7

Quatro perguntas para Gil Cutrim…

O blog publica abaixo as quatro perguntas que considerou básicas para o prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim (PMDB), feitas pelo jornal Gazeta da Ilha. O prefeito fala do desafio de substituir Luís Fernando Silva (DEM), da disputa pela presidência da Famem, da relação com  o governo Roseana – e com os anteriores a ela – e sobre a região Metropolinata de São Luís.

Leia aqui a íntegra da entrevista do Gazeta e abaixo a versão do blog:

1 – O senhor assumiu o comando de um município, cuja administração do ex-prefeito Luis Fernando, foi considerada referência em todo o Maranhão. De que forma o senhor pretende dar continuidade a este trabalho?
Com total dedicação, transparência e, principalmente, com muita vontade de trabalhar pelos ribamarenses. A administração do ex-prefeito Luis Fernando, que está agora no comando da Casa Civil do governo do Estado, mudou para melhor a realidade do povo. Foram centenas de obras e ações que melhoraram todos os indicadores do município.
E eu, como vice-prefeito e prefeito em exercício, dei a minha contribuição neste processo. Minha administração está pautada na continuidade, e não no continuísmo, de todas estas ações, executando, em um curto espaço de tempo, novas obras que a nossa cidade e nosso povo tanto precisam.

2 – O senhor vem sendo apontado como componente de peso da chapa encabeçada pelo prefeito Júnior Marreca (Itapecuru) e que disputará a presidência da Famem. O senhor acredita na possibilidade de consenso entre os candidatos? E o governo do Estado, como o senhor avalia que ele irá se comportar?
Apoio o prefeito Júnior Marreca e ele me convidou para compor sua chapa, sendo que o cargo ainda não está definido. Mas acredito que haverá consenso entre os candidatos, que fazem parte do mesmo grupo político comandado pela governadora Roseana Sarney.
Quanto ao posicionamento do governo, o próprio chefe da Casa Civil, o ex-prefeito Luis Fernando, já falou diversas vezes que não haverá interferências. Assim como eu, o Luis Fernando acredita no consenso e numa chapa única.

3 – O senhor acredita que, a partir deste ano, a região metropolitana de São Luís, de fato, será implantada e as Prefeituras trabalharão de forma parceira e conjunta?
Sou um defensor da metropolização, da união das Prefeituras em favor das suas populações. Nos últimos anos avançamos nesta discussão. Ribamar e Paço do Lumiar, por exemplo, já aderiram, através de projetos de lei aprovados por suas respectivas Câmaras Municipais, à região metropolitana. Inclusive, as Prefeituras já executam trabalhos parceiros, nos serviços de limpeza e iluminação pública, em bairros localizados nas áreas limítrofes entre os dois municípios.
O Luis Fernando, como chefe da Casa Civil, já deu declarações de que o Estado, já a partir deste mês, irá se empenhar e coordenar a criação da região metropolitana. O prefeito João Castelo também já deu várias sinalizações de que irá se integrar a este processo. Portanto, tenho certeza de que, este ano, os governos [municipais e estadual] irão trabalhar juntos e executar políticas públicas comuns direcionadas para todos os moradores da Grande Ilha.

4 – Durante quase cinco anos, nos governos Zé Reinaldo e Jackson Lago, São José de Ribamar não recebeu nenhum centavo de ajuda do governo do Estado. A situação mudou quando Roseana Sarney reassumiu o governo. A partir deste ano, a parceria entre Estado e Prefeitura vai continuar?
A parceria vai continuar e está mais fortalecida do que nunca. Roseana, neste seu primeiro governo, ajudou o município, através de convênios, que pôde executar obras importantes, como o asfaltamento de várias ruas e avenidas. A governadora e o próprio Luis Fernando já garantiram que, já neste ano, mais parcerias serão formalizadas.
Como você mesmo disse, durante quase cinco anos Ribamar, a terceira maior cidade do Maranhão em população, foi totalmente esquecida pelos governantes que passaram. Com Roseana, esta situação mudou e, hoje, este município sente a presença do governo do Estado, o ente que possui maiores condições financeiras de ajudar nas grandes obras. São por estes motivos que o povo ribamarense apóia totalmente o governo de Roseana.

18

Energia oscila perigosamente em São Luís; Cemar silencia sobre o assunto

A energia tem apresentado problemas com as chuvas

Vários bairros enfrentam oscilações de energia desde as primeiras chuvas registradas em São Luís, na última sexta-feira.

Bastou a primeira chuva para que o problema acontesse. As oscilações de energia são perigosas por que podem levar à queima de aparelhos eletro-eletrônicos.

Não há um comunicado da Cemar tratando do assunto – para explicar ou, pelo menos, orientar sobre o problema.

Desde a sexta-feira, a companhia se limita a divulgar na imprensa explicações dos motivos que levaram a eventuais interrupções no fornecimento de energia em alguns bairros – sempre pondo a culpa em terceiros ou em fenômenos da natureza.

Para quem tem estabilizadores ou módulos isoladores em casa, as oscilações são percebidas com os estalos dos aparelhos – na tentativa de regularizar a tensão. Para quem não tem, ficam evidentes com a menor ou maior intensidade na luminosidade das lâmpadas.

As oscilações são causadas por sujeira ou má qualidade da rede elétrica.

E significa, entre outras coisas, que os seus aparelhos e equipamentos estão sob constante risco de queima.

E quem pagará a conta???

4

Caema cobra por dia e oferece água de três em três…

O dinheiro das famílias jorra feito água das torneiras da Caema

Moradores da região da chamada Nova Cohama – que reúne residenciais como São Domingos, Esperança, Pinheiros, Vivendas e Primavera, além de vários condomínios fechados – agora só recebem água nas torneiras de três em três dias.

Sem nenhuma explicação, a Caema – que já oferecia água somente dia sim, dia não – agora passa até três dias para oferecê-la.

Na verdade, é uma farsa o fornecimento de água e o cuidado com o esgoto residencial em São Luís – monitorado pela companhia. Os valores são o mesmos do esgoto e da água, o que dobra o valor da tarifa. E não há explicação plausível para isso.

Um exemplo: consumidor que tem conta de água no valor de R$ 50,00 paga os mesmos R$ 50,00 como taxa de esgoto, mesmo que, na prática, não tenha nenhum tipo de serviço. No total, a conta chega a R$ 100,00.

Mas a água só aparece – agora – de três em três dias…

5

População rejeita construção do novo Socorrão em área do Calhau

A maquete do hospital, que já foi previsto para vários locais

O prefeito João Castelo (PSDB) já tinha a antipatia da classe política e do setor empresarial para sua idéia de construir um hospital de emergência na região do Sítio Rangedor, no Calhau. Agora é a popuplação quem se manifesta contrária ao projeto, segundo revela pesquisa do Instituto Escutec, divulgada hoje em “O Estado do Maranhão”.

Segundo o levantamento – que este blog anunciou em primeira mão, há duas semanas (reveja aqui) – os moradores de São Luís preferem a construção do novo hospital na periferia ou na região do Centro da cidade.

Castelo fará valer sua vontade?

Para 62,9% dos entrevistados, o novo Socorrão no Calhau só beneficiará os ricos. Apenas 9,8% acham que, mesmo no Calhau, o hospital beneficiará as classes menos favorecidas, que mais ncessitam de saúde pública.

A revelação é um alerta para o prefeito de São Luís –  já reprovado na avaliação geral, segundo a mesma pesquisa – que tem um ano para decidir se mantém o proejto pessoal ou se acata a chamada “voz rouca das uras”.

Afinal, uma eleição se avizinha…

4

Reitor José Augusto novamente na Uema…

Oliveira recebe o símbolo do poder na Uema

Com injustificado atraso, o blog registra a posse do reitor José Augusto Oliveira no comando da Universidade Esstadual do Maranhão. Com a presença dos secretários de Ciência e Tecnologia, João Bernardo Bringel, e de Educação, Olga Simão, a solenidade ocorreu quinta-feira, no prédio do Curso de Arquitetura, no Centro.

Este blog derfendeu a candidatura de Oliveira desde o início – tanto do ponto de vista legal como administrativo. – e se sente também vencedor. Tem obigação, portanto, de divulgar o coroamento da trajetória.

Ao lado do vice-reitor, a tradicional pose para ffotos

– Quero ser o reitor da qualidade. Estarei sempre convencido de que, em uma casa de altos saberes, a melhor e mais exata medida de qualidade efetua-se na valorização daqueles que, nela, dedicam-se ao ensino e à pesquisa, pois a melhor universidade é a universidade dos melhores – disse o reitor em sua posse.

Tamnbém tomou posse na mesma solenidade o vice-reitor, professor Gustavo Pereira da Costa.

José Augfusto Oliveira fez carreira na Uema. Foi chefe de departamento, diretor de curso, diretor de centro, pró-reitor e vice-reitor. Para ele, a Universidade é a primeira alavanca do desenvolvimento

– Na medida em que a Universidade se mantenha permanentemente capacitada do ponto de vista científico e tecnológico, poderá apoiar e impulsionar o desenvolvimento do estado em seus diferentes setores e aspectos, tornando-o sustentável, solidário e justo – declarou.

O novo reitor ficará no cargo até o final de 2013.

12

Roseana quer jogo entre Brasil e França nos 400 anos de São Luís…

Haickel discursa para uma multidão que prestigiou sua posse.

Empossado ontem na Secretaria de Esportes, o deputado Joaquim Haickel (PMDB) já tem uma missão para sua pasta: poromover um jogo de futebol entre as seleções da França e do Brasil no aniversário de 400 anos de São Luís.

– Esta foi uma determinação da própria governadora Roseana Sarney (PMDB). E vamos ter que acelerar a recuperação do Castelão para viabilizar este encontro – disse o secretário.

O secretárrio é agraciado com uma camisa do Moto Clube

Muito mais que simbólico – afinal, São Luís é a única capital brasileira fundada pelos franceses – o jogo de futebol também poderá marcar a inclusão da cidade ente os centros de treinamento para a Copa de 2014.

– Já estou preparando as respostas ao questionário da FIFA para viabilizar a presença de São Luís na copa. Vamos conseguir – acredita o irriquieto secretário, com a cabeça a mil, cheia de projetos para a pasta.

Deputado assina termo de posse

O fato é que Joaquim Haickel está à vontade na nova função, em um setor que conhece bem e cercado de gente que acredita e confia em sua capacidade.

Só depende dele próprio dar as respostas…

3

Caos e destruição… o cartão de visitas das chuvas

Ass ruas do centro viraram um alagado só

Foram só as primeiras chuvas. Mas “São Pedro” já deixou claro que o período será rigoroso no Maranhão.

E nada foi feito para impedir os estragos, a destruiçlão…

O Maranhão teve um perídoo chuvoso difícil em 2009. De lá para cá, passsaram-se dois anos e, mesmo com a trégua de 2010. nada foi feito para preparar o estado.

São Luís é um exEmplo disso. Os mesmos problemas, nos mesmos pontos. No Vinhais, a área que divide o bairro do Cohafuma alaga há anos. Os trabalhos feitos ali parecem coisa de amadores. Ontem. em plena meia-noite, o engarrrafamento era quilométrico, já que os motoristas não se arriscavam a ultrapassar o mar que se formava à frente, na Avenida Gerônimo de Albuquerque.

Há dois anos, o prefeito João Castelo (PSDB) prometeu recuperar o canal do Coroado. Só no final do ano passado as obras começaram. Reesultado: mais enchentes apenas com a primeira chuva de 2011.

As enchentes prejudicam todas as áreas de São Luís

A mesma coisa acocntece na Avenida Magalhães de Almeida, atrás do Tropical Shopping e outros lugares conhecidos das reportagens.

As obras começaram. é verdade, mas atrasadas, e podem ser inviabilizadas com as enchentes.

E o serviço de meteorologia adverte: vai chover forte este ano no Maranhão…

12

Max Barros: Força política e prestígio pessoal…

Max toma posse, observado por Luís Fernando, Murad e Milhomem

Único deputado estadual a voltar para o mesmo posto que ocupou no governo anterior de Roseana Sarney (PMDB), o secretário de Infra-estrutura, Max Barros (DEM), mostrou prestígio pessoal e força política em sua posse.

Na mesma mesa sentaram o todo-poderoso chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva (DEM), representando o governo, e o não menos poderoso e futuro presidente da Assembléia Legislativa, Ricardo Murad (PMDB).

Além deles, secretários já empossados, como Pedro Fernandes (PTB), das Cidades, Victor Mendes (PV), do Meio Ambiente, Chico Gomes (DEM), do Desenvolvimento Social e Olga Simaõa, da Educação, entre outros.

O cumprimento do amigo e aliado chefe da Casa Civil

Os deputados estaduais César Pires (DEM), Carlos Alberto Milhomem (DEM), Hélio Soares (PP), e prefeitos, muitos prefeitos… Não faltaram também representantes do Ministério Público, do TCE e do Judiciário.

Max Barros será um dos secretários mais fortes do governo Roseana, e com as maiores missões. Caberá a ele, por exemplo, tirar do papel os projetos roseanistas pra os 400 anos de São Luís.

Os requisitos para isso ele tem: prestígio pessoal e força política avantajada…

0

Eleição da Famem pode ser antecipada…

Marreca e Mário: consenso só na data da eleição

Pelo menos um consenso há entre o dois pretendentes à presidência da Federação dos Municípios do Maranhão: ambos são favoráveis à antecipação do pleito, marcado para o dia 17 de fevereiro.

Na verdade, historicamente a eleição da Famem sempre foi na segunda quinzena de janeiro – geralmente entre os dias 17 e 20. Desta vez,  no entanto, o atual presidente, Raimundo Lisboa (PDT), decidiu transferí-la para o dia 17 de fevereiro.

Mas os demais dirigentes da entidade, candidatos e prefeitos consideram a data muito distante, sobretudo em um evidente clima de acirramento.

Tanto Júnior Marreca (PV) quanto José Mário (PMDB) são favoráveis à antecipação e devem discutior isso nos próximos dias.

Se antecipada, a eleição ocorreria, mais provavelmente, no dia 27 de janeiro.

3

Ricardo Murad diz que não se envolverá em disputa de partidos por cargos na Mesa da Assembléia

Ricardo Murads acompanha a definição dos partidos

O virtual presidente da Assembléia Legislativa, Ricardo Murad (PMDB), disse ontem que não pretende se envolver na discussão dos partidos pela indicação dos nomes que comporão a sua chapa.

– Não entro nessa discussão. Vou acatar o que os partidos me indicarem – disse Murad, ontem, durante a posse do secretário de Infra-estrutura, Max Barros.

Além da presidência, são oito cargos em disputa na Mesa da Assembléia.

DEM e PMDB disputam a 1ª Vice-Presidência. A 1ª Secretaria é disputada por DEM, PMDB e PV. Os demais cargos serão preenchidos pelo bloquinho – formado pelos pequenos partidos da base roseanista – e pela oposição.

Ricardo Murad pretende apenas coordenar as reuniões para discussão sobre o preenchimento dos cargos.

A eleição na Assembléia Legislativa acontece em 1º de fevereiro…