2

O que Bolsonaro fez de bom?!? brasileiro não sabe citar, diz Datafolha..

Pergunta feita pelo instituto de pesquisas – com resposta livre – foi ignorada por 39% dos entrevistados, índice que chega a 76% entre os que consideram o governo ruim ou péssimo

 

O FIM DO HORÁRIO DE VERÃO É LEMBRADO PELOS ELEITORES DE BOLSONARO COMO COISA BOA FEITA POR ELE nestes seis meses de mandato. Só isso?!?

Na última avaliação do governo Bolsonaro, o Instituto Datafolha incluiu uma pergunta básica e com resposta simples: “o que o presidente Jair Bolsonaro fez de melhor nestes seis meses?!?”.

O silêncio, ou “nada”, foi a resposta para 39% dos entrevistados; em outras palavras: quatro a cada 10 brasileiros não sabem dizer o que Bolsonaro fez de bom ao país.

Este índice alcança a estratosférica marca de 76% entre os que declaram ser o governo Bolsonaro “ruim” ou “Péssimo”.

Dentre aqueles que citaram as coisas boas do governo Bolsonaro estão, entre outras, “o fim do horário de verão”.

Ora, veja…

0

De ditador para ditador…

Declaração do governador Flávio Dino sobre o presidente Jair Bolsonaro traz à lembrança ações do próprio comunista contra políticos e a imprensa livre, que noticiou atos ditatoriais no Maranhão

 

AUTORITÁRIO, FLÁVIO DINO AGORA ANALISA O AUTORITARISMO DE BOLSONARO, após perseguir adversários e imprensa no Maranhão

Em 21 de agosto do ano passado, o blog Marco Aurélio D’Eça publicou o post “Flávio Dino não consegue se livrar da alcunha de ditador…”

Tratava-se da repercussão de uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral, que negou ao comunista a censura imposta a blogs – incluindo este – que noticiaram críticas da ex-governadora Roseana Sarney e do prefeito Lahesio Rodrigues à sua postura como governante.

Tudo começou em 20 de maio do mesmo ano, quando, em situações diversas, Roseana, Lahésio e a ex-prefeita Maura Jorge chamaram Dino de ditador, pelas ações à frente do governo maranhense.

O comunista acionou judicialmente não apenas as três lideranças políticas, mas também toda a parte da imprensa que noticiou as declarações delas.

Tanto que, em 27 de maio, este blog voltou ao tema, com o post “Ditador, Flávio Dino não quer ser chamado de ditador…”

BOLSONARO É UMA DAS MAIORES BOÇALIDADES QUE A POLÍTICA DO BRASIL PODE TER CONSTRUÍDO em toda a história do país

Passado mais de um ano das declarações sobre Flávio Dino, agora é o próprio Flávio Dino quem vai à imprensa para classificar o presidente Jair Bolsonaro (PSL) de ditador. (Leia aqui)

O comunista não deixa de ter razão em sua afirmação.

Da mesma forma que Roseana, Maura Jorge e Lahésio Rodrigues.

E diante disto, o que se desenha para os próximos anos no Brasil é uma batalha de ditadores pelo comando do país.

Um ditador de direita contra um ditador de esquerda.

E qual a melhor opção?!?

Leia também:

Flávio Dino e Bolsonaro: os dois lados de uma mesma moeda política…

O Estado de exceção no governo comunista de Flávio Dino…

Os três atos de um ditador…

9

Agressão de Bolsonaro é ao povo do Maranhão…

Esqueça Flávio Dino! o que o presidente prega em relação ao estado é uma violência política sem precedentes; e só tolos, interesseiros ou neófitos políticos ainda tentam justificar a boçalidade

 

BOLSONARO AGRIDE O MARANHÃO AO TENTAR ATINGIR FLÁVIO DINO; defender ou justificar isso é tolice, covardia ou canalhice em alto grau

Não há o que justificar.

O que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) falou em relação ao governo do Maranhão não é uma agressão ao governador Flávio Dino (PCdoB). É um revanchismo contra o povo do Maranhão.

E tentar explicar o que pensa o boçal governante é fazer papel de tolo ou interesseiro.

Não dá para aceitar que políticos maranhenses ainda tentem sair em defesa do presidente, que mostrou claramente como age no comando do país, com revanchismo e perseguição.

Aqui não se discute se o governador maranhense é ou não Flávio Dino – que, aliás, acaba agindo da mesma forma em algumas circunstâncias.

O que se discute é a perseguição ao estado.

Ver senadores, deputados federais e estaduais se posicionando contra o estado e em favor do presidente nesta questão é ainda mais humilhantes.

É claro que muitos sempre jogaram assim, dedicando o Maranhão miserável para se beneficiar em Brasília. Mas outros defendem Bolsonaro apenas por tolice, incapacidade de raciocínio e interesse particular.

Flávio Dino é ruim para o Maranhão, mas é o governador do Maranhão.

E apenas os babacas, os que passaram e não se tocam, é que ainda defendem Bolsonaro.

Simples assim…

0

Associação de Diplomatas alerta sobre qualificação de embaixadores…

Diante da informação de que o presidente Jair Bolsonaro pretende nomear o filho para a embaixada dos EUA, entidade lembra o rigoroso preparo na formação dos representantes brasileiros no exterior

 

EDUARDO E O PAI PRESIDENTE: BOLSA-EMBAIXADA PARA MORAR COM REGALIA NOS ESTADOS UNIDOS, gera reação da diplomacia

Em Nota Pública divulgada na tarde desta sábado, 13, a Associação dos Diplomatas Brasileiros alertou a sociedade sobre o rigoroso processo de seleção e de formação dos embaixadores.

Diante da informação de que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) pretende nomear o próprio filho, Eduardo, para representar o Brasil nos Estados Unidos, a ADB ressalta que o Itamaraty dispõe de inúmeros diplomatas mais preparados para a função.

– Embora ciente das prerrogativas presidenciais na nomeação de seus representantes diplomáticos, a ADB recorda que os quadros do Itamaraty contam com profissionais de excelência, altamente qualificados para assumir quaisquer embaixadas no exterior – diz a nota.

Segundo a nota, a exigência de qualificação técnica e teórica se dá pelo ato de que os diplomatas atuam em questões fundamentais nas áreas cultural, ambiental, econômica, comercial, proteção e defesa dos direitos humanos, cooperação, paz e segurança internacionais.

São, atualmente, 1500 diplomatas representando o país no exterior.

– Há mais de 100 anos os diplomatas brasileiros têm a construção da imagem e do desenvolvimento do País como seu objetivo maior, pelo qual norteiam, todos os dias, o seu desempenho. Esse é o papel para o qual foram e continuam sendo diligentemente treinados e preparados – conclui o documento.

Abaixo, a nota da ADB:

Nota Pública

A Associação dos Diplomatas Brasileiros (ADB) recorda que, atualmente, mais de 1.500 diplomatas representam o País e defendem os interesses nacionais nas embaixadas, consulados e delegações junto a organismos internacionais, além de trabalharem em diversos órgãos do governo federal — inclusive na Presidência da República -, nos quais  se encontram, hoje, mais de sessenta diplomatas cedidos.

Os diplomatas atuam em questões fundamentais nas áreas cultural, ambiental, econômica, comercial, proteção e defesa dos direitos humanos, cooperação, paz e segurança internacionais, dentre outras.

Iniciamos a carreira com uma formação ampla e consistente, por meio de um dos concursos mais rigorosos da administração pública, proporcional às exigências da atuação que precisamos ter dentro e fora do País.

Embora ciente das prerrogativas presidenciais na nomeação de seus representantes diplomáticos, a ADB recorda que os quadros do Itamaraty contam com profissionais de excelência, altamente qualificados para assumir quaisquer embaixadas no exterior.

Há mais de 100 anos os diplomatas brasileiros têm a construção da imagem e do desenvolvimento do País como seu objetivo maior, pelo qual norteiam, todos os dias, o seu desempenho. Esse é o papel para o qual foram e continuam sendo diligentemente treinados e preparados.

Associação dos Diplomatas Brasileiros

3

Zé Carlos se manifesta contra Reforma da Previdência…

Para parlamentar maranhense, texto do governo Jair Bolsonaro preserva privilégios e prejudica trabalhadores mais necessitados

 

ZÉ CARLOS ENTRE OS COLEGAS DE CÂMARA QUE DECIDIRAM EXPRESSAR PUBLICAMENTE O VOTO CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA criada por Jair Bolsonaro

O deputado federal Zé Carlos (PT) se posicionou publicamente nesta quarta-feira, 10, contra a Reforma da Previdência Social, que está sendo analisada na Câmara.

– Com certeza votarei contra, não venderei e nunca venderia minha consciência e nem os direitos dos trabalhadores – afirmou o parlamentar, em suas redes sociais.

Zé Carlos é um dos três deputados maranhenses que devem votar contra a reforma, encaminhada à Casa pelo governo Jair Bolsonaro.,

na avaliação do petista, a reforma tira direitos dos trabalhadores mais vulneráveis e preserva privilégios dos mais ricos.

O parlamentar se manifestou no plenário da Câmara, usando camisa branca coma inscrição “Não à reforma”.

 

4

Maioria defende revisão de sentenças de Moro após conversas vazadas…

Pesquisa do Instituto Datafolha, que avaliou também a aprovação do governo Jair Bolsonaro – os piores seis meses de um presidente no período democrático – diz que brasileiro reprova conversas do ex-juiz sobre julgamento de Lula

 

JAIR BOLSONARO E SÉRGIO MORO ABATIDOS EM PLENO VOO; o primeiro já tem o pior desempenho da história; o outro preferiu se esconder para “reenergizar” o corpo e a mente

Teve pouca atenção da mídia nacional os dados da pesquisa do Instituto Datafolha sobre a performance do ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, reveladas pelo site The Intercept.

Mas talvez, esses números possam explicar a estranha licença de Sérgio Moro, para “reenergizar o corpo”, segundo definiu o próprio governo Jair Bolsonaro (PSL).

Para o Datafolha, 58% dos brasileiros consideram “inadequadas as conversas de Moro com a Força-Tarefa da Lava Jato”.

E os mesmos 58% de brasileiros consideram que as decisões de Moro precisam ser revistas.

Os números do Datafolha divulgados pela mídia mostram que Bolsonaro tem a pior avaliação dos primeiros seis meses de governo de um presidente eleito pós-ditadura militar.

Como se vê, é um governo que desMOROna à medida que o tempo avança na história.

E nem mesmo os Justiceiros da Lava Jato têm hoje condições de salvá-lo…

23

Bolsonaro quer Porto do Itaqui federalizado; Dino apela pra Sarney…

Governo comunista do Maranhão tem feito gestões em todas as áreas para impedir a perda do controle das operações portuárias, mas as ações da Emap tem criado mais problemas na gestão

 

O RISCO DE PERDA DO CONTROLE DO PORTO DO ITAQUI É UMA DAS PRINCIPAIS PREOCUPAÇÕES DO GOVERNADOR FLÁVIO DINO; assunto foi tratado com Sarney

Em 27 de junho último, o blog Marco Aurélio D’Eça informou que, no encontro com o ex-presidente José Sarney, o governador Flávio Dino (PCdoB) pôs na pauta o risco de perda do Porto do Itaqui. (Relembre aqui)

Dino sabe do movimento do governo Jair Bolsonaro (PSL) para retomar o controle de todos os terminais de transporte, em todos os modais, e as operações maranhenses passam na pauta das privatizações.

Na verdade, a refederalização do porto também já havia sido anunciada neste blog, em post do dia 22 de janeiro, intitulado “Governo Bolsonaro vai tomar de Flávio Dino controle do Porto do Itaqui…”

Com problemas legais e morais envolvendo a operação da Emap no Maranhão, o governador comunista sabe que sofrerá sanções por usar dinheiro do porto em outras áreas – uma de suas pedaladas fiscais, outro assunto tratado em primeira mão no blog Marco Aurélio D’Eça. (Releia aqui)

Tanto ele sabe da dimensão do problema que já chegou a propor a devolução dos R$ 140 milhões usados irregularmente.

A reunião com Sarney – também anunciada em primeira mão no blog Marco Aurélio D’Eça – tinha o objetivo de convencer o ex-presidente, um entusiasta das potencialidades portuárias do Maranhão, a entrar na briga para impedir a devolução do Itaqui.

Ocorre que é ideológica a posição do governo Bolsonaro pela federalização, e posterior privatização, dos portos brasileiros.

O fato é que Flávio Dino está sem saída e na iminência de perder o controle das operações portuárias no estado.

E o agravamento da situação da Emap, por causa das pedaladas fiscais, o colocou ainda em situação mais delicada.

É só uma questão de tempo…

2

Mal avaliada, gestão comunista atrapalha Flávio Dino, diz Isto É…

Revista fala sobre projeto de candidatura do governador maranhense à presidência da República, ma aponta obstáculos dentro da esquerda e, sobretudo, no PT, do ex-presidente Lula

 

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), teria um obstáculo político e outro administrativo para viabilizar seu projeto de candidatura presidencial em 2022.

A avaliação é da revista IstoÉ, que traz nota sobre a candidatura na edição que começou a circular no fim de semana.

O político é a resistência de setores do PT ao projeto dinista, mesmo com todos os seus gesto de reaproximação do ex-presidente Lula.

Sob a orientação lulista, os petistas preferem manter o nome do ex-prefeito Fernando Haddad.

Além da dificuldade de atrair o PT, Dino enfrenta desgaste na gestão.

Para a revista, seus cinco anos de governo não apresentaram nenhum projeto estruturante e de peso que pudesse mudar a realidade do Maranhão.

Ainda assim a revista destaca que o comunista é hoje o principal contraponto da esquerda ao governo Jair Bolsonaro (PSL).

E é no desgaste do atual presidente que o maranhense aposta nos próximos quatro anos…

0

Gastão Vieira enquadra Carlos Bolsonaro sobre realidade de Alcântara…

Indiferente à situação dos quilombolas que vivem na área do Centro de Lançamento de Foguetes, filho do presidente Jair Bolsonaro tentou dizer que os que têm essa preocupação atrasam o desenvolvimento

 

O deputado federal Gastão Vieira (Pros) mostrou mais uma vez sensibilidade social ao confrontar opinião do vereador carioca Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Como de costume, o 01 Bolsonaro usou as redes sociais para atacar os que tentam debater mais amplamente o projeto de aluguel do Centro de Lançamento de Alcântara com os olhos voltados para a situação das populações quilombolas.

na opinião do filho do presidente, isso é jogar contra o desenvolvimento do Brasil.

– Para variar o Congresso impedindo o Brasil de ganhar bilhões de reais e adquirir tecnologias e parcerias que gerem emprego e desenvolvimento – disse o 01.

Gastão foi no cerne da questão e postou, logo em seguida:

– Precisamos pensar algo viável para Alcântara e para o Brasil. Mas sem deixar de pensar nas pessoas que moram lá. Não queremos o desenvolvimento a qualquer custo. Por isso, pensar nas comunidades quilombolas é imprescindível! Povo secular que ali vive e tem raízes.

O vereador Bolsonaro calou-se diante dos fatos…

4

Imagem de Moro começa a deteriorar; e nem esgotaram os áudios…

Ao contrário dos que pregam os ainda apaixonados pelo governo Bolsonaro, as manifestações em favor do juiz foram tímidas, apesar do apoio de grupos organizados de extrema direita, como o MBL

 

O FRACASSO DO MOVIMENTO PRÓ-MORO EM TODO O PAÍS também foi registrado nos atos realizados em São Luís

Não há como negar: apesar das várias narrativas que tentam desqualificá-los, os áudios do ex-juiz Sérgio Moro, divulgados pelo site The Intercept, mostraram ao Brasil a outra cara do agora ministro do governo Bolsonaro.

E fez estragos.

Isso ficou bem mais evidente no domingo, 30, quando manifestantes foram às ruas em defesa dele, diante das revelações do site The Intercept, que o desmascararam.

E tiveram o apoio de dois movimentos de extrema direita com força para fazer zoada: o “MBL” e o “Vem Pra Rua”.

Mas as manifestações oram tímidas em relação ao início do governo.

Para efeito de comparação, desde o início do governo, os movimentos de apoio a Bolsonaro e sua turma vêm perdendo fôlego, enquanto que os protestos da esquerda crescem.

Em 26 de maio, por exemplo, segundo levantamento do site G1, os bolsonaristas reuniram manifestantes em 156 municípios.

Neste domingo, conseguiram levar gente às ruas em apenas 88 cidades.

Atualmente, apenas radicais apaixonados ainda se manifestam mais entusiasticamente em favor do governo Bolsonaro – muitos de olhos ainda vendados pela anestesia eleitoral.

Em favor de Moro, este número já é mais baixo ainda, fruto das revelações do The Intercept, que desmascaram o ex-juiz.

E ainda vem mais áudios por aí…