1

Transparência turva…

Criada para ser chefiada pelo advogado Rodrigo Lago – filho do notório Aderson Lago – pasta ignorou irregularidades no governo comunista e só serviu para criar factóides contra adversários

 

Nomeado para exercer o controle do governo, Lago ignora casos notórios

Criada em 2015, com pompa e circunstância pelo governo Flávio Dino (PCdoB), como a solução para todos os males éticos e morais da administração pública, a Secretaria da Transparência foi vendida como um marco no controle dos processos de gestão.

Mas logo na nomeação do seu titular, a desconfiança tomou conta da classe política e dos observadores públicos do Maranhão. O escolhido para tocar a pasta foi o advogado Rodrigo Lago. Filho do ex-deputado Aderson Lago, Rodrigo cresceu com o sentimento de vingança a tudo que representasse contrariedade ao pensamento político do pai.

No comando da Secretaria, Lago parece ter acabado por somar ao próprio sentimento às determinações autoritárias e persecutórias do seu chefe, o governador comunista Flávio Dino. O resultado foi uma espécie de Gestapo contemporânea, perseguindo adversários do governo e com notória vista grossa aos malfeitos do próprio governo.

Logo de cara, no primeiro ano do mandato, a Transparência comunista se viu às voltas com dois casos graves de corrupção, envolvendo as auxiliares do governador Simone Limeira, acusada de cobrar propina de tribos indígenas, e Rosângela Curado, afastada do governo de forma abrupta e sem explicações.

Não se tem notícia nesses três anos de nenhuma ação, abertura de processo ou de simples investigação da Transparência de Rodrigo Lago contra as duas mulheres.

Nesse mesmo termo, a pasta produziu relatórios contra os ex-secretários Ricardo Murad e Cláudio Trinchão, e até contra a ex-governadora Roseana Sarney. Todos mandados para o arquivo morto na Justiça.

De qualquer forma, no entanto, provaram que a transparência no governo comunista é turva.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

6

Relatório da PF: dinheiro da Saúde enriqueceu jackistas e reinaldistas…

De acordo com o documentos da investigação que resultou na operação “Sermão ao Peixes”, Instituto Cidadania e Natureza beneficiou o ex-chefe da Casa Civil Aderson Lago e foi usado até na campanha de João Capiberibe, no Amapá

 

Alexandra e José Reinaldo comandaram o esquema

Alexandra e José Reinaldo comandaram o esquema

A cada dia o relatório da Polícia Federal que resultou na operação “Sermão aos Peixes”, deflagrada no início de novembro contra ex-dirigentes do sistema de Saúde do Maranhão e empresários do setor, traz mais revelações de como a coisa funcionava desde os governos José Reinaldo Tavares (PSB) e Jackson Lago (PDT).

Segundo o documento, foi diretamente beneficiado com “as falcatruas na Saúde”, o ex-chefe da Casa Civil do governo Jackson Lago, Aderson Lago, pai do atual secretário de Transparência, Rodrigo Lago.

E até os chamados “balaios” – militantes pagos para fazer campanha contra a família Sarney, no Maranhão e fora dele – ganharam dinheiro do esquema.

– Com a administração da Maternidade Marly Sarney foram repassados R$ 16 milhões e outros R$ 34 milhões referentes à administração do Hospital Carlos Macieira: R$ 600 mil para o bolso do ex-chefe do gabinete civil Aderson Lago, R$ 980 mil para movimentação e sustentação e apoio aos balaios – diz o relatório da Polícia Federal.

É preciso ressaltar que os delegados da “Sermão ao Peixes” ignoraram essas informações do relatório, optando por fazer operação referente apenas ao período de 2010 a 2013.

Trecho do relatório mostra como era distribuído o dinheiro desviado

Trecho do relatório mostra como era distribuído o dinheiro desviado

Capiberibe levou R$ 500 mil

Na época investigada pela Polícia Federal, o então governador José Reinaldo Tavares tinha uma obsessão: ajudar o então senador  João Capiberibe a derrotar o senador José Sarney no Amapá.

E para tanto, Tavares não poupou dinheiro público, desviado via Instituto Cidadania e Natureza.

Para a campanha de Capiberibe foram encaminhados nada menos que R$ 500 mil reais, segundo revela o relatório da Polícia Federal ignorado na “Sermão aos Peixes”.

O documento fala ainda de uma “ex-secretária de Saúde”, cujo nome não é revelado, que “percebe mensalmente R$ 30 mil para dar continuidade às falcatruas da organização criminosa”.

Aderson Lago, o guloso

Aderson Lago: dinheiro pro bolso, diz Polícia Federal

Aderson Lago: dinheiro pro bolso, diz Polícia Federal

O relatório da Polícia Federal dedica parte substancial da investigação ao pai do atual secretário de transparência, Rodrigo Lago, o então chefe da Casa Civil, Aderson Lago – isso já no governo Jackson Lago.

O documento chega a relatar, com detalhes, a volúpia com que o ex-secretário avançava no dinheiro público.

– Também cito célebres desvios de recursos de convênios envolvendo o atual chefe da Casa Civil, Aderson Lago. No primeiro, parte do repasse mensal de R$ 120 mil para manutenção de hospital em Mata Roma era sacado por assessores de Aderson. No outro, a denúncia e que pelo menos R$ 100 mil dos R% 550 mil de convênios para compra de remédios em Caxias acabaram na conta da empresa Ópera Prima, do Rio de Janeiro, de propriedade de ninguém menos que Aderson Neto, filho do chefe da Casa Civil. Isso tudo em 2006 – diz o relatório.

Documento relata ações de Aderson sobre o dinheiro público

Documento relata ações de Aderson sobre o dinheiro público

Diante de todas essas informações é que este blog – e outros blogs maranhenses – tem questionado desde o início da operação: Por que a Polícia Federal ignorou estes personagens na Operação “Sermão aos Peixes”?

Em resposta, a assessoria da PF no Maranhão tem dito apenas que não se pronuncia sobre caso em investigação.

Ou seja, pelo menos há uma investigação, é o que se espera…

1

Até tu, Aderson Lago?!?

Documento da Polícia Federal publicado por Luis Pablo mostra que o pai do secretário de Transparência do governo Flávio Dino recebeu dinheiro de uma empresa  prestadora de serviços quando era chefe da Casa Civil do governo Jackson Lago

 

Aderson Lago: poupado pela PF?!?

Aderson Lago: poupado pela PF?!?

Ao contrário do que se pensava, a Polícia Federal não investigou os contratos da Secretaria de Saúde do Maranhão apenas no período de 2010 a 2013.

Embora os delegados que comandaram a operação “Sermão aos Peixes” tenham limitado suas ações apenas a este período, eles tinham elementos para ações ostensivas – e até para pedidos de prisão – contra membros do governo Flávio Dino (PCdoB) e até do governo Jackson Lago (PDT), que durou de 2007 a 2009.

Um destes personagens é o ex-deputado e ex-chefe da Casa Civil Aderson Lago, segundo revelou hoje o blog de Luís Pablo.

De acordo com Pablo, quando era chefe da Casa Civil, Aderson Lago recebeu em sua conta dinheiro da empresa Serviços de Diagnostico Médico Por Imagem São Luís Ltda. (Leia aqui)

O documento da PF sobre Aderson Lago (blog do Luis Pablo)

O documento da PF sobre Aderson Lago (blog do Luis Pablo)

Os sócios da empresa foram presos, mas Aderson Lago, que é pai do secretário de Transparência do governo Flávio Dino, o advogado Rodrigo Lago, parece ter sido poupado na operação pela Polícia Federal.

Documentos da PF que vazaram à imprensa já mostraram que o secretário Marcos Pacheco – atual titular da Saúde – também envolveu-se com os sócios do Instituto Cidadania e Natureza. (Releia aqui)

As novas revelações do caso mostram que a Polícia Federal, se quisesse, tinha elementos para ampliar as investigações da operação “Sermãos aos Peixes” também para os governos Jackson Lago e Flávio Dino.

Mas a pergunta insiste em continuar: por que apenas o período 2010/2013 interessa aos delegados?!?

4

Aderson Lago de volta ao PSB…

Aderson Lago: retorno ao PSB após dez anos

Até hoje, a mídia política – incluíndo este blog – dá o ex-deputado Aderson Lago como filiado ao PDT, após deixar o PSDB, no início de agosto.

Na verdade, o ex-parlamentar filiou-se ao PSB, para onde foi também o ex-deputado federal Roberto Rocha, hoje comandante do diretório municipal.

Lago primo já esteve no seio socialista, até o início dos anos 2000, quando perdeu uma disputa interna na legenda para o grupo do atual secretário de Sáude, Ricardo Murad.

Hoje, o presidente regional do PSB é o mesmo José Antonio Almeida que, com apoio de Murad, tirou de Lago a condição de candidato a prefeito, em 2000.

Não se sabe os motivos que levaram o primo de Jackson Lago a não se filiar ao PDT, mas sabe-se que ele chegou a ser sondado pela cúpula nacional do PPS. Pela proposta, comandaria o partido no Maranhão.

Aderson Lago chegou a covnersar com líderes popular-socialistas, em Brasília, impondo uma condição: que a própria direção comunicasse ao eterno presidente do PPS no Maranhão, Paulo Matos, a perda do controle da legenda.

O tempo passou, os pepessistas não conseguiram de se livrar de Matos e Aderson Lago resolveu entrar mesmo no PSB.

Afinal, precisava garantir legenda dentro do prazo, para o caso de vir a disputar as eleições de 2012…

0

Os caminhos de Aderson Lago…

Fora do PSDB, Aderson Lago estuda caminhos...

É pouco provável que o ex-deputado Aderson Lago decida disputar as eleições de 2012, apesar dos convites para ser candidato a vereador em São Luís.

Lago está desiludido com a vida pública, desde que deixou o governo, em 2009, após a cassação do primo, Jackson Lago (PDT).

Pode até se filiar ao PDT, mas manterá a atuação nos bastidores.

Só há um caminho certamente a ser trilhado  pelo ex-deputado: onde estiver o prefeito João Castelo, Aderson estará do lado oposto.

Apesar da difícil relação, Lago não fecha portas para Flávio Dino (PCdoB). Também mantém boa relação com Max Barros (DEM), mesmo sendo quase impossível o apoio formal a um candidatura deste.

E não se descarta, inclusive, presença forte em uma eventual campanha de Roberto Rocha, mesmo com a aparente dificuldade de relacionamento entre os dois.

Estes são os caminhos prováveis de Aderson Lago.

Agora sem mandato e sem partido…

2

Aderson Lago deixa o PSDB…

Aderson cumpre promessa e deixa PSDB

O ex-deputado Adrson Lago encaminhou ontem a sua carta de desfiliação do PSDB.

Sua filiação mais provável é no PDT, embora ele ainda não tenha oficializado o seu caminho partidário.

Na carta encaminhada ao presidente da legenda, Carlos Brandão, o ex-parlamentar não aponta nenhum motivo político para sua saída.

sabe-se, no entanto, que ele vinha fazendo ácidas críticas ao prefeito de São Luís, João Castelo. E chegou a forçar sua expulsão.

É o quarto membro do PSDB que deixa a legenda desde a posse de Castelo.

Antes dele, sairam Luiz Porto (hoje no PPS), Roberto Rocha, que foi para o PSB, e Edson Vidigal, agor ano PDT.

 

4

João Castelo e os órgãos do sentido…

Castelo: sentidos apurados, mesmo dormindo...

O ex-deputado Aderson Lago (PSDB) sugeriu que o prefeito e correligionário João Castelo cuide dos seus órgãos do sentido, se quiser ainda prevalecer na política.

Da visão, segundo Lago, “para enxergar melhor os caminhos tortuosos em que tem trafegado ultimamente“.

Castelo precisa também cidar da audição, segundo o ex-deputado, para “escutar a voz das ruas, que diariamente reclama e pragueja contra o prefeito”. Além do Olfato, “para sentir o mau cheiro que exala de sua administração”.

Mas o prefeito não passou recibo das declarações, dizendo não acreditar que Aderson Lago, de quem é “muito amigo”, tenha afirmado tais coisas.

Sinal de que, pelo menos no tato, Castelo ainda está em forma, a ponto de saber perceber superfícies que podem atrapalhar seu caminho.

E de saber engolir seco tudo aquilo que não agrada ao seu paladar

14

Ivaldo Rodrigues ataca Cândido Lima e Aderson Lago…

Ivaldo Rodrigues escatita Lima e Aderson

O vice-presidente do PDT em São Luís, vereador Ivaldo Rodrigues, entrou na polêmica entre o secretário-geral da legenda, Cândido Lima, e o tucano Aderson Lago, supostamente convidado por lideranças pedetistas a ingressar no partido.

– O Cândido Lima não fala em nome de Jackson e não tem autoridade para vetar ou convidar ninguém para o PDT. Até porque, a executiva ainda não deliberou sobre o tema – disse o vereador.

Rodrigues tem sido o principal contraponto às declarações de Cândido Lima sobre o futuro do PDT.

Mas o vereador também desdenha da possível entrada de Lago-primo no partido.

– Eu não convidaria. Aderson Lago é ultrapssado. Tanto que perdeu a eleição de deputado estadual. Não acrescenta nada ao PDT – afirmou.

Com se vê, a crise interna no PDT envovle todas as correntes do partido…

7

O ódio que move a relação de Aderson Lago e Cândido Lima

Aderson alijou Cândido Lima...

O tucano Aderson Lago e o pedetista Cândido Lima foram colegas na Casa Civil do governo Jackson Lago (PDT), entre 2007 e 2009. Lago era o titular da pasta e Lima seu adjunto imediato.

Hoje, os dois se odeiam, como mostra a reação do pedetista para a hipótese de filiação do tucano no PDT.  (Releia aqui)

Mas há motivos para o ódio.

Aderson e Cândido nunca se deram bem na Casa Civil. Contam interlocutores que vivenciaram o período: “Lima fez de tudo para convencer Jackson a afastar Aderson do cargo. Até abaixo-assinado rolou”.

...que agora quer dar o troco

O troco de Aderson veio a cavalo.

Quando deixou o cargo para se submeter a cirurgia de redução do estômago, em 2008,  o tucano tomou providência para impedir o desafeto de assumir o posto e mexer no que não devia: convenceu Jackson Lago a nomear como interino, não Lima, mas o próprio sobrinho, Augusto Lago, então sub-chefe para assuntos institucionais. 

Assim foi a convivência entre Aderson Lago e Cândido Lima nas entrahas do poder na era Jackson.

Relação que pode se repetir, agora no PDT…