0

Ricardo Murad denuncia “feira livre” de compra de votos no governo comunista

Pré-candidato a governador, cujo partido representou contra o uso da máquina por parte de auxiliares de Flávio Dino, reforçou o alerta às autoridades eleitorais

 

Ricardo Murad quer apuração da “feira livre” do governo comunista

Pré-candidato a governador pelo PRP – Partido que denunciou a compra de votos generalizada dos secretários do governo Flávio Dino, denunciada pela própria base governista na Assembleia Legislativa – classificou de “feira livre” a prática dos auxiliares comunistas.

– De tanto agirem com Flávio Dino para cooptação de partidos políticos, como se estivessem em uma feira livre, seus secrtários-candidatos fazem o mesmo em relação aos prefeitos. Só não esperavam que os deputados governistas  reagissem, contando em detalhes o modus operandi da compra de apoios – denunciou o ex-secretário.

A compra de votos generalizada no interior foi denunciada pelos deputados Raimundo Cutrim (PCdoB), Josimar de Maranhãozinho (PR), Vinícius Louro , Sérgio Frota (PSDB) e Stenio Rezende (DEM), todos da própria base do governo,]

A representação do PRP já está na Procuradoria-Geral de Justiça.

Cabe agora ao Ministério Público agir com rigor…

4

Para Ricardo, Flávio Dino aumentou a pobreza ao manter politicagem no governo

Pré-candidato a governador diz que o modelo de miséria é mantido pelo comunista para facilitar a cooptação de políticos; e diz que fará o governo de resultados

 

Ricardo Murad diz que Flávio Dino se utiliza de velhas práticas de manutenção da miséria

O pré-candidato do PRP ao Governo do Estado, Ricardo Murad, ressaltou em suas redes sociais o fato de a pobreza extrema no Maranhão ter aumentado no governo Flávio Dino (PCdoB).

Para Murad, o comunista manteve velhas práticas políticas, que ajudam na manutenção da miséria no estado.

– O Maranhão precisa por um fim na politicagem, que tem mantido o estado atrasado e sem futuro. O governo comunista de Flávio Dino aumentou a pobreza e perseverou nesse modelo, que faz tudo para cooptar políticos.Vou acabar com isso para fazer gestão no governo e dar resultados. Podem acreditar – escreveu Ricardo.

O IBGE divulgou estudo no final do ano que mostra aumento e 2% nos índices de pobreza extrema no Maranhão entre os anos de 2015 e 2017, exatamente o período em que Flávio Dino está no governo.

Para o pré-candidato ao governo, o comunismo de Flávio Dino só empobreceu o estado se utilizando das mesmas práticas. que dizia condenar.

Ele cita como exemplo de cooptação o deputado Josimar de Maranhãozinho (PR), antes odiado e hoje adorado pelo comunismo.

Mas esta é uma outra história…

3

Por que Flávio Dino não mudou o Maranhão?, questiona Ricardo Murad…

Pré-candidato do PRP diz que Flávio Dino não pode mais pleitear nada da população por que, após três anos de mandato, o Maranhão, sob sua tutela, ainda ocupa as últimas posições no ranking do desenvolvimento. Murad falou em entrevista a um grupo de jornalistas

 

O Flávio Dino está no último ano de mandato e não mudou nenhuma vírgula no ranking, o Maranhão era último, penúltimo, continua último e penúltimo. Tem alguma coisa errada nos governos do Maranhão. E não adianta culpar os outros. Por que o Flávio Dino não mudou e o Maranhão continua na mesma? Eu quando entrei na saúde não permiti política dentro dos hospitais e nem nas UPA’s. Mas eu consegui fazer um trabalho que mudou a realidade da saúde. Se você entrava antes numa unidade de saúde e entrou depois que assumir você vê uma coisa decente, de qualidade e de resultados, que dava satisfação ao povo. Como é que um governador passa 4 anos com todo poder que tem e não consegue mudar a realidade numa educação, porque nós temos o pior ensino. Tem alguma coisa errada no Maranhão e no meu ponto de vista é porque tudo vai pra política, tudo. Se você quer administrar a educação, a política entra. ‘Ah eu quero nomear o diretor’. ‘Ah eu quero isso’. O delegado a mesma coisa. O diretor do hospital a mesma coisa. Enquanto estiver neste modelo, o Maranhão não terá resultado de gestão. E no meu governo eu penso diferente completamente de tudo que já passou”

Ricardo Murad, pré-candidato a governador

0

A correta defesa do Maranhão feita por Ricardo Murad…

Pré-candidato a governador criticou o apresentador de TV Luciano Huck, que gravou um de seus fotógrafos classificando Alcântara de fim de mundo pelo fato de ser longe da cidade onde eles vivem

 

Com o silêncio do governador Flávio Dino (PCdoB), coube ao pré-candidato do PRP ao Governo do Estado a defesa do município de Alcântara, classificada de “fim do mundo” por um dos fotógrafos do apresentador Luciano Huck.

Para Ricardo Murad, como pessoa pública, Huck – que chegou a cogitar candidatura a presidente – nem deveria postar tal vídeo.

Mesmo porque, o próprio apresentador disse que “Alcântara é longe, muito longe”. (Veja o vídeo)

– Passam 13 horas num voo para Paris e não acham “fim de mundo”. Do Rio para cá são apenas 3 horas para se chegar a um dos lugares mais belos do mundo – frisou o ex-secretário.

O fotógrafo – que sequer foi identificado – ignorou a importância histórica de Alcântara e a proximidade do Maranhão dos grandes centros da Europa e dos Estados Unidos.

– Triste ver como ainda tem gente com essa imagem da nossa terra – lamentou Murad, marcando o próprio Luciano Huck no Facebook.

2

Vídeo do dia: o preparo de Ricardo Murad para governar o Maranhão…

Ex-secretário de Saúde lançou nesta terça-feira, 12, sua candidatura ao governo, em coletiva de imprensa em que apresentou seu plano de trabalho para o desenvolvimento do estado

Ricardo Murad reuniu jornalistas e aliados para mostrar seu plano de governo

Em reunião da Comissão Executiva do Partido Republicano Progressista (PRP), nesta terça-feira, 12, foi lançada a pré-candidatura de Ricardo Murad ao governo do Maranhão, nas eleições 2018. Na oportunidade, o ex-secretário e ex-deputado apresentou a carta de compromisso com o povo maranhense, destacando os principais projetos, ações e eixos de um programa de governo para os próximos quatro anos.

“Quero ser governador para que o Maranhão tenha um tempo de paz, de solidariedade, de desenvolvimento. Quero por fim ao fisiologismo e à cooptação política com o uso do dinheiro público. Quero um tempo de oportunidade para todos, em que o mérito irá substituir a “camaradagem” e a competência a ineficiência. Quero ser governador porque me sinto preparado para isso. Quero ser governador porque o povo maranhense quer um governo de resultados, que saiba olhar para os mais frágeis e construir um futuro forte, solidário e marcado pelo desenvolvimento. Quero ser governador, porque acredito que chegou a minha vez e estou preparado!”, declarou Ricardo.

Veja o vídeo acima…

0

Ricardo Murad dará início ao projeto governador 2018…

Ex-secretário lança oficialmente sua pré-candidatura em evento marcado para a terça-feira, 12, no Hotel Luzeiros

 

O ex-secretário Ricardo Murad vai mesmo disputar o governo do Maranhão em 2018.

Em outubro, ele anunciou seu desligamento do PMDB e filiação ao PRP, afirmando ser candidato majoritário, mas sem definir a que cargo concorreria – senador, vice-governador ou governador.

Nesta terça-feira, 12, ele ai dizer que será candidato a governador.

O lançamento da pré-candidatura de Ricardo Murad será feito no Hotel Luzeiros.

A partir daí, será correr o Maranhão…

2

Para Ricardo Murad, Vox Populi mostra que população clama por novo governo…

Pré-candidato a governador diz que o comunista Flávio Dino perde eleitores a cada dia – ainda na fase embrionária da campanha – e aposta que a oposição vencerá as eleições de 2018

 

O quadro de Ricardo Murad mostra o cenário da eleição

O ex-secretário de Saúde Ricardo Murad (PRP) analisou como um recado direto do eleitorado o resultado da pesquisa Vox Populi, divulgada nesta segunda-feira, 4, sobre a sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB).

– Os nomes da oposição já somam 52%. O resultado confirma a insatisfação cada vez maior com o governo comunista que não cumpriu nada do que prometeu – afirmou Murad.

Segundo ele, o resultado é catastrófico para Ricardo Murad, sobretudo, pelo fato de a campanha ainda estar na fase embrionária.

– Como digo, a população clama por um novo governo. Flávio Dino, eleito com 68% dos votos, a cada dia perde mais eleitores. Nesta pesquisa do Instituto Vox Populi, está com apenas 37% das intenções de votos – provocou o pré-cadidato.

3

A previsível ação dos comunistas…

Governo usa braços em setores da sociedade para criar embaraços ao ex-secretário Ricardo Murad apenas três dias depois de ele se apresentar como pré-candidato nas eleições de 2018

 

Ricardo Murad provocou reações rápidas no comunista Flávio Dino

O ex-secretário Ricardo Murad entrou imediatamente na linha de tiro do governo comunista logo após anunciar-se interessado na disputa de 2018. Uma juíza denunciada por ele ao Conselho Nacional de Justiça decidiu julgá-lo no âmbito eleitoral e torná-lo inelegível.

A ação dos comunistas – diretamente ou por intermédio de braços judiciais, policiais ou midiáticos – é sempre tão previsível que se recusa até a acreditar que ela possa ser posta em prática.

E tem sido assim nos últimos três anos, desde que o comunismo tomou conta do Maranhão.

O governador Flávio Dino e seus principais secretários usam toda a estrutura de que dispõem para perseguir, intimidar, constranger ou pressionar quem tenta fazer contraponto às suas ações.

O próprio Ricardo Murad já foi vítima deste aparelhamento da máquina pública.

O ex-secretário chegou a ser constrangido a uma condução coercitiva para prestar esclarecimentos – embora o desejo do comunismo instalado no Palácio dos Leões fosse prendê-lo mesmo.

Flávio Dino tem instrumentos judiciais, policiais e midiáticos para criar um clima de estado de exceção no Maranhão.

Já usou membros do Ministério Público, como o notório promotor José Roberto Ramos, contra a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB); usa de sua tropa-de-choque midiática constantemente contra o senador Roberto Rocha (PSDB) e atuou pessoalmente contra a ex-prefeita Maura Jorge (Podemos), coincidentemente todos pré-candidatos ao governo.

E pelo que se vê, o comunista não se fará de rogado em usar esse aparelhamento contra quem se atrever a enfrentá-lo politicamente.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

1

Andrea Murad e Sousa Neto reforçarão bancada do PRP…

Apesar da saída de Max Barros, partido ampliará sua base na Assembleia com a chegada dos dois parlamentares, que seguem o projeto do ex-secretário Ricardo Murad

 

Sousa Neto e Andrea Murad seguirão Ricardo Murad no PRP

Os deputados estaduais Sousa Neto (Pros) e Andrea Murad (PMDB) devem anunciar ainda nesta quinta-feira, 26, filiação ao PRP, ampliando a bancada da legenda na Assembleia Legislativa.

Os dois deputados seguirão o projeto do ex-secretário Ricardo Murad, que confirmou ontem uma candidatura majoritária nas eleições de 2018. (Releia aqui)

Após a transferência de Ricardo Murad do PMDB para o PRP, o deputado Max Barros deixou o partido.

Mas o gesto de Barros acabou ampliando a bancada da legenda na Casa, que agora terá dois parlamentares.

Max Barros ainda não definiu que rumo partidário tomará…

2

Ricardo Murad confirma: disputará cargo majoritário em 2018…

Ex-secretário demonstra interesse no cargo de governador, mas não descarta uma candidatura ao Senado ou mesmo uma composição que o ponha como vice de uma chapa de oposição ao governo Flávio Dino

 

Ricardo Murad com Andrea Murad: candidato a cargo majoritário

O ex-secretário Ricardo Murad (PRP) confirmou nesta quarta-feira, 25, que vai mesmo disputar um cargo majoritário nas eleições de 2018.

– Não disputarei a eleição proporcional [para deputado estadual e deputado federal]. Serei candidato no pleito majoritário – confirmou Murad, segundo revelou o blog de Gláucio Ericeira.

Ricardo reuniu parte da imprensa em um almoço em sua casa, para falar do seu projeto eleitoral após filiação ao PRP.

Seu interesse é concorrer ao governo, mas ele não descarta disputar o Senado ou mesmo uma caga de vice-governador.

– Vou me apresentar ao povo maranhense e dizer a ele o que eu faria, caso fosse eleito governador do Maranhão – disse.

Uma coisa o ex-secretário deixou claro: fará oposição ferrenha ao governo Flávio Dino.

– Basta observar os principais setores como saúde, educação, segurança pública e infraestrutura. Não há nada de novo, apenas ações corriqueiras e que já vinham sendo realizadas por outros governos. A mudança prometida por ele não deu certo e agora, como político tradicional que ele é, tenta utilizar da cooptação partidária para criar uma superestrutura e sufocar os demais pré-candidatos – disse.