6

Max Barros no PMDB fortalece aliança com o PT…

Max Barros é o candidato do grupo governista

Se tudo caminhar dentro do script desenvolvido pela governadora Roseana Sarney (PMDB), o companheiro de chapa do secretário de Infra-estrutura, Max Barros, será indicado pelo PT.

O secretário, que ainda é filiado ao DEM, mas está de saída para o PSD, deve mudar os rumos e se filiar ao PMDB.

No partido de Roseana, a candidatura ganha musculatura político-eleitoral por que favorece a aliança com o PT, trabalhada pelo vice-governador Washington Oliveira.

Oliveira comanda o grupo majoritário no PT, que deve agora trabalhar em busca de nomes para a formação da chapa.

Com a candidatura de Max Barros, Roseana quer evitar que surjam outras candidaturas no seu grupo político.

A idéia é reunir na mesma coligação todas as legendas que formam a base do governo – do PMDB ao PT; do PV ao PP, passando por PTB, PSC, PR, DEM, PSD.

Uma aliança com força suficiente para polarizar a disputa…

1

O que leva alguém a se submeter a isso???

Faixa em jogo do Sampaio: ação contra Ferreira

É um pária o presidente da Federação maranhense de Futebol, Alberto Ferreira.

Hostilizado pelos dirigentes de clubes, odiado pela torcida, ridicularizado pela mídia e acossado pela Lei, vive à margem da sociedade, como alguém que não consegue, sequer, frequentar ambientes públicos.

Ninguém o quer no comando do futebol, ninguém o quer relacionado a qualquer ato ligado ao esporte.

No paredão do futebol, ele segue cada vez mais isolado

Mesmo os bajuladores de outrora preferem manter-se às escondidas, negando as ligações com alguém tão manchado socialmente. 

Mas Alberto Ferreira, insiste em se manter no poder.

De encontro à própria dignidade, segue no comando da FMF como se se apegasse a uma tábua de salvação.

Mas o que leva um ser humano a descer tão baixo?

O que impede Ferreira de entregar a federação e mostrar aos “detratores” que o problema não é ele, mas estrutural do futebol maranhense?

Sem dignidade alguma, ele vai seguindo moribundo, envergonhado diante dos olhares enviesados nos espaços públicos que ainda se arisca a frequentar – e que, curiosamente, nada têm a ver com o futebol, de onde já foi informalmente banido.

O pária Alberto Ferreira seguirá com o controle da FMF até de lá ser arrancado pela força da Justiça.

E aí, quando olhar para trás, verá que perdeu não apenas o poder.

Mas a própria dignidade…

6

O triângulo das eleições de São Luís…

Max Barros reúne grupo forte para se viabilizar

Com a candidatura do secretário Max Barros a prefeito, formou-se o triângulo-base das eleições municipais de São Luís.

De um lado, o prefeito João Castelo (PSDB), que tenta a reeleição escorado na máquina administrativa, mas parece fraquejar das pernas no campo político partidário. Do outro, os partidos de esquerda, que ainda buscam um candidato substituto para o ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB).

Flávio Dino: o candidato é outro

Max Barros é exatamente o terceiro lado deste triângulo – vem de um grupo forte, lançado entusiasticamente pela governadora Roseana Sarney (PMDB) e com a capacidade de aglutinar todas as legendas da base de apoio, incluindo PT.

O tucano Castelo é um forte candidato, a despeito de sua intolerância, truculência e autoritarismo. Tem o controle da máquina, o que pesa muito na decisão, mas terá que se submeter aos seus articuladores políticos, se não quiser ver definitivamente esfacelada a aliança com a qual pretende concorrer.

Castelo: o pseo da máquina ainda influencia

A esquerda tinha como principal opção Flávio Dino. Ele não deverá entrar na disputa. A candidatura de Roberto Rocha pelo PSB é uma opção, mas não junta a outra parte do chamado campo democrático, formada por PDT e PPS.  O próprio Dino trabalha pela entrada de Edivaldo Holanda Júnior (PTC) no PDT. Assim ganharia uma opção de unidade.

Surgirão outras candidaturas, é verdade. A ultra-esquerda, por exemplo, não deixará de ter seus nomes. Mas sem a expressividade que este tripé dará às eleições em São Luís.

E o triângulo formado por estas três candidaturas é equilátero.

Os três lados têm a mesma medida…

17

Agora começou a eleição em São Luís…

Max Barros, em uma de suas palestras sobre a Via Expressa

A candidatura do secretário de Infra-estrutura, Max Barros, a prefeito de São Luís – como anunciada em primeira-mão no blog de Décio Sá – simboliza o ponta-pé inicial da campanha eleitoral de 2012.

Técnico preparado, político honesto e trabalhador, Barros agrega, de saída, toda a base partidária do governo Roseana Sarney (PMDB) em torno do seu nome.

Mas a história política do deputado estadual fala por si só.

Como auxiliar de Roseana Sarney, Max Barros foi responsável por alguns dos principais projetos que modernizaram a infra-estrutura urbana de São Luís a partir de meados dos anos 90.

Como diretor do extinto DER-MA, estabeleceu as base para o fortíssimo programa rodoviário implantado por Roseana em seu segundo mandato.

Como gerente metropolitano, recuperou ruas e avenidas de São Luís, construiu os viadutos, duplicou a estrada do Araçagy, modernizou a rede elétrica nos principais bairros da cidade, projetou a Lagoa da Jansen…

Como secretário de Infra-estrutura é responsável agora pela Via Expressa e Avenida Metropolitana. Também vai concluir a reforma do Estádio Castelão.

Enfim, como candidato, Max Barros tem o que mostrar, mesmo sem ter sido prefeito.

É um páreo duro na sucessão municipal…

15

Castelo é incompetente ou somos todos idiotas?

Castelo durante votação nas eleições de 2008

Do blog de Ed Wilson Araújo

A quase totalidade do mundo politico do Maranhão conhece a astúcia política e o lastro eleitoral do prefeito João Castelo (PSDB). Sabemos também da regra eleitoral vigente tanto na prefeitura quanto no governo.

Quem está de posse da máquina pública vai elegendo seus sucessores ad infinitum.

É assim em São Luís, desde o primeiro mandato de Jackson Lago, em 1989. Repete-se o jogo no plano estadual, quando José Sarney assumiu o governo em 1966 e nunca mais desapeou.

Por essa regra Castelo tem amplas condições de reeleger-se.

Ele é o representante de uma espécie de malufismo ludovicense. Tem um eleitorado que o ama, mesmo em condições adversas, sendo ainda capaz de confiar-lhe mais um voto em 2012. O restante dos votos ele opera.

Mas a movimentação pré-eleitoral do prefeito é tão desastrada que beira a adjetivos impublicáveis neste blogue.

Ou então ele é esperto demais e está enganando a todos os analistas políticos. Continue lendo aqui…

25

Pastor Malafaia vem a São Luís, mas título de cidadão ainda está pendente…

Malafaia em um de seus cultos no RJ

Marcada para o próximo final de semana em São Luís – dias 20 e 21 de agosto – uma  cruzada evangelística tendo como protagonista o pastor Silas Malafaia.

Malafaia foi pivô de recente polêmica na Câmara Municipal, quando a vereadora evangélico-comunista Rose Sales (PCdoB) apresentou Projeto de Lei concedendo a ele título de cidadão ludovicense.

O projeto está sob vistas do vereador Ivaldo Rodrigues (PDT), que é abertamene contra a honraria.

A concessão do título ao pastor esbarra também no Regimento Interno da Câmara, que exige residência de cinco anos, no mínimo, para que uma personalidade seja agraciada com o título.

Provavelmente, Rose Sales apostava nas datas da cruzada para aprovar o título de cidadão a toque-de-caixa.

Mas, se ainda quiser aproveitar a cruzada malafaiana para fazer sua “boa ação”, ela só tem uma semana para votar, aprovar e definir a entrega do título de cidadão.

Em tempo: a estrutura usada pelo pastor na cruzada é de alta tecnologia.

E sua estada em São Luís é bancada pelos promotores do evento..

2

Famem quer fortalecer programa “aquisição de Alimentos”

Representantes da Federação dos Municípios do Maranhão e da Secretaria de Agricultura reuniram-se quinta-feira para discutir a concessão de créditos do BNDEs às prefeituras maranhenses.

O objetivo é fortalecer o programa “Aquisição de Alimentos”.

– Esse é o nosso papel, fortalecer o municipalismo através de ações que visem à implementação de políticas públicas que realmente tragam benefícios à nossa população – declarou o secretário-geral da Famem, prefeito Juarez Lima.

A secretária Conceição Andrade também elogiou a ação dos prefeitos.

– É com o intuito de disseminar essa parceria que nós do Governo do Estado viemos a FAMEM, para que entre em contato com os demais prefeitos do estado do Maranhão, pois com a união e participação  é possível uma ampliação dos programas para buscar mais recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário – disse a secretária.

Famem e Sedagro volta a se reunir, na próxima seguda-feira, para definir os detalhes da implantação do PAA.

O encontro acontece no Palácio dos Leões…

 

5

Assembléia estuda implantação da Frente Parlamentar da Segurança…

A Assembléia Legislativa vai voltar a discutir semana que vem a implantação dfa Frente Parlamentar da Segurança.

A proposta é do deputado Zé Carlos da Caixa (PT).

Zé Carlos quer contribuir para o aperfeiçoamento do sistema de Segurança

Além da frente, o deputado, que é presidente da Comissão de Segurança Pública da Casa, pretende voltar a se reunir com o secretário Aluísio Mendes e os trabalhadores do setor.

A proposta de criação da Frente da Segurança ocorre no momento em que a política de Segurança do governo Roseana é criticada por um de seus mais experientes conhecedores, o deputado Raimundo Cutrim (DEM). Para Cutrim, o roblema é de gestão na pasta.

Zé Carlos da Caixa pensa diferente.

Para ele, é fundamental que todos dêem sua contribuição, não apenas apontando os erros, mas discutindo intensamente a situação.

– É muito fácil apenas criticar. Mas todos juntos, Legislativo, Executivo, Judiciário, sociedade civil organizada, podemos encontrar uma solução para os problemas – disse  parlamentar do PT, em entrevista ao jornalista Jorge Aragão.

Para Zé Carlos da Caixa, a frente em defesa da Segurança Pública será o canal de discussão com a sociedade para a busca de soluções.

3

O estilo conciliador de Carlos Brandão…

Brandão: com ele, tudo deve estar em paz...

O novo presidente do PSDB maranhense, deputado federal Carlos Brandão, não quer briga com ninguém.

Em sua primeira entrevista coletiva, hoje pela manhã, ele deixou claro que vai buscar o entendimento político em todos os níveis.

Internos e externos.

Para Brandão, não tem que haver diferenças entre o PSDB e o prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB).

Ele também não aponta qualquer senão em relação aos que deixaram ou pretendem deixar a legenda – Roberto Rocha, Edson Vidigal, Luiz Porto, Aderson Lago… 

Brandão é um conciliador por excelência.

Característica ainda mais ressaltada quando perguntaram a ele sobre as desavenças entre o governo e a prefeitura por causa da Via Expressa e de outras obras em São Luís.

– Eles pecisam buscar o entendimento. Só quem perde com isso [com a disputa] é a população – explicou. 

É assim que pensa o novo presidente do PSDB maranhense.

Um autêntico tucano, agoa de quatro costados…