1

Ufma investiga suspeitos de fraude em cotas…

Processos podem durar todo o tempo de curso do aluno suspeito, garantindo, inclusive, possibilidade de formatura; Universidade já investigava sete casos envolvendo questões raciais e de gênero no acesso aos seus cursos

 

Mesmo suspeitos de se declararem pretos sem ser, esses alunos do curso de Medicina da Ufma podem se formar e exercer a profissão onde podem ter chegado por fraude

Quase três semanas após estourar denúncias de fraudes em cotas raciais e de gênero no acesso aos seus cursos, a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) falou do tema, por intermédio de sua assessoria de comunicação.

Segundo o release, a Ufma já investigava sete casos desde o início do ano; e ampliou a investigação após a campanha de denúncia do perfil “Fraudadores de cotas Maranhão”.

Esta denúncia foi tratada pelo blog Marco Aurélio D’Eça no post “Medicina da Ufma é campeã de suspeitas de fraude nas cotas…” 

De acordo com o release encaminhado pela Ascom/Ufma, as suspeitas de fraude no acesso aos cursos – incluindo as do site “Fraudadores de cotas Maranhão” – referem-se a anos anteriores, quando o sistema era de autodeclaração.

No fim do ano passado, a UFMA aprovou a resolução 1.899-CONSEPE/2019, que instituiu a Comissão de Validação da Declaração Étnico-Racial de Estudantes Pretos e Pardos da UFMA

– Essa comissão tem por atribuição entrevistar os candidatos nas vagas das cotas raciais para aferir as características fenotípicas dos candidatos e verificar e validar a autodeclaração étnico-racial deles – explicou o presidente da comissão, Acildo Leite.

A partir desta comissão de validação, os processos de entrada por cotas podem até ser anulados.

– Uma autodeclaração falsa torna nulo o ato administrativo de matrícula na vaga destinada à cota de pretos e pardos, podendo configurar crime de falsidade ideológica – pontou o procurador da Universidade, Daniel Farah.

Mas no caso dos alunos que já estão efetivamente no curso, a Ufma não estabeleceu prazo para conclusão dos processos de investigação dos casos suspeitos, que, segundo o release, será individualizada.

Em outras palavras, os alunos podem concluir o curso sem que seja concluído o processo.

E muitos poderão exercer a profissão mesmo sob suspeita…

3

Medicina da Ufma é campeã de suspeitas de fraude nas cotas

Levantamento do Blog Marco Aurélio D’Eça na lista de acusados já publicada pelo perfil “Fraudadores de Cotas -Maranhão” encontrou 19 “autodeclarados pretos ou pardos” no curso; em Odontologia há dois casos de “autodeclarados indígenas”

 

Imagens publicadas pelo perfil @fraudadoresecotasMA de quatro jovens considerados “pretos ou pardos” pelos critérios de seleção de cotas da Ufma

O perfil “Fraudadores de Cotas – Maranhão”, na rede social Twitter, já publicou cerca de 35 perfis de alunos de cursos da Universidade Federal do Maranhão (Ufma) suspeitos de terem fraudado as cotas raciais.

E o campeão de suspeitos é o curso de Medicina, que aparece com 19 acusados de fraude.

Outros sete denunciados são do curso de Direito.

O perfil dispõe de tutoriais para denúncias e encaminha os casos à Ouvidoria da Ufma; A página publica o perfil do aluno,com fotos e alguns dados, além de revelar a forma como entrou na universidade.

O blog Marco Aurélio D’Eça preservou o rosto e o nome dos estudantes até que a Ufma conclua a investigação.

Entre os estudantes de Medicina denunciados, a maioria entrou como “autodeclarado preto ou pardo” ou “candidatos pretos ou pardos”.

Pelas fotos, pode-se constatar que a maioria é branca, bem nascida; e boa parte é de fora do Maranhão.

Estes estudantes de Odontologia estão cursando a UFMA por que se declararam indígenas antes de prestar o vestibular, segundo denunciou o perfil @fraudadoresdecotasMA

Chamou atenção do blog Marco Aurélio D’Eça a condição de dois estudantes de Odontologia que entraram no curso como “candidatos autodeclarados indígenas”. (Veja fotos)

A página @fraudadoresdecotasMaranhão ganhou rápida repercussão na internet e já tem mais de 10 mil seguidores.

Alguns dos denunciados apagaram seus perfis nas redes sociais logo que surgiram as denúncias.

A Ufma diz que está investigando os casos…

0

Natalino Salgado reinicia processo de modernização da Ufma…

Além das ações na área de tecnologia e infraestrutura, que darão maior sustentabilidade à universidade, reitor incentiva corpo de servidores com promoções, progressões e titulações em todo o Campus

 

Professor-doutor natalino Salgado assina contrato para instalação de painéis solares na Universidade Federal do Maranhão

Desde que voltou à reitoria da Universidade Federal do Maranhão, o professor-doutor Natalino Salgado tem buscado a recuperação estrutural do Campus do Bacanga e a retomada da modernização do complexo universitário.

Uma das ações de sustentabilidade é o projeto de instalação de placas geradores de energia solar em todo o campus, o que garantirá auto-suficiência na produção de energia barata.

Salgado também trabalha no melhoramento tecnológico da Ufma, buscando a ampliação de parques geradores de acesso a internet, novas tecnologias em todos os centros acadêmicos e equipamentos de ponta para pesquisa.

No setor de recursos humanos, o professor-doutor já autorizou progressões, promoções e remunerações por titulação em todos os níveis.

Natalino Salgado trabalha também na preparação apra concurso público, ampliando a qualidade dos trabalhos acadêmicos.

É um trabalho de reestruturação completa da Universidade Federal do Maranhão…

1

Othelino destaca bonificação de 20% para estudantes de escolas maranhenses no Enem

O primeiro vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), destacou, na sessão desta segunda-feira (09), a aprovação, por unanimidade, da política de ação afirmativa que dispõe sobre o ingresso qualificado de estudantes de escolas públicas e privadas do Maranhão à Universidade Federal do Maranhão (Ufma), por meio do acréscimo de 20% nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O percentual ficou estabelecido após votação dos membros do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe).

 

“Com a aprovação desse acréscimo, estamos combatendo a elitização do acesso a esses cursos, assim como o desperdício de vagas, tendo em vista que pessoas de outros Estados passam, por exemplo, no vestibular da Ufma, no município de Pinheiro, e ficam lá um período, dois ou três, até que consigam uma pontuação melhor no Enem, ou por meio de uma transferência interna, com o objetivo de saírem e se transferirem para o local que lhes é mais conveniente, tirando assim a oportunidade de muitos maranhenses, no caso em especial da Baixada, de vários cidadãos que poderiam ter a chance de ingressar en um curso superior perto de sua casa”, afirmou.

No pronunciamento, Othelino Neto cumprimentou todo o Conselho de Pesquisa e Extensão da Ufma, que aprovou, depois de ampla discussão, por unanimidade, o percentual de 20% de incentivo. Ele destacou o empenho da reitora Nair Portela pela sensibilidade, por ter abraçado esta causa.

Segundo ele, a partir da liderança da professora, evidentemente, dos argumentos fortes e da demanda dos estudantes, essa grande conquista foi possível hoje.

“Essa vitória merece ser celebrada e comemorada. Estão de parabéns a Universidade Federal do Maranhão e todos os estudantes, que agora ficam mais perto de realizar o sonho de ingressar em um curso superior”, frisou.

1

Othelino discute com Ufma estruturação do campus de Pinheiro…

O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), e a reitora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Nair Portela, discutiram, na manhã de sexta-feira, 7, soluções estruturais para cursos do campus de Pinheiro – como Medicina, Educação Física, Enfermagem e Engenharia de Pesca –  diante da crise no país, da falta de recursos, paralisação de obra de expansão e das suas consequências.

Os estudantes vêm apresentando uma série de demandas e dificuldades e a UFMA está buscando uma parceria, que envolve também o governo do Maranhão, para atender as necessidades identificadas. Nair Portela convidou o deputado para intermediar e somar forças em uma parceria que envolve a Universidade, o município de Pinheiro e o Estado.

Da reunião participaram também a subsecretária de Saúde do Estado, Karla Trindade; o assessor de Internacionalização da UFMA, professor Alan Kardec, e a professora Iran de Maria Nunes. Eles discutiram várias demandas dos cursos, entre elas a ampliação da estrutura de aulas práticas, a partir do Hospital Regional de Pinheiro, para os estudantes de Medicina e de Enfermagem.

Segundo Othelino Neto, a Assembleia Legislativa tem um papel fundamental de articulação, diante desse momento de crise para somar forças e tentar resolver esses problemas estruturais, em uma grande parceria envolvendo UFMA e o governo do Maranhão.

“A UFMA é patrimônio de todos nós. Esse olhar solidário é importante, embora a questão não seja de competência ou atribuição da Assembleia Legislativa, mas para garantir que os estudantes possam cursar as disciplinas. O bom funcionamento da instituição de ensino superior é bom para todo o Maranhão”, disse o vice-presidente da Assembleia Legislativa.

Obras de expansão do campus paradas

Othelino Neto disse que já se antecipou e conversou com o secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, para que o governo disponibilize instalações aos cursos de Educação Física e Engenharia de Pesca que estão sem poder iniciar as aulas porque a expansão do campus de Pinheiro foi interrompida por falta de orçamento.

“Precisamos intervir para que os estudantes não percam o semestre por falta de estrutura”, frisou o deputado.

A reitora da UFMA, Nair Portela, disse que a parceria institucional é de suma importância para garantir infraestrutura aos cursos do campus de Pinheiro, pois a universidade está com séria dificuldade de terminar a obra de expansão. Ela disse que conta com o apoio do deputado Othelino Neto e espera que o município também cumpra o compromisso firmado com a instituição e o Estado.

“Estamos buscando parcerias para vencer esses problemas. Por conta de falta de recursos, tivemos que parar a obra de expansão. Nossa necessidade mais urgente é infraestrutura para garantir as aulas e a prática aos universitários. Já estamos recorrendo também ao apoio de vários outros órgãos públicos”, disse Nair Portela

0

Sousa Neto pede viaturas urgentes na Ufma…

Deputado apresentou requerimento à Assembleia para que seja esclarecida as circunstâncias da parceria firmada em 2016 e que nunca foi efetivada pelo governo Flávio Dino

 

O deputado estadual Sousa Neto (PROS) cobrou, quinta-feira, 6, providências do governo Flávio Dino e da reitoria da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) para a insegurança no Campus do Bacanga, em São Luis.

O parlamentar pediu a atenção dos colegas sobre o requerimento de sua autoria, apresentado à Mesa Diretora, solicitando que o Governo disponibilizasse viaturas, urgentemente, para a cidade universitária.

– Peço sensibilidade a todos os deputados para que aprovem requerimento de minha autoria, que pede para que seja colocado policiamento no interior da UFMA, e que dê transparência à sociedade sobre como foi feita tal parceria, se foi midiática ou se teremos uma PM atuante na região. Porque, o que nós sabemos, é que até hoje, mesmo com a manifestação dos alunos, ontem, 5, à noite, na colação de grau, não se viu nem uma viatura no local, apesar da repercussão em nível nacional do caso – alertou.

Sousa Neto também pediu agilidade quanto às investigações dos casos de estupro registrados no local, na última semana.

1

Comunidade universitária com medo…

Com estrutura e população comparável ao de várias cidades do interior, a Universidade Federal do Maranhão não consegue garantir segurança aos seus frequentadores

 

O belo portal do campus do Bacanga não garante a segurança na Ufma

O Campus Universitário do Bacanga é uma comunidade gigantesca, maior do que muitos bairros de São Luís – e equiparada, em população, a alguns municípios do interior do estado. São milhares de estudantes, professores, servidores, colaboradores e comunitários, que ali convivem no dia a dia -estudam, trabalham, comem, se divertem – e transformam a área em uma cidade universitária.

Mas pouca segurança é oferecida a essas pessoas, não importa a hora do dia – e o expediente vai da manhã às últimas horas da noite.

No ano passado, durante um evento na chamada área de vivência – onde alunos e professores se reúnem para estudar, divertir-se e protestar – um estudante foi assassinado a golpes de faca, dentro de um banheiro, sem que ninguém tenha percebido. Nos últimos quatro dias, duas estudantes foram estupradas na área do Campus, também sem que ninguém as tivesse acudido.

A UFMA tem uma Prefeitura de Campus, espécie de gestora da cidade universitária, responsável pela infraestrutura de transporte, educação e segurança da comunidade. Valores e contingentes são maiores do que os de muitas prefeituras pelo Brasil afora.

Mas no que diz respeito à segurança, contingente e equipamentos disponibilizados mal garantem a proteção do patrimônio da própria UFMA. Os homens da segurança patrimonial não estão treinados e equipados para a proteção de homens e mulheres que ali vivem diariamente.

A presença de policiais na área inibiria muito mais a ação de bandidos. Providências foram tomadas. Mas, infelizmente, somente após o estuporo de duas mulheres.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

1

Irmãos Portela assinaram convênio nunca efetivado para segurança da Ufma…

Em agosto de 2016, Jefferson Portela, secretário de Segurança, e Nair Portela, reitora da universidade, assinaram parceria que garantiria presença da PM no Campus; nos últimos quatro dias, duas estudantes foram estupradas na área

 

Irmãos Portela assinam convênio que nunca foi posto em prática na área da Ufma

Declaração do secretário de Segurança do governo Flávio Dino (PCdoB), em agosto de 2016, durante assinatura de convênio que deveria garantir segurança na Universidade Federal do Maranhão:

– A transferência [do 1º Batalhão da PM] vai garantir o reforço da segurança, não só aos alunos e funcionários da Ufma, mas de toda a população do seu entorno.

Na mesma solenidade, a reitora da Ufma, Nair Portela – que é irmã de Jefferson – também garantiu melhorias ao campus:

– Estamos concretizando uma parceria que resultará em benefícios para todos. Além da presença da Polícia Militar, vamos melhorar a iluminação da Cidade Universitária e estabelecer medidas que visam controlar o acesso às dependências por pessoas que não pertencem à comunidade acadêmica.

A cerimônia foi realizada às pressas porque um estudante havia sido assassinado a golpes de faca em plena área de vivência da universidade.

Passaram-se oito meses e nenhuma parceria foi efetivada.

Resultado: duas estudantes foram estupradas em menos de cinco dias, nos ambientes escuros e inseguros da Ufma…

0

Ufma recebe apoio da prefeitura para implantação de campus em Alcântara…

Araken assina convênio com a Ufma

Araken assina convênio com a Ufma

Com apoio da Prefeitura, a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) iniciará as atividades acadêmicas na Unidade Avançada de Alcântara em agosto. Vinculada ao Campus de Pinheiro, a unidade dispõe de prédios doados pela Prefeitura, com aprovação da Câmara Municipal.

Em reunião recente com o prefeito Domingos Araken, dirigentes da Ufma definiram estratégias para iniciarem o funcionamento da nova unidade.

O prefeito Araken também formalizou em comunicado oficial, encaminhado à Assessoria de Interiorização da instituição, o interesse e a demanda do município para o Programa de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor/Ufma), tanto para a primeira como para a segunda licenciatura, nos cursos de História, Biologia, Filosofia e Educação Física, para funcionamento no município de Alcântara.

Na solicitação, a Prefeitura formaliza ainda que disponibilizará estrutura e espaço físico para sediar as salas de aulas aos referidos cursos e que aguarda instruções da Ufma para consolidar o Parfor no município.

Araken afirmou que “a Prefeitura dará o apoio necessário a instituição de ensino para efetivar ações protocoladas no Termo de Cooperação Técnica, já consolidado entre a Ufma e Alcântara”.

Participaram da reunião os professores do Campus de Pinheiro, Arckley Bandeira, Itálo Santirocchi, Victor Coelho, Rickley Marques e do Campus/Codó, Liliane Corrêa Lima; vereadores, secretários e dirigentes municipais e estudantes da Ufma de Pinheiro. Diretor do Campus de Pinheiro, Rickley Marques, disse que em agosto a instituição iniciará o funcionamento em Alcântara com a aquisição de móveis e equipamentos, material de expediente e atividades de ensino, pesquisa e extensão.

2

Ufma passa a aceitar nome social para transgêneros e travestis…

Transexuais, travestis e transgêneros já podem usar na universidade o nome que escolherem, de acordo com a sua identidade de gênero, que constará de todos o documentos da vida acadêmica

 

A Universidade Federal do Maranhão passou a adotar oficialmente a Resolução 242, do Conselho Universitário, que garante a alunos, servidores e professores o direito a escolher o nome com o qual desejem ser chamado, de acordo com sua identidade de gênero.

O nome social irá constar em todos os registros, documentos e atos da vida acadêmica.

A pró-reitora de Ensino, Isabel Ibarra, afirma que, através da resolução a UFMA, está atendendo a um direito de uma parcela da comunidade acadêmica que deseja ser reconhecida pela sua identidade de gênero.

Para requerer o nome social deve-se usar a plataforma SIGAA. Logo após, a solicitação é homologada pela coordenação do curso.

Com isso todos os documentos da UFMA, incluindo listas de frequência serão emitidos com o nome social e os documentos externos também com o nome social e o nome civil um pouco menor ou no verso do documento.

Desgaste

A edição da Resolução da Ufma se deu por causa da luta de uma estudante de Hotelaria, Giulia Rodrigues.

– Senti na pele a necessidade de lutar por direitos que assegurassem o nome social – lembra ela.

O desgaste de explicar todo semestre a um professor o uso do seu nome social fez com que Giulia desse início a um processo para chamar a atenção para a causa.

– Eu iniciei minha indignação de forma silenciosa, colocava nas provas, trabalhos e seminários o lema da universidade (a universidade que cresce com inovação e inclusão social), sempre destacando o“inclusão social”, seja em negrito, itálico ou em aspas – destacou.

Para Giulia, a principal ferramenta de inclusão continua sendo o respeito.

– Essa medida é um convite. A universidade, agora, está de braços abertos para todos – ressaltou.