0

Oposição tratará colapso das finanças do Estado como prioridade na próxima legislatura

Nomes como o do deputado estadual Adriano Sarney (PV), de Wellington do Curso (PSDB), de César Pires (PV) e outros deverão encabeçar as discussões acerca do tema. Outros parlamentares que comporão a Assembleia a partir de 2019 como Arnaldo Melo (MDB) também abrem a possibilidade de ampliação oposicionista.

 

Flávio Dino enfrentará forte pressão na Assembleia, cuja oposição fiscalizará gastos públicos em tempos de “crise”

As despesas do governo dinista pautaram os últimos dias de atividades na Casa a urgência, encaminhada pelo Executivo, do texto que previa a apreciação do orçamento para o ano que vem sem análise prévia. Além do tempo escasso para a discussão da matéria, todas as emendas propostas por deputados que previam o remanejamento dos recursos de pastas do governo para o atendimento de demandas prioritárias foram recusadas, o que aponta para a articulação eficaz feita nos bastidores pelos aliados do governador na Casa. 

Um dos subtemas fundamentais que também será objeto de cobrança dos parlamentares da oposição no Legislativo diz respeito às contas da previdência. Dados da Secretaria de Planejamento do Governo atestam que, em 2019, o Executivo terá pouco mais de R$ 200 milhões para a quitação das pendências ligadas ao pagamento de benefícios de afastamento e aposentadorias.

A elevação recente do ICMS em cima de produtos também chancelou a coesão da base do Governo na Casa e suscitou preocupação dos que divergem de Flávio Dino na Assembleia. A ideia é montar estratégias para fortalecer o grupo de oposição e, desta forma, obrigar o Executivo a dar explicações mais concretas para a sociedade.

Adriano Sarney deverá ser o principal porta-voz da oposição no Legislativo Estadual a partir de 2019

11

No PSDB, todos querem Luis Fernando candidato ao governo…

Lideranças de todos os cacifes no ninho tucano defendem o nome do prefeito de São José de Ribamar como alternativa viável para 2018; resta saber se ele terá coragem de abrir mão do mandato para tentar o embate com Flávio Dino que deveria ter ocorrido em 2014

 

Já testado nas ruas, Luis Fernando é ovacionado pelo povo de São José de Ribamar e da Grande São Luís

Em meio à crise de identidade vivida pelo PSDB no Maranhão, o prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, ganha cada vez mais força como opção da legenda para as eleições de 2018.

Seu nome é defendido tanto pelos partidários do vice-governador Carlos Brandão – como o deputado Neto Evangelista e o suplente de senador Pinto Itamaraty – quanto pelos adversários de Brandão, a exemplo da ex-deputada Gardeninha Castelo, do vereador Gutemberg Araújo  e dos membros da Juventude tucana.

O ex-prefeito Sebastião Madeira, que pode assumir o comando do PSDB no Maranhão, é um entusiasta antigo do projeto Luis Fernando Silva.

Mas tudo depende do próprio Luis Fernando.

Leia também:

Luis Fernando Silva para além de Ribamar…

O diferencial de Luis Fernando Silva…

A dignidade de Luis Fernando Silva…

Com o vice, Eudes Sampaio: homem de confiança para eventual substituição

Para assumir o papel de protagonista no PSDB, o prefeito de Ribamar terá que mostrar coragem para abrir mão de mais da metade do mandato de prefeito e arriscar um projeto que tem tudo para dar certo…

Mas também pode dar errado.

Muitas lideranças dizem que o prefeito tucano não tem o perfil para decisões como esta.

Ocorre que, para se eleger em Ribamar – com mais de 90% dos votos válidos – ele montou uma chapa de absoluta confiança, tendo como vice o economista Eudes Sampaio.

E este detalhe pode ser significativo no projeto de Luis Fernando Silva.

É aguardar e conferir…

2

Oposição a Flávio Dino cresce na Assembleia…

Resultado das eleições municipais levou parlamentares a se realinhar no plenário da Casa e a adotar postura mais crítica em relação ao governo comunista

 

Ao disputar as eleições em São Luís, Wellington e Braide sentiram o peso do governo contra eles

Os deputados Eduardo Braide (PMN), Wellington do Curso (PP) e Alexandre Almeida (PSD) agora fazem oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia Legislativa.

Todos eles foram hostilizados ostensivamente pelo governo – e pelo próprio governador – durante a campanha eleitoral, o que levou a uma nova postura no parlamento.

Alexandre Almeida também sentiu o peso desproporcional da máquina comunista contra ele, em Timon

Embora não se alinhem oficialmente à bancada de oposição, desde o fim de outubro Braide, Wellington e Almeida seguem posicionamentos parecidos com os Adriano Sarney (PV), Andrea Murad (PMDB), Edilázio Júnior (PV) e Sousa Neto (Pros).

Incluindo no grupo parlamentares como Max Barros e César Pires (DEM), que também não somam sistematicamente com o governo, a bancada oposicionista chega a nove deputados.

É uma oposição ainda pequena, se comparada ao total de 42 deputados.

Mas é a maior já registrada por um governador que ainda nem completou o segundo ano de mandato…

Com informações do jornal O EstadoMaranhão

2

Oposição mais forte na Assembleia em 2016…

Parlamentares do PV, PMDB e PTN podem formar bloco com até nove deputados, fortalecendo o grupo que hoje se resume a Andrea Murad, Edilázio Júnior, Souza Neto e Adriano Sarney

 

Roberto pode integrar o bloco de oposição....

Roberto pode integrar o bloco de oposição….

Está em curso uma articulação de membros do PMDB e do PV para a formação de um bloco comum, de oposição, na Assembleia Legislativa.

– O PMDB enxerga com muitos bons olhos essa composição e acredita que o partidos podem sim somar. O que precisamos definir neste momento é justamente qual partido icará com a liderança do bloco e quais serão os membros indicados para as comissões. Estamos iniciando um bom diálogo – declarou o peemedebista Roberto Costa.

O PMDB tem ainda os deputados Andrea Murad, Max Barros e Nina Melo.

adriano

Adriano integra a bancada do PV

No PV, a formação do bloco também é vista com entusiasmo.

– Já existe um diálogo bastante avançado neste sentido. É possível que essa composição seja consolidada – afirmou Adriano Sarney.

A bancada formada também por Edilázio Júnior,m Rigo Teles e Hemetério Weba.

E a reunião entre PMDB e PV movimentou também o deputado Sousa Neto, que também pode integrar a bancada.

É aguardar e conferir…

5

A rearrumação da oposição na Assembleia…

Mesmo com o choque de opiniões ainda se sobrepondo à convergência de ideias e ideais, os deputado oposicionistas já começam a encontrar o tom das ações – e do discursos –  garantindo vitórias importantes contra a hegemonia do governo Flávio Dino; bom para o povo maranhense

 

Andrea, Adriano, Souza e Edilázio na linha de frente

Andrea, Adriano, Souza e Edilázio na linha de frente

Formada em sua maioria por jovens parlamentares em início de carreira política – e por uma parcela diminuta de reeleitos que não sucumbiram diretamente os encantos do governismo – a bancada de oposição na Assembleia Legislativa já começa a dar o tom  de suas ações na Casa.

Vitórias recentes, como as de Adriano Sarney (PV) no caso do Conselhão; de Souza Neto (PTN), que enquadrou o Sistema de Segurança diante da soltura de um preso perigoso; e da própria Andrea Murad (PMDB), na denúncia relacionada ao leite especial, mostram que, acima das divergências pessoais latentes, os oposicionistas, juntos, podem fazer uma importante diferença na Casa.

E a oposição ainda pode contar com a experiência e serenidade do ainda jovem, mas firme, contundente e coerente Edilázio Júnior (PV) na formação de um quarteto mais ativo, que já começa a dar o tom e a pautar sistematicamente a gigantesca, mas heterogênea bancada do governo Flávio Dino (PCdoB).

E nem se pode dizer que a oposição seja só eles.

Nomes como César Pires (DEM), ainda indefinido quanto à independência em relação ao ex-grupo Sarney e a falta de afinidade com o ideais do novo governo; Roberto Costa (PMDB), mais tímido e desinteressado que no primeiro mandato; e Max Barros (PMDB), ainda pouco presente no debate, também já começam a dar contribuição fundamental para o sonhado, ainda que utópico,  equilíbrio de forças.

César, Roberto e Max: experiência para somar

César, Roberto e Max: experiência para somar

Andrea Murad já se destacou como ponta-de-lança.

O estilo dela é parecido ao do pai, aguerrido, impetuoso, ousado, mas sem perder o foco do debate e sempre embasado em dados oficiais.

Mais sereno, porém igualmente firme, Adriano Sarney tem a autoridade no argumento, e se soma perfeitamente à postura de Edilázio, que tem o mesmo perfil.

À linha de frente se soma Souza Neto, que que vai no ponto certo dos equívocos governamentais, forçando respostas e mudanças de posição.

Quando a autoridade do discurso de César Pires, a contundência provocativa de Roberto Costa, e a respeitabilidade histórica de Max Barros se somarem à energia dos jovens parlamentares, a tendência é que o Palácio Manoel Beckman possa voltar a ser palco dos grandes embates que viveu no passado.

É aguardar e conferir…

4

Luciano Leitoa usa obra do Governo em Timon para salvar sua gestão

Rose_LLO prefeito de Timon, Luciano Leitoa (PSB) usa obra Parque Empresarial que está sendo feita pelo governo do Maranhão no município para salva sua o desgaste de sua gestão.

A obra está orçada em mais de R$ 12 milhões através de recursos oriundos do BNDES e que a oposição da qual o prefeito Luciano Leitoa faz parte votou contra na Assembleia Legislativa.

Leitoa mandou distribuir em Timon milhares de informativos para tentar confundir a população, dando a entender que a obra é realizada pela prefeitura municipal.

Além do informativo, o prefeito Luciano Leitoa mandou sua assessoria de comunicação divulgar um vídeo na TV’s de Teresina(PI) mostrando a construção do Parque Empresarial de Timon e durante toda a exibição dá a entender que a obra é unica e exclusivamente da prefeitura. Confira neste vídeo:

A Parque Empresarial de Timon é o maior de todos os que estão sendo feito pelo governo do Maranhão. Recentemente Roseana veio a Timon para fiscalizar a obra e no mesmo evento um grupo empresarial a entregou uma carta de intenções para instalar uma de suas empresas no local.

O Parque Empresarial terá uma estrutura de condomínio contando com videomonitoramente, saneamento básico, subestação de energia, ciclovia, centro de eventos, internet, transporte público além de gerar mais de 3 mil empregos diretos. Ele fica localizado as marges da BR 316 numa área de 150 hectares.

Agraciado com uma obra de grande impacto positivo na cidade e na região, é isso que Luciano Leitoa dá em troco para a governadora Roseana Sarney.

4

Eleições 2014: a carência afetiva da oposição

Por Robert Lobato

A oposição maranhense parece sofrer de uma carência afetiva aguda. Dá impressão que está sempre disposta a se entregar nos braços de quem possa realizar seus sonhos e desejos mais profundos e primitivos.

Quem sofre de carência afetiva não tem segurança nos seus sentimentos, pois sempre pode trair ou ser traído.

Agora mesmo vemos um sintoma do quanto a oposição é carente. Explica-se.

Sabemos que o grande amor declarado da oposição maranhense é o comunista Flávio Dino, mas isso não é suficiente para impedi-la de suspirar em amor platônico quando olha os belos cabelos brancos do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo.

É que a oposição, carente como é, poderia até abandonar Dino em pelo altar caso Melo, uma vez eleito governador indiretamente, se aventurasse a romper com o grupo da governadora Roseana Sarney e disputar para valer as eleições de outubro para o governo.

Claro que essa hipótese é pouco provável de ser concretizada, mas neste  quadro de constante carência vivido pela oposição isso é possível na sua cabeça

Profundamente carente, a oposição torce para Arnaldo Melo “melar” o sonho governista de eleger Luis Fernando governador. Só que Melo sabe comer melado. Por isso não se lambuza.

Não é por acaso que ela, a oposição, vive a tentar intrigar o presidente Arnaldo Melo com a governadora Roseana Sarney ao declarar que votaria no presidente para governador.

Enfim, a oposição maranhense é carente.

Vive a procura de uma amor para chamar de seu.

Desde que esse amor declare ódio ao Sarney, diga-se.

É amor movido a ódio.

Por isso que nunca conseguiu ser feliz.

Tadinha da nossa oposição.

Snif, snif…

9

Administrando cidades, eis as mudanças

Eis as cidades:  São José de Ribamar e São Luís. São duas importantes cidades da grande ilha. A primeira foi administrada por Luís Fernando Silva (PMDB), atualmente pré-candidato ao governo do Estado e hoje, é comandada por Gil Cutrim (PMDB). Este, por sua vez, apoia a candidatura de Luís Fernando. Já São Luís é administrada por parte do mesmo grupo que disputará o Palácio dos Leões, este ano.

São Luís, como a maioria sabe, sofre com constantes trocas de secretários apenas nesta gestão. O prefeito Edivaldo Holanda perdeu um ano inteiro de mandato tentando ajustar sua equipe, com trocas, principalmente, nas áreas mais importantes da gestão – Saúde, Educação, Infraestrutura e Trânsito.

Maioria das trocas estas que vieram do mesmo grupo que atualmente pretende governar o Maranhão (reveja aqui). A cidade, com isto, permanece praticamente a mesma, apesar do discurso de mudança estar espalhado aos quatro cantos.

Já São José de Ribamar, mesmo sendo menor, apresentou grandes mudanças reais desde a administração de Luís Fernando, em 2004.  E continua apresentando atualmente com a gestão de Gil Cutrim, sucessor de Luís Fernando. É pioneira em programa educacionais,  por exemplo, estando à frente da capital ludovicense.

socorrãoSe pontuar aquilo que mudou de fato e o quê apenas permaneceu nas ideias nestas administrações em especial, o comparativo mostra que Ribamar fez acontecer, enquanto São Luís, aos poucos tenta se reerguer, por enquanto, sem sucesso.

Com redação de Aline Alencar

11

Quando se quer agregar valor é assim…

Mesmo fazendo parte de partidos de oposição ao governo do Estado, lideranças do PPS e do PCdoB continuam a aderir ao projeto do pré-candidato Luís Fernando Silva.

Secretário estadual de Infraestrutura, Luís Fernando está recebendo apoio de prefeitos e lideranças de partidos de oposição. Aos poucos, a debandada é grande, já que alguns não acreditam mais no projeto da oposição.

Vamos dar a maior votação para Luis Fernando porque não queremos ver o Maranhão morrer nãos mãos da oposição. Essa oposição que já demonstrou por sete anos não ter capacidade de fazer o Maranhão se desenvolver – declarou o prefeito Magno Amorim, do PPS, durante encontro organizado em Itapecuru-Mirim, no último sábado.

Este é um dos exemplos de quem prefere argumentos aliado a ações e não o mesmo discurso de sempre que não agrega valor algum ao desenvolvimento do Estado…

Com redação de Aline Alencar

12

Oposição de verdade…

Abaixo, um comentário publicado neste blog que vale a pena ser lido. Aborda, com lucidez o que este blog e outras autoridades da política vem argumentando: o quanto boa parte da oposição gosta de apontar erros sem, contudo, apontar soluções.

Mais ainda, o comentário aborda sobre o que é ser oposição de verdade.

Eis aqui uma lição e também uma reflexão…

(sic) “Meus amigos, esse grupo que se faz passar por oposição, tanto já sabe como tem a plena consciência da importância do trabalho desenvolvido pela governadora roseana, principalmente neste seu ultimo mandato. Isso é tão verídico que a única forma de impedir a governadora fazer o seu sucessor, só se for por uma estratégia bem montada no sentido de desmoralizar o governo, e que quase consegue.

Nem que pra isto custasse o tudo pelo poder, ou seja, denegrir a imagem de todos nós maranhenses nos humilhando chegando até ao ponto de massacrar e assassinar pessoas inocentes, como o caso de ana clara.

Meus amigos, em nenhum momento eu tive dúvida de que tudo isso que aconteceu ao ponto de crimes terríveis e chocantes tirando as vidas de inocentes,
que não tivesse algo por traz. Claro, não sou eu quem estou afirmando, e sim, os subsídios quase comprobatórios conforme relatam os dispostos nesta matéria.

Meus amigos, isso é mais do que grave e muito mais do que sério. Vocês agora entendem os motivos que me levam a dizer que aqui no maranhão, não tem oposição ao grupo sarney? Pode até já ter tido nos últimos 30 anos, mas no presente não existe. Existe sim, um grupo fantasiado, maquiado liderado por um comunismo ditador muito mais maquiado e fantasiado que passa uma febre cerebral distribuída por meios de gotas vi rosas em alguns conterrâneos maranhenses os quais já começam refletir que não tem como esconder que a mascara já caiu.


Meus amigos, oposição de verdade confronta os seus adversários mostrando fatos concretos. Ela não simula fatos, e muito menos arma estratégia para humilhar os seus conterrâneos tentando desmontar o seu oposto. Oposição de verdade, apresenta um plano convincente de governo a altura de uma renovação, ela jamais fica repetindo discurso falso ideológico.

Oposição de verdade nunca deixa de estar firme para o combate das divergências nos debates das idéias nas grandes tribunas de massa popular, é o que essa aí não tem e jamais preenche esses requisitos.

Meus amigos, será se ainda é preciso recomendarmos que façamos nossas reflexões? Eu acho que não…….

Sebastião Santos da área Itaqui-Bacanga”