1

“Processo de escolha do candidato começa agora”, diz Flávio Dino ao convidar partidos…

Em reunião com os presidentes das 17 legendas que compõem sua base, governador vai apresentar os critérios de escolha do seu sucessor, levando em conta as regras que foram estabelecidas em 2012, 2014, 2016 e 2018 – quando o grupo venceu as eleiçoes – e ignoradas na derrota de 2020

 

Dirigentes de aprtidos e pré-candiatos irão discutir com Flávio Dino as regras para esoclha do candiato da base à sucessão de 2022

O governador Flávio Dino (PSB) vai inciar oficialmente nesta segunda-feira, 5, em reunião com os presidentes de partidos e pré-candidatos a governador, o processo de escolha daquele que ganhará o papel de sucessor em sua base.

O nome escolhido deve ser apresentado entre outubro e novembro, exatamente um ano antes do pleito e com as regras eleitorais já definidas no Congresso Nacional.

Na conversa com os dirigentes partidários, Dino repetirá o que tratou na reunião de sábado, com os pré-candidatos Carlos Brandão (PSDB) e Weverton Rocha (PDT): as regras para escolha serão as mesmas usadas em 2012, 2014, 2016 e 2018, quando o grupo teve importantes vitórias em São Luís e no estado.

O governador reconhece, inclusive, que a derrota em São Luís em 2020 se deu exatamente pelo descumprimentos das regras vitoriosas.

É exatamente para reafirmar essas regras que o governador começará a conversar com os 17 partidos da base.

A reunião está marcada para as 17 horas, no Palácio dos Leões…

3

Flávio Dino vai reunir partidos, mas sem perspectiva de decisão

Após mais um encontro com o vice-governador Carlos Brandão e com o senador Weverton Rocha – em que nada foi decidido – governador quer ouvir agora os dirigentes partidários

 

Governador entre Weverton e Brandão, após almoço de sábado; nenhuma decisão e campanha seguindo em frente

O governador Flávio Dino (PSB) tem encontro marcado para esta segunda-feira, 5, com os presidentes dos 17 partidos que compõem a sua base de apoio.

Vai falar sobre as eleições de 2022, mas sem nenhuma perspectiva de decisão sobre candidaturas.

A reunião – adiada duas vezes, em maio e  em junho – visa buscar a unidade da base para um candidato único ao governo, mas o próprio Flávio Dino não consegue mais impor um nome sem gerar arestas.

No sábado, Flávio Dino almoçou com os dois principais candidatos da base: o senador  Weverton Rocha (PDT), que lidera as pesquisas entre os aliados, e o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), cujos aliados dizem ser o preferido do governador.

Nenhuma decisão foi tomada durante o almoço de sábado; tanto Weverton quanto Brandão saíram do almoço direto para compromissos de pré-campanha no interior.

Com a base praticamente já toda posicionada em relação a um ou outro candidato, Flávio Dino vai ficando sem poder de articulação, uma vez que precisa, ele próprio, dos trunfos que têm Weverton e Brandão.

O senador lidera uma forte corrente partidária, que já tem sete partidos e pode chegar a 10 até as convenções; o vice-governador, por sua vez, vai assumir o mandato em abril de 2022, controlando a máquina que Dino precisará.

Diante dessas situações, o governador apenas ouvirá os dirigentes partidários, entre eles os próprios Brandão e Weverton, que comandam seus partidos no estado.

De uma forma ou de outra, reunião servirá para que se tenha ideia de quem é quem na base governista…

4

Edivaldo Jr. entre os líderes nos cenários espontâneos de 2022

Levando em conta que Flávio Dino e Roseana Sarney não serão candidatos, o ex-prefeito de São Luís é o mais lembrado pelo eleitor nos cenários em que não são apresentados nomes de candidatos; e chega com o cacife da forte votação na região metropolitana

 

Edivaldo é o mais lembrado espontaneamente pelo eleitor, só superado por Roseana e Flávio Dino, que não serão candidatos

Três nomes são os mais lembrados pelo eleitor quando a pesquisa Escutec/O Estado pede para que digam, espontaneamente, em quem votariam para governador, caso a eleição fosse agora.

Neste cenário, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) tem 11% de intenção de votos; o governador Flávio Dino (PSB) é citado por 6%

Edivaldo é lembrado por 5% dos eleitores.

Flávio Dino, como já se sabe, não poderá mais ser candidato a governador; Roseana provavelmente concorrerá a uma vaga na Câmara Federal.

Isso torna Edivaldo Júnior líder espontâneo na cabeça do eleitor maranhense.

Grande São Luís

Ao lado da ex-primeira-dama Camila Braga – outro nome de peso em 2022 – Edivaldo recebe carinho do eleitor, sobretudo na Grande São Luís

É na região da região metropolitana de São Luís que o ex-prefeito da capital maranhense cria as condições para aparecer sempre em condição de empate técnico com o senador Weverton Rocha (PDT), seja na briga pelo primeiro ou pelo segundo lugar.

Na Grande São Luís, Edivaldo soma 34% das intenções de votos, apenas três pontos percentuais atrás de Roseana Sarney.

Com este cabedal de votos, o prefeito entra na disputa pelo Governo do Estado como garantia de um segundo turno em que – dependendo da conjuntura – tem presença garantida.

É, portanto, um nome a ser observado com mais atenção a partir de agora…

1

Pesquisa expõe a difícil equação de Flávio Dino com Carlos Brandão

Favorito em todos os cenários para o Senado, governador não consegue impor o nome do seu vice sem rachar a base, sobretudo com outros dois aliados em posições bem melhores; e corre o risco de ver outras opções de chapa contra seu próprio projeto em 2022

 

Flávio Dino quer Brandão, mas não consegue impor seu nome sem rachar a própria base, que tem preferência por Weverton Rocha

Dez entre 10 analistas políticos maranhenses afirmam que o governador Flávio Dino (PSB) prefere ter o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) como candidato de sua base às eleições de 2022.

E o motivo é óbvio: Brandão assumirá o governo e Dino, já sem mandato, precisará da estrutura comandada pelo tucano para consolidar-se como favorito ao Senado.

O problema é que Brandão não consegue se viabilizar como opção, apesar de todos os esforços de Dino, por que, na base, têm também candidatos muito melhor posicionados: Weverton Rocha (PDT), que lidera as pesquisas, e Edivaldo Júnior (sem partido), segundo colocado.

E as mais novas pesquisas Exata e Escutec expuseram ainda mais essa fragilidade do projeto de Flávio Dino.

Como o governador irá convencer Weverton e Edivaldo a não entrar na disputa?

Como vice, Brandão tem pouca margem de manobra para garantir apoios de partidos e depende exclusivamente da imposição de força de Flávio Dino.

Quando assumir o governo, o vice terá pouco tempo de margem para usar, ele próprio, a força do governo para atrair aliados.

E tanto os movimentos de Flávio Dino quanto os do próprio Brandão podem gerar rachas perigosos em uma eleição que parece fugir ao controle do governador.

Exatamente como ocorreu em 2020…

2

Weverton e Edivaldo são os principais atores das sucessão de Flávio Dino

Com a ex-governadora Roseana Sarney fora do páreo da disputa – já que não pretende concorrer ao governo – senador e ex-prefeito somam quase a metade dos votos para governador em 2022

 

Edivaldo e Weverton dividem a maior parte dos votos para governador do Maranhão, chegando a quatro vezes o total de votos de Carlos Brandão

A consolidação do senador Weverton Rocha (PDT) e do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (sem partido) é a principal informação da pesquisa Escutec divulgada neste sábado pelo jornal O EstadoMaranhão.

Os dois abraçam, juntos, quase a metade dos votos do eleitorado maranhense.

Weverton só aparece em segundo lugar em cenários que incluem a governadora Roseana Sarney (MDB); como ela não será candidata, seus votos são diluídos nos demais cenários, mantendo Weverton à frente, com 22% das intenções de voto.

Também aparece bem o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (sem partido), que chega a 18%.

Juntos, Weverton Rocha e Edivaldo Júnior somam nada menos que 40% das intenções de votos, quase a metade das manifestações do eleitor; e quase quatro vezes mais do que o vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

Para se ter ideia da força de Weverton e de Edivaldo, os dois levam juntos mais da metade dos 25% de intenções de votos manifestadas em Roseana Sarney quando ela não aparece no cenário.

Weverton sobe de 14% para 22%; Edivaldo vai de 12% para 18%.

Tanto Weverton quanto Edivaldo estão, portanto, consolidados como opção do eleitor para 2022, separados ou mesmo juntos.

Mas esta é uma outra história…

0

Pesquisas devem agitar fim de semana pré-eleitoral no Maranhão

Instituto Exata divulga seu levantamento nesta sexta-feira, 2, no programa  Ponto & Vírgula; já a Escutec tem pesquisa agendada para publicação no jornal O EstadoMaranhão, do grupo Mirante

 

Pesquisas analisarão o cenário com todos os candidatos já apresentados à disputa de 2022

Faltando 1 ano e três meses para as eleições, pelo menos duas pesquisas devem agitar o cenário eleitoral do Maranhão neste fim de semana.

O levantamento do Instituto Exata está programado para ser divulgado nesta sexta-feria, 2, no programa Ponto & Vírgula, da rádio 92,3 FM.

Neste sábado, 3, será a vez da pesquisa  Escutec, que tem programação para ser divulgada no jornal O EstadoMaranhão, do grupo Mirante.

O cenário eleitoral deve se manter estável, mesmo com a forte movimentação de alguns dos principais candidatos justo na semana que as pesquisas estavam nas ruas – como as entrevistas do vice-governador Carlos Brandão e do prefeito Lahésio Bonfim à TV Mirante e a convenção que levou Roseana Sarney ao comando do MDB.

Com base nos últimos cenários divulgados pelos dois institutos, ainda em março, a corrida eleitoral no maranhão é liderada por Roseana Sarney nos cenários em que ela aparece.

Quando a ex-governadora sai de cena, a liderança é assumida pelo senador Weverton Rocha (PDT) mais bem-posicionado aliado do governador  Flávio Dino (PSB).

Mas as expectativas se voltam para o ex-prefeito Edivaldo Júnior, que está prestes a anunciar seu novo ninho partidário, provavelmente o PSD.

É aguardar e conferir…

0

“Grande arrancada que começa agora”, diz Roseana em posse no MDB

Sem explicar exatamente o significado da frase, dita só no final do seu discurso, ex-governadora assume comando do partido sem deixar claro como se posicionará em 2022

 

Roseana em discurso no MDB: projeto de fortalecimento da legenda, sem menções às eleições de 2022

A ex-governadora Roseana Sarney tomou posse nesta sexta-feira, 2, da presidência do MDB maranhense, em convenção estadual realizada na sede do partido.

Transmitida pelas redes sociais do partido e das suas principais lideranças, a pose reuniu toda a cúpula emedebista, mas não deixou clara a posição do partido nas eleições de 2022.

Só ao fim do discurso – em que falou de suas metas como comandante da legenda – Roseana usou uma frase mais de efeito, mesmo sem explicar claramente o que isso significa.

– Uma grande arrancada que começa agora – afirmou, após citar uma série de medidas e ações que pretende implementar como presidente do MDB.

O deputado federal Hildo Rocha declarou que o MDB é independente, “tanto no maranhão quanto em Brasília”, embora, aqui, o partido se alinhe informalmente ao governo Flávio Dino (PSB) e, lá, tanto Rocha quanto João Marcelo Souza sigam na base de apoio do presidente Jair Bolsonaro.

Mantido vice-presidente da legenda – e mais ativo militante emedebista no Maranhão – o deputado estadual Roberto Costa voltou a dizer que o partido irá conversar com todas as correntes, sem veto.

– Não vamos olhar no retrovisor. É olhar para as pessoas que precisam de ajuda e melhorar o nosso estado – afirmou Costa, no mais contundente discurso político da convenção.

Em meio ao evento, durante entrevista à TV Mirante, Roseana foi perguntada sobre candidatura ao governo.

Respondeu que isso será decidido “de forma democrática dentro do MDB”.

13

Enfraquecido, Bolsonaro vira ótimo negócio para o centrão…

Enredado nas teias da corrupção, sem partido, com gestão incompetente, sem apoio político e alvo de centenas de pedidos de impeachment, presidente fica cada vez mais nas mãos do conglomerado partidário que controla a Câmara dos Deputados como uma banca de compra e venda

 

Bolsonaro e os filhos às voltas com o centrão; controle de R$ 73 bilhões e muita, mas muita corrupção

Ensaio

Em processo de derretimento, o presidente Jair Bolsonaro virou uma espécie de banca de negócios prósperos para o centrão, conglomerado partidário e ideológico que reúne aquilo que se acostumou chamar de “o pior que a Câmara pode produzir”.

Está nas mãos do centrão – de onde brotou o atual presidente da Câmara, Arthur Lira (PP) – o avanço das centenas de processos de impeachment contra Bolsonaro.

Quanto mais fraco Bolsonaro fica, mas negócios surgem para os membros do baixo clero do Congresso, interessados em verbas, verbas e mais verbas.

Para se ter ideia do tamanho do butim, são R$ 73 bilhões em orçamento e 200 mil cargos á disposição deste conglomerado de deputados de todos os estados.

O próprio Bolsonaro saiu do centrão, onde vivia obscuro, praticando pequenos golpes contra o próprio gabinete e esqueminhas que rendiam alguns milhares.

Despreparado, incompetente, mercurial e agora envolto em denúncias de corrupção pra valer – aquelas que movimentam milhões e até bilhões – o presidente se vê nas mãos dos seus ex-parceiros de Câmara.

E vai sangrar muito até as eleições de 2022, na qual, esvaziado, já corre o risco se sequer figurar entre os principais candidatos.

A menos que a banda mais séria da Câmara consiga amenizar sua sangria, votando o impeachment.

De uma forma ou de outra, Bolsonaro já é apenas um arremedo de presidente.

Um espectro que caminha para a escuridão…

1

“No mesmo time e do mesmo lado”, diz Camarão, sobre Weverton…

Secretário de Educação do governo Flávio Dino – também cotado como opção para o governo – exaltou o trabalho do senador em live no município de Igarapé Grande, comandando por Erlânio Xavier

 

Camarão e Erlânio participaram de evento em Igarapé Grande, em que Weverton foi destacado

O secretário de Estado de Educação, Felipe Camarão (PT) destacou nesta quinta-feria, 1º, em, live ao lado do presidente da Famem e prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier (PDT), o trabalho do senador  Weverton Rocha (PDT) pelo município.

Ao destacar obras do governo na cidade, o secretário fez questão de exaltar a figura de Weverton, ressaltando aos presentes que ambos fazem parte do mesmo time político.

– Quero reconhecer a liderança do senador Weverton, também um grande parceiro do município. Estamos no mesmo time, do mesmo lado, lutando pelo Maranhão – disse Camarão.

Também participou da live o governador Flávio Dino, em transmissão direta São Luís/Igarapé Grande.

O discurso de Camarão destacando as ações de Weverton no município

Recém-filiado ao PT, Felipe Camarão é cotado para disputar uma vaga na Câmara Federal; ele também aparece como opção de Flávio Dino para o governo. 

O PT deve homologar semana que vem a sua ficha de filiação, mesmo período em que as lideranças petistas devem participar de agenda no maranhão ao lado de Flávio Dino e Weverton.

Mas esta é uma outra história…

Com informações do Blog de Clodoaldo Corrêa

1

Roseana vai assumir comando do MDB nesta sexta

O deputado Roberto Costa anunciou, na sessão desta quarta-feira (30), que o MDB realizará convenção partidária na próxima sexta-feira (2), na qual a ex-governadora Roseana Sarney assumirá a presidência da agremiação no Maranhão.

“Entrará, no comando do partido, a nossa ex-governadora, ex-senadora, ex-deputada federal e uma das maiores lideranças que o Maranhão já teve”, destacou o deputado.

Costa lembrou o período em que o ex-senador João Alberto comandou o MDB no Estado, reconhecendo que, durante esse período, o partido fortaleceu sua base e ganhou destaque. “Nosso grande líder, João Alberto, continuará tendo voz ativa e será o nosso presidente de honra”, ressaltou.

Segundo o parlamentar, Roseana assumirá com a missão, também, de articular o projeto da legenda para 2022, fortalecendo a chapa proporcional para deputado estadual e elegendo uma grande bancada para deputado federal, capitaneada por ela, como candidata a deputada federal.

“Vivemos um momento de união entre as lideranças, como o deputado João Marcelo, o deputado Hildo Rocha, o ex-senador Edson Lobão Filho (que também comporá a Executiva do partido) e nomes que vêm da nova geração partidária, a exemplo do presidente nacional da Juventude do MDB, Dr. Assis Filho, ex-secretário nacional de Juventude”, salientou.

Novo momento

O deputado frisou que as alianças a serem discutidas precisarão ser feitas de forma muito clara e transparente.

“Nós pensaremos o Maranhão pós-pandemia e em um projeto de reconstrução da economia do nosso estado. Essa deve ser a grande preocupação da classe política. Que possamos restabelecer a igualdade, a volta do emprego para o trabalhador e que o Maranhão volte a viver dentro de sua normalidade. O MDB terá um papel decisivo nesse sentido”, frisou.

Roberto Costa concluiu afirmando que assumirá o cargo de vice-presidente da agremiação e que as decisões todas serão tomadas de forma consensual, ouvindo as lideranças do partido, os deputados federais, os deputados estaduais, os prefeitos, ex-prefeitos e vereadores.