aurélio D’Eça no post “Flávio Dino já experimenta riscos para o Senado…”

E o risco torna-se ainda maior porque o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – que muitos tentam forçar como escolhido do governador, de qualquer jeito – patina nas pesquisas e não consegue estabilizar-se nos dois dígitos.

A solução, também óbvia, é o governador ter um candidato de peso para impulsionar sua candidatura ao Senado, e não o contrário.

Flávio Dino voltou a afirmar, ontem, que escolherá seu candidato em novembro, com base nos critérios da carta-compromisso de julho.

Até lá, Weverton Rocha segue consolidado como o principal nome da base do governo na disputa de 2022.

A escolha é de Flávio Dino…

0

Jefferson Portela e Coronel Célio Roberto farão dobradinha da Segurança em 2022

Secretário de Segurança e comandante do Corpo de Bombeiros vão disputar vagas na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa, respectivamente, como as principais opções do setor no estado

 

Jefferson Portela e Célio Roberto estão sempre juntos em ações de segurança no Maranhão; e vão juntos para o desafio eleitoral de 2022

O setor de Segurança Pública do Maranhão deve ganhar, em 2022, representantes de peso na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa.

O secretário de Segurança Pública Jefferson Portela é candidato a deputado federal.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Célio Roberto Araújo, disputa vaga na Assembleia Legislativa.

Os dois têm participado juntos de reuniões e ações em vários municípios; e devem forma dobradinha na campanha em várias regiões.

Portela é hoje um dos principais nomes do PDT para a disputa federal, com apoio declarado do senador Weverton Rocha (PDT), candidato a governador.

Célio Roberto ainda não se definiu partidariamente, embora tenha articulado fortemente no PTC, que tem o ex-deputado Júnior Verde como presidente.

Amigos e homens de confiança do governador  Flávio Dino (PSDB) – tanto que estão há sete anos nos postos que ocupam desde o início o do governo – vão representar o setor de Segurança nas eleições.

E têm fortes chances de vencer a disputa…

1

Flávio Dino já experimenta riscos para o Senado, mostra Escutec…

Indefinição quanto ao seu candidato ao governo, dificuldade de unificar sua base de apoio e problemas graves em sua gestão – como o “Mais Impostos”, o aumento da miséria e a falência da Caema – acendem luz amarela na campanha do governador, que pode ter dificuldade contra outros candidatos

 

Roberto Rocha e Flávio Dino somam quase os mesmos índices na disputa pelo Senado; governador corre riscos na corrida pela vaga

Mesmo disputando praticamente sozinho a vaga de senador nas eleições de 2022 – e mesmo após oito anos de mandato de governador, o socialista Flávio Dino enfrenta momento delicado em sua pré-campanha.

Os números da pesquisa  Escutec divulgados neste sábado, 2, pelo jornal O EstadoMaranhão mostram que a situação do governador não é das melhores e pode ser claramente ameaçada por outro candidato que consiga uma chapa de peso.

De acordo com a Escutec, Dino tem apenas 44% das intenções de votos em um cenário em que aparecem apenas ele, o senador  Roberto Rocha (23%), e o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (7%).

Neste cenário, os indecisos e os que não votam em nenhum destes somam 26%, suficientes para agregar a outros adversários e dificultar ainda mais a vida do socialista.

Essa possibilidade se confirma com o cenário sem Flávio Dino; neste caso, Roberto Rocha vai a 42%, praticamente o mesmo percentual de governador, seguido por Josimar, com 11%, e pelo presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto, com 9%.

Faltando seis meses para deixar o cargo, governador não consegue deslanchar como principal opção para senador nas eleições de 2022

Faltando seis meses para deixar o posto, Flávio Dino enfrenta o pior momento do seu mandato, com fracassos retubantes na gestão – a exemplo do aumento da miséria no Maranhão – e problemas estruturais graves, como o aumento de impostos e a falência da Caema.

Somados aos erros políticos estratégicos, a incapacidade de unificar sua base e a insistência em debates nacionais, seus índices para senador correm riscos de minguar.

E é preciso acrescentar que outros nomes ainda nem foram pesquisados nesta disputa, como o a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e o do presidente da Famem, Erlânio Xavier (PDT).

Mais estas são outas histórias…

3

Edivaldo Júnior é o nome para enfrentamento da base de Flávio Dino

Embora ainda ligado ao Palácio dos Leões, ex-prefeito de São Luís surge na pesquisa Escutec/O Estado como a principal opção na disputa contra os candidatos da base do governador socialista

 

Edivaldo está em plena pré-campanha na região tocantina, dado ainda não medido pela pesquisa Escutec

A ex-governadora Roseana  Sarney (MDB) lidera todos os cenários em que aparece na pesquisa Escutec sobre as eleições maranhenses de 2022.

Mas ela dá cada vez mais sinais de que não concorrerá ao governo.

Diante disto, e analisando os números do Instituto Escutec divulgados neste sábado, 2, pelo jornal O EstadoMaranhão, o nome que salta como opção de enfrentamento da base do governador  Flávio Dino (PSB) é o do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD).

Tanto nos cenários com Roseana quanto nos cenários sem a ex-governadora, Edivaldo aparece sempre com dois dígitos.

No cenário mais provável de 2022, em que o senador Weverton Rocha (PDT) lidera, com 24% das intenções de votos, Edivaldo aparece com 17%, sete pontos a menos que o senador, o que pode cair para até três pontos, levando em conta a margem de erro.

Dois fatores contribuem para estabelecer Edivaldo como o principal nome fora da base de Flávio Dino:

1 – Ele é pouco conhecido fora da Região Metropolitana de São Luís, o que abre espaços para crescimento nas outras regiões do estado;

2 – Só agora ele começou a se apresentar como candidato no interior, fato ainda não medido pela Escutec, o que deve ocorrer só na pesquisa de dezembro.

O ex-prefeito de São Luís tem potencial para chegar ao segundo turno contra um dos candidatos de Flávio Dino – mesmo mantendo a relação de proximidade com o governador.

E se agregar outros nomes em seu apoio – como o de Roseana e o do senador Roberto Rocha (sem partido) – tem amplas chances de vencer a eleição de 2022.

O caminho está aberto para isso…