0

Aluisio Mendes critica desmonte das Unidades de Segurança Comunitária…

O deputado Aluisio Mendes criticou duramente o processo de desmonte das Unidades de Segurança Comunitária (USC) instaladas em São Luís durante a sua gestão na Secretaria de Segurança Pública e que reduziram em até 80% os índices de violência nas áreas abrangidas. Para o parlamentar, o atual governo estadual está favorecendo o aumento da criminalidade ao não dar continuidade ao trabalho de interação entre as polícias e as comunidades.

“Hoje na Vila Luizão, por exemplo, a comunidade se distanciou da USC, por que já não conta mais com a estrutura que instalamos para devolver àquelas famílias o direito de viver com segurança. O que se tem notícia agora é que até os policiais capacitados para atuar na segurança comunitária foram vítimas da ação de bandidos e a maioria não está mais naquela unidade”, lamentou Aluisio Mendes.

As USCs implantadas na Vila Luizão e no Coroadinho contavam com câmeras de videomonitoramento cobrindo o perímetro de todo o complexo policial, dando ao comando de cada unidade um controle, 24 horas por dia, de toda a movimentação. As unidades também serviram de espaço para a oferta de cursos profissionalizantes e projetos sociais para os moradores.

Na área de abrangência da USC da Vila Luizão, com uma população de aproximadamente 120 mil moradores, o policiamento reforçado 24 horas era feito a pé, em motocicletas, quadriciclos e viaturas. Na USC Coroadinho, cerca de 80 mil moradores dos 28 bairros abrangidos foram beneficiados com o policiamento realizado em parceria com a comunidade.

“Quando a USC foi instalada, os policiais conversavam com os moradores, a comunidade estava presente dentro da unidade, o policiamento era 100%. Mas aqueles policiais que foram capacitados para a segurança comunitária não estão mais na Vila Luizão, e a violência voltou a crescer”, relata a líder comunitária Maria da Glória.

Para a moradora Maria Raimunda Santos, que integra o Conselho Comunitário pela Paz da Vila Luizão, os criminosos voltaram a ocupar o bairro graças à desestruturação da USC, pois há inclusive inquérito para investigar o sumiço de computadores, carregadores e armas da unidade. “Hoje a USC nem atende mais os pedidos de socorro dos moradores”, acrescentou.

O presidente da Associação de Cultura e Lazer da Coheb, Joelson Garcez Lima, a USC é uma iniciativa que deu excelentes resultados e por isso deve ter continuidade. “Os policiais são conhecidos e bem relacionados com a comunidade, e a criminalidade reduziu drasticamente em nosso bairro”, finalizou.

Aluisio Mendes disse ter ficado surpreso com a entrevista em que o secretário Jefferson Portela afirma que as USCs não funcionaram e que serão substituídas por conselhos pela paz, desfigurando uma iniciativa de sucesso por ter a marca do governo anterior. Para ele, o atual governo deveria ouvir a opinião das comunidades e de pessoas como o atual subcomandante da Polícia Militar do Maranhão, Jorge Luongo, que era um dos maiores entusiastas das USCs.

“Os conselhos pela paz não têm nenhuma estrutura, não contam com o apoio das forças policiais e ainda não tiveram nenhuma atuação efetiva. O atual governo deveria aproveitar uma iniciativa que já deu certo e expandi-la, colocando a segurança da população sempre em primeiro lugar”, finalizou ele.

3

Policiais retomam tentativa de diálogo com governo comunista…

Representantes das polícias Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros reuniram-se com deputados estaduais, sob a coordenação de Júnior Verde, para discutir questões sobre a carreira no Maranhão

 

Júnior Verde conduzindo o diálogo com policiais e bombeiros

O deputado Júnior Verde (PRB) conduziu reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia com representantes dos policiais militares, civis e bombeiros do Maranhão para definir uma agenda de trabalho que vise a retomada do diálogo com o governo Flávio Dino (PCdoB).

Os militares e civis querem reativar o Decreto Governamental instituído pelo governador Flávio Dino em 2015. Assinado no início da gestão, o instrumento cria uma comissão representativa de praças e oficiais para discutir pontos da carreira como promoção, transferência e  reajuste salarial.

– Foram dois anos sem avanço algum. Precisamos voltar a conversar com o Governo do Estado para que nossas muitas demandas sejam atendidas – desabafou o sargento bombeiro Jean Marry, que é presidente da Associação dos Militares Bombeiros do Maranhão.

No comando da comissão, Júnior Verde garantiu que a Assembleia vai estabelecer uma agenda permanente para melhorar a Segurança Pública no Estado.

– Pretendemos nos reunir todas as semanas para retomar as comissões representativas junto ao Governo. O diálogo será retomado, bem como acompanharemos todas as reuniões e buscaremos resultados – afirmou o parlamentar.

Além da valorização dos servidores, os representantes policiais querem a reestruturação de todo o sistema de Segurança.

2

Aluisio Mendes quer punição mais dura para assassinos de policiais…

Membro da Comissão Especial da Câmara Federal que estuda o crescente número de mortes de policiais em serviço alerta sobre a necessidade de políticas para esta questão

Aluisio defende punição rigorosa

O deputado federal Aluisio Mendes (PTN) é um dos principais defensores de mudanças na legislação, para tornar mais rigorosa a punição a criminosos, e de mais investimentos em segurança pública.

– É urgente que o Brasil acorde para esse número absurdo. Policiais morrem às centenas e nem mesmo a sociedade se sensibiliza mais. É preciso lembrar que esses profissionais são pais, mães, filhos e filhas que saem de suas casas para trabalhar em defesa dos cidadãos e não sabem se voltam para suas famílias – enfatizou Aluisio Mendes.

A comissão criada na Câmara Federal para avaliar o crescente número de policiais mortos em serviço no Brasil inicia seus trabalhos na próxima semana, e tem como membro o deputado Aluisio Mendes.

Ele defende a tomada de medidas urgentes em defesa dos profissionais que arriscam suas vidas diariamente combatendo a criminalidade.

De acordo com o anuário publicado ano passado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, entre 2009 e 2015 o número de policiais brasileiros mortos em serviço foi 113% maior que o de policiais americanos.

Dos 358 agentes vítimas de homicídios em 2015, 103 estavam em serviço quando foram assassinados.

0

Roberto Rocha defende municipalização da Segurança…

Em sua participação na sabatina do ministro Alexandre Moraes, o senador maranhense defendeu questões como a Justiça Municipal e a construção de presídios municipais

 

O senador Roberto Rocha (PSB) mostrou preocupação com a questão da Segurança Pública ao participar da sabatina do ministro Alexandre de Moraes, indicado para o Supremo Tribunal Federal.

Rocha tratou de temas específicos para uma possível municipalização da Segurança, como a criação da justiça municipal e a construção de presídios municipais para presos por delitos de menor potencial ofensivo.

– A gente não vê os parlamentares se voltarem para a construção de presídios, fazer emendas para a construção de presídios. E a população brasileira está se sentindo cada vez mais insegura – disse Rocha, que alertou ainda para o agravamento da situação, caso não sejam criadas políticas públicas de segurança.

– O sistema prisional é uma bomba de efeito retardado que está para estourar e não está à vista das pessoas. Ao contrário, quando você fala em fazer um presídio em uma cidade a população fica contra, então a tendência é ficar pior. É uma reação em cadeia: quanto mais você melhora o sistema policial, mais pressiona o sistema prisional – comparou. (Veja o vídeo acima)

Em resposta ao senador Roberto Rocha, Alexandre Moraes, até então indicado para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), se disse favorável a uma maior participação dos municípios na segurança pública.

– Quem conhece os locais, quem conhece onde é melhor de patrulhar é o próprio município e o estado aproveitaria essa folga de efetivo para o combate à criminalidade intermunicipal, principalmente – afirmou o ministro.

6

Duas manchas na ficha policial do governo Flávio Dino…

Desaparecimento de PMs em Buriticupu e assassinato de estudante em Balsas são duas marcas negativas do setor de polícia no governo comunista; situações que nivelam por baixo o sistema de Segurança Pública

 

Os policiais desaparecidos e um carro queimado: suspeitas e mistérios…

 

Nem a polícia do Rio de Janeiro, tida como uma das mais corruptas do Brasil, seria capaz de uma trama dessas:

Dois policiais militares desaparecem como que por encanto, sob suspeitas de queima de arquivo e envolvimento dos próprios colegas de farda; e a cúpula da Segurança não consegue – ou parece não querer – dar as respostas necessárias ao caso.

Nem a policia do Rio de Janeiro, tida como uma da mais violentas do Brasil, seria capaz de uma ação dessas:

Policiais sem nenhuma identificação perseguem e executam uma estudante na frente de familiares dela; e a cúpula da Segurança Pública não consegue – ou parece não querer – dar respostas necessárias ao caso.

A estudante de Balsas e o seu carro após a execução da polícia: simplesmente um crime de assassinato

Foram dois fatos recentes.

O primeiro ocorreu em Buriticupu há mais de três meses. (Saiba mais aqui)

O outro ocorreu em Balsas, em dezembro. (Veja aqui)

Os dois caso são cercados de mistérios; e a movimentação da Polícia Militar e da Polícia Civil parecem ter o objetivo apenas de esconder informações.

E o governador Flávio Dino (PCdoB) mantém silêncio sobre o assunto, não cobra absolutamente nada e parece satisfeito com o trabalho de sua cúpula policial no estado.

No caso de Buriticupu, até a Polícia Federal já teria ouvido testemunhas, mas também segue o estranho roteiro do silêncio, sem nenhuma explicação à sociedade e à família dos dois desaparecidos, que clamam por respostas.

São duas manchas escuras no setor de segurança do governo Flávio Dino.

E os comunistas parecem conviver muito bem com isso…

7

Sumiço de PMs em Buriticupu pode derrubar cúpula da Segurança…

Policiais podem ter sido mortos em uma trama que envolve roubo de cargas, de madeira e por relação com o tráfico de drogas em uma das regiões mais violentas do Maranhão; episódio, que completou três meses na sexta-feira, 17, parece acobertado pela própria polícia

 

PMs que desapareceram desde novembro; suspeita recai sobre PMs

A pressão de entidades de direitos humanos e a cobrança de familiares do próprio governador, podem levar o comunista Flávio Dino a demitir toda a cúpula da Segurança Pública por causa do desaparecimento de dois policiais militares em Buriticupu.

Os PMs Carlos Alberto Constantino Sousa e Júlio César da Luz Pereira desapareceram em 17 de novembro de 2016.

Este blog já publicou áudios de testemunhas que afirmam terem visto os dois policiais sendo conduzidos por oficiais da própria PM, ocasião em que desapareceram. (Releia aqui)

Há suspeitas de que os policiais tenham desaparecido como queima-de-arquivo de uma trama que envolveria roubo de cargas, extração ilegal de madeira e tráfico de drogas na região do Gurupi.

Caminhonete na qual foram encontrados dois corpos queimados; silêncio da polícia

Em janeiro, dois corpos carbonizados foram encontrados em uma caminhonete queimada, em Pastos Bons. (Leia aqui)

A polícia nunca deu resposta do exame nos corpos.

Membros de entidades de direitos humanos e familiares do próprio governador ligados à Sociedade dos Direitos Humanos estariam acusando a cúpula da Segurança Pública de minimizar as investigações para acobertar eventuais envolvidos da própria segurança.

Diante da pressão, Flávio Dino pode derrubar toda a cúpula para dar uma resposta à sociedade.

Até agora, ninguém fala sobre o sumiço dos PMs…

8

Não há motivos para greve da PM no Maranhão…

Convocação de reunião por grupo de esposas de policiais militares – anunciada sexta-feira – é uma ameaça à segurança pública, que soa oportunista, diante da greve da PM no Espírito Santo, que encerrou também na sexta-feira

 

Policial sendo condecorado pelo governador Flávio Dino em formatura da PM; não há motivo para greve

Blogs de diversas tendências políticas anunciam, desde a sexta-feira, 10, uma convocação de grupos de esposas e associações de policiais militares para uma reunião de urgência na tarde deste domingo, 12.

Para muitos, o chamado soou como alerta para um eventual indicativo de greve de policiais militares no Maranhão.

Mas não há nenhum motivo para isso.

Primeiro que os PMs maranhenses – e não de agora – podem reclamar de vários problemas enfrentados na profissão, menos de condições salariais. No Maranhão, paga-se – e não de agora – um dos melhores salários da categoria no país.

Segundo, que qualquer manifestação de policiais neste momento de terror e preocupação resultante da paralisação de PMs no Espírito Santo – inclusive já encerrada – soará oportunista.

A paralisação da PM-ES, que alarmou o Brasil inteiro, não pode servir de exemplo para cidadãos em plena consciência do dever.

E é neste aspecto que o blog repete:

Não há motivo para greve de PMs no Maranhão…

2

“Governo comunista não respeita as polícias”, acusa Sousa Neto…

Sousa Neto volta a cobrar atenção às polícias

Em seu primeiro pronunciamento no ano legislativo de 2017, na sessão plenária desta quinta-feira, 9, o deputado estadual Sousa Neto (PROS) voltou a criticar a segurança pública do governo Flávio Dino (PCdoB), e falou do caos instalado no Espírito Santo, com a paralisação dos policiais militares.

– O caos instalado no Espírito Santo traz uma preocupação muito grande para nosso Estado. Temos alertado há muito tempo sobre as condições da PM e da Polícia Civil. A Associação das esposas dos militares daqui há mais de dois anos vem reclamando que seus maridos saem de casa para trabalhar e não sabem se retornam – alertou o parlamentar.

– Temos um governo truculento e que não respeita as classes. Um governador que é comunista. Um secretário de Segurança comunista. Desde que o comunismo assumiu o governo, não se dialoga com as polícias. Ficou só na promessa. Nosso temor é que o Maranhão passe pelo que está passando o Espírito Santo, pela forma como Flávio Dino trata os nossos policiais, e isso não é só na capital. Todo o interior está nessa situação calamitosa por falta de contingente de policiamento e de estrutura – disparou.

Sousa Neto chamou a atenção dos colegas parlamentares para o texto publicado pelo PCdoB nacional no Portal Vermelho, em defesa do movimento dos pms do Espírito Santo.

– O que se vê é uma incoerência de discurso e de ideias da executiva do PCdoB do Espírito Santo, que lá é oposição e não está no poder, com a do Maranhão. Esse deveria ser o mesmo pensamento ideológico de Dino e seu grupo, o de dialogar, de sentar para resolver as questões dos militares e civis. Desde que o comunismo assumiu o governo que não conversa com os policiais, que não trata das reivindicações, de melhorias salariais e nem das condições de trabalho.

O parlamentar disse que o governo tenta enganar a população com falsas propagandas.

– A Segurança da propaganda comunista mostra que tem mil novos policiais, novas viaturas e na realidade não tem isso que eles falam. As viaturas não são novas, não estão chegando mais viaturas nos municípios. Elas estão sendo trocadas por outras alugadas por Flávio Dino. Já solicitamos ao secretário Jefferson Portela, informações sobre esses contratos de locações de veículos para a PM – concluiu.

0

Aluisio quer prioridade em projetos da área de Segurança…

Mendes retoma mandato com prioridade para a Segurança

O deputado Aluisio Mendes (PTN) retorna ao plenário da Câmara Federal nesta quarta-feira, 1º, pregando prioridade para a análise de projetos que visem mudanças na legislação penal e mais investimentos em segurança pública. Ele é autor de projetos de lei que tornam mais rigorosa a punição a criminosos no Brasil.

“Em janeiro estivemos com o presidente Michel Temer, apresentando propostas para resolver a crise carcerária e outros graves problemas na segurança pública brasileiro. E nós, parlamentares oriundos da área, queremos dar a nossa contribuição para solucionar essa que é hoje uma das maiores preocupações da população: o aumento da criminalidade”, destacou.

Alterar os requisitos para a progressão de regime de cumprimento de pena e concessão do livramento condicional é o objetivo do projeto de lei 3718/2015, de autoria de Aluisio Mendes.

Ele propõe, entre outras alterações, que o preso só tenha direito a progressão quando tiver cumprido pelo menos dois quintos da pena no regime anterior e ostentar bom comportamento carcerário comprovado por uma equipe multidisciplinar de avaliação.

O deputado também é autor do projeto de lei que aumenta de 30 para 50 anos o limite temporal de cumprimento das penas privativas de liberdade, para que seja alcançada a proporcionalidade necessária entre esse patamar e a expectativa de vida atual da população.

Outra PEC de Aluisio Mendes propõe que o auxílio previdenciário hoje destinado a famílias de presos – com o teto atual de R$ 1.157,00 – seja garantido aos familiares de pessoas assassinadas por criminosos.

“No nosso país, há uma inversão de valores. As pessoas de bem, vítimas da criminalidade, perdem seus entes queridos e não recebem nenhum amparo do Estado. É preciso reverter essa injusta realidade”, conclui.

4

Ao 30 anos de polícia, coronel desabafa sobre situação da tropa…

Coronel Sá diz que burocracia e falta de estrutura na PM impede a corporação de fazer o ciclo completo do trabalho na área. ele cobra também promessas feitas desde o governo Luiz Rocha

 

Coronel Raimundo Sá: 30 anos de dedicação à PMMA

Em artigo-desabafo publicado no blog do Professor Caio, o coronel PM Raimundo Nonato Sá fez uma espécie de histórico da carreira na Polícia Militar.

O oficial é da chamada turma “barra 87”, que completa 30 ano de serviços prestados em 2017.

– Infelizmente, muitos de nos tombamos e outros ficaram incapazes para o serviço ativo, mais tudo isso, não fez com que nos deixássemos de trabalhar com afinco, dedicação, abnegação e compromisso com a proteção da comunidade, apesar de muitas das vezes não sermos reconhecidos – desabafa o coronel, que chegou as er sub-comandante da corporação.

Em seu artigo, coronel Sá diz ainda que a PM maranhense atua apenas como meia-polícia, por que é impedida de fazer o ciclo completo do seu trabalho.

– Não concordamos, por isso criamos outras atividades para apoiar e combater a criminalidade, para melhorar ainda mais eficiência da corporação, tipo o SERVIÇO DE INTELIGÊNCIA, ROTAM, COSAR, UTC, etc. Para não deixar os crimes sem soluções. Algumas vezes estamos sozinho, olhamos que a PM, sociedade e o estado nos abandona; mesmo assim continuamos trabalhando , superando nossas dores, mágoas e obstáculos – desabafa.

Além de agradecer agentes da Assembleia, do próprio governo e da imprensa, o coronel Sá ressalta a importância de investimentos na PM, tanto no que diz respti9o a equipamentos quanto na formação da força humana.

– Esperamos que sejam cumpridas as promessas que nos foram feitas desde quando entramos na corporação, na época o governador LUIS ROCHA. E atualmente é o governador FLAVIO DINO e todos disseram que iriam valorizar o recurso humano (podemos colocar aqui projeção e ascensão profissional, planos de Cargo carreiras e salários dignos, moradia, saúde, acompanhamento psicológico etc) – concluiu.

Leia a íntegra do artigo do coronel aqui…