16

Falência do futebol maranhense não tem a ver com audiência, mas com incapacidade de gestão…

Apenas o Sampaio ainda resiste, na série D do Brasileirão

Por mais bem intencionada que seja, a iniciativa da TV Difusora, de transmitir as partidas do campeonato maranhense de futebol, é uma tentativa de alavancar apenas a propria audiência, não o resgate dos clubes maranhenses.

A falência do futebol no Maranhãó é causa da incapacidade de gestão – dos clubes, da federação e dos atletas.

Emissoras com bem mais audiência que a Difusora – como a TV Mirante, líder inconteste em todos os horários – já tentaram alavancar o futebol com transmissões televisivas. E nada.

A gestão dos clubes de futebol no Maranbhão tem servido, ao longo dos anos, apenas como vetor de lavagem de dinheiro.

O Moto, há anos, já nem sabe em que série está

Empresários inescrupulosos, que sobrevivem da verba pública, utilizam clubes e atletas para maquiar balancetes e justificar origem de dinheiro.

E quando o governo se propõe a ajudar, aí é que aumenta a horda de interessados no resgate do futebol.

E a tentativa das Difusora esbarra, logo de cara, em uma atitude questionável, segundo revelam blogs de São Luís.

No lançamento do programa da emissora, ninguém menos que Ricardo Teixeira, capo da Confederação Brasileira de Futebol.

Ninguém merece…

13

Flávio Dino e o exemplo de José Serra…

José Serra: mais uma vez candidato a prefeito

O ex-senador José Serra sempre  foi candidato-a-tudo-que-aparecesse pelo PSDB.

Por conta disso, hoje uma situação desagradável em São Paulo: sua rejeição pelos paulistanos chega a 30% a mais alta dentre todos os candidatos a prefeito.

Os motivos são óbvios: Serra sempre usou os cargos públicos como trampolim para seu projeto de chegar à presidência da República.

Por isso, agora, o próprio PSDB exigiu dele garantias de que, eleito prefeito, ficará no cargo até 2016, sem candidatar-se à presidência.

Flávio Dino: prefeitura apenas como trampolim

O exemplo de Serra deve estar sendo analisado pelo ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB).

Dino chegou a cogitar candidatar-se a prefeito de São Luís, mas com a condição de que sairia em 2014, para ser candidato a governador.

O comunista não vê a prefeitura como um posto importante em si, mas apenas uma etapa para atingir seu sonho maior.

Por isso, tentava garantir a presença na chapa de um vice fortemente ligado a ele, que garantisse o apoio quando deixasse o cargo para disputar o governo.

Hoje, Flávio Dino está convencido de que seria um risco moral usar a Prefeitura de São Luís como trampolim.

E deve mesmo abdicar da disputa em nome do sonho de 2014.

Até porque, o exemplo de José Serra está aí…

0

Adversários começam a encher Judiciário com ações contra prefeitos…

 

Desembargadores vão julgar prefeitos em 2012

Quem acompanhou o noticiário sobre o Judiciário, semana passada, pôde perceber um aumento na tramitação de ações contra prefeitos.

E a explicação está na aprovação da Leid a Ficha Limpa, que terá validade garantida nestas eleições.

Somente neste mês de março, já foram oito as ações recebidas pelo Tribunal de Justiça contra prefeitos maranhenses.

De acordo com  a nova lei, qualquer candidato que tenha sido condenado por um colegiado de Segundo Grau, estará automaticamente fora do processo eleitoral.

Os prefeitos denunciados são todos julgados por Câmaras Cíveis ou Criminais do TJ, compostas por três desembargadores.

Exatamente os colegiados de Segundo Grau…

1

Os 18 salários dos deputados maranhenses…

Deputados receberam, desde sempre, 18 salários

A Assembléia Legislativa deve se adequar, por imposição da Constituição, às regras da Câmara Federal – sobretudo quanto ao subsídio dos parlamentares.

São estas imposições que estabelecem, por exemplo, o subsídio equivalente a75% do valor recebido na Câmara.

Esta adequação garante também que um deputado receba dois salários há mais, além dos pagos mensalmente, a título de ajuda de custo – um na abertura dos trabalhos e outro no fechamento de cada ano legislativo.

É assim na Câmara Federal e, por isso, deveria ser assim na Assembléia.

Mas a Assembléia maranhense resolveu “pagar” a cada deputado o equivalente a 2,5 salários logo na abertura dos trabalhos e outros 2,5 salários no fechamento do ano, totalizando cinco salários a mais a cada ano.

Por que a Assembléia resolveu se “desadequar” da Câmara pagando a deputados o que a Câmara não paga?

Se os deputados resolveram readequar a Casa às regras da Câmara, a partir de agora – como anunciou hoje o seu presidente, Arnaldo Melo (PMDB) – vão devolver o que receberam a mais neste tempo todo?

E o deputado Bira do Pindaré (PT), que, segundo Melo, ameaçou fazer discurso denunciando a história,  vai devolver o que recebeu em 2011, seu primeiro ano de mandato?

Perguntas que aguardam respostas…

5

Relação de Lobão e Flávio Dino é mais antiga do que supõe Época…

O ministro Lobão: ainda na espreita

Não são de hoje as especulações sobre uma relação mais que amistosa entre o ministro Edison Lobão (PMDB) e o presidente da Embratur, Flávio Dino (PMDB), como tentou passar a revista Época desta semana.

Este blog, inclusive, já noticiou, por diversas vezes, articulações envolvendo Lobão e Dino com vistas ao futuro eleitoral do Maranhão.

É o que mostram, por exemplo, os textos  Lobão diz o que a oposição quer ouvir e Os projetos em comum de Lobão e Flávio Dino

Para alguns aliados dos dois políticos, a nota de Época seria, na verdade, mais um recado à governadora Roseana Sarney (PMDB).

Lobão sabe que não é o preferido de Roseana para sucedê-la – tanto por causa da idade quanto pela própria necessidade de renovação do grupo político – e, com isso, tenta criar situações para forçá-la a garantir o apoio.

A aliança com Flávio Dino seria uma das opções, mas não a única.

Relação com Roseana é, acima de tudo, política

Este blog revelou, semana passada, que por trás do recado do PSD, dado pelo “lobanista” Carlos Alberto Milhomem, na Assembléia, estaria uma tentativa de aproximação com o prefeito João Castelo (PSDB).

Mas os movimentos de Lobão revelam também que ele não pretende desistir da candidatura a governador.

Resta saber se está  disposto a ser candidato em qualquer circunstância, como já anunciou seu filho e suplente, Edison Lobão Filho (PMDB).

É aguardar e conferir…

1

Ficha Limpa em Imperatriz: Ildon Marques e Jomar Fernandes…

Ildon marques pode sair da disputa emn Imperatriz, beneficiando Madeira

O ex-prefeito de Imperatriz, Ildon Marques (PMDB), é um dos mais de 2 mil gestores com contas irregulares transitadas em julgado pelo Tribunal de Contas do Estado.

Este julgamento torna, automaticamente, estes gestores inelegíveis, de acordo com as novas regra da Lei da Ficha Limpa.

Mas há um detalhe no caso de Ildon Marques:  a data do “transito em julgado” de suas contas é de 10 e março de 2003.

Completaria agora, portanto, nove anos de julgamento, o que o garantia no pleito deste ano, já que a inelegibilidade da Ficha Limpa é de oito anos.

Veja aqui a lista do TCE, publicada em primeira-mão no blog de Gilberto Léda

É diferente o caso do também ex-prefeito Jomar Fernandes (PT), que está na lista de inelegíveis.

O processo contra Jomar, referente ao exercício de 2004, deu entrada no TCE em 2005, mas só foi concluído em 2009.

O petista só poderia disputar eleições, portanto, em 2017.

Mas Ildon Marques não tem problemas apenas no TCE, o que mantém a incerteza sobre sua candidatura.

Ele já teve decisões colegiadas no TCU e na justiça comum.

A garantia sobre sua situação só poderá ser dada, portanto, quando sair uma lista oficial da Justiça Eleitoral.

9

A importância estratégica do secretário Hildo Rocha…

Hildo cuida da relação com os prefeitos que apoiam Roseana

Quem acompanha com atenção a cobertura da mídia sobre a ação do Governo do Estado no interior maranhense – este blog incluído – deve ter percebido a presença do secretário de Articulação Política, Hildo Rocha, em quase todas as imagens dos eventos.

Se há a assinatura de um convênio, protagonizado pelo chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, lá está Rocha na mesa dos trabalhos.

Se o evento é da secretaria de Infraestrutura, ou de Saúde, ou outra qualquer – e envolva prefeituras – a presença de Hildo Rocha é indispensável.

Com Luís Fernando, no interior maranhense

E a explicação é dada pelo próprio secretário.

– Qualquer convênio, contrato ou Termo de Cooperação Técnica entre o governo e os municípios, tem que passar pela Secretaria de Articulação Política – diz Hildo Rocha.

Por isso a presença dele em todos os eventos.

Do ponto de vista estratégico, Hildo Rocha é um dos secretários mais importantes do governo Roseana Sarney (PMDB).

A relação com deputados também é feita por ele...

Além da articulação administrativa com os municípios, Rocha tem a responsabilidade, também, de manter o relacionamento político com prefeitos, líderes comunitários, partidos e representantes da sociedade.

Cabe a ele, por exemplo, manter a base de sustentação unida na Assembléia Legislativa. É dele, também, a responsabilidade de garantir o apoio dos partidos políticos.

A ação da Secretaria de Articulação Política é de bastidores.

Mas é visível a importância estratégica de Hildo Rocha…

5

Galeria inaugurada por Castelo não resolveu problema de enchente no Coroado…

O que era antes um rio de esgoto, transformou-se agora numa realidade totalmente diferente, numa área saneada, que vai dar mais dignidade a quem vivia na lama

Prefeito João Castelo (26/01/2012)

 

No início da chuva, moradores ainda tentavam vencer a enchente

Bastou a primeira chuva mais demorada, no final da tarde de sábado, para que os moradores do Coroado voltassem à triste realidade

Não adiantaram absolutamente nada os milhões investidos pelo prefeito João Castelo (PSDB) na recuperação do canal que corta o bairro.

As ruas ficaram cheias em minutos – e encheram ainda mais após o término das chuvas, devido à enxurrada que desceu do João Paulo e do Filipinho.

A fotos que ilustram este post foram tiradas pelos próprios moradores, indignados com o serviço mal feito.

A própria comunidade já havia avisado aos técnicos da prefeitura e engenheiros da obra que não adiantaria fechar a galeria se o principal problema não fosse resolvido: a remoção de uma casa construída na ponta da Rua do Chumbo (quadra 42) em cima do boeiro.

A prefeitura teve a oportunidade de indenizar o morador e resolver o problema, mas entregou a obra assim mesmo, e foi embora sem esperar o período de chuvas.

Quem se arriscou a passar na rua do Chumbo parou no meio da enxurrada

Dezenas de moradias foram indenizadas apenas pelo fato de que iriam perder parte do quintal.

Mas os agentes da preeitura deixaram pra lá a principal, gastando milhões em um serviço que não resolveu absolutamente nada.

Com a água represada nas ruas da Mandioca, da Minerva e do Chumbo, a Avenida dos Africanos também ficou alagada, dificultando a passagem dos veículos.

Os moradores agora ameaçam quebrar toda a galeria para ajudar no escoamento da água nos dias de chuva.

A menos que a prefeitura faça o básico e retire a casa que impede a passagem da água.

E faça valer, de fato, os milhões investidos na obra…

8

O blog tinha razão mais uma vez: Infraero contrata mais cinco empresas para dar conta da obra do aeroporto…

gastão comemora chegada de masi cinco emrpesas no aeroporto

A Infraero vai chamar mais cinco empresas para tentar agilizar as obras de reforma do Aeropoto Cunha Machado, em´passos de tartaruga há mais de um ano.

A EP Engenharia Construções e Comércio LTDA. que ganhou  a obra, já havia avisado não ter mais condições financeiras para concluí-la, como o blog revelou, com exclusividade, em meados de fevereiro. (Releia aqui)

A informação da contratação das cinco novas empresas foi dada ontem pelo ministro do Turismo, Gastão Viira, em seu perfil na rede social Facebook.

Tendas ainda vão permanecer por um tempo no terminal

A primeira tentativa da Infraero era repassar o ônus do fechamento da EP Engenharia para o governo maranhense, que não aceitou a solução.

Pressionada, a responsável pelos terminais aeroportuários do país se viu obrigada a chamar novas empresas – a toque-de caixa- para concluir a obra.

O governo Roseana Sarney (PMDB) mantém a exigência de receber o novo saguão até o final de março.

O saguão antigo, onde funcionava embarque e desembarque, servirá agora apenas para embarque de pasageiros.

Já a tenda que está funcionando para embarque provisório, servirá como área de desembarque, eliminando aquele galpão provisório nas proximidades dos hangares, que vem sendo utilizado desde que a obra começou.