0

Bastou uma chuva fina!!! laudos revelam praias impróprias em SL…

Chuviscos de apenas 2mm na última sexta-feira revelaram que 10 dos 24 pontos coletados nas praias estavam contaminados por esgoto in natura; documento mostra também a farsa da balneabilidade anunciada por Flávio Dino durante a campanha eleitoral

 

Pontos vermelhos mostram praias impróprias; farsa desmascarada

Pontos vermelhos mostram praias impróprias; farsa desmascarada

A suposta balneabilidade de 100 das praias de São Luís foi anunciado pelo governo Flávio Dino (PCdoB) em outubro, em pleno segundo turno das eleições, disputadas pelo seu pupilo Edivaldo Júnior (PDT).

Era uma farsa, segundo afirmou o senador Roberto Rocha (PSB), no último final de semana.

– Ouço falar que limparam as praias de São Luís. Como? Qual a mágica? – questionou Rocha, em seu perfil no Instagram.

O senador tem razão em seu questionamento.

Na última sexta-feira, uma chuva de apenas 2 mm revelou que 10 dos 24 pontos de praias coletados pela Secretaria de Meio Ambiente estavam impróprios para banho.

O motivo é simples: a Semma argumentou que a balneabilidade de 100% das praias foi garantida pela inauguração da Estação de Tratamento de Esgotos do Vinhais, em outubro. ocorre que a estação cobre apenas 40% do esgoto de São Luís.

Para se ter ideia da complexidade do tema, a Prefeitura de São Luís, gerida pelo afilhado de Dino, Edivaldo Júnior (PDT), entregou milhares de casas e apartamentos do programa “Minha Casa Minha Vida”, construídas pelo Governo Federal

O problema é que o prefeito, como em todos o outros setores de sua gestão, não cumpriu com a sua parte no contrato, que era a de garantir a infraestrutura, como rede de esgoto adequada.

Essas unidades habitacionais também passaram a jogar esgoto in natura nos rios.

E os rios, obviamente, desembocam no mar.

Resultado: a qualidade das praias anunciada por Flávio Dino é uma farsa desmascarada pela chegada das chuvas.

Simples assim…

1

Em ação partidária inédita, PV vai sabatinar candidatos…

Evento idealizado pelo deputado Adriano Sarney visa colher subsídios dos deputados sobre as propostas defendidas no programa do partido, o que ajudará na definição de alianças na capital maranhense

 

Adriano vai coordenar encontro que pode servir também para o PV definir seu rumo eleitoral

Adriano vai coordenar encontro que pode servir também para o PV definir seu rumo eleitoral

O Partido Verde vai reunir os pré-candidatos a prefeito de São Luís, em um encontro nesta sexta-feira, 8, para uma espécie de sabatina sobre as propostas para o Meio Ambiente.

A Sabatina Verde, evento idealizado pelo deputado estadual Adriano Sarney (PV), visa colher informações dos programas de governo dos candidatos para o setor do meio ambiente.

É a primeira vez que um partido político realiza este tipo de encontro antes da definição oficial das candidaturas.

Representantes da maioria dos partidos confirmaram presença

Representantes da maioria dos partidos confirmaram presença

Além de fornecer importante embasamento para a população, a sabatina pode servir para embasar a decisão do partido sobre alianças na capital maranhense.

Representantes dos partidos participaram ontem da reunião preparatória, em que ficaram definidas as regras da sabatina.

O encontro acontece no Auditório Neiva Moreira, do Complexo de Comunicação da Assembleia Legislativa, a partir das 9h de sexta-feira.

0

Verde defende investimentos em saneamento básico…

Verde participa da mesa dos trabalhos na Assembleia

Verde participa da mesa dos trabalhos na Assembleia

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) destacou a importância dos investimentos em saneamento básico, durante encontro promovido pela Federação Maranhense de Consórcios Intermunicipais (Femaci), na Assembleia Legislativa, na última terça, 31, quando foi discutida a conjuntura do saneamento no país e, principalmente, no Maranhão.

– O saneamento tem que estar na pauta de prioridade de todos os gestores. Investir em saneamento é investir em saúde pública. A cada 1 real, se economiza de 7 a 10 reais em gastos com a saúde pública, considerando que muitas doenças são ocasionadas pela falta desta politica social e, ainda mais, se considerarmos que  investir em saneamento é investir em infraestrutura permanente na qualidade das nossas vias urbanas –  ressaltou Júnior Verde.

O painel ‘Saneamento Ambiental no Brasil e sua realidade no Maranhão’ contribuiu para discutir a política de investimentos em saneamento ambiental. Entre as 100 maiores cidades brasileiras, São Luís ocupa a 83ª posição em termos de saneamento básico, de acordo com o novo “Ranking do Saneamento nas 100 Maiores Cidades”, publicado pelo Instituto Trata Brasil em parceria com a GO Associados.

A capital maranhense oferece serviços de água tratada a 80,62% dos habitantes, mas apenas 45,5% deles têm acesso à coleta de esgoto. Somente 8,07% do esgoto gerado é tratado. O estudo considera os números oficiais do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico (SNIS) – do Ministério das Cidades – ano base 2014.

 – Saneamento nunca foi um problema, mas uma solução para conter muitas doenças causadas pela falta dele. Essa é uma pauta permanente que teremos aqui na Assembleia – garantiu o parlamentar .

0

Em reunião na SEMA, prefeito Alan Linhares solicita providências sobre aterro…

Alan Linhares e o secretário Marcelo Coelho

Alan Linhares e o secretário Marcelo Coelho

O prefeito de Bacabeira, Alan Linhares, participou de audiência com o secretário estadual de Meio Ambiente, Marcelo Coelho, na manhã de segunda-feira, 30, para tratar das questões inerentes ao Aterro Sanitário Titara, no município de Rosário, em área limítrofe com o município de Bacabeira.

Durante a reunião, o prefeito Alan Linhares afirmou que o mau cheiro está causando inconvenientes aos moradores dos povoados Vidél, Pataqueira, Santa Quitéria, Pequi e Peri de Baixo.

– O mau cheiro que sai do aterro invade as casas e a situação piora quando chove, causando desconfortos à comunidade e tornando o ambiente insalubre. É uma questão de saúde pública que precisa ser resolvida urgentemente – ressaltou.

O secretário Marcelo Coelho garantiu que irá enviar uma equipe de fiscais da Secretaria para verificar ‘in loco’ a operação do aterro e buscar soluções para os transtornos causados à população de Bacabeira e aos motoristas que trafegam pela BR-135.

3

A morte da Delegacia do Meio Ambiente…

Por Lêda Lima*

[LUTO]:

Lamento informar aos companheiros Protetores, Colaboradores, Simpatizantes e Amigos da Causa Animal, que o único órgão público que tem a OBRIGAÇÃO de salvar ANIMAIS em situação de MAUS-TRATOS, a DEMA, acabou, morreu, não existe mais!!

Ela foi morrendo aos poucos, pelo descaso, pela negligência do governador, pela omissão da sociedade, pela falta de amor da humanidade.

A Delegacia de Meio Ambiente, a DEMA, morreu!!

Ela não atende mais as denúncias de maus-tratos! Não atende aos telefones!
E humilha quem ousa ir pessoalmente fazer a denúncia lá!!

O prédio existe, as funções estão lá, mas nada mais funcional!!!

Então, quero deixar registrado aqui meu LUTO!

E aqui vão algumas orientações para os Protetores que tentarem ir fazer denúncias de maus-tratos lá:

PROTETOR O QUE FAZER DIANTE DA RECUSA DAS AUTORIDADES POLICIAIS EM ATENDER DENÚNCIAS DE MAUS TRATOS CONTRA ANIMAIS.

O agente policial que se negar a registrar ou a atender uma ocorrência de maus-tratos ou abusos contra animais poderá ser responsabilizado por crime de “PREVARICAÇÃO”, previsto no Art. 319 do Código Penal (retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal).

Persistindo a recusa, não deixem de denunciá-los, telefonando, enviando emails ou mensagens para os órgãos abaixo, com o máximo de informações possíveis sobre os policiais (pode ser feito anonimamente e até virtualmente):

I – Corregedoria de Polícia;
II – Ministério Público Estadual (por lei é parte interessada em causas ambientais);
III – Comando Geral da Polícia Militar;
IV – Comando do Batalhão onde trabalham os PMs;
V – Chefia de Polícia Civil do Estado:
VI – Secretaria Estadual de Segurança Pública;
VII – Governo do Estado (Gabinete, Chefia da Casa civil e/ou militar);
VIII – Delegacias de Polícia (denúncia de crime de Prevaricação praticada por agente policial).

✔ Para tanto, anote o nome do agente, horário, local e número da viatura e/ou delegacia onde teve o atendimento recusado. Poste, detalhadamente, no Facebook as circunstâncias do fato, bem como as informações dos policiais para que todos nós possamos denunciar o caso para os órgãos acima.

✔✔ Os agentes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente podem e devem atender essas denúncias. Eles possuem poder para fiscalizar, multar e apreender animais vítimas de abusos e maus-tratos. Portanto, NÃO depende exclusivamente da autoridade policial. Incomode o secretário de meio ambiente de sua cidade.

Ele ocupa cargo público e recebe um bom salário justamente para dar conta dessas demandas, que é um bom salário justamente para dar conta dessas demandas.

É dever e obrigação dele!

*Do blog Ei, Bichinhos!
0

Vídeo: terreno volta a pegar fogo novamente na Cohama…

Um terreno abandonado na rua 3 do Jardim Coelho Neto tem sido queimado pelo próprio dono, segundo denunciam moradores. Há um mês, o blog do Gilberto Léda noticiou a denúncia, quando o Corpo de Bombeiros precisou ser chamado para debelar as chamas, que ameaça as casas próximas. Agora à tarde, nova queimada. Veja o vídeo…

2

Lagoas de resíduos da Alumar voltam a ser foco de preocupação…

Depois de o vereador Fábio Câmara cobrar formação de comissão para vistoriar a área onde é armazenada a lama de bauxita da Alumar, o deputado Wellington do Curso também quer vistoria da Assembleia

 

wellington2O deputado estadual Wellington do Curso (PPS) propôs hoje à Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa uma visita à área onde é armazenada a lama de bauxita usada na fabricação de alumínio pela Alumar.

É a segunda medida relacionada a Alumar desde que as barragens de minério da empresa Samarco romperam em Minas Gerais, matando pessoas e causando dano ambiental de proporções colossais.

na semana passada, o vereador Fábio Câmara (PMDB) conseguiu aprovar na Câmara de São Luís a formação de uma comissão para fazer a mesma vistoria. (Releia aqui)

Precisamos destinar especial atenção ao local em que a Alumar tem os seus depósitos, isto é, à zona rural de São Luís. Fato é que os reservatórios ocupam uma área de aproximadamente 50 hectares e foram instalados desde setembro de 2005, sendo desde então reservatórios com resíduos de bauxita. Não estamos aqui questionando o caráter sustentável ou não de tais reservatórios. O que queremos é apurar as denúncias e, assim, evitar que problemáticas ambientais assolem nosso estado”, ressaltou.

Ainda não há previsão de quando as visitas serão feitas – e a empresa costuma oferecer resistência a este tipo de controle – mas é importante a preocupação da classe política.

Que deveria ter ressonância em toda a sociedade…

3

Câmara vai vistoriar lagoa de resíduos da Alumar…

Plenário aprovou ontem proposta do vereador Fábio Câmara, e criou comissão externa para visitar as barragens construídas pela empresa de alumínio

 

Câmara quer esclarecer riscos de inundações

Câmara quer esclarecer riscos de inundações30

O Plenário da Câmara Municipal de São Luís (CMSL) aprovou, na manhã de terça-feira, 17, a designação de uma comissão externa formadas por vereadores e técnicos com objetivo de realizar visitas às lagoas de contenção de resíduos da bauxita geradas pela fábrica de alumina, a matéria-prima do alumínio, que eram produzidas pelo Consórcio de Alumínio do Maranhão S/A (Alumar).

No texto do documento, o parlamentar peemedebista propõe a verificação in loco da situação dos reservatórios que ocupam área de 50 hectares em comunidades da zona rural da cidade.

Temos conhecimentos que já foram emitidas nove autorizações de supressão vegetal das terras que haviam ficado de fora da gleba Tibiri/Pedrinhas para que a Alumar construísse seus lagos artificiais depositários de resíduos industriais tóxicos e altamente tóxicos. Essa é uma situação preocupante, pois diante do rompimento das barragens de uma mineradora que causou grande destruição, na cidade de Mariana, em Minas Gerais, a criação de comissão externa para conhecer esses reservatórios de resíduos de bauxita tornou-se ainda mais necessária”, explicou Câmara, ressaltando que a intenção é discutir essa situação juntamente com todos os órgãos envolvidos.

Diante dos fatos que deram origem a tragédia na cidade mineira, a proposta do parlamentar peemedebista, recebeu emendas de outros vereadores.

Área para lagos de resíduos

Um dos reservatórios que ocupa área de 50 hectares na zona rural de São Luís foi instalado em setembro de 2005, com recursos da ordem de R$ 45 milhões e vida útil de seis anos.

Na época, esse tinha sido o quarto reservatório de resíduo de bauxita, gerado pela fábrica de alumina, a matéria-prima do alumínio que era produzido pelo Consórcio de Alumínio do Maranhão S/A (Alumar), formado pela Alcoa, Alcan, BHP Billiton e Abalco.

A Alumar tem uma área de 150 hectares para lagos de resíduos de bauxita.

Dois dos quatro lagos tiveram as áreas reflorestadas. Na área do primeiro reservatório, que começou a ser reabilitado em 1996, existem árvores com até 10 metros de altura.

2

Imagem do dia: Sarney Filho no centro do desastre ambiental…

sarneyO deputado Sarney Filho (PV) coordenou a comissão da Câmara Federal que foi hoje à região de Minas Gerais atingida pela lama tóxica resultante do rompimento de uma das barragens da mineradora Samarco. O parlamentar considerou irrisória a multa de R$ 250 milhões aplicada à empresa. Para ele, a indenização deveria ser proporcional ao dano ambiental causado