14

O “afunilamento” da linha de investigação no caso Décio…

 

Décio Sá: assassinato em abril

A polícia já sabe que uma casa foi alugada na periferia de São Luís para abrigar dois homens que viriam de fora do Maranhão para “um serviço na capital maranhense”.

A polícia vincula uma denúncia do blog de Décio Sá, feita ainda em 2009, a uma outra, do mesmo blog, feita em fevereiro deste ano.

E as duas denúncias têm a ver com a casa alugada na periferia de São Luís.

A polícia sabe de tudo.

Só resta agir…

5

Presidente do Sindicato dos Jornalistas explica obtenção de possível áudio da morte de Décio Sá…

Décio: assassinato pode ter áudio...

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Maranhão, Leonardo Monteiro, explicou hoje ao blog como se deu o acesso dele a um áudio que pode ter sido gravado no exato momento da morte do jornalista Décio Sá, há um mês.

Eu passei alguns dias sem ir ao escritório. Quando cheguei, encontrei esta mensagem, do dia do crime, na secretária eletrônica. É uma coisa meio assombrosa – contou o jornalista.

Ele disse que refletiu alguns dias e pediu auxílio de conselheiros do sindicato antes de decidir entregar a gravação à polícia, já que poderia se tratar de trote.

Quando decidi entregar, também autorizei a quebra do sigilo telefônico deste dia, para esclarecer de onde partiu a ligação – contou Monteiro.

Na gravação, já encaminhada à polícia, é possível perceber assovios, alguns disparos e uma espécie de gemido.

A perícia da Secretaria de Segurança do Maranhão já está examinando o áudio, que poderá servir de prova no inquérito que investiga o assassinato de Décio Sá.

As investigações foram prorrogadas ontem por mais trinta dias…

7

Caso Décio Sá: 30 dias. E nada…

Há um mês, o jornalista Décio Sá era brutalmente assassinado com seis tiros de pistola “ponto 40”, no Restaurante Estrela do Mar, na Avenida Litorânea.

O balanço das investigações nestes 30 dias mostram que a polícia pouco avançou no caso – ou esconde informações relevantes à população.

Há dois suspeitos presos, cerca de 100 testemunhas ouvidas, 38 mil registros de ligações catalogadas, um retrato falado não divulgado do assassino… e só.

Alegando proteção às testemunhas, o secretário Aluísio Mendes determinou o sigilo das investigações quatro dias depois do assassinato.

Mais o que se escuta nos bastidores é que não houve qualquer avanço em relação ao que já se sabia antes do sigilo.

Parece não haver nenhuma linha-mestra de investigação, nenhum rumo seguido pela polícia e nenhum grupo de suspeitos catalogados – de mandantes a assassinos.

“Afunilamento” ou “estreitamento” das linhas de investigação são apenas termos do jargão policial para dizer exatamente nada.

O dossiê do caso Décio Sá é um calhamaço de depoimentos, sem nenhuma prova física, sem impressões digitais ou confissões que garantam a instrução de um processo penal confiável.

Para seguir com o caso, a Segup decretou ontem a prorrogação das investigações.

Mas será necessário outra providência: pedir a prorrogação da prisão dos suspeitos.

Mas, a menos que eles tenham relação com o “afunilamento” das investigações, a polícia não terá elementos argumentativos para mantê-los atrás das grades.

E, assim, a elucidação do assassinato torna-se ainda mais difícil…

7

Polícia já ouviu mais de 100 no caso Décio…

Décio Sá: um mês do crime. E nada...

Mais de 100 testemunhas, entre parentes, amigos, colegas de profissão, transeuntes e trabalhadores da Avenida Litorânea já foram ouvidas pela polícia nas investigações do assassinato do jornalista Décio Sá, ocorrido em 23 de abril.

Chama atenção a quantidade de testemunhas relacionadas ao restaurante Dona Maria, no Calhau.

Alguns colegas de Décio se reuniram no local, no dia do crime, e chegaram a falar com o jornalista, por telefone, antes de sua execução, que ocorreu no restaurante Estrela do Mar, na Avenida Litorânea.

Do Dona Maria, a polícia ouviu também trabalhadores do restaurante – mais de uma dezena deles.

As demais testemunhas têm a ver com o comportamento diário do jornalista.

São pessoas que estavam no Estrela do Mar no dia do crime, testemunhas do morro por onde o assassino supostamente escapou e um ou outro sem relação aparente com o crime.

Os delegados que investigam o caso têm uma linha que aponta para uma relação entre a morte de Décio e matérias que ele publicou contra pessoas ou grupo de pessoas.

Mas não há nenhum encaminhamento para elucidação do crime…

16

Investigação federal no caso Décio Sá…

Morte de Décio Sá: a polícia ainda não conseguiu respostas

A Polícia Federal deverá entrar oficialmente nas investigações do caso Décio Sá.

A Comissão de Direitos Humanos protocolou ontem à tarde o pedido ao Ministério da Justiça para que aquela força policial atue no caso.

Detalhe: para os deputados que compõem a comissão, é importante que sejam escalados para a missão apenas policiais de fora do Maranhão, haja vista a relação muito próxima de policiais civis, e mesmo dos federais maranhenses, com alguns dos investigados.

Comissão da Câmara foi ignorada no Maranhão

– O crime possui nítidas características de encomenda; tem elementos que indicam a participação de grupos de extermínio e organizações criminosas ligadas a esquemas poderosos, talvez com interesses e ramificações no poder público – justifica o documento da CDHM encaminhado à Polícia Federal.

Além da participação da Polícia Federal, a comissão da Câmara dos Deputados quer que o Ministério Público Federal também acompanhe as investigações.

O assassinato de Décio Sá vai completar 30 dias na próxima segunda-feira.

As investigações estão sendo feitas de forma sigilosa pela polícia maranhense.

25

Só pra não esquecer…

Décio Sá, assassinado em 23 de abril...

Na próxima quarta-feira, o assassinato do jornalista Décio Sá completa o primeiro mês.

Neste período, foram inúmeros os pedidos e pressões, de toda sorte, para que este blog fosse mais complacente e desse mais crédito ao trabalho da polícia.

Neste período, o titular deste blog conversou com os delegados Jefrey, Maimone Barros e com o próprio secretário Aluísio Mendes, em depoimentos informais sobre o caso.

Ouviu deles garantias de que o crime será elucidado – “apesar da complexa rede de possibilidades” – e que as coisas estavam caminhando dentro das linhas de investigação.

Há dois suspeitos presos, cuja validade da prisão temporária expira-se um dia depois de o assassinato completar 30 dias.

Há uma linha de investigação já definida e encaminhamentos para consolidar provas e indícios de participação de suspeitos da trama.

E nada mais!

O blog decidiu respeitar o sigilo das investigações, mas com prazo determinado para voltar a cobrar.

E não vai deixar que a morte de Décio Sá seja esquecida nas gavetas do Sistema de Segurança.

Doa em que doer…

7

Polícia elucida morte de blogueiro potiguar…

F. Gomes: polícia potiguar elucidou o crime

A polícia civil do Rio Grande do Norte elucidou ontem o assassinato do blogueiro Francisco Gomes Medeiros, o F. Gomes.

Ele foi executado em outubro de 2010, nos moldes do assassinato do jornalsita Décio Sá.

Assim como Décio, F. Gomes mantinha um blog que denunciava políticos, empresários e autoridades do Rio Grande do Norte.

De acordo com as informações da imprensa potiguar, Gomes foi morto por encomenda do comerciante Lailson Lopes, com participação também do pastor Gilson Neudo Soares do Amaral.

Ainda de acordo com a polícia, o pastor usou parte do dízimo para pagamento do crime.

O articulador da execução foi o advogado Rivaldo Dantas.

Além deles, o coronel Marcos Antonio de Jesus Moreira e o policial militar Evandro Medeiros também ajudaram no crime. O assassinato custou R$ 8 mil. 

Todos os envolvidos já estão presos…

Leia aqui a notícia sobre a morte de F. Gomes

 

 

8

Quebra de sigilo telefônico no caso Décio…

Décio: várias ligações serão investigadas

Mais de 30 números de telefones já tiveram o sigilo quebrado pela Justiça, a pedido dos delegados que investigam a morte do jornalista Décio Sá.

A polícia acredita que, a sequência de ligações entre um número e outro, facilitará na percepção do provável esquema para o assassinato do jornalista.

Décio Sá fez e recebeu várias ligações nos dias que antecederam sua morte.

A polícia cruza as informações destes números para saber quem ligou para quem entre os que conversaram com Décio.

O objetivo é saber, por exemplo,  que relação há entre os que ligaram para o jornalista e outras que também constam da relação de ligações.

A polícia já conseguiu receber informações de algumas operadoras, mas outras mostram má-vontade no fornecimento dos dados.

Entre as ligações efetuadas e recebidas por Décio Sá no dia do crime, estão números de jornalistas, de colegas de redação, muitos de políticos e até de policiais e magistrados.

Mas o foco se dá naquelas ligações efetuadas entre as últimas três horas antes e três horas depois do crime.

Tanto as feitas e recebidas por Décio quanto as trocadas entre pessoas que, eventualmente, falaram com ele…

15

Homem foi executado no Turu…

Foi uma execução o assassinato de Clodoaldo Guimarães da Silva, hoje pela manhã, na Avenida São Luís Rei de França.

Clodoaldo pilotava uma moto quando outro veículo do mesmo tipo parou ao seu lado e um homem que vinha na garupa o executou, com vários tiros. O assassino fuigu com outros dois homens, que o aguardavam próximo à Farmácia Extrafarma.

A princípio, achava-se que o motoqueiro havia sido morto pelo próprio carona de sua moto. Só à tarde, setores da polícia confirmaram tratar-se de homens em outra moto.

Mais uma execução por acerto de contas, o que caracteriza pistolagem.

Menos para a delegada-geral, Cristina Meneses, que vê mortes violentas como estas como resultado de brigas de vizinho.

14

Onde está o retrato falado???

Alguns blogs anunciam hoje que a polícia concluiu o retrato falado do assassino do jornalista Décio Sá.

São exatos 14 dias após a morte, tempo considerado absurdo para qualquer polícia do mundo.

Neste meio tempo, até plástica o matador teria condições de fazer para escapar da polícia e dos mandantes do crime.

Isto se já não tiver sido eliminado, anonimamente, em uma queima-de-arquivo.

Mas, afinal, onde está o retrato falado? Por que, se concluiu, a polícia ainda não divulgou.

Ou será mais um ato a ser mantido em sigilo???