3

Jornal especula sobre opressão do governo a Astro de Ogum; Será?!?

Em sua principal coluna política O Estado Maranhão levanta a suspeitas de que a reunião com o secretário Rubens Júnior, no feriadão, é fruto da operação policial que atingiu o vereador; e aponta também para o aparelhamento da campanha do comunista

 

ASTRO COM RUBENS PEREIRA E SEUS PAIS, EM ALMOÇO DE FERIADO; ação vinculada à operação que levou vereador a se explicar na delegacia

O blog Marco Aurélio D’Eça já revelou que o Governo do Estado tem destinado cerca de R$ 100 milhões para uma espécie de aporte à campanha que pretende levar o secretário de Cidades Rubens Júnior (PCdoB) à prefeitura de São Luís.

Também já apontou que, para ter Pereira Júnior como candidato da base, operações em curso tendem a tirar do páreo – de uma forma ou de outra – todos os seus principais adversários na base, incluindo o ex-presidente da Câmara Municipal,  o vereador Astro de Ogum (PL). 

Nesta segunda-feira, 18, o jornal O EstadoMaranhão fez uma curiosa abordagem, em sua principal coluna política, sobre o encontro de Astro de Ogum e Rubens Júnior, noticiada sexta-feira, 15, no blog Marco Aurélio D’Eça.

– Há quem diga que a aproximação é resultado da Operação Constelação feita pelo Ministério Público e a Polícia Civil em que Ogum acabou sendo preso por porte ilegal de arma de fogo. Mas os observadores mais atentos garantem que Astro de Ogum não mais quis “confrontar” a força oficial – afirmou o jornal.

Destinar dinheiro público para uma campanha eleitoral já é uma ação grave, que precisa ser investigada pelos órgãos de controle.

Mas aparelhar o estado, para perseguir aliados e forçá-los a apoiar esta mesma candidatura, é uma atitude gravíssima, que só desequilibra a paridade de forças nas eleições.

E ao contrário do que pensam aliados e apoiadores de Pereira Júnior, afasta ainda mais as pessoas de sua campanha…

2

Flávio Dino usa religiosos para manipular Polícia Militar e Corpo de Bombeiros…

Num escândalo sem precedentes, comunista aparelha forças policiais maranhenses promovendo os representantes de igrejas – pulando até quatro patentes e com uma inconstitucional troca de corporação

 

Flávio Dino e Jefferson Portela entre o “batalhão” de capelães da PM e dos Bombeiros; aparelhamento covarde

O governador Flávio Dino (PCdoB) chegou ao limite do aparelhamento e da manipulação das forças policiais do Maranhão ao tentar agradar as igrejas religiosas de São Luís.

Em seu ato criminoso, o comunista não apenas promoveu ao posto de coronel capelão um tenente que precisava passar por outras três patentes, como ainda mudou sua corporação.

O capelão Raimundo Gomes Meireles era 1º Tenente da Polícia Militar, quando foi exonerado em 19 de janeiro por Flávio Dino.

No mesmo dia, o mesmo Raimundo Gomes Meireles aparece no Diário Oficial do Estado com o posto de Coronel, não mais da PM, mas do Corpo de Bombeiros Militar.

O ato de nomeação do capelão Raimundo Meireles: num mesmo dia, quatro patentes a mais

Os cargos de capelão militar viraram moeda de troca no governo Flávio Dino depois que os líderes das fisiológicas igrejas evangélicas e católicas descobriram que poderiam usar seus currais eleitorais para ganhar cargos públicos na estrutura do estado.

Covardia comunista que agride as próprias corporações, obrigadas a treinamento e rotinas estafantes que os indicados das igrejas simplesmente ignoram.

Este blog, inclusive, tem denunciado a prática, que viola os princípios constitucionais. (Releia aqui)

O deputado Wellington do Curso (PP) tem encampado a luta e denunciado os crimes de Flávio Dino com a polícia e os bombeiros.

– Os militares relatam este ato imoral de Flávio Dino e nós comprovamos essa informação, inclusive publicada no Diário Oficial. E o respeito aos militares de carreira, que dedicam anos e anos de sua vida em busca de uma promoção? – questionou Wellington.

Mas o Ministério Público, de olhos fechados, faz de conta que não vê o absurdo, diante de uma Justiça calada..

E o contribuinte paga mais essa conta comunista…

0

Flávio Dino cria cargos para usar politicamente, denuncia Braide…

Deputado questionou o fato de o governador determinar, por decreto, o remanejamento para a Secretaria de Governo de 24 dos 63 cargos criados há menos de um mês para o Iprev

 

Eduardo Braide denunciou o uso político de cargos por Flávio Dino, o que foi confirmado pelo próprio Dino

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) denunciou na Assembleia Legislativa manobra do governo Flávio Dino (PCdoB) para se apossar politicamente de cargos criados há menos de um mês para o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado (Iprev).

De acordo com Eduardo Braide, Dino pretende utilizar politicamente esses cargos.

– Esta Casa criou 63 cargos em comissão somente para o Iprev e 39 cargos em comissão para o Conselho de Administração do Funben. São mais de 100 cargos. Nós denunciamos nesta tribuna que seriam cargos para utilização política. E sabe o que aconteceu? Os cargos ainda nem foram nem ocupados e, por meio do Decreto n.º 33.592, de 8 de novembro de 2017,  o governador remaneja 24 desses cargos para a Secretaria de Governo, Segov – revelou Braide.

De fato, Braide denunciou o uso político dos cargos ainda durante a discussão da criação do Iprev, o que foi confirmado agora pelo próprio Dino.

Para o deputado, a atitude de Flávio Dino revela o interesse em utilizar politicamente os cargos.

E o Maranhão paga a conta…

3

A previsível ação dos comunistas…

Governo usa braços em setores da sociedade para criar embaraços ao ex-secretário Ricardo Murad apenas três dias depois de ele se apresentar como pré-candidato nas eleições de 2018

 

Ricardo Murad provocou reações rápidas no comunista Flávio Dino

O ex-secretário Ricardo Murad entrou imediatamente na linha de tiro do governo comunista logo após anunciar-se interessado na disputa de 2018. Uma juíza denunciada por ele ao Conselho Nacional de Justiça decidiu julgá-lo no âmbito eleitoral e torná-lo inelegível.

A ação dos comunistas – diretamente ou por intermédio de braços judiciais, policiais ou midiáticos – é sempre tão previsível que se recusa até a acreditar que ela possa ser posta em prática.

E tem sido assim nos últimos três anos, desde que o comunismo tomou conta do Maranhão.

O governador Flávio Dino e seus principais secretários usam toda a estrutura de que dispõem para perseguir, intimidar, constranger ou pressionar quem tenta fazer contraponto às suas ações.

O próprio Ricardo Murad já foi vítima deste aparelhamento da máquina pública.

O ex-secretário chegou a ser constrangido a uma condução coercitiva para prestar esclarecimentos – embora o desejo do comunismo instalado no Palácio dos Leões fosse prendê-lo mesmo.

Flávio Dino tem instrumentos judiciais, policiais e midiáticos para criar um clima de estado de exceção no Maranhão.

Já usou membros do Ministério Público, como o notório promotor José Roberto Ramos, contra a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB); usa de sua tropa-de-choque midiática constantemente contra o senador Roberto Rocha (PSDB) e atuou pessoalmente contra a ex-prefeita Maura Jorge (Podemos), coincidentemente todos pré-candidatos ao governo.

E pelo que se vê, o comunista não se fará de rogado em usar esse aparelhamento contra quem se atrever a enfrentá-lo politicamente.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

1

Estado policialesco de Flávio Dino…

Governo comunista tem usado estrutura da Segurança Pública e parte da mídia amestrada pelo Palácio dos Leões para perseguir, expor e constranger adversários políticos

 

Há evidentes sinais de abuso de autoridade e exposição indevida de pessoas no episódio envolvendo o ex-deputado federal e ex-prefeito de Caxias, Paulo Marinho, na última sexta-feira, 20. Preso sem qualquer mandado judicial – por débito de pensão alimentícia – o ex-prefeito foi transferido com urgência meteórica para o Complexo de Pedrinhas, em São Luís, mesmo com determinação judicial para que ficasse em Caxias.

Além disso, imagens do ex-deputado ganharam imediatamente todo o sistema de mídia financiado pelo Palácio dos Leões, que chegaram a tripudiar do preso, em textos idênticos, que parecem todos saídos da mesma lavra.

As circunstâncias da prisão de Paulo Marinho têm todos os elementos de um estado policialesco em que contrários ao sistema são expostos de todas as formas. E os sinais são ainda mais claros porque se somam a outros, registrados desde o início do mandato do governo comunista que hoje controla o Maranhão.

Leia também:

É pelo medo que Flávio Dino se impõe…

Flávio Dino e a máquina de moer reputações…

O Estado de exceção no governo Flávio Dino…

Exemplo recente foi a “prisão” de jornalistas e blogueiros – todos independentes do Palácio dos Leões – em circunstâncias tão estranhas que a “prisão foi “relaxada” apenas horas depois de as imagens dos presos estarem expostas na mídia. Curiosamente, um dos denunciados” foi poupado, mesmo diante de todas as evidências contra si.

Outro fato estranho que leva à desconfiança do direcionamento do aparelho policial contra adversários foram as ações contra agiotas, que pararam totalmente quando a polícia começou a chegar em aliados do governador comunista de seu secretário igualmente comunista.

E assim vai seguindo a sanha do governo da mudança.

Com o aparelho policial usado para pressionar desafetos.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

Andrea Murad denuncia aparelhamento do governo pelo PCdoB…

A deputada Andrea Murad (PMDB) chamou a atenção sobre o abuso do PCdoB no aparelhamento do governo Flávio Dino. A presença de filiados está se evidenciando cada vez mais e fazendo o contraponto com o caos nos serviços públicos oferecido pelo Estado.

“O aparelhamento no Estado de pessoas do PCdoB, no governo Flávio Dino, é algo assustador. Eu fico me perguntando se o Governador não tem vergonha, porque se fôssemos cruzar os dados com a Justiça Eleitoral íamos encontrar tantos filiados do PCdoB que não é brincadeira. É um verdadeiro absurdo o que está acontecendo. Esse aparelhamento no Governo é uma troca desde a eleição, ou seja, ‘você me apoia que eu lhe dou um cargo no Governo’, agora continua essa negociata barata”, discursou.

A parlamentar deu exemplo do recente caso dos comissionados do Procon que estiveram na Conferência Estadual do PCdoB, como demonstração do uso da máquina pública para fins eleitoreiros.

“O Governo virou essa farra e aí peguei aqui uma relação de cargos comissionados do PROCON, fardados com camisa do PCdoB em evento do partido. Que situação absurda a chefe de Gabinete, assessora jurídica lá gritando ‘PCdoB’. Diretora de Orientação e Assistência do Consumidor também do PCdoB com camisa do partido, a Coordenadora de Unidades Móveis, chefe da Comunicação, supervisora financeira, que coisa ridícula. Que coisa absurda utilizando a coisa pública para fins eleitoreiros. Impressionada quando olho essas fotos dos funcionários do PROCON, todos em peso nessa conferência do PCdoB. É pra isso que o governo só tem aumentado os cargos comissionados, isso é um escândalo, para colocar gente do seu Partido, para colocar comunistas no Governo para sua campanha de reeleição”, disse Andrea.

8

Flávio Dino aluga imóvel de comunista para abrigar unidade da Funac na Aurora…

Governo, que tem atuado para beneficiar membros do PCdoB paga R$ 12 mil a Jean Carlos Oliveira, há mais de seis meses, mesmo sem o funcionamento da entidade, contestada pelos moradores do bairro

 

Pagamentos a Jean Charles, antes mesmo de o governo iniciar serviço na casa

O governo Flávio Dino (PCdoB) mantém contrato de  R$ 12 mil, com pagamentos desde junho de 2012,  com um membro do seu próprio partido, o comunista Jean Carlos Oliveira, para abrigar uma unidade da Funac na Aurora, ação criticada pela comunidade.

A informação foi dada com exclusividade nesta quarta-feira, 4, pelo blog do jornalista Daniel Matos. (Leia a íntegra aqui)

O contrato com o membro do PCdoB é só mais uma ação do governo comunista em favor dos seus próprios camaradas de partido, o que ocorre em diversos setores.

Este blog já denunciou que Dino inchou a folha de pagamentos com dezenas de camaradas do partido, aparelhando a máquina do governo e, para bancar a a festa, aumentou impostos dos maranhenses. (Relembre aqui, aqui)

Uma das últimas ações de camaradagem com comunistas se deu na pasta do bi-secretário Márcio Jerry, lugar-tenente do governador, que renomeou quatro aliados de uma só vez, após as eleições de outubro. (Releia aqui)

A denúncia de Daniel Matos é mais grave por que revela que Fla´vio Dino mostra-se insensível ao clamor popular apenas para agradar os camaradas do seu partido.

E o povo vai pagando a conta do comunismo…