1

Farsa das live’s solidárias na mira do Ministério Público…

Pseudos-empresários têm usado a proibição de eventos com música ao vivo para comprar “shows” de artistas e faturar alto com a venda de patrocínios, manipulando o próprio espectador do evento a fazer doações no lugar deles; Ministério Público suspeita de lavagem de dinheiro

 

Uma das lives produzidas esta semana gerou aglomeração e tumulto, o que chamou atenção do Ministério Público; fortes suspeitas de lavagem de dinheiro

A pandemia de coronavírus trouxe um novo momento para a classe artística brasileira, que se viu sem espaço de trabalho e teve que se reinventar para, ao menos, se manter vivo na memória do público.

Mas as lives, que surgiram de forma despretensiosa, acabaram virando um milionário negócio, não para os artistas mais para pseudo-empresários caça-níquel, resultando em tumultos como o que ocorreu recentemente em um parque da cidade.

O Ministério Público desconfia que a prática possa esconder, inclusive, a prática de lavagem de dinheiro.

O esquema funciona assim: o suposto empresário compra as lives dos artistas, pagando antecipado, e promete a ele toda a estrutura para o evento – desde o som, passando por equipamento de transmissão e filmagem.

A partir daí, o empresário passa a vender o show a patrocinadores de todos os tipos – de empresas a políticos; de prefeitos a candidatos, muitos dos quais utilizam-se da oportunidade para lavagem de dinheiro.

Em troca, o artista se compromete a criar o QR-Code e pedir doações aos espectadores, o que daria o ar de “solidário” à live.

Vários artistas foram procurados pro empresários com esta proposta, o que gerou uma rede de lives solidárias que de solidária só apresentaram o nome.

Mas os tumultos gerados nestes eventos chamaram a atenção do Ministério Público.

Que decidiu investigar o assunto…

2

Artistas criticam proibição de voltar aos bares…

Portaria do Governo do Estado estabeleceu restrições para funcionamento dos estabelecimentos noturnos, a partir deste sábado, 27, entre elas a realização de eventos artísticos de qualquer espécie que possam gerar aglomeração de público; mas não há nenhuma política publica de auxílio a este setor da economia

 

Os palcos dos bares e casas de shows podem até continuar iluminados, mas com os banquinhos vazios para os artistas

Ansiosos com a volta do funcionamento da noite de São Luís, os artistas que cantam em bares e casas noturnas frustraram-se com a Portaria do Governo do Estado, que proibiu a realização de shows e eventos com potencial de gerar aglomeração.

O bares, restaurantes e afins poderão reabrir a partir deste sábado, 27, mas com fortes restrições, que vão da redução do horário de funcionamento à proibição de contratar artistas e atrações culturais.

A proibição de cantores e artistas nos bares foi determinada pela Vigilância Sanitária Estadual, e está prevista no artigo 1.44, da Portaria 042/2020:

– Ficam proibidas atrações musicais, culturais e de qualquer tipo que promovam aglomeração ou movimentação, até nova deliberação dos órgãos sanitários. (Veja a íntegra aqui)

Nestes últimos 90 dias sem shows, alguns artistas tiveram até que voltar para sua família a fim de garantir sua sobrevivência; é o caso de Caio Montteiro, ativo interprete da noite na capital maranhense.

– Estou com minha família em Santarém (PA). Com a quarentena, ficamos sem trabalho; a solução foi voltar para a minha terra – disse Montteiro, que já se preparava para retornar à capital maranhense.

Uma das saídas para sobreviver na pandemia foi a realização de lives; mas esta atividade também dependia da boa vontade de apoiadores e patrocinadores, que nem sempre estavam dispostos a participar.

– As lives não deixam de ter um custo; e precisamos da boa vontade de contribuintes, que nem sempre mostram-se abertos a isso – lamentou Brendo Costa, especializado em reggae, que também ansiava pela volta dos shows em bares.

A Portaria 042/2020 do Governo do Estado não estabeleceu como se dará a fiscalização dos bares e casas noturnas de São Luís…

4

Zé Inácio propõe benefício mensal ao setor cultural durante pandemia

Deputado pretende garantir formas de sustento a trabalhadores deste setor, paralisado com o distanciamento social e sem perspectiva de retorno às atividades em médio prazo

 

O deputado estadual Zé Inácio (PT) protocolou indicação solicitando ao governo do estado, por meio da secretaria estadual de Cultura, que adote providências para criar no âmbito do Estado do Maranhão o Programa de Auxílio Emergencial para Trabalhadores do Setor Cultural durante o período de crise sanitária pela pandemia do novo coronavírus.

O Programa de Auxílio Emergencial para Trabalhadores do Setor Cultural deverá garantir a concessão, para os trabalhadores do setor cultural maranhense, de um benefício no valor de 1 (um) salário-mínimo, enquanto durar o isolamento recomendado pelos organismos de saúde.

“Propostas que visem minimizar os graves efeitos das necessárias medidas de restrição de contato social no meio cultural precisam ser viabilizadas urgentemente, a fim de amenizar a situação daqueles que ficaram sem renda evitar a falência absoluta do setor cultural”, afirma o deputado.

Com o avanço do novo coronavírus (Covid-19), a lista de eventos culturais cancelados, transferidos ou adiados não para de crescer, a exemplo do que deve acontecer com o tradicional São João do Maranhão. A cultura aquece a economia brasileira, movimentando milhões de reais, gerando empregos e renda,  segundo dados do IBGE o setor cultural, como um todo, emprega 5,2 milhões de pessoas, o que representa 5,7% da força de trabalho ocupada no país.

Com a criação do Programa de Auxílio Emergencial para Trabalhadores do Setor Cultural, profissionais das artes e da cultura, entre eles os autores e artistas, de qualquer área, setor ou linguagem artística, incluídos os intérpretes, os executantes e os técnicos em espetáculos de diversões, serão beneficiados, além de outras categorias.

0

Luciano realiza live solidária com artistas pinheirenses nesta sexta-feira

Para quem curte música, o compromisso está marcado, nesta sexta-feira (17) às 17h, a Live Solidária de Luciano Genésio e cantores pinheirenses, promete animar Pinheiro e arrecadar muitas doações. O objetivo é conseguir o máximo de doações para ajudar famílias carentes do município.

O dinheiro doado será convertido em cestas básicas, espera-se arrecadar o equivalente a 10 toneladas de alimentos.

Metade das cestas básica serão doadas à Associação de Pastores de Pinheiro e os outros 50% para o Cadunico-Cadastro Único (doados as famílias carentes que possuem cadastro na plataforma).

“Acredito que alcançaremos o nosso objetivo, 10 toneladas de alimentos. Estamos firmes no combate a pandemia sem esquece e olhar por aqueles que tanto precisam nesse momento. Essa foi uma forma de ajudar e também alegrar as pessoas. Convido a todos para curtir nesta sexta-feira a nossa Live”, disse Luciano.