5

História vai confirmando o golpe no Brasil…

Três fatos recentes mostram como o Brasil mergulhou numa ânsia punitivista, a partir de 2013, com o objetivo de afastar o PT da disputa de poder e criou um monstro social chamado Lava Jato, que agora começa a ser revisto pelos próprios protagonistas

A CORTE SUPREMA BRASILEIRA TEM A OBRIGAÇÃO DE CORRIGIR O GOLPE E LIBERTAR LULA, como uma espécie de pedido de desculpas ao povo brasileiro

Editorial

Na semana passada, a segunda turma do Supremo Tribunal Federal mandou às favas uma tentativa de denúncia do Ministério Público Federal contra o conselheiro do TCU Aroldo Cedraz.

Os ministros não viram evidências de prova de corrupção contra ele.

Nesta segunda-feira, 16, o juiz federal da Lava Jato em São Paulo, Ali Mazloum rejeitou outra denúncia do Ministério Público, desta vez contra o ex-presidente Lula e seu irmão, Frei Chico.

O magistrado não viu nenhuma evidência dos supostos favorecimentos apontados pelos procuradores.

Na mesma segunda-feira, 16, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, o ex-presidente Michel Temer (MDB) admitiu, pela primeira vez – embora negando participação direta – que a cassação da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) foi mesmo um golpe de estado. (Leia aqui)

É a história corrigindo a história.

O blog Marco Aurélio D’Eça – assim como alguns dos principais jornalistas do país, de esquerda ou de direita – sempre classificou como golpe a criminalização do PT, a deposição de Dilma e a prisão de Lula, como se pode constatar nos posts abaixo:

A mãe de todos os golpes…

As três fases do golpe no Brasil…

A construção de um golpe de estado…

Golpe contra Lula caminha para o Supremo…

 

O delírio coletivo que tomou conta do Brasil com as estripulias do ex-juiz Sérgio Moro e dos procuradores da Lava jato sob o comando do milionário Deltan Dallagnol levou o país ao retrocesso institucional chamado Jair Bolsonaro (PSL).

Felizmente, garantido o distanciamento temporal dos fatos, protagonistas, envolvidos e autores de algumas das tramas mais sórdidas da política recente começam, eles próprios, a fazer sua mea culpa.

A confissão de culpa de Michel Temer é apenas uma constatação já evidenciada pelos fatos.

As decisões do STF e do juiz da Lava Jato em São Paulo, por outro lado, começam a clarear a Justiça Brasileira, que vinha turva desde 2013.

Falta agora a corretiva, obrigatória, necessária e inevitável liberdade de Lula.

Para que se possa esquecer mais este período negro da história brasileira…

0

Blog revela que WTorre foi enganada na aquisição de área no Cajueiro…

Em duas matérias com documentação, Filipe Mota mostra que a área de onde foram expulsas várias famílias pelo governo Flávio Dino fora adquirida em uma espécie de pirâmide financeira

 

MORADOR ACOMPANHA, DESOLADO, A DESTRUIÇÃO DE SUA CASA POR TRATORES escoltados pela Polícia Militar, mesmo sem ordem de desapropriação

O blog do Filipe Mota revelou nesta sexta-feira, 16, com exclusividade, que a empresa WTorre, responsável pela construção do Porto São Luís, na área do Cajueiro, pode ter sido enganada por uma corretora de nome BC3 HUB.

De acordo com Mota, que publicou os documentos, a BC3 “teria se passado como proprietária da área com uma documentação comprovando um ato jurídico de aquisição do imóvel, por meio de títulos de cessão de direitos hereditários (Certidão de Cadeia Sucessória)”.

CERTIDÃO DE CADEIA SUCESSÓRIA “ADQUIRIDA” PELA BC3 HUB; escândalo pode envolver agentes públicos do governo e do Judiciário

Em outra reportagem, o blog revela que a gleba já havia sido assentada, ainda no segundo mandato da governadora Roseana Sarney (MDB), em 2001. E que a Certidão de Cadeia Sucessória não permite a venda da área. (Leia os posts de Filipe Mota aqui e aqui)

O blog Marco Aurélio D’Eça teve acesso a outros documentos, que apontam o desespero da WTorre em regularizar as terras – e o envolvimento de agentes públicos dos poderes Executivo e Judiciário.

Mas esta é uma outra história…

11

A história fala; a ditadura se cala…

Imagem de menina cruzando os braços durante cumprimento do presidente Jair Bolsonaro – que viralizou na internet – reproduz com precisão outro fato histórico, ocorrido no regime militar

 

A MENINA YASMIN E SUAS COLEGUINHAS EM IMAGEM ICÔNICA, que entrará para a história; relembranças do golpe de 64

Viralizou na internet a imagem da menina identificada por Yasmim, que se recusou – acompanhada de outras coleguinhas – a cumprimentar o presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante evento de páscoa.

Os alunos de uma escola do Distrito Federal foram levados ao Palácio do Planalto, na quarta-feira, 17, para cerimônia em comemoração à Pascoa.

Bolsonaro cumprimento os alunos, mas a menina Yasmim cruzou o braços. uma outra menina, fez sinal de dedo pra baixo, que significa desaprovação.

As fotos e o vídeo ganharam as redes sociais, blogs, sites e portais de internet, viralizando diante da reação da garota.

A HISTÓRICA IMAGEM DE FIGUEIREDO REJEITADO POR UMA MENINA DE 4 ANOS; a história repetida como tragédia

O episódio faz lembrar um outro envolvendo um presidente militar.

Em 1979, a menina Raquel Menezes, de apenas 4 anos, recusou-se a cumprimentar o então presidente João Batista Figueiredo, o último dos generais que governaram o Brasil após o golpe de 1964.

A imagem de Raquel Coelho é considerada histórica.

E agora terá a companhia da imagem de Yasmin…

0

Justiça manda soltar três presos do caso dos contrabandistas…

Luiz Régis Bomfim Filho, juiz federal substituto, determinou a liberdade de Edmilson Silva Macedo, Rodrigo Santana Mendes e Eder Carvalho Pereira

 

Presos na operação que desbaratou quadrilha de contrabandistas; alguns foram soltos, outros continuam presos

O juiz federal Luiz Régis Bomfim Filho determinou na tarde deste sábado, 24, no plantão judicial, a liberdade de três dos envolvidos no caso de contrabando desbaratado pela polícia maranhense.

Foram soltos Rodrigo Santana Mendes, Eder Carvalho Pereira e Edmilson Silva Macedo, considerados peças de menor importância dentro do esquema que levou para a cadeia um delegado de polícia, oficiais e praças da PM e políticos.

Um dos soltos, Edmilson Silva Machado,  era o condutor da Van que transportava os estivadores, de São Mateus para o sítio onde ficava a carga contrabandeada.

– Meu cliente não sabia de nada. Era apenas contratado para transportar as pessoas, recebendo por isso – explicou o advogado Osmar Neres Júnior, responsável pela soltura de Edmilson.

Os outros dois são estivador e caseiro do sítio na zona rural de São Luís.

Na mesma decisão, o juiz Luiz Régis validou os demais atos da justiça maranhense no caso, mantendo a prisão de todos os demais envolvidos.