4

Eliziane articula retomada de cultos…

Mesmo com seu partido contrário, senadora maranhense saiu em defesa das igrejas evangélicas em reunião no Ministério do governo Bolsonaro; e liderou grupo de pastores em audiência com o ministro do STF Kássio Nunes Marques

 

Eliziane coordenou líderes religiosos em audiência com o ministro Kassio Nunes Marques

A senadora maranhense Eliziane Gama (Cidadania) teve papel importante na articulação da liberação dos cultos evangélicos e missas católicas no país.

Mesmo com seu partido, o Cidadania, contrário à liberação deste tipo de evento religioso, Eliziane articulou no governo federal a liberação dos eventos.

Na semana passada, ela liderou grupo de pastores evangélicos na audiência com o ministro do Supremo Tribunal Federal Kássio Nunes Marques, que resultou na decisão que liberou a realização dos eventos religiosos.

Ao lado do deputado federal Pastor Cezinha, líder da bancada evangélica, Eliziane articulou também a presença do pastor Enos Ferreira, que tratou especificamente das capelanias  no Maranhão.

Nunes Marques determinou no fim de semana que os cultos e as missas estão liberadas.

Na decisão, o ministro proibiu estados e municípios de editarem normas restringindo a realização do eventos religiosos.

– Foi uma decisão importante para a realização de um serviço tão importante neste momento difícil do país – disse a senadora.

0

Projeto relatado por Weverton garante até 3 mil novos leitos contra a CoVID-19

Senador maranhense foi relator do Programa Pró-Leito, que garante dedução no Imposto de Renda a empresas e pessoas que contratem leitos na rede privada regulados pelo SUS para uso na pandemia de coronavírus

 

Senador Weverton Rocha está na linha de frente do enfrentamento à COVID-19 no Maranhão

Um projeto relatado pelo senador Weverton Rocha (PDT) – e já aprovado no Senado – pode garantir a criação de mais de 3 mil novos leitos contra a CoVID-19 até o final de 2021.

A proposta cria o Programa Pró-Leito, que oferece dedução no Imposto de Renda a empresas e pessoas que contratem leitos de UTI na rede privada de Saúde para uso exclusivo contra a CoVID-19.

– Um dos maiores problemas que enfrentamos contra a coVID-19 é a falta de leitos para atender pacientes de CoVID-19; os hospitais públicos estão superlotados e falta recursos para tanta demanda. Por isso aprovamos aqui no Senado o projeto de lei que vai ajudar a enfrentar este desafio – explicou o Senador.

A proposta aprovada no senado vai à sanção do presidente Jair Bolsonaro e deve garantir a oferta de novos leitos em todo o país.

Weverton também já solicitou ao Ministério da Saúde informações sobre o estoque de medicamentos e oxigênios na rede pública.

– Vou usar essas informações para buscar soluções no enfrentamento da CoVID-19 – concluiu o parlamentar…

1

A Humanidade clama pela sua ajuda…

Por Simplício Araújo*

Muita gente ainda insiste em não aderir a medidas sanitárias de prevenção ao Covid-19. Pessoas lotam praias, ruas, estabelecimentos… A vacinação até hoje só imunizou cinco milhões de brasileiros com duas doses, e beiramos os quatro mil óbitos diariamente em nosso país.

As previsões de todos os especialistas apontam para as piores semanas, talvez meses, com dezenas de milhares de pessoas morrendo enfrentando a covid-19 e o colapso de um sistema de saúde que até agora tem dado conta do recado bravamente.
A comparação mais comum é que as quase quatro mil vidas seriam como mais de 10 aviões lotados caindo todo dia, sem sobreviventes. E, no caso da covid-19, não são os passageiros as únicas vítimas diárias.

Tenho conversado com muitos profissionais da linha de frente, maranhenses e de outros estados; tenho visto em seus olhos a dura realidade do ônus que já existe em outros estados e que pode chegar aqui: o de decidir quem vai primeiro para a valiosa vaga de UTI existente. Tenho ouvido soluços de profissionais relatando os momentos que antecedem a uma intubação, quando os pacientes entregam seus telefones aos enfermeiros, após o choro, a tristeza, a voz apavorada em ligações telefônicas breves, que, em 50% dos casos, é de despedida de seus entes queridos.

Tenho rezado por esses profissionais que buscam forças, mesmo exauridos após 14 meses de combate. São sempre panglossianos com suas palavras otimistas, não desnudam o crítico quadro de saúde de pessoas que são convencidas a aceitar a ventilação mecânica ao saber que é a alternativa para não sucumbirem, por insuficiência respiratória, em poucas horas.

Também rezo e peço luz divina na mente de pessoas que acreditam em tudo o que leem nos grupos de redes sociais e que estão de costas para a ciência; que não seguem normas de controle sanitário e medidas restritivas ao bradarem que um “tratamento precoce” cura e resolve. Rezo por gente que me alcança até pela madrugada pedindo ajuda para encontrar um leito, e também pelos que só enxergam interesses individuais; desde pequenos prazeres a grandes lucros, colocando os interesses da coletividade em segundo plano.
Essa receita do tratamento precoce gerou tragédias como a de Manaus, Porto Alegre, Araraquara, e vai gerar onde não for compreendido que as medidas sanitárias devem ser obedecidas.

Também peço sempre a Deus pelos parentes e pelas vítimas desse vírus, e tenho lutado para ajudar a evitar mais mortes. Acredito que cada um pode fazer a sua parte; seja um simples cidadão ou mesmo uma empresa.

Esta pandemia é uma prova de fogo para a humanidade, e por isso o peso deve ser compartilhado. Não podemos deixar todo o peso sobre os profissionais de saúde ou pessoas que estão trabalhando na retaguarda deles. Acima de tudo, não podemos sabotá-los impingindo mais peso ainda nas suas difíceis missões.

Precisamos todos ajudar, mostrar que temos responsabilidade, e exercer a nossa liderança em casa, na rua, no bairro, no trabalho, na igreja, na administração pública e na política de saúde, para que tenhamos o máximo de pessoas vivas para ajudar na reconstrução de nossas cidades, estados e países.

Precisamos dar o melhor de nós. Ter os melhores de nós na liderança dessa guerra fará toda a diferença. A hora pede líderes sensíveis a todos e não apenas à sua própria situação ou seu entorno; solícitos e dedicados a fazer o bem e ter empatia com o próximo.E líderes solidários com o momento plural que ainda está permeado por egoísmos individualistas.

Acredite, você pode contribuir! A humanidade está clamando pela sua contribuição.

*Secretário de Indústria e Comércio do Maranhão

1

Zé Inácio ressalta importância de auxílios garantidos pelo governo

Deputado destacou em discurso na Assembleia apoio a diversas categorias neste período de pandemia no Maranhão, o que vai ajudar na sobrevivência de profissionais em situação de vulnerabilidade

 

Zé Inácio participou de sessão remota na Assembleia Legislativa e destacou os auxílios do governo a diversas categorias

Em discurso, durante sessão remota da Assembleia, o deputado Zé Inácio (PT) parabenizou as ações divulgadas e determinadas pelo Governador Flávio Dino na última semana. 

“Quero destacar e parabenizar o Governador por essas iniciativas, que tem sido em defesa da população maranhense nesse momento crítico de pandemia que nós estamos vivenciando. E dizer a importância de auxílios como vale gás, o auxilio combustível, que vai atender moto taxistas, taxistas, motoristas de Uber, também o auxílio para atender trabalhadores do setor do turismo e entre vários outros auxílios do Governo do Estado”, disse.

O parlamentar também deu destaque ao adiamento do pagamento do ICMS para micro e pequenas empresas, beneficiando cerca de 130 mil empresas.

Também foram anunciados pelo governo do estado os auxílios:

– Auxílio Emergencial para trabalhadores do setor de eventos, parcela única de R$ 600. 

– Auxílio Emergencial para guias de turismo e empresas de transporte turístico, parcela única de R$ 600 e R$ 1000, respectivamente.

O governo do estado também já havia destinado auxílio emergencial para o setor da cultura e de bares e restaurantes.

Para o segmento cultural foi pago auxílio no valor de R$600,00 e de R$1000,00 para bares e restaurantes. 

5

CoVID-19: comunicação é profissão de risco…

A exposição contínua às possibilidades de contaminação pelo coronavírus transforma radialistas, jornalistas e outros profissionais de mídia em classe com alto grau de contaminação e mortes, com perdas significativas em apenas um ano de pandemia

 

Rosenira Alves, Juarez Souza e João Batista Matos foram alguns dos profissionais mortos pela coVID-19 em 2021

A  lista começou com Roberto Fernandes, âncora do grupo Mirante, ainda no início da pandemia; e continuou esta semana, um ano depois, com a morte do vereador João Batista Matos.

O fato é que, seja pela repercussão natural da carreira, seja pela frequência com que as mortes têm sido registradas, os comunicadores parecem ser uma das categorias mais atingidas pela pandemia de coVID-19, pelo menos no Maranhão.

Obrigados a se expor diariamente aos riscos de infecção pelo coronavírus – mesmo mantendo todo o protocolo de proteção – jornalistas, radialistas, repórteres fotográficos, filmakers acabam atingidos por ter que estar nos locais considerados críticos.

É a partir dos profissionais de imprensa que a população fica sabendo a situação da pandemia; e para dar esta informação, este profissional precisa estar nos ambientes onde a situação esteja ocorrendo.

Tanto na correria do dia dia, na presença direta no acontecimento, quanto no recebimento de autoridades e personagens nas entrevistas em estúdios, o jornalista acaba se expondo aos riscos da doença. 

Roberto Fernandes foi a primeira vítima da coVID-19, ainda no início da pandemia, em 2020, o que expôs o risco da categoria

Somente nestes primeiros três meses de 2021 a CoVID-19 levou os jornalistas Juarez Sousa, Rosenira Alves e Batista Matos, que atuavam com destaque na imprensa maranhense.

Além deles, outros profissionais também perderam a vida para o coronavírus no interior.

Ao longo de 2020 foram diversos outros membros da categoria mortos pela pandemia, em São Luís e no interior, o que transforma a profissão em atividade de risco neste período.

O que precisa ser visto com  atenção pelas atividades sanitárias do país…

1

Simplício Araújo na articulação entre governo e empresários

Inteiramente envolvida inteiramente envolvida na guerra contra o novo coronavírus, a equipe do governador Fla´vio Dino (PCdoB) tem destaques importantes na efetivação das medidas.

Neste aspecto, o trabalho intenso do secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, tem chamado atenção.

Coube a Simplício Araújo o papel de articulador na relação complexa, e às vezes tensa, do governo com os setores econômicos, a começar pelo comércio varejista.

O secretário foi figura-chave em todos os momentos que o governador Flávio Dino precisou acioná-lo para sentar com líderes empresariais para negociar com eles situações que permitissem ao Governo aplicar duras medidas restritivas sem que a área econômica fosse castigada em demasia.

Em todas elas teve bom desempenho.

Primeiro suplente de deputado federal e presidente do Solidariedade no Maranhão, Simplício Araújo poderia estar no exercício do mandato, vivendo, portanto, uma realidade bem mais amena.

Preferiu, porém, a pauleira de comandar uma pasta frente a pandemia.

E, até onde é possível avaliar, está fazendo sua parte.

2

Roberto Costa e Edvan Brandão agradecem novo Hospital de Campanha em Bacabal

Na tarde desta terça-feira, 29 de março, o Deputado Roberto Costa esteve em Bacabal com prefeito Edvan Brandão na abertura do hospital de campanha da Cidade. Com 30 leitos de enfermaria e 5 de UTI, a UPA é uma parceria do Governo do Estado com a prefeitura de Bacabal. Com a ampliação, a cidade de agora conta com 16 leitos de UTI.

O hospital irá garantir o atendimento de toda a população do baixo Mearim. Este grande feito reforça que a parceria do Governo do Estado com a prefeitura do município está dando certo. “É garantindo atendimento à população que vamos superar as dificuldades causadas pelo COVID-19 e voltar à normalidade” esclareceu o deputado.

Na oportunidade, o deputado Roberto Costa e o prefeito, Edvan Brandão, agradeceram ao Governador Flávio Dino, como também ao Secretário Estadual de Saúde, Carlos Lula, por essa grande parceria que irá beneficiar a população e trazer muitos ganhos para região.

1

Consórcio liderado pela Famem garante mais que vacina aos municípios

Além de acesso à compra do imunizante, grupo de prefeituras poderá conseguir produtos e serviços com mais agilidade e menos custos, além de garantia de maior volume de recursos federais e até internacionais

 

Erlânio Xavier conduz a articulação de prefeitos para cesso ás vacinas contra a COVID-19 e mostra influência municipalista

O consórcio criado pela Famem com objetivo de reunir municípios na compra de vacinas contra a CoVID-19 já tem 11 associados e deve comprar os primeiros imunizantes áinda em abril.

Mas o consórcio, formado com base na Lei nº. 11.107/2005, vai além do acesso à vacina.

Associado a um grupo de municípios, as prefeituras podem ter facilidade noa cesso a bens e serviços públicos, além de garantir maior volume de recursos federais e até internacionais.

– Quanto mais consorciados, maior a efetividade e poder de negociar em melhores condições a aquisição de produtos e serviços, ganhando agilidade no atendimento das demandas públicas – explica o presidente da entidade municipalista, prefeito Erlânio Xavier (PDT). 

A agilidade na realização de serviços e obras por intermédio de consórcios, se dá, por exemplo, por adesão às atas de obras públicas – como asfaltamento – sem a necessidade de realização de licitação própria.

– O consórcio é um importante meio de concretização do federalismo cooperativo e instrumento de implementação de políticas públicas mais eficientes, trazendo para o âmago municipal e regional as discussões de temas inerentes aos interesses intermunicipais – conclui Xavier, um dos mais influentes líderes municipalistas da atualidade.

0

Maranhão pode chegar a 6 mil mortos por CoVID-19 nesta terça-feira…

Recorde de óbitos registrados na segunda-feira, 29, elevou o número de falecimentos para 5.991 até agora, faltando nove casos para o alcance do triste recorde, mesmo com todas s medidas de restrição do governo

 

As mortes têm aumentado no Maranhão, mesmo com as medidas de restrição contra a CoVID-19 impostas pelo governo Flávio Dino

O Maranhão pode chegar à triste marca de 6 mil mortes por CoVID-19 ainda nesta terça-feria, 30.

O estado está a nove casos deste triste recorde.

Na segunda-feira, 29, o Maranhão registrou nada menos que 42 morte sem 24 horas, mais um triste recorde, mesmo com todas as medidas de restrição impostas pelo governo Flávio Dino (PCdoB).

As autoridades do governo, aliás, parecem não se entender em relação á pandemia de coronavírus.

O governador Flávio Dino decidiu afrouxar as medidas de restrição, liberando bares, restaurantes para funcionamento com 50% de capacidade, além de abertura de aulas em escolas particulares.

Já o secretário de Saúde, Carlos Lula, tem alertado diariamente para os riscos de “piores dias” no estado do maranhão ainda por chegar.

E neste clima de indefinição perde-se vidas diariamente…

0

500 vacinas por dia, promete prefeito de Santa Rita

O prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, anunciou nesta segunda-feira (29), que ele tem como meta aplicar 500 doses da vacina contra covid-19 por dia. Na última sexta-feira (26), a Prefeitura recebeu 5360 doses, as quais são destinadas para a população quilombola e ribeirinha.

De acordo com a Prefeitura de Santa Rita, 871 famílias ribeirinhas vão receber a vacinação nos povoados Kelrú, Desmatado, Morada Nova, Santa Filomena I, Santa Filomena II, Centrinho III, Maribal, Canta Galo, Careminha, Areias, Porto Alegre, Santa Bárbara, Timbotiba, Domuqueque, Santa Luzia e Caruarú.

Outras 2.413 famílias de áreas quilombolas também vão receber a imunização. Os povoados dessas localidades são: Fé em Deus, Pedreiras, Cariongo, Santana, Santa Bárbara, Ilha das Pedras, Sítio do Meio, São José do Enfesado, Santa Luzia, Areias, Santa Rita do Vale, Cajueiro, Ilha das Pedras, Recurso, Fogoso, Jiquiri, Santa Filomena, Rampa, Morada Nova, Kelrú, Mulato, Abana Fogo, Vale quem Tem, Alto de Pedra, Careminha, Carionguinho, Timbotiba, São Raimundo da Felicidade e Maniva.

Com a aplicação de 500 doses, a Prefeitura de Santa Rita planejar imunizar a população ribeirinha e quilombola cadastrada em apenas 10 dias, garantindo uma maior segurança sanitária a toda população do município.