3

Bares e restaurantes terão lotação e horários restritos em São Luís…

O Protocolo Específico para Bares, Restaurantes e Afins, editado pelo Governo do Estado – e que ainda está em fase de adequação – estabelece, além das medidas gerais já divulgadas, redução do número de frequentadores e mesas de quatro lugares com dois metros de distanciamento uma das outras; o funcionamento só pode ir até a 0h00

 

Os bares precisarão seguir restrições quanto à lotação e ao distanciamento entre clientes para voltar a funcionar a partir de sábado, 27

Com autorização para reabrir a partir do próximo sábado, 27, bares, restaurantes e afins em São Luís terão que seguir um protocolo rígido de funcionamento, além das medidas que já vinham sendo adotadas pela população em geral.

Segundo o Pacto de Protocolo Especifico firmado entre o Governo do Estado e os representantes do segmento, além de máscaras pelos clientes será obrigatório o uso de Face Shield (Proteção acrílica) pelos atendentes.

A lotação terá que ser reduzida e as mesas – dispostas a dois metros uma das outras – só poderão comportar quatro pessoas.

– Nós já havíamos fechado o pacto com as entidades do setor, mas houve novas sugestões que foram encaminhadas à Vigilância Sanitária para reavaliação; ainda hoje teremos o protocolo final – explicou ao blog Marco Aurélio D’Eça o secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares.

O pacto firmado inicialmente ao qual este blog teve acesso, orienta evitar ao máximo a formação de filas, com adoção de senhas e agendamento para organizar o atendimento;

– Se houver necessidade de filas, o distanciamento precisa ser de 2 metros entre as pessoas, com marcação destacada no chão – diz o documento. (Veja imagens abaixo)

A circulação interna também deve obedecer a distância mínima de dois metros, além das medidas de higiene e proteção já definidas desde o início da pandemia.

Outra modificação se dá quanto ao horário de funcionamento; os bares, lanchonetes e restaurantes deverão seguir os seguintes horários:

Almoço: das 11h às 15h;

Lanches: das 10h às 00h;

Jantar: das 18h às 00h

Já nas padarias o funcionamento se dará entre 6h e 20h.

Não há restrições previstas quanto à adoção de música ao vivo, desde que sigam as recomendações de distanciamento e de lotação.

Veja abaixo o Protocolo Específico para Bares, Restaurantes e Afins:

12

Como viver em um país assim…

Com ministro do Meio Ambiente que prega a destruição do Meio Ambiente, ignorante no comando da Educação e auxiliar negro que odeia negro o clima no Brasil é cada vez mais beligerante; e o afastamento da oposição pelo medo abre espaço para o absolutismo

 

Os generais estão diariamente no pé-de-ouvido de Bolsonaro, embora mantenham um discurso diferente no trato com a opinião pública

Editorial

O país vive o pior momento cultural de sua história, com retrocessos a passos rápidos em todos os setores da sociedade.

É ministro do Meio Ambiente que prega a destruição do meio ambiente, um ignorante no comando da Educação e negro que odeia negro.

Diante deste paradoxo institucional, o Brasil virou uma praça de guerra ideológica e a redes sociais se transformaram em um campo de lutas intelectuais sobre costumes, religião, sociedade…

Mas pelo que se vê da reação de líderes da oposição e de pensadores da esquerda – de pregar o afastamento da oposição das ruas – o bolsonarismo parece ter vencido a batalha.

Gerar medo na oposição, fazendo-a recuar, e impondo o açoite aos que insistissem em gritar contra os desmandos e absurdos, foi o primeiro passo da ditadura militar para se implantar no país.

Sem contraponto nas ruas, os militares venderam a ideia de que tinham o apoio das massas, passo fundamental para a cassação do Congresso e extinção do Judiciário, que, para não sucumbir, acabou também apoiando o golpe.

Os boçais nomeados por Bolsonaro têm o objetivo de gerar raiva na população, criando o clima de divisão desejado pelo governo

Nomear boçais escolhidos a dedo em seu ministério foi a forma que Bolsonaro encontrou para provocar reações, que gerariam, mais ações absurdas, até criar o clima de guerra civil nas ruas.

Como viver em um país assim? Impossível.

E o recuo da oposição, por medo, resultará em um país pior ainda…

2

São Luís fará protesto contra descaso de Bolsonaro na Amazônia…

Manifestantes se reunirão na Praça Deodoro, a partir das 15h deste sábado; declarações sobre a floresta repercutiram no mundo inteiro e desgastou a imagem mundial do presidente

 

MANIFESTANTES TÊM SAÍDO ÁS RUAS DESDE A TARDE DESTA SEXTA-FEIRA, em protestos contra Bolsonaro e a favor da Amazônia

Manifestantes irão se reunir na tarde deste sábado, na Praça Deodoro, em um protesto contra a postura do presidente Jair Bolsonaro em relação ao aumento das queimadas na Floresta Amazônica.

Bolsonaro tem sido crítico das informações que mostram o aumento do desmatamento, desdenha do aquecimento global e acusa Organizações Não-Governamentais de provocar queimadas.

AS QUEIMADAS SE MULTIPLICARAM NOS ÚLTIMOS DIAS EM TODAS AS ÁREAS DA AMAZÔNIA; e os líderes mundiais acusam Bolsonaro de falta de ação

As manifestações, convocadas em grande parte pela Internet – e que já vêm ocorrendo desde a tarde de sexta-feira, 23 – cobram uma postura mais efetiva de Bolsonaro para conter as queimadas e o avanço do desmatamento.

Ambientalistas, pesquisadores, estudantes e representantes de ONGs foram convocados para os protestos…

6

Imagem do dia: “uns quatro peladinhos”…

Falta de articulação e de divulgação levaram ao fracasso da manifestação desta quinta-feira, 22, contra o aumento de impostos promovido pelo governador Flávio Dino.O que era para ser um protesto reunindo povo, empresários e membros dos movimentos sociais atraiu apenas “uns quatro peladinhos” à avenida Litorânea”. Mas os organizadores garantem se rearticular para um ato maior, com maior divulgação e participação. (Imagem: De Jesus/O EstadoMaranhão)

2

Multidão nas ruas de Lago da Pedra por mais segurança…

Manifestação pela paz reuniu autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário, além de lideranças políticas e populares de vários municípios da região do Médio Mearim

 

Estudantes e comunitários saíram á ruas do municípios por mais segurança

Estudantes e comunitários saíram á ruas do municípios por mais segurança

 

Uma grande multidão saiu às ruas do município de Lago da Pedra para pedir ao governo Flávio Dino (PCdoB0 mais segurança para o município.

A “Mobilização pela Paz e Segurança”, reuniu os representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, Ministério Público, Associação Comercial, Instituições Religiosas, estudantes, professores, mototaxistas e a população como um todo.

– Vamos tentar sensibilizar as autoridades do estado , o nosso governador, o nosso secretário de segurança, para que olhe para segurança de Lago da Pedra e nossa região, a violência aqui está além do limite, além do tolerável. A comunidade está reunida pedindo paz, pedindo segurança – disse o juiz Cristovão Barros, da 2ª Vara de Lago da Pedra.

A prefeita Maura Jorge e autoridades políticas, do Judiciário e do Ministério Público também cobraram ações do governo

A prefeita Maura Jorge e autoridades políticas, do Judiciário e do Ministério Público também cobraram ações do governo

A promotora de justiça Lays Pedrosa, destacou a importância da mobilização e participação população.

– Muito bom esse movimento porque podemos contar com o apoio de toda a população para pedir mais segurança. A  gente clama também para que cada família olhe para seu jovem, cuide de suas crianças para que a gente possa ter uma sociedade melhor precisa voltar a está nas praças, está nas ruas a conviver com os colegas sem ter medo de sentar em qualquer lugar e conversar pra isso que nós trouxemos a sociedade para rua, para mostrar que isso é possível – disse a representante do ministério público.

A multidão não se afastou das ruas da cidade nem mesmo com o cair da noite

A multidão não se afastou das ruas da cidade nem mesmo com o cair da noite

A prefeita Maura Jorge falou da importância do mobilização para tratar de um problema que afeta não só Lago da Pedra, mas os outros municípios da região, ressaltando a participação de representantes do legislativo dos municípios do Médio Mearim.

– Estamos felizes porque hoje aqui não existe partido político, nós estamos só temos uma única finalidade, clamar por paz, clamar por segurança, sensibilizar o governador do estado para que olhe para nossa região com olhar de carinho, com olhar de amor que esse povo tanto espera de todos nós governantes – disse a prefeita.

A manifestação reuniu também prefeitos, vereadores, lideranças comunitárias e populares de vários municípios da região do Médio Mearim…