13

Peemedebistas reagem à força do bloquinho na Mesa da Assembléia

Rezende briga pela 1ª vice-presidência...

Formado basicamente por novos deputados – são 14 no total – o bloquinho mostrou força na Assembléia Legislativa, mesmo antes do início dos trabalhos. E deve emplacar três cargos na Mesa Diretora, entre eles a 1ª vice-presidência.

Mas há reações a esta força. O PMDB, que terá o presidente Ricardo Murad, tem reagido à hegemonia do bloquinho e quer rediscutir a fomração da Mesa Diretora, garantindo também a 1ª vice ou a 1ª secretaria – esta assegurada ao PV.

Os deputados Stênio Rezende, Arnaldo Melo e Afonso Manoel são os mais insatisfeitos.

...Mesmo posto almejado por Arnaldo Melo

Mas o poder do bloquinho está na homogeneidade. Os 14 parlamentares que o compõem se uniram desde o resultado das eleições e decidiram permanecer coesos para ter maior poder de barganha. Afinal, são apenas jovens deputados, que iriam se confrontar com raposas da política maranhense.

A união fez a força e garantiu os postos importantes ao grupo.

E, ao que tudo indica, de nada adiantará a chiadeira dos peemedebistas…

2

PSDB pode ficar isolado na Assembléia Legislativa…

Gardeninha pode acabar líder de si mesma na Assembléia

Teve efeito contrário ao pretendido a ação da deputada tucana Gardeninha Castelo para liderar um bloco parlamentar na Assembléia Legislativa.

A bancada do PDT pode, em contrapartida, firmar aliança com o bloco PSB/PCdoB/PPS, deixando o PSDB isolado.

Gardeninha trabalha desde a eleição por uma composição entre tucanos e pedetistas, o que garantiria um bloco com sete parlamentares. Movimentos políticos extra-assembléia, no entanto, têm levado o PDT a movimento de afastamento do PSDB.

Com apenas três parlamentares – a própria Gardeninha e os novatos André Fufuca e Neto Evangelista – a bancada do PSDB não poderá formar bloco para ter acesso às comissões técnicas e  à Mesa.

O que inviabiliza o projeto da filha do prefeito…

21

Presidente da FMF corrobora pensamento do blog: futebol maranhense não existe; nem para ele…

Alberto Ferreira: futebol maranhense não o tira da frente da TV...

A declaração do presidente da Federação maranhense de Futebol, Alberto Ferreira, repercutida hoje no imirante.com, apenas confirmou o que este blog diz há anos.

O futebol maranhense não existe. Serve apenas para enriquecer empresários falidos e dar votos a políticos inescrupulosos.

Eu mesmo, quando o Flamengo joga, não vou ao estádio, porque eu torço pelo Flamengo – revelou Ferreira, de forma até entusiasmada.

Mas ele tem razão!

Nem ele, nem a maioria dos maranhenses – mesmos os amantes de futebol – trocaria um clássico carioca por Moto e Sampaio ou coisa que o valha.

O futebol maranhense é só para torcedores românticos, meia-dúzia de gatos pingados que insistem em ir ao estádio, e alguns “ingênuos” profissionais de imprensa, que ainda acreditam que tudo vai dar certo.

Não vai.

O futebol maranhense não existe há anos e nunca vai existir. Não tem estrutura, não tem craques, não tem torcida.

Vai depender eternamente dos incentivos do poder público para atrair gente aos estádios –  e, neste caso,  ninguém estará preocupado com o jogo em si, mas com os prêmios do “Nota na Mão”.

Pela primeira vez vez em anos no comando do futebol, Alberto Ferreira fala a verdade:  Nem Moto, nem Sampaio, nem MAC e muito menos os times pequenos do Maranhão têm força para tirar o torcedor de casa e fazê-lo ver besteira em campo.

E o chefão do futebol maranhense é o maior exemplo disto…

Leia aqui “Futebol no Brasil é só Vasco e Flamengo; o resto não tem a menor importância” e aqui ‘Futebol de canalhices…”

17

PSB pode se alinhar ao governo Roseana…

Alves é hoje o principal interlocutor do PSB, único com mandato federal

Uma articulação intensa de bastidores pode levar o PSB maranhense à base de apoio da governadora Roseana Sarney (PMDB). A aliança, que pode representar, inclusive, a participação dos socialistas no governo, tem a simpatia do deputado federal Ribamar Alves e até de deputados estaduais, como Luciano Leitoa e Cleide Coutinho.

Ao garantir a reeleição em outubro passado, Alves passou a ser o principal interlocutor do PSB na direção nacional da legenda, desbancando o grupo liderado pelo ex-governador José Reinaldo Tavares.

O parlamentar é a referência, inclusive, nas conversas com a Prefeitura de São Luís, onde o PSB tem a vice-prefeita, Helena Duailibe – outra simpatizante da aliança com o governo Roseana.

Isolado, o grupo reinaldista tenta se manter forte com o governador de Pernanbuco, Eduardo Campos, mas já não tem o que ofercer.

Interessa ao PSB membros no Congresso Nacional – senadores e deputados federais.

E entre os socialistas do Maranhão apenas Ribamar Alves tem este cacife.

O caminho dos reinaldistas, portanto, deve ser a porta de saída…

7

Rio de Janeiro de 2011, 2010, 2009, 2008…

Guardadas as devidas proporções, o Rio de Janeiro é muito parecido com São Luís em seus aspectos sociais, culturais e de infra-estrutura.

E como a Ilha do Amor, a Cidade maravilhosa também sofre as consequências do descaso do poder público.

A tragédia que se abateu sobre cidades cariocas este ano estava anunciada há anos. Ou melhor, é um replay do que acontece ano após anos – como em São Luís.

Todo ano é a mesma coisa: enchentes alagam áreas já conhecidas da capital maranhense e provocam deslizamentos nos morros cariocas. Infelizmente, desta vez, o estrago está sendo bem maior no Rio, levando a um número de vítimas fatais que pode chegar a mil.

A situação – tanto lá como cá – fica a mercê do humor da natureza. Só não há enchentes quando não chove. E a coisa se repete ano após ano.

Está sendo assim em 2011 e foi assim em 2010, 2009, 2008…

11

A saúde de Jackson Lago…

Jackson faz tratamento em São Paulo há quase dois meses

O ex-governador Jackson lago (PDT) ainda está em São Paulo, recuperando-se de uma pneumonia contraída durante tratamento de câncer e que o deixou algumas semanas na UTI, no final do ano.

Jackson quer voltar a São Luís, mas os familiares não permitem – aguardam liberação médica.

O ex-governador sofreu intensa carga emocional durante o seu processo de cassação. E repetiu a dose durante a campanha eleitoral de 2010, quando, muito mais do que vencer, ele queria usar o tempo para tentar reverter os danos à sua imagem pública.

Em idade avançada, o ex-governador precisa de repouso quase absoluto, mas não se desliga da política.

Pensa, inclusive, disputar novas eleições nos próximos anos…

4

Tem mais voto que prefeitos na eleição da Famem…

No desejo de mostrar força político-eleitoral na disputa pela Famem, os dois candidatos cantam vitória antecipada e metem os pés pelas mãos quando apresentam seus números.

De acordo com o blog de Gilberto Léda, os aliados do prefeito de São João dos Patos, José Mário (PMDB), afirmam ter ele mais de 17o votos, o que representaria, hoje, mais de 80%, levando-se em conta que os associados com direito a voto são menos de 200.

Já os aliados de Júnior Marreca (PV) dizem que ele vencerá com cerca de 145 votos.

São 315 votos no total dos dois candidatos.

Como o Maranhão só tem 217 prefeituras, significa que um dos dois está superfaturando seu potencial.

É aguardar o da 17 de fevereiro…

14

Jota Pinto deve ser o vice-presidente da Assembléia

Jota Pinto: estréia forte no Parlamento

Estreando no Parlamento estadual em fevereiro, o deputado eleito Jota Pinto (PR) chegará com poder à Casa.

É praicamente certo que o parlamentar ocupará a vice-presidência da Mesa, uma ndicação do chamado bloquinho, grupo que reúne vários partidos e 14 deputados.

Além de Pinto, o bloquinho indicará Marcos Caldas (PRB) e Francisca Primo (PT) para a composição da Mesa.

Apresença de Jota Pinto na Mesa foi garantida com base na proporcionalidade da divisão dos cargos. Maiores bancadas da Casa, os dois blocos governistas divirião os principais postos.

Ao Blocão – composto por PMDB, PV, DEM, PTB e PSC – caberá a presidência e a 1ª secretaria. Ao bloquinho,  a 1ª vice-presidência e a 2ª secretaria.

Os dois blocos terão ainda mais três cargos – dois para o blocão e um para o bloquinho.

As duas vagas restantes serão da oposição…

23

Ricardo Murad estranha justificativa de secretário sobre tabela de pagamentos

O deputado Ricardo Murad (PMDB) disse hoje ter estranhado a justificativa do secretário de Planejamento, Fábio Gondim, para a alteração na data de pagamento do funcionalismo estadual.

Para Murad, a afirmação de Gondim, dá a entender que o estado precisa da arrecadação do dia 30 de cada mês para poder pagar a folha, ou seja, estaria quebrado.

Na quarta-feira, para tentar justificar a nova tabela de pagamentos – questionada desde o início por este blog – o secretário disse ao blog do jornalista Décio Sá que alterou a tabela para que pudesse aproveitar a última cota do Fundo de Participação do Estado (FPE), que cai no dia 30 de cada mês.

– Fábio Gondin (…) dá a entender que o governo está sem caixa e que precisa do crédito do FPM e ICMS do dia 30 para garantir o pagamento da folha – comentou Ricardo Murad, no Facebook.

Em conversa telefônica com o blog, o deputado dise não haver a menor necessidade de alteração na tabela.

Exatamente como este blog defende desde o início…