2

Zé Carlos explica que notas de alimentação não ocorreram no mesmo horário…

Ao contrário do que informou o Notícias R7, diz o deputado, almoço em restaurante de São Luís se deu dias antes da emissão da nota, que saiu sem o CPF do parlamentar e precisou ser corrigida

 

ZÉ CARLOS EXPLICOU DETALHES DE SUA PRESTAÇÃO DE CONTAS das despesas com alimentação à Câmara Federal

O deputado federal Zé Carlos (PT) explicou em nota  a situação revelada pelo site Notícias R7, que mostrou despesas de dois restaurantes supostamente utilizados pelo parlamentar, no mesmo dia e horários, um em São Luís e outro em Brasília.

Segundo o parlamentar, a coincidência no dia e horário das notas se deu para inclusão do CPF do parlamentar na nota fiscal, emitifa dias depois do almoço.

– No dia 02/03/2019 estava em Brasília, almocei em restaurante da Asa Sul e a despesa foi de R$ 60,00. Embarquei com escala em São Paulo e meu jantar foi um café no aeroporto no valor de R$ 17,40 – explicou Zé Carlos, que continuou:

– A despesa de R$ 60,00 (sessenta reais) referente a restaurante sediado em São Luís é fruto de eu ter adquirido refeição dias antes, a nota fiscal ter saído sem CPF e a troca dessa nota foi solicitada posteriormente pelo meu apoio em São Luís e emitida em 02/03, quando já estava em Brasília.

Em nota, Zé Carlos conta que a despesa de São Luís foi, na verdade, de R$ 164,00, e não apenas de R$ 60,00, como disse o portal.

– Porém o pedido de ressarcimento (equivalente à despesa com a minha refeição) foi de somente R$ 60,00, o que demonstra a lisura de tratamento com dinheiro público, uma vez que poderia pedir o ressarcimento integral, já que a nota estava no meu nome e nesse valor (R$ 164,00) – justifica o parlamentar.

Zé Carlos lamentou a divulgação da matéria sem ter buscado sua versão para os fatos. e explcia que a situação de notas emitidas somente depois da efetiva transação ocorre sempre na prstaçãod e contas da Câmara dos Deputados.

Abaixo, a íntegra da nota do deputado petista:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Fui surpreendido hoje com matéria divulgada pelo Notícias R7, segundo a qual eu teria pedido o reembolso de notas fiscais de duas despesas com refeições que teriam ocorrido em horários próximos e em cidades distantes, no caso, R$ 60,00 num restaurante em São Luís e o mesmo valor num restaurante na Asa Sul em Brasília, entre as 12h09 e as 13h 44 h do dia 02/03, bem como a matéria também cita a despesa de R$ 17,40 feita numa cafeteria no aeroporto de Guarulhos, SP no mesmo dia às 23:40h.

A seguir a reposição da verdade.

No dia 02/03/2019 estava em Brasília e almocei em restaurante da Asa Sul e a despesa foi de R$ 60,00. Embarquei com escala em São Paulo e meu jantar foi um café no aeroporto no valor de R$ 17,40.

A despesa de R$ 60,00 (sessenta reais) referente a restaurante sediado em São Luís é fruto de eu ter adquirido refeição dias antes, a nota fiscal ter saído sem CPF e a troca dessa nota foi solicitada posteriormente pelo meu apoio em São Luís e emitida em 02/03, quando já estava em Brasília. Esclareço, inclusive, que o valor da nota foi de R$ 164,00, porém o pedido de ressarcimento (equivalente à despesa com a minha refeição) foi de somente R$ 60,00, o que demonstra a lisura de tratamento com dinheiro público, uma vez que poderia pedir o ressarcimento integral, já que a nota estava no meu nome e nesse valor (R$ 164,00).

Destaco que situação semelhante a essa ocorreu no dia 02/02/2019 quando almocei no restaurante do Clube das Nações no Setor de Clubes Sul em Brasília e por problemas de sistema no estabelecimento, recebi a nota fiscal posteriormente.

Situação análoga aconteceu em 2018 no Restaurante do flat onde resido, almocei numa data e a nota foi expedida somente dias depois por problemas de sistema do restaurante.

É lamentável que o jornalista responsável pela matéria não tenha me procurado para os devidos esclarecimentos, embora tenha dito na postagem que sim, e que tenha promovido matéria notoriamente tendenciosa, destinada, ao que parece, a manchar a minha imagem, sem ao menos se preocupar por investigar minha postura e comportamento como parlamentar.

Só a título de esclarecimento, gostaria de informar que meu gasto mensal com refeições ressarcidas pela Câmara em 2019 (até ABRIL) foi de R$ 2.068,00, o que corresponde a uma média de R$ 517,00 (quinhentos e dezessete reais) por mês. Esse valor é equivalente a praticamente a metade do auxílio alimentação mensal de R$ 982,00 que é pago a todo e qualquer servidor da Câmara (exceto os parlamentares).

Isso mostra que não iria pedir o reembolso indevido de R$ 60,00 (ou de qualquer outro valor), ainda mais quando sou um dos parlamentares que não utiliza a totalidade dos recursos disponibilizados pela Cota Parlamentar da Câmara dos Deputados e neste ano, até 31 de março, meus gastos foram de 52% do valor que me foi destinado, deixei de usar 48% da cota que poderia utilizar.

Sei que quem exerce cargo público deve se submeter de forma irrestrita à fiscalização dos seus atos, não apenas pelos órgãos oficiais como também pela sociedade e especialmente pela imprensa. Contudo, é essencial que se informe a verdade, por isso é que presto estes esclarecimentos.

ZÉ CARLOS
Deputado Federal

0

Neto Evangelista participa da abertura da Semana Mundial da Alimentação…

O deputado estadual Neto Evangelista (DEM) participou, nesta terça-feira (16), da abertura da programação alusiva ao Dia Mundial da Alimentação, realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Maranhão, no Palácio Henrique de La Roque. O objetivo é chamar a atenção da população maranhense para a luta contra a fome.

Com o tema “Nossas ações são nosso futuro. Um mundo de Fome Zero até 2030 é possível”, o seminário que deu início ao evento foi ministrado pelo palestrante Marc Arthur Strock e contou com a participação de estudantes de diversas instituições de ensino do Maranhão, além de várias personalidades da área de segurança alimentar.

No evento, também foi lançado o Caderno de Apoio Pedagógico e Administrativo, fruto do Grupo de Trabalho em Educação Alimentar e Nutricional (EAN), que será disponibilizado para as Unidades Regionais de Educação (URE).

Para o deputado, a política de segurança alimentar teve um avanço considerável no Maranhão. “Saímos de seis equipamentos de segurança alimentar para 25, o primeiro banco de alimentos do estado está pronto para funcionar e o Maranhão tem a primeira cozinha comunitária quilombola do Brasil. Enfim, tivemos muitas melhorias”.

“Mas a fome ainda é um problema global que precisa ser eliminado. E a responsabilidade é de toda a sociedade [poder público, organizações não-governamentais e setor privado], que precisa estar unida, global e localmente, para melhorar a oportunidade de todos viverem vidas saudáveis e produtivas”, finalizou Neto Evangelista.

A programação seguirá até o dia 19, com a realização de ações de educação alimentar e nutricional nos Restaurantes Populares da região metropolitana de São Luís, na Cozinha Comunitária do Bequimão, no Terminal de Integração da Praia Grande e na Praça do Viva Maiobão.

Entre as atividades programadas: feira de produtos agroecológicos; exposição de alimentos das comunidades tradicionais; atendimento e orientação nutricional; aferição de pressão arterial; teste de glicemia; exposição e degustação de alimentos naturais aproveitados integralmente; distribuição de materiais educativos sobre alimentação saudável, entre outras ações.

Da assessoria