19

Ipopi aponta polarização entre Flávio e Castelo em SL…

Flávio e Castelo polarizam sucessão em SL

O Instituto piauiense Amostragem (antigo Ipopi) concluiu no início desta semana aquilo que pode ser a primeira pesquisa quantitativa sobre a sucessão em São Luís.

Segundo apurou o blog, o levantamento mostra que, a exatos 1 ano e meio do pleito, o prefeito João Castelo (PSDB) tem como principal adversário o ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB).

Os diretores do instituto estão em São Luís, provavelmente para fazer a tabulação dos números levantados.

O blog não conseguiu identificar o contratante da pesquisa, mas apurou que o comunista se sobrepõe ao tucano neste momento da corrida, seguidos do deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

Ainda segundo apurou o blog, o Ipopi – ou Amostragem – mediu cenários com dois nomes ligados ao grupo da governadora Roseana Sarney (PMDB): o ex-prefeito e atual secretário de Turismo, Tadeu Palácio, e o deputado estadual Roberto Costa (ambos do PMDB).

Os dois peemedebistas mantêm posição intermediária, atrás dos principais candidatos.

Em 2010, o Amotragem chegou a fazer pesquisas sob encomenda do Jornal Pequeno. (releia aqui)

6

Rubens Júnior transfere título de eleitor para São Luís

Pereira Júnior: agora, eleitor de São Luís

O deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB) anunciará em solenidade nesta quinta-feira, na sede do partido, a transferência do seu domicílio eleitoral para São Luís.

A informação foi dada em primeira mão no blog de Raimundo Garrone.

Atualmente, Rubens Júnior é eleitor de Matões, cidade administrada pela sua mãe, Suely Pereira (PDT).

– Esta transferência leva a duas coisas: primeiro, o PCdoB tem opção além do deputado Flávio Dino; segundo, estou no jogo da sucessão municipal.

Desde o final do ano passado, o PCdoB vem dando sinais de que poderá optar por outro nome à sucessão do prefeito João Castelo (PSDB).

O que preservaria Flávio Dino para a sucessão de 2014…

7

O prestígio de Jota Pinto…

Jota vai presidir frente

Em seu primeiro mandato, o deputado estadual Jota Pinto (PR) mostrou forte prestígio político, ontem, ao reunir as princiapis lideranças do Executivo, do Legislativo e representantes de Organizações Não-Governamentais para o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Baixada.

Só o governo Roseana Sarney (PMDB) foi representado por nada menos que quatro secretários – o chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, que foi um dos palestrantes, e mais Hildo Rocha (Articulação Política), Victor Mendes (Meio Ambiente) e Cláudio Azevedo (Agricultura).

Jota Pinto conseguiu envolver praticamente toda a Assembléia em seu projeto em prol da Baixada, além de prefeitos não só da região, mas de todos os rincões do estado.

Formação da Mesa mostra prestígio do evento

Também presentes representantes da academia, como Márcio Vaz, da Ufma, e entidades como a Conlagos, consórcio de prefeitos que atua na discussão de políticas públicas na Baixa e na região dos lagos maranhenses.

O projeto de Jota Pinto gerou até ciumeira entre os deputados. Hoje, os oposicionistas Marcelo Tavares (PSB) e Neto Evangelista (PSDB) mostraram-se magoados por não fazerem parte da frente e apelaram para  o próprio Jota, que afirmou:

– A Frente é de todos nós. Considere-se membro parlamentar.

Mostrou prestígio até mesmo nos momentos de tensão…

6

O TCE no jogo político do Maranhão…

TCE deve realziar mudanças entre membros em 2011

Há uma disputa intestina nos bastidores políticos do Maranhão sobre a possibilidade de abertura de uma vaga no Tribunal de Contas do Estado – embora nem se saiba exatamente que conselheiro se aposentará.

Fala-se muito em Yêdo Lobão e Nonato Lago, que entrariam na compulsória a partir de 2011.

A escolha do conselheiro de contas é feita em votação indireta na Assembléia Legislativa. Em tese, qualquer cidadão maranhense pode concorrer, embora o jogo político pese a favor da classe política.

Vez ou outra, o assento no TCE também é usado como moeda de troca e de barganha política.

Na época em que José Reinaldo Tavares (PSB) era governador, cogitou-se a ida do vice-governador Jura Filho (PMDB) para a Corte, em troca da garantia de Tavares poder deixar o governo para disputar a eleição de senador – assumiria o Executivo o então presidente da Assembléia, João Evangelista (PSDB).

A tentativa de manipulação do TCE veio novamente à tona no governo Jackson Lago (PDT). Disputavam uma eventual indicação o chefe da Casa Civil, Aderson Lago (PSDB), e o secretário de Planejamento, Abdelaziz Santos (PDT).

Novamente agora, surgem especulações de que o governo Roseana Sarney (PMDB) trabalharia a indicação do vice-governador Washington Oliveira (PT), para que, desta forma, a governadora pudesse disputar o Senado, em 2014, tendo um aliado no comando da Assembléia Legislativa – que, automaticamente, assumiria o governo.

O problema é que, no meio do caminho, há o Ministério Público de Contas interessado na vaga…

17

O que ele pensaria disso tudo???

O Maranhão ainda se ressente da ausência do jornalista Walter Rodrigues. Há um ano, ele deixava esta vida, mantendo-se na história do jornalismo.

Só Rodrigues sabia observar o cotidiano político com a visão de quem consegue ver o mundo com olhos próprios.

Walter: o o observatório privilegiado do cotidiano

Como seria Walter Rodrigues observando o governo João Castelo (PSDB)? Que diria ele do governo Roseana Sarney (PMDB)? Como ele analisaria a gestão de Dilma Rousseff (PT)?

Com esta visão ele influenciava, formava opinão – por que tinha opinião.

Só Walter tinha esta capacidade de sair do particular (São Luís) para o geral (Brasil), fazendo a correlação entre os dois aspectos de forma lúcida, isenta e coerente.

Saberia entender perfeitamente a morte de Osama Bin Laden e suas cosnequências para o mundo – e para os Estados Unidos?

Walter Rodrigues tinha visão definitiva também sobre Flávio Dino (PCdoB). Que diria ele, por exemplo, da chegada de Arnaldo Melo (PMDB) ao comando da Assembléia? Do fuituro político de Luís Fernando Silva e de Lobão?

Só ele saberia estimar o futuro do PDT e seus satélites no pós-Jackson Lago (PDT). Também a visão do pós-Sarney(PMDB).

Ainda há um vazio no jornalismo maranhense…

10

O pé esquerdo do PCdoB…

Dino quebrou o pé no jogo...

...Orlando quebrou na caminhada

Apaixonado por futebol, o ex-deputado federal, e botafoguense, Flávio Dino (PCdoB) resolveu bater uma bolinha com amigos durante o feriadão de semana santa.

Acabou fraturando o pé, o que o tirou de circulação por algumas semanas.

Dino é presidente do PCdoB maranhense.

No último final de semana foi a vez do representante comunista no ministério de Dilma Rousseff (PT).

Orlando Silva, ministro dos Esportes, fratuou o otronzelo direito quando fazia caminhada, domingo.

Teve o pé imobilizado ontem e ficará três semanas fora de combate.

8

Algo mais comum do que se pensa na Assembléia…

O Ministério Público encaminhou ontem à Justiça Ação Civil Pública contra o ex-deputado Pastor Reginaldo Nunes (PL).

Eleito no esquema da Igreja Universal do Reino de Deus, ele é acusado de  nomear a empregada doméstica de sua casa, Maria Isabel Sodré Drummer Moraes, em seu gabinete na Assembléia Legislativa.

Pagava a ela R$ 600,00 por mês e ficava com o restante do seu salário.

Fez inclusive empréstimos bancários no nome de Isabel, o que a levou ao SPC – e resultou na descoberta da fraude.

A denúncia é dos promotores Marcos Valentim Pinheiro Paixão e José Leonardo Sousa Pires Leal.

Eleito para a legislatura 2003/2007, Reginaldo Nunes não é o único caso do tipo na Assembléia maranhense.

A também ex-deputada Maura Jorge (DEM) – hoje prefeita de Lago da Pedra – foi acusada do mesmo crime, no mesmo período de Nunes.

O processo durou anos, com várias provas e vários testemunhos. Mesmo assim, a deputada foi absolvida da acusação pelo Tribunal de Justiça maranhense.

Outros casos tramitam na Justiça Federal, mais rigorosa e menos sujeita a pressões políticas.

Na ação contra Reginaldo Nunes, o Ministério Público quer que ele devolva cerca de R$ 106 mil aos cofres públicos.

Detalhe: pastor da Igreja Universal, ele corre o Brasil a serviço da denominação.

Neste momento, tem rumo ignorado e não sabido…

9

Três ações em sequência…

Desembargador José Joaquim: três vezes acionado em recursos

No dia 12 de maio, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça condenou o prefeito de Apicun Açu, Cecé Monteiro, (PDT), a  5 anos de reclusão, em regime semi-aberto, mais 3 anos de detenção, além do afastamento do cargo.

Motivo: entre outras irregularidades, teria desviado R$ 157 mil dos cofres públicos municipais.

Na madrugada do dia 13, o desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos cassou a decisão de afastamento de Monteiro. Não analisou se ele é culpado ou não. Decidiu revogar a decisão de uma Câmara simplesmente por que o processo não transitou em julgado.

O prefeito de Cururupu, José Francisco Pestana, foi afastado semana passada pela juiza da cidade, Lúcia Quadros.  Ele é acusado de atrasar o salário dos funcionários – useiro e vezeiro que é neste tipo de ação.

Na mesma sexta-feira de madrugada o mesmo desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos determinou a suspensão da decisão da juíza.

Neste caso, o próprio Ministério Público já havia se posicionado contrário à decisão de 1º Grau, argumento usado pelo desembargador para derrubar a sentença.

Terça-feira, dia 10 de maio. O vice-presidente da Câmara Municipal de Tuntum, vereador Orleans Moreira Cruz, foi preso, acusado de participar de quadrilha de assaltantes que age na região.

O vereador é conhecido na prática de crimes, segundo denúncias da polícia, do Ministério Público e do próprio judiciário local.

Mais uma vez o caso acaba nas mãos do desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos – agora como plantonista do TJ de domingo. Ele alegou inconsistência no Mandado de Prisão Preventiva e decidiu revogá-lo, mandando soltar o vereador.

Desta vez, no entanto, os argumentos do desembargador não prosperaram: sua decisão foi revogada no dia seguinte pelo colega Raimundo Melo, que deixou claro:

 – A condução do processo deve ser deixada ao prudente arbítrio do magistrado, pois, a proximidade dos fatos e das provas lhe confere efetivamente a faculdade de ser quem melhor pode aferir a ocorrência de circunstâncias ensejadoras de determinadas medidas.

Simples assim…

46

O empreendedorismo e o município de Bacabeira…

Organizadores e palestrantes na mesa dos trabalhos

Foi um sucesso o evento realizado sábado passado pelo Banco do Nordeste do Brasil para discutir o desenvolvimento do município de Bacabeira.

Idealizado pelo líder peemedebista local Calvet Neto, o evento reuniu empresários, políticos e cidadãos bacabeirenses de todas as correntes políticas.

Na pauta, treinamento e formas de financiamento para quem pretende empreender na cidade – e aproveitar as oportunidades que surgirão com a Refinaria Premium da Petrobras.

Acima das questões políticas, Calvet Neto conseguiu reunir representantes da prefeitura, da Câmara Municipal e de todas as correntes políticas que disputam o poder em Bacabeira.

A prefeitura foi representada pelo vice, Delson Serra; o vereador Allan Linhares representou a Câmara. Secretários

Centenas de pessoas participaram do evento

municipais e outras lideranças políticas também esiveram presentes.

– O sucesso do evento mostrou que é possível trabalhar por Bacabeira estando acima dos embates políticos – resumiu Calvet Neto.

Os palestrantes do BNB foram  Edivaldo Andrade Torres – gerente da agência do Centro (São Luis); e Francisco Eurico Felício Filho, gerente Geral da agência Renascença.

De acordo com a organização do evento, mais de 200 pessoas lotaram o local.

O evento foi batizado de “Fórum de Empreendedores de Bacabeira”.

16

Quem é, e o que faz, o suplente de Edinho Lobão…

O pastor Bel é líder da Igreja Assembléia de Deus...

O suplente do senador Edison Lobão Filho, o Edinho (PMDB), Heber Valdo Silva Costa, atua no município de Poção de Pedras.

Estreou na política nas eleições de 2010, conseguindo emplacar como segundo suplente do atual minsitro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB).

Foi este blog quem deu a primeira notícia de sua candidatura a senador, ainda em março de 2010.

Membro da Assembléia de Deus, o pastor Bel, como é conhecido, tentou, primeiro, emplacar candidatura própria ao Senado. E manteve a posição até o último momento, com total apoio do partido.

Para evitar um racha que viesse a criar problemas para o então candidato João Alberto de Souza (PMDB), o grupo Sarney teve que aceitar a presença de Bel na chapa.

Com isso, apostava no apoio dos líderes da AD em São Luís, a maioria ligada ao então candidato Jackson Lago (PDT).

Durante a campanha, o próprio Bel atuou como articulador da aproximação entre os pastores e a governadora Roseana Sarney.

Vários encontros foram realizados, todos coordenados pelo pastor-senador e pelo ex-candidato a vice-prefeito, e também pastor, Fábio Leite.

Mas ainda há entre os sarneyzistas quem torça o nariz para a posse de Bel na vaga de Edinho Lobão.

Algo sem sentido algum, já que o senador precisará de pelo menos seis meses para se recuperar do acidente sofrido quinta-feira passada.