0

O papel dos Cutrim no processo eleitoral maranhense…

Vice-presidente da Assembleia Legislativa, Glalbert Curtrim, e o conselheiro do TCE, Edimar Cutrim, têm posição privilegiada na movimentação das peças eleitorais, tanto em 2020 quanto em 2022

 

GLALBERT CUTRIM E O PAI, EDIMAR CUTRIM: atores de ponta no processo eleitoral de 2020 e 2022

Nenhuma análise ou prognóstico sobre as eleições de 2020 e de 2022 pode esquecer dois elementos fundamentais no processo: o atual vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Glalbert Cutrim (PDT), e seu pai, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Edimar Cutrim.

Cutrim, o pai, deve ser o candidato do PDT a prefeito de São José de Ribamar em 2020.

Em princípio, uma coisa nada tem a ver com a outra; mas é exatamente a saída de Edimar do TCE que deverá mexer com todas as peças do tabuleiro de 2022.

E o filho Glalbert passa a ser uma dessas peças no xadrez eleitoral.

Para ser candidato em Ribamar, Edimar Cutrim precisa deixar o TCE até abril de 2020. Abre-se, portanto, uma vaga de conselheiro.E esta vaga é cogitada para dois nomes: o vice-governador Carlos Brandão (PRB) e o presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB).

Se esta vaga for preenchida por Brandão, Othelino passa a ser o primeiro na linha de sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB); assumindo, em 2022, abre a vaga na Assembleia exatamente para Glalbert Cutrim.

Mas, se, por outro lado, for Othelino o agraciado com a vaga de Edimar em 2020, Glalbert Cutrim assume imediatamente a Assembleia.

De uma forma ou de outra, portanto, os Cutrim têm posicionamento privilegiado no xadrez político-eleitoral maranhense.

E sairão fortalecidos do processo.

Em qualquer circunstância…

7

De como Weverton Rocha constrói seu time para 2022…

Senador reúne em torno de si aliados emergentes, novas lideranças e políticos com perspectiva de poder; e a exemplo do que fez em 2018, vai construindo as bases para tornar irreversível sua candidatura à sucessão do governador Flávio Dino

 

COM ALIADOS EM TODAS AS INSTÂNCIAS DO PODER MARANHENSE, Weverton vai consolidando seu projeto para 2022

O blog Marco Aurélio D’Eça acompanhou de perto a candidatura a senador do então deputado federal Weverton Rocha (PDT), desde seu início, lá no fim de 2016.

E entende que, se dependesse do governador Flávio Dino (PCdoB), o agora senador nem seria candidato.

A construção da candidatura – que obteve quase 2 milhões de votos, a maior votação da história do Maranhão – se deu por uma característica própria do pedetista: a capacidade de consolidar apoios em torno e si.

COM PORTAS ABERTAS NO SENADO, WEVERTON ATRAI TAMBÉM DEPUTADOS, PREFEITOS E VEREADORES de todo o Maranhão a Brasília

Nesse aspecto, o que teriam a ver os deputados federais Juscelino Filho (DEM), Gil Cutrim (PDT), e Pedro Lucas Fernandes (PTB), os presidentes da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB); da Famem, Erlânio Xavier (PDT); e da Câmara Municipal, Osmar Filho (PDT); o candidato a prefeito Neto Evangelista (DEM), além dos deputados estaduais Glalbert Cutrim, Rafael Leitoa, Fábio Macedo(todos do PDT), diversos prefeitos e um sem número de vereadores em São Luís e no interior?

Todos eles fazem parte do time de Weverton Rocha, a base que ele vai construindo, à sua maneira, para chegar como nome de peso na sucessão de Flávio Dino.

E assim como Dino nunca quis Weverton senador – até ser engolido pela irreversibilidade de seu nome – também não o quer candidato a governador; pelo menos não em 2022.

Mas vai querer.

O comunista vai ter que querer.

DESDE 2016 O SENADOR VEM REUNINDO MEMBROS DA CLASSE POLÍTICA, QUE SOLIDIFICAM CADA VEZ MAIS SEU PROJETO, que pode se viabilizar em 2022 ou mesmo só em 2030…

Por que a questão não envolverá apenas Weverton Rocha, mas Othelino Neto, vários deputados federais e estaduais, além de uma crescente lista de prefeitos empoderados e com trânsito na Brasília bolsonarista a que Dino não tem acesso.

É assim que se constrói candidaturas

É assim que se vence eleições…

0

Othelino pode ter três mudanças em sua nova chapa na Assembleia…

Presidente deve ser reeleito nesta segunda-feira, 6 ao lado de outros oito parlamentares, dentre os quais Rildo Amaral, César Pires e Paulo Neto, que pleiteiam espaço na Mesa Diretora

 

CÉSAR PIRES COM OTHELINO NETO em articulação que levará à nova mesa da Assembleia

O deputado Othelino Neto deve ser reeleito nesta segunda-feira, 6, para novo mandato de presidente da Assembleia Legislativa.

Assim, o parlamentar ficará no comando da Casa até fevereiro de 2023, o que lhe garante posição de destaque no processo eleitoral de 2022.

Com Othelino, devem ser reeleitos para os mesmos cargos o primeiro e o segundo vice-presidentes da Casa, Glalbert Cutrim (PDT) e Detinha (PR), respectivamente, além dos secretários Andreia Rezende (DEM), Cleide Coutinho (PDT) e Pará Figueiredo (PSL).

A novidade na nova chapa de Othelino deve ficar por conta da eleição de César Pires (PV), Rildo Amaral (SD) e Paulo Neto (DEM), que articulam-se pelas vagas que podem ser abertas.

Destes, quem se movimenta com mais intensidade é César Pires, que tem trânsito em todas as bancadas.

A eleição da Mesa Diretora está marcada para as 11 horas desta segunda-feira, 6…