2

Fantasmas rondam…

Cada vez mais pessoas se manifestam a favor de uma intervenção militar, muitos sem sequer saber exatamente como foi um dos momentos mais sombrios do Brasil,durante na ditadura

 

Impressiona e assusta a grande participação de jovens nos eventos pró-militares

A princípio envergonhados, os movimentos que defendem uma nova intervenção militar no país começam a ganhar corpo nas redes sociais e já se assumem publicamente.

Pior: esses movimentos têm a ampla participação de jovens estudantes, o que torna a ameaça de fantasmas do passado ainda mais perigosa, sobretudo diante do movimento político atual.

Ontem, esses movimentos pró-militares ganharam força em São Luís, com a convocação de simpatizantes para uma espécie de “abraço” no quartel do 24º Batalhão de Infantaria de Selva, na praça Duque de Caxias, no João Paulo.

Prejudicada pela chuva que caiu no fim da tarde, a convocação, feita pela União da Direita Maranhense (UDM) reuniu alguns jovens e adultos em uma espécie de momento cívico, com direito a hino nacional e discursos pseudo-patriotas.

O filósofo Leandro Karnal diz que se espanta a cada vez que vê um jovem defender intervenção militar no país. Para ele, um estudante que faz isso mostra total desconhecimento da história. E os mais velhos, sofrem falta de memória.

Karnal é um dos maiores críticos do sentimento pró-militar e vê com reservas a candidatura presidencial do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

A Ditadura Militar foi um dos momentos mais sombrios do Brasil. Milhares foram mortos, outros tantos desapareceram, além de não existir, à época, liberdade de manifestação e de expressão, com dura censura à imprensa, às artes e à classe política.

Os fantasmas que rondam o país se manifestam sobretudo pela falta de perspectiva do povo brasileiro, diante do mar de corrupção exposto no país e a crise de credibilidade da classe política.

Mas, citando novamente Karnal, é muito melhor contestar e tentar aperfeiçoar a democracia do que simplesmente destruí-la.

Até porque, sem democracia, nem essas manifestações contra ela própria teriam condições de ser feitas.

E muito menos um texto como esse…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

Maura Jorge cada vez mais articulada no segmento evangélico…

Pré-candidata de Jair Bolsonaro ao Governo do Maranhão, que já tem o apoio do pastor Marco Feliciano, recebeu vídeo de apoio do cantor gospel Mattos Nascimento

 

A pré-candidata do PSL ao Governo do Estado, ex-prefeita Maura Jorge, tem-se consolidado no segmento evangélico como opção política.

O cantor gospel Mattos Nascimento, um dos mais prestigiados do segmento, gravou vídeo em que declara apoio à campanha da candidata.

Ela, que é a candidata de Jair Bolsonaro no Maranhão, já tem também o apoio do pastor Marco Feliciano, um dos mais conhecidos do movimento evangélico em todo o país.

14

O fator Lula e um país de preconceitos…

Com Brasil dividido entre o Sul Rico e o Nordeste empobrecido fruto das diferenças sociais que se tentou diminuir nos últimos, o pais que se pode ter é este, com Lula e preso e Bolsonaro quase presidente

 

Editorial

Há um preconceito arraigado no Brasil que perpassa, inclusive, pelo próprio dia dia das pessoas.

E atinge a todos.

O cara que mora na Cidade Operária se acha melhor que aquele da Vila Olímpica; o que chega à Cohab considera os da Operária miseráveis. Quem mora na Cohama pensa que é melhor que os do Cohatrac… e os do Calhau?!? Esses se dizem a elite de São Luís.

Mas São Luís, pra Salvador, é um nada.

E Salvador pra São Paulo?!? Estes se acham o Brasil que produz.

E é assim que segue o dia dia do brasileiro, com o Sul achando que sustenta o Nordeste; empresários achando que sustenta os empregados; funcionários públicos se dizendo melhor que o operário..

Foi esse preconceito arraigado no brasileiro que rachou o país durante o governo Lula.

Porque o patrão não vai querer seu filho na mesma escolha da filha do seu empregado. O paulista não vai querer ver o Nordeste rico e industrializado.

E o resultado é este Brasil hoje: de Lula preso e Bolsonaro quase-presidente.

E Viva o preconceito!

Viva as diferenças sociais!

Viva a elite quatrocentona!!!

11

Bolsonaro garante apoio a Maura Jorge e embaralha sucessão maranhense…

Líder em todos os cenários sem Lula – e com o maior poder de transferência de votos dentre os presidenciáveis – candidato vai fortalecer o palanque da ex-prefeita, que ganha o principal papel anti-comunista, para desespero do governador Flávio Dino

 

Em reunião que aconteceu na noite desta terça-feira (20), em Brasília, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) oficializou seu apoio a pré-candidatura de Maura Jorge (Podemos) ao governo do Maranhão.

A notícia embaralha mais uma vez as peças do xadrez da sucessão governamental do estado.

Sem Lula na disputa, Bolsonaro lidera todas as pesquisas de intenções de votos para presidente da República, inclusive no Maranhão.

Ele também é o presidenciável com maior poder de transferência de votos para seus aliados estaduais, sobretudo pela fidelidade de seus seguidores.

Com o apoio, Maura Jorge ganha fôlego na disputa pelo governo.

Para Bolsonaro, Maura Jorge garante o melhor palanque para sua candidatura, não só por ambos serem cristãos, mas pelo distanciamento dos comunistas e dos governos anteriores.

– Temos esperança e fé em Deus de mudar o destino do Maranhão e do Brasil! – disse Bolsonaro, durante o encontro com a ex-prefeita. (Veja vídeo exclusivo acima)

Além do presidenciável e de Maura Jorge, também participou da reunião  o vice-presidente nacional do PSL, Julian Lemos, articulador de Bolsonaro no Nordeste.

O resultado dessa parceria deverá ser sentido já nas próximas pesquisas, e com certeza repercutirá bastante.

Para pesadelo dos comunistas encastelado no Palácio dos Leões…

1

Bolsonaro deve rachar o PEN maranhense…

Encaminhamento nacional pelo apoio ao pré-candidato da ultra-direita a presidente da República deve levar à saída de parlamentares e entrada de membros da União da Direita Maranhense

 

Jota Pinto, Marreca e César Pires na reunião do PEN nacional

O deputado federal Júnior Marreca e o estadual César Pires estariam a ponto de deixar o PEN-Patriotas no Maranhão.

Os dois parlamentares estão em desacordo com a direção nacional da legenda, que encaminha pelo apoio ao deputado federal Jair Bolsonaro a presidente.

No Maranhão, Bolsonaro tem o apoio da União da Direita Maranhense (UDM), que deve tomar o comando da legenda, hoje sob controle do ex-deputado Jota Pinto.

Os aliados de Bolsonaro no Maranhão

As ações da UDM e de Bolsomínions em nome do PEN – que ganhou a expressão “Patriotas” exatamente por causa de Bolsonaro – gerou forte bate-boca com Jota Pinto, retratado neste blog. (Releia aqui e aqui)

Esta semana, foi a presença de Júnior Marreca em um encontro divulgado como sendo de apoio ao governo Flávio Dino (PCdoB) que gerou novo atrito.

Bolsonaro e Flávio Dino são inimigos ideológicos, o que gerou reações.

E pode ter precipitado também a saída do parlamentar…

2

Zé Inácio pede investigação sobre ataque a sede estadual do PT…

Zé Inácio tem sido o único a lamentar os ataques à sede do PT

O Deputado Zé Inácio subiu à tribuna da Assembleia Legislativa nesta segunda-feira, 6, para pedir que a Secretaria de Segurança Pública do Estado tome providências a respeito do ataque de vândalos a sede estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), ocorrido na madrugada do último dia 2.

Na fachada do prédio podiam ser vistas pichações em apoio e defesa ao Deputado Jair Bolsonaro.

Zé Inácio caracterizou o ato como “uma ação antidemocrática, uma ação criminosa, uma ação fascista, uma ação que nós que defendemos a democracia, só temos que repudiar atos criminosos dessa natureza que vão contra a liberdade de opinião. ”.

O parlamentar disse ainda que os vândalos que atacaram a sede do PT são disseminadores de ódio, da intolerância e do preconceito no país, são saudosistas do regime militar que não aceitam a livre manifestação de pensamento.

“Atos como esse não nos intimidam, pelo contrário, só reafirmam a nossa posição de ter a cada dia mais firmeza de defender as bandeiras de luta que o PT sempre defendeu para que o nosso país não conviva mais com retrocessos, como foi na época do Regime Militar, dos retrocessos e do perigo que significam candidaturas aventureiras para comandar o Brasil. Atos como esses caracterizam de forma muito clara o que significam os riscos que nós possamos ter com candidaturas aventureiras, tipo essa do Jair Bolsonaro”.

Zé Inácio finalizou com uma crítica a União da Direita Maranhense (UDM), que apoia a candidatura de Jair Bolsonaro para presidência do Brasil.

“Eles disseminam muito mais ódio do que esperança, e nós não disseminamos ódio, disseminamos esperança de ter um estado cada vez melhor e um país cada vez melhor para todos os brasileiros”, disse.

A presidência estadual do PT no Maranhão já registrou o ocorrido junto a polícia militar.

3

Temos que responder ao fenômeno Jair Bolsonaro, diz pensador…

Para Ruy Fausto, o fracasso das ideias progressistas e democráticas defendidas por partidos de esquerda tem levado jovens e até formadores de opinião a se encantar com as ideias ultraconservadoras do capitão do Exército que pretende ser presidente do Brasil

Ruy Fausto: a esquerda precisa se livrar do populismo, do adesismo e do autoritarismo

O filósofo paulista Ruy Fausto, da Universidade de São Paulo, apontou um diagnóstico sombrio para o país nas eleições de 2018, a partir do fracasso das gestões sociais democratas e socialistas, representadas pelo PSDB e pelo PT.

– Fico muito assustado quando vejo jovens encantados com o Jair Bolsonaro (deputado do PSC defensor de ideias ultraconservadoras que cresce nas pesquisas eleitorais sobre possíveis candidatos à presidência do País na próxima eleição) – diz o pensador, que completa:

– Ele cresce também com certo apoio de setores das classes média e alta. Temos que responder a isso.

Bolsonaro: ideias ultraconservadoras ameaçam as liberdades democráticas

Para Ruy Fausto, a resposta ao populismo conservador de Bolsonaro deve começar a partir do diálogo com a classe média pensante, progressista e crítica, não necessariamente vinculada a partidos.

E esquecer, sobretudo, ideias de populismo e autoritarismo, como as de Nicolas Maduro, na Venezuela, que desperta encanto nas esquerdas da América Latina.

Na entrevista que concedeu à revista Isto É, Ruy Fausto vaticinou também contra um mantra esquerdista, ao criticar o seu principal expoente.

– Lula não é a melhor opção para a esquerda – afirmou.

Leia a íntegra aqui